quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Separando as Contas

   “Se pessoas ilógicas fazem as leis a justiça fica precária.”
  [William Robson]
 
  Tenho um conhecido que desde jovem vive de bicos.
  Por conta de uma briga com o pai (que casou com outra mulher depois de viúvo) saiu de casa, aprendeu pintar paredes e vive disso até hoje.

  Nasceu no interior de São Paulo, foi bem alfabetizado, concluiu o antigo ginasial, não teve interesse em prosseguir nenhum tipo de estudo.
  O negócio dele sempre foi ganhar algum dinheiro e gastar no bar.
  Cerveja e pinga bebe como se fosse água.
  (Aliás bebe mais essas bebidas que água)

  Se um dia trabalhou com carteira assinada eu desconheço.
  Ele se orgulha de “ser livre”, não ficar preso a uma empresa.
  Desse modo nunca contribuiu com a Previdência, mas já usou bastante o SUS.

  O tempo passa para todos.
  Hoje está com cerca de 54 anos e obviamente o corpo tão judiado está em decadência.
  Ganhar dinheiro com bicos como na juventude vai ficando complicado.

  Minha pergunta é:

  Quanto a Sociedade está disposta a gastar com esse cidadão que “viveu livre de qualquer responsabilidade”?
(Se teve filhos não assumiu.)

  Vamos pagar o mesmo que para aquele cidadão que contribuiu?

  Vejo muito isso no Brasil.
  O cara vive como “porra louca”.
  Depois quer ter direito a uma “pensão digna” porque ficou velho...
  Conhecem a história da cigarra e da formiga?

  Fala-se muito em "Justiça Social".

  Não entendo muito bem esses penduricalhos que colocam nas palavras.
  Justiça já é um conceito complicado por si só.

   "Justiça é o princípio básico que mantém a ordem social através da preservação dos direitos em sua forma legal."

  Ou seja se está previsto em lei é justo.
  Está previsto em lei que a esposa do preso tem direito ao auxilio reclusão então é justo.
  Mas isso não é consenso geral, eu por exemplo não considero justo.
  (Só um exemplo entre tantos possíveis.)
  Famílias com renda muito baixa recebem o Bolsa Família cujo valor é bem menor que o auxílio reclusão.
  O cidadão ser ladrão ou assassino torna sua família mais importante que todas as outras!?

  "Justiça é a particularidade do que é justo e correto, como o respeito à igualdade de todos os cidadãos."

  Que tipo de "igualdade" estamos falando se cada cidadão é um ser único?

  No exemplo acima vemos que a esposa do preso tem um tratamento legal diferenciado.
  Quando leio que todos são iguais perante a lei entendo que todos terão a mesma penalização ao cometer o mesmo tipo de crime.
  Exemplo, assassinato é ... assassinato, tirar a vida de outra pessoa.
  Mas se a pessoa assassinada é homem tem uma pena, se a pessoa assassina é mulher já passa a ser “feminicídio”, com penas maiores!
  Que po*&a de igualdade é essa!?

  "Justiça também é uma das quatro virtudes cardinais, e, segundo a doutrina da Igreja Católica, consiste "na constante e firme vontade de dar aos outros o que lhes é devido".

  Ao cidadão que contribui com a previdência é devido alguma coisa e o que não contribuiu?

  Por isso nos meus textos falo muito sobre lógica e pouco em justiça.

  Se pessoas ilógicas fazem as leis a justiça fica precária.
 
  Se conseguirmos que os cidadãos sejam mais lógicos/coerentes ... a justiça vira um balsamo, porque as leis não provocarão "decepção".

  Com base nessa meditação respondi o seguinte comentário:

  👩 “Um salário mínimo é o mínimo que a sociedade deve oferecer para quem na velhice precisa de paz e de remédios, não deve ter nenhum tipo de diferenciação.”
[Comentarista no Face]

  Vai ocorrer a ajuda apenas temos que separar as contas da Previdência da conta de Auxilio Social.

  Quanto mais eficiente for nossa organização social, mas dinheiro sobra para ajudar os “menos adaptados”.
  Um pobre na Suíça vive muito melhor que um pobre na Somália.
  Os suíços são melhor organizados.

  O atendimento médico e remédios são pagos pela Sociedade.
  Pessoas de baixa e média renda em geral são atendidas no SUS.
  Os principais remédios são adquiridos em postos de saúde.
  Minha mãe precisou usar marca passo, o tipo de intervenção médica que nossa família pobre não teria condições de pagar.
  Ela teve sobrevida de uns 18 anos, depois dizem que o SUS não faz nada...

  Com administração mais eficiente pode melhorar, mas mesmo como esta, dá melhor qualidade de vida a milhões de pessoas principalmente os de baixa renda que não teriam dinheiro para pagar nem a recuperação de um osso quebrado.

  Quanto ao salário mínimo a intenção é desvincula-lo de certas “caridades/benefícios”.

  Imagine que o salário mínimo pode ser 2 mil para quem está na ativa produzindo.
  Mas fica reduzido a mil porque tem muita gente ganhando sem produzir e sem ter contribuído.
  Fica claro que o grande prejudicado é quem está produzindo/contribuindo e ganhando pouco.
  Se mudarmos a proporção fica mais “justo”.

  Salário mínimo de 1200 para quem produz/contribui.

  Auxilio social de 800 como  benefício caridoso da Sociedade para os menos adaptados.


  

Em 8 anos a divida salta de 1 Bi para 48 Bi. 
😲


.






quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

DIEESE


   "Salário mínimo em janeiro de 2018 deveria ser de R$ 3.752,65, segundo Dieese."
 [Manchete em inúmeros jornais]                       

  Foi criado esse “dogma” que o salário mínimo dever ser suficiente para uma família de 4 pessoas (pai, mãe e dois filhos) viverem como classe média, uma vida “digna”.

  Decidiu-se isso em algum momento e todos estamos proibidos de questionar por toda a eternidade.

  O que posso dizer ... não consigo.

  Defendo que o salário mínimo é para aquele solteiro sem qualificação profissional ou que não está exercendo.
  Não adianta ter se formado em engenharia se está trabalhando como vendedor de roupas.
  Toda empresa tem salários diferenciados de acordo com a função, vendedores não raro ganham comissões.
  Entrar recebendo salário mínimo não quer dizer que permanecerá com esse valor para sempre.

  Minha filha adolescente é solteira, mora com os pais, ainda não tem nenhuma experiência profissional.
  Se ela ganhar 998 reais em algum estágio ou ocupação simples considero razoável.

  Minha filha quer ganhar mais?
  Então vai prosseguir nos estudos, buscar uma qualificação profissional ou se destacar na empresa.

  Minha filha quer constituir família?
  Ela e o marido ganhando o mínimo fica complicado.
  Se ela vai morar com a sogra é por sua conta e risco.
  Vou orar por ela 😄

    Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

   Para eu que comecei a gostar de análises econômicas o destaque dado ao Dieese desafia qualquer lógica.
   Suponho que seja mais uma daquelas instituições "ideo - lógicas".

  Pesquisei e encontrei isso:

“Entidade criada e mantida pelo movimento sindical brasileiro.
  Foi fundado em 1955, com o objetivo de desenvolver pesquisas que subsidiassem as demandas dos trabalhadores.
   Sindicatos, federações, confederações de trabalhadores e centrais sindicais são filiados ao DIEESE e fazem parte da direção da entidade.
  Atualmente, são cerca de 700 associados.
  Ao longo dos mais de 60 anos de história, o DIEESE conquistou credibilidade e reconhecimento nacional e internacional como instituição que desenvolve pesquisa, assessoria e educação voltadas para os dirigentes e assessores das entidades sindicais e os trabalhadores.
  Graças a um trabalho que beneficia a toda a sociedade, é reconhecido como instituição de utilidade pública.
   O DIEESE possui 17 escritórios regionais, cerca de 50 subseções (unidades dentro de entidades sindicais) e atualmente dois observatórios do trabalho (divisões que funcionam dentro de prefeituras, governos estaduais, para subsidiar o poder público com pesquisas e análises).”

  Vamos a análise de fatos.

  O salário mínimo passou a vigorar no Brasil em 1940.

  Nessa década o número médio de filhos era 6 e poucas mulheres trabalhavam fora.

  Percebam que os cálculos do Dieese estariam fora da realidade mesmo para essa época.
  A família não tinha em média 4 membros, mas 7 ou 8.

  Hoje em média a família tem 4 membros, aqui em casa é assim.
  Minha esposa trabalha e a maioria das mulheres que conheço também.

  O Dieese ainda está naquele tipo de sociedade/cultura que o homem é provedor e a mulher "dona de casa".

  Tenho duas filhas, com boa educação familiar, tudo indica que completarão algum ensino superior.
   Pode acontecer, mas é bem difícil que tenham 5 filhos como em 1940.
   Ficarem dependentes de algum homem para sobreviver ... nem consigo imaginar, seria uma enorme decepção.

  As moças menos afortunadas (ou ajuizadas) vão parar de estudar cedo, mas dificilmente deixarão de trabalhar ou terão mais que 3 filhos ... é o que todas as estatísticas apontam.
  Vejam os dados do último Censo:

  "Média de filhos por mulher no país chegou a 1,9 em 2010, segundo Censo.
   Mulheres sem instrução e com ensino fundamental incompleto têm 3 filhos."

  Vamos ao lado prático de tudo isso.

  Minha filha é contratada para uma ocupação simples com o salário “Dieese” de R$ 3.752,65.
  Uma renda que seria suficiente para cuidar do marido e dois filhos que ela não tem!
  Vamos dizer que foi contratada por uma franquia do McDonald’s.
  Pagando esse nível de salário por quanto deverá vender seus sanduíches!?

  Todos entendem que o preço final do produto tem que cobrir os custos/despesas e gerar algum lucro, senão a empresa quebra, sem empresa, sem emprego “formal”.

  O que o Dieese propõe?
  Os salários não serão mais baseados no tipo de função, mas sim no estado civil e número de filhos!?
  Quando a lanchonete contratar um chapeiro:
  Solteiro = X reais
  Casado = XX reais, mas 1X para cada filho.

  Não me digam que é ridículo, eu sei.
  Me expliquem por que levam o Dieese tão a sério, é isso que não entendo. 😩


  Meus queridos adolescentes do Brasil.
  Na vida é preciso planejamento, entrar em sintonia com a REALIDADE.
  É, há pessoas que tem uma sorte danada, fazem as maiores burradas e acaba dando tudo certo.
  Nunca senti que tinha muita sorte, então preferi o planejamento.
  Se você confia na sorte ... espero que dê tudo certo.

  Se brasileiros continuarem confiando na ideologia Dieese, não tem como dar certo.

   



Nota: A definição do salário mínimo nesse mundo globalizado não pode levar em conta apenas questões nacionais.
  Para nossos produtos e serviços serem competitivos o preço final e a qualidade são decisivos.
  Se o preço final ficar muito alto por conta de salários fora da realidade ... adeus exportações.
  O contrabando (importações) também aumentam.
  Comprar produtos feitos em outros países fica mais vantajoso.

  Pagar bem para aquele trabalhador que faz a diferença é justo e necessário.
  Pagar ótimos salários para funções de baixa qualificação ...



__________________

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Pão e Circo


👩 “As desigualdades sociais imensas em nosso país são fruto das seguidas políticas do pão e circo.”

  Quando leio esse tipo de coisa em algum debate ... prefiro ficar calado, a pessoa apenas decorou uma "crença generalizada" que não resiste há análise histórica.

  "A política do Pão e Circo como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio.
  Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d.C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento."

  Usam esse termo política do pão e circo como se fosse um grande argumento, um fato histórico incontestável.
  Não é, mas eu ignoro porque é difícil explicar, precisa de muito conhecimento de história.

  Observem que o termo surgiu em uma peça de humor, foi tão bem sacada que chegou até nossos dias.
  Porém o que aconteceu em Roma aconteceu em todos os impérios, como os romanos criaram um império gigantesco tudo teve proporção bem maior.

  A “equação filosófica” é a seguinte:

a) Um povo/tribo por N motivos se organiza de maneira mais sofisticada que seus vizinhos.
    É gerado riqueza e poderio militar.

b) Invade outros povos e os subjuga, conseguindo mais riqueza e poderio militar.
  (Antigamente invasões eram bem comum, só depois da Segunda Guerra isso diminuiu consideravelmente, em termos históricos, faz pouquíssimo tempo.)

c) Surge uma cidade central onde se localiza a cúpula do império.

d) Essa cidade por concentrar grande riqueza e poder atrai pessoas de todas as partes.
    Inevitavelmente se torna um grande centro de lazer e de miséria...

  Quem já tem bastante dinheiro quer se divertir, as pessoas que chegam atrás de oportunidades (uma vida melhor) estão em situação precária.
  Em qualquer tempo é muito mais fácil perder tudo que acumular muito, principalmente quem nasce com pouco.
  Entre os mais ricos e os miseráveis há cidadãos nas mais variadas situações financeiras, exatamente o que ocorre hoje em qualquer grande metrópole como São Paulo por exemplo.

  Imagine agora que você é o Imperador de São Paulo. 

❖ Barrar a entrada de todos os imigrantes é complicado, nem o Império Romano conseguiu fazer isso e olha que naquele tempo não tinha direitos humanos.

 ❖ O esporte preferido aqui é o futebol, demolir os estádios do Corinthians, São Paulo e Palmeiras vai acabar com a pobreza?
  Proibir futebol no país é a solução para todos nossos problemas!?

 ❖ Você vai acabar com toda e qualquer assistência social, não vai dar a mínima se centenas de pessoas morrerem de fome todos os dias?

  Perceba que se você é um cidadão dentro da média não faria nada muito diferente do que os imperadores/reis fizeram.

  Juvenal fez sátira muito provocativa daquele momento em Roma.
  Danilo Gentili, Fábio Porchat, Fábio Rabin, Afonso Padilha ... tem grandes sacadas ridicularizando qualquer governo.
  Acontece que:

   No meio do caminho tem a realidade.
  Tem a realidade no meio do caminho.

  Gosto do Danilo, mas não votaria nele para Presidente, nem nos outros humoristas.

  O governo PT prefiro não comentar.
  O Governo "PSL" é muito novo.
  Então vamos lá traz no Governo PSDB.

  Criar uma conta bancaria para pobres (Bolsa Escola e outras) foi "pão"?
  Se nada parecido fosse feito seria melhor?

  O Brasil ganhou a Copa do Mundo em 1994 e 2002, foi circo?
  O governo e o povo não deveriam ter festejado essas conquistas?

  Esse é mais um texto onde falo sobre a CULTURA de um povo e que não existe povo inocente.

  Assistir novela não impede ninguém de assistir o noticiário político econômico. 

  Torcer pelo Corinthians não te impede de saber quais leis os políticos estão votando.

  O Governo não obriga ninguém a ter filhos que não consegue criar, dá para dar alguma ajuda através dos "bolsa família" da vida, mas uma vida melhor para nossas crianças depende muito da qualidade da mãe e do "pai" ... quando se sabe quem é.

  Por caminhos tortuosos, nesse texto complicado chegamos a outra citação muito difundida:

  “Se há governo sou contra.”

  Os indivíduos não assumem suas responsabilidades, esperam tudo de um governo que nem querem que exista... coisa de doido.

  Se há alguma assistência aos menos adaptados é ruim, estão enganando as pessoas com pão.
  Se não há assistência o governo é perverso, não olha para os mais pobres.

  Se permite o lazer é circo, ilude o cidadão para ele não ver os “verdadeiros problemas”.
  Se como o Estado Islâmico proíbe até o futebol, é um governo tirano que oprime os cidadãos...

  O grande mal da atualidade continuo dizendo que é o VITIMISMO.



    

        “Os primeiros jogos de gladiadores em Roma, ocorreram por volta de 264 a.C. e faziam parte de um ritual funerário que tinha uma ligação direta com o sagrado.”
 
    “Durante a República os combates de gladiadores eram pouco frequentes, sendo no Império o momento de sua maior recorrência.”

   “Os anfiteatros também eram utilizados para o Imperador e o povo se confrontarem e defenderem as suas necessidade, o Coliseu foi inaugurado em 80 DC.”
[Wikipédia]

  Quando olhamos para os fatos históricos vemos que festas sempre ocorreram (mórbidas ou não).

  O governante dar alguma ajuda aos mais pobres também é comum nas mais diversas culturas.
  Se não for por caridade é por necessidade, pessoas morrendo de fome não tem mais nada a perder, unirão suas últimas forças para derrubar quem estiver no poder.

   O IMPÉRIO ROMANO DECAIU PORQUE FICOU GRANDE DEMAIS PARA SER ADMINISTRADO.

  Essa é minha dedução lógica, mas fica para algum outro texto.