terça-feira, 9 de outubro de 2012

Justiceiro do Asfalto

  “Homens fracos acreditam na sorte.
   Homens fortes acreditam em causa e efeito.”
     [Ralph Waldo Emerson]

  Uma pessoa 100% azarada não tem como viver por muito tempo.

    "Segundo os exames, Sophia morreu sufocada por esganadura, teve o tímpano esquerdo estourado, sofreu um edema cerebral e ficou com 21 hematomas espalhados pelo corpo, foi assassinada após contrariar o pai." [Estadão]

  Para falar sobre isso eu tenho que ir por lugares tenebrosos, buracos negros do pensamento onde toda luz é sugada, não quero ficar deprimido hoje e nem provocar esse sentimento no amigo leitor, vamos flutuar por caminhos mais iluminados e úteis.

  Uma pessoa 100% protegida, 100% sortuda se sentiria e agiria como um Deus.


  Quem não conhece pessoas que se comportam como se o mundo girasse em torno delas, querer é poder?
  Uma boa parte delas apenas se ilude que pode tudo e como tem bem pouco são até risíveis ou provocam dó.
  Se quisessem poderiam ser Presidentes, grandes cientistas, donas de grandes empresas, mas ganham de 2 a 3 salários mínimos porque querem...acredite se quiser.
  Nosso maior problema não são essas pessoas com bem pouco que dizem poder tudo a maior dificuldade são com as pessoas que acham que podem tudo e conseguiram alguma coisa ou herdaram riqueza dos pais.
  Geralmente a vida delas deu muito certo economicamente e profissionalmente, mas se conversarmos mais intimamente com esses “super poderosos” veremos que eles também tem muitos problemas, por vezes mais graves que os nossos.
  Amor, saúde, desentendimento familiar, transtornos no trabalho, enfim todos sabemos que a vida não se limita só em ter uma gorda conta bancaria e saúde, relacionamentos humanos são bem complexos e afetam nossa qualidade de vida, sem contar nossas dúvidas sobre o que realmente somos:

“Ser ou não ser eis a questão”.

  Você acha que Bill Gates não tem dúvidas sobre o que acontecerá com ele após sua morte, se ele está ou não está agradando um Deus ou se existe um Deus?
  Nem meu amigo Einstein chegou a uma conclusão sobre isso, essas questões claramente embaralhavam sua mente como embaralham a minha mente e a sua
  Respire fundo, abra sua mente que vamos para profundezas abissais do Abismo.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O Azar e a Morte nos lembram nossa condição de humanos.
  [William Robson]

  Eu fico aqui flutuando pelo Abismo, observando todas essas estruturas de pensamento e fico imaginado se além disso eu fosse um homem muito poderoso, um bilionário alguém que não tem grandes problemas familiares, de saúde e dono de um conglomerado econômico muito abrangente.
  Hoje eu saberia bem como lidar com muito poder.
  O azar me atingiu tantas vezes que me deixou humilde.
   [Sei que as pessoas me acham prepotente e arrogante, mas não é a visão que tenho de eu mesmo]

 Nunca esqueço que tudo está por um fio, eu posso pouco contra as interferências, sempre que saio de casa nunca sei como volto ou se volto.
  Mesmo estando no conforto do meu lar, algum acidente ou doença grave podem me atingir.

 Mas e se tudo desse certo desde o começo, eu não tivesse meus azares?
 Eu nascesse em uma família muito rica e poderosa ou nascesse pobre, mas alcançasse fortuna e sucesso muito jovem, como esses jogadores de futebol ou cantores e artistas famosos.
  De certo me sentiria um semideus e tenho a sensação que isso não seria nada bom.
  Grandes ditadores como Stalin e Hitler agiam como deuses.

  Estou buscando em minha mente uma loucura “confessável” que faria...achei uma ótima.

  Eu não gosto de dirigir, não pelo ato em si, mas por ter que conviver com muitos motoristas ilógicos e incompetentes.
  As situações desagradáveis são inúmeras como aquele indivíduo que fica falando no celular dirigindo muito lentamente ou ziguezagueando na faixa.



  Motoristas que não respeitam sua preferência, entram na sua frente e depois não aceleram.
  Se não estão com pressa que não entrem na sua frente se estão com pressa esperamos ao menos que acelerem!
  O cidadão te atrapalha duas vezes, cortando seu caminho te obrigando a frear e depois te atrasando o impedindo de andar na velocidade aceitável.

  Se dinheiro não fosse problema eu compraria um carro super blindado e potente, não tomaria mais cuidado com esse tipo de motorista simplesmente deixaria o carro bater de uma maneira que “sem querer querendo” eu não tivesse responsabilidade pelo acidente.
  O cara cortou a preferencial falando no celular que culpa tenho eu?

  Que tal um retrovisor super reforçado?
  Quando o moto boy tentasse quebrar estouraria o joelho...HAHAHAHAHAHAHAHAHA!

  Volto em outro texto, preciso parar, esse está saindo de controle, garanto que a sequência é imperdível.
  Sabem como é:
  Começamos a escrever sobre as loucuras confessáveis e quando vemos já estamos nas que não devem vir a público.
   Não vou correr esse risco.

  I’ll be back!





Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário