terça-feira, 16 de outubro de 2018

Aperto de Mão

 Dinamarca discute negar cidadania a quem recusar aperto de mão.

  “O alvo explícito da medida seriam os muçulmanos que, por razões religiosas, preferem, em lugar do tradicional aperto de mãos, colocar a mão sobre o peito em sinal de reverência.”

  Por esses dias ao contestar que o Nazismo foi de extrema direita o comentarista disse que eu não poderia ir contra historiadores alemães que defendem essa tese.
  Até onde sei não são todos os historiadores alemães a defender que o Nazismo foi um movimento de direita.
  Esquerdistas estão no mundo todo, é difícil encontrar isenção mesmo entre historiadores e "intelectuais".

  O Nazismo foi o nome dado a ditadura de Hitler na Alemanha.
 
  “Nazismo foi uma política de ditadura que governou a Alemanha entre 1933 e 1945, período que também ficou conhecido como Terceiro Reich, liderado por Adolf Hitler.
  Em 1919 surgiu o Partido Nazi, abreviação de Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, em alemão)”
   [Significados]

  Embora o Nazismo permitisse empresas privadas, os empresários eram obrigados a estarem alinhados com a ideologia de Hitler senão eram expropriados, a empresa passava a ser dirigida por alguém submisso ao Governo.
  
  Nessa meditação estou expondo que o fato de alguém ser europeu e defender uma tese não me obriga a concordar.

  Eu foco em argumentos.
  Independente da raça, religião, nacionalidade, opção sexual...

  Me sinto à vontade para ir contra essa proposta de alguns dinamarqueses sobre a obrigação do aperto de mão para concessão do visto para islâmicas.
  Vou lhes apresentar os meus argumentos.

  No caso da proibição do pano cobrindo totalmente o rosto em local público eu entendo.
  É o mesmo caso dos motoqueiros serem proibidos de usar capacete em certos locais aqui no Brasil
  Quem não deve nada nem está com más intenções não vai ter problemas em ser identificado.
  Estar com o rosto a mostra é uma questão de segurança que precisa se sobrepor as tradições religiosas ou vontade dos motociclistas.

  Cumprimentar dando as mãos ... não tenho argumentos para defender.

  O aperto de mão é um costume ocidental que eu “abomino”.
  😄

  Se faz tempo que você não vê uma pessoa querida e quando encontra sente vontade de beijar, abraçar, apertar a mão ... tudo bem, é “emocionalmente” compreensível.
  Com colegas de trabalho, pessoas que vemos sempre, encontro de negócios ... apertar a mão é "problemático".
  Sabe aquele colega que vive coçando o saco e vem apertar sua mão.
  Você acaba pegando no saco dele por tabela 😄
  Para quem gosta de saco tudo bem, para eu é desagradável.

  E aquela colega que vive alisando o cachorro?
  Para quem gosta de bichos tudo bem, para eu é desagradável.

  Claro que tem questões mais sérias, o nome do Blog é Terapia da LÓGICA.

  Não sei como é em outros países, aqui no Brasil as pessoas tem o costume de cobrir o espirro/tosse com as mãos.

  Geralmente é a mão direita, a mesma que usa para cumprimentar.
  O cidadão aperta sua mão e ... compartilha vírus.
  Por causa de uma tradição dispensável como o aperto de mão corremos o risco de ficar gripados por uma semana, com todo desconforto dessa situação.

  Hoje em dia muitos ambientes tem álcool gel, mas imagine a cena.
  Um indivíduo aperta sua mão e logo em seguida você se desinfeta.
  Até seu colega coçador de saco vai dizer:

  🙎 "Mano, agora você exagerou."

  É, ficamos presos a essa tradição de compartilhar vírus com apertos de mãos.

  E se os dinamarqueses estivessem querendo aprovar uma lei proibindo o aperto de mãos?

   Eu seria contra.
   Não iria concordar com eles só por serem europeus.
   Considero uma intervenção excessiva do Estado/Governo na vida das pessoas.
  Nosso colega coçador de saco diria:

 🙎 "Pô Estado, menos mano, isso pega mal para um governo que se diz de direita".

  NÃO, o coçador de saco não sou eu, é um colega meu.

  Se bem que coçar o saco é bem gostoso. 😄

  Considerações finais:

  DINAMARQUESES, admiro a cultura de vocês, espero que essa questão de obrigar islâmicas ao aperto de mão seja uma vacilada para ser esquecida.
  Isso acontece nos melhores povos, o importante é não levar essa “imbecilidade” adiante.

  MINAS E MANOS.
  Se você enfia o dedo no nariz, espirra nas mãos, coça o saco ou vive tirando a calcinha do rego ... lave a mão antes de pegar na mão dos outros, desinfete com álcool gel.
  Se tossiu na mão desinfete com maçarico 😄

  Ou, tem tantos outros tipos de cumprimento.
  Faça joinha, dê um sorriso, acene com a cabeça.
  Se curve “levemente” igual os japoneses.
  Se curve com a mão no coração, um cumprimento tão bonito feito por islâmicos.
 
  


  Curvou demais, mão esquerda no saco, espero que não tenha espirrado na mão. 
😆




.


sábado, 13 de outubro de 2018

Haddad

 Me pediram para analisar o que ocorrerá se Haddad vencer as eleições.

  Evidente que não será o fim do mundo, ainda mais se tratando de América Latina.
  O Mundo (desenvolvido) não espera muito de nós, é sempre uma cultura em busca de "Estado Babá".
  Não, não corremos o risco de virar uma Venezuela, nossa economia é bem mais diversificada,o Congresso que foi eleito de certo não vai permitir nada que cheire a bolivarianismo.

  Porem, esqueçamos qualquer melhora significativa na economia do país, vamos continuar rastejando pelo subdesenvolvimento.
  Minha aposta infelizmente é em alguma piora, isso se Haddad conseguir um ministro da economia muito bom.
  Se conseguir alguém meia boca ... tempos bem difíceis virão.

  No primeiro mandato de Lula ele conseguiu o competente Henrique Meirelles que tinha a companhia do eficiente Palocci.
  FHC tinha dado uma boa ajeitada no país.
  Mas o principal foi que  o mundo experimentava um grande crescimento que estouro com a crise de 2008.
  Antes disso o preço de commodities como ferro e soja dispararam fazendo entrar muito dinheiro no país.
  Lá por 2010 a economia já dava sinais de desaquecimento, mas Lula chamou de marolinha, começou as maquiagens contábeis e estímulos ao consumismo que se estenderam pelo governo Dilma...

  E hoje, o que Haddad teria a seu favor?

  Temer deu uma equacionada na situação, a Petrobras vem se recuperando a Eletrobras está a venda, segurou aumentos para o funcionalismo.
  Mas é sabido que o rombo só faz crescer porque reformas importantes não foram feitas.
  Nossa população esta envelhecendo, os gastos com aposentadoria aumentando exponencialmente.
  Com a vitória da esquerda o funcionalismo ganha muita força, a pressão por salários só vai aumentar.
  Historicamente  quem apoia o PT é contra qualquer reforma na Previdência, logo, caso Haddad queira alguma mudança significativa irá contra sua própria base.

  Haddad diz que vai gerar empregos tocando obras que estão paradas.
  A pergunta é com qual dinheiro!?
  A governo tá no osso com um rombo gigantesco.
  É difícil acreditar que a iniciativa privada vai tocar grandes obras em um ambiente desses.
  Como se não bastasse Haddad diz que vai "enquadrar os Bancos".
  Vai baixar juros por decreto como Dilma fez com a energia elétrica!?

  Pedaladas não são mais possíveis porque todos estaremos de olho.

  Para aprovar alguma coisa Haddad precisará recorrer a velha tática de negociar cargos com outros partidos e todas as consequências nefastas que isso traz, mas a grande questão é ... aprovar o que?

  Ele já disse que vai acabar com o teto de gastos, um dos maiores avanços do Governo Temer.
  Haddad quer aumentar o limite de crédito mesmo já estando devendo horrores no rotativo.
  Vai fazer o que?
  Imprimir dinheiro e trazer de volta a inflação alta!

  Quer revogar toda a tímida reforma trabalhista, nossa legislação trabalhista vai permanecer em 1940, um mundo antes até da televisão! (No Brasil)

  Geralmente nessa altura da campanha já deveríamos saber quem será o ministro da fazenda para pelo menos especularmos sobre seus planos, traçar o perfil, mas nem isso Haddad nos oferece.
  Ele fala “em convidar” Josué Gomes o tipo de homem que de certo defende uma reforma mais agressiva da previdência e modernização da legislação trabalhista.
  Um homem que até pouco tempo era cotado para ser vice de Geraldo Alckmin, mas que ficou claro para todos que ele não quer o holofote de estar no Governo.
  Vai aceitar pegar uma bomba prestes a explodir em um Governo Haddad!?
  Lembram de Joaquim Levy?

  Enfim.

    Se Haddad vencer serão 4 anos como se fossem uma continuação levemente melhorada do Governo Dilma, melhor o suficiente para não ocorrer novo impeachment, nada mais que isso.



  



Algumas notas complementares:
  
💣 Dos candidatos que se apresentaram Geraldo Alckmin era o mais indicado para o momento que estamos vivendo.
  Porém sua campanha foi terrível, mereceu perder.


💣 A campanha de Haddad é muito voltada para semear o ódio a Bancos como se eles fossem os grandes vilões da economia ... não são.
  A melhor maneira de “enquadrar Bancos” é VOCÊ ser responsável com seus gastos e não precisar pedir empréstimos.
  Fora isso é dar tiro no pé.


👨 Bolsonaro tem a proposta de levar o Brasil um pouco mais para “fundamentos de direita”, apesar de ser histórico defensor da estatização generalizada.
  Ele aparentemente reavaliou sua posição e boa parte dos brasileiros também.
  Pobres vivem melhor em países “mais à direita”.
  Sou pobre, um Governo Bolsonaro me dá mais “esperança”.









.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Armada e Perigosa


 “Ter arma não é garantia de defesa é a possibilidade de defesa contra outra pessoa armada, mais forte ou pessoas em maior número.”
[William Robson]
 

  Liminar fixa distância mínima de 100 metros que mulher deve manter do ex-marido.
  O marido sustentou que vem sofrendo agressões físicas e verbais por parte da esposa, expondo-o à vexame e humilhação, além de ser por ela até ameaçado de morte, tendo tais agressões ocorrido em seu local de trabalho, em sua própria casa e na presença do filho do casal.” 

  Esse tipo de liminar raramente é concedida a homens com relação as mulheres.
  Peguei esse link justamente por ser raro.
  A ocorrência mais comum é mulheres restringindo a distância de seus ex parceiros.

  Vamos meditar sobre isso.

1- Geneticamente homens são mais violentos que as mulheres, logo, não há campanha ou "educação" que vai tornar homens comportamentalmente iguais as mulheres ... para bem ou para mal.
  Essas estatísticas de violências nos casais sempre vai ser maior do lado masculino.

2 - O fato de homens serem mais violentos obviamente não quer dizer que todos os homens são igualmente agressivos.
  O fato de mulheres serem menos agressivas não quer dizer que não sejam capazes de atos de extrema violência.

  A grande maioria dos homens aceitam o fim do relacionamento sem maiores transtornos, não precisamos de estatísticas para percebermos isso, basta olhar em volta.
  Namoros e casamentos acabam todos os dias e não temos uma carnificina por conta disso.

  


  A situação mais comum é a mulher conseguir liminar contra a aproximação do ex companheiro.

  O papel aceita tudo, mas como efetivar a ordem judicial?
  Se a coisa chegou a esse ponto provavelmente estamos diante de um cidadão transtornado pela paixão ou sentimento de posse/ciúmes.
  Não é um pedaço de papel que irá impedir uma tragédia.

  Se no bairro houver rondas frequentas é possível que os policias sejam informados da situação e olhem para aquele imóvel com mais atenção, porem convenhamos que será um segurança pequena.
  Não consigo pensar no Estado/Sociedade tendo condições de oferecer muito mais que isso.
  Quanto custaria colocar policiais armados fazendo segurança 24 horas de toda mulher que se sente ameaçada e consegue uma ordem judicial contra o ex?

  Mulheres deveriam ser as maiores defensoras do direito ao porte de arma.

  A moça conhece o ex que tem, se acredita que corre risco de vida ou de ser gravemente agredida não vejo solução mais eficiente que solicitar o porte de arma.
  Atirar é fácil, fazer anos de alguma arte marcial para talvez ser páreo fisicamente para um homem é ... complicado.
  A moça pode ser faixa preta em Karatê, mas se o kara te arma... 😊
  (Essa foi horrível, eu sei)

  Atirar é fácil, com a regulamentação mais flexível cursos de tiro seriam mais comuns.
  Eu tive treinamento militar, dei muitos tiros.
  Porem a “cidadã de bem” não será treinada para guerra, apenas aprenderá usar a arma como auto defesa.
  Noções básicas sobre a arma que adquiriu e uns 20 disparos são suficientes para alcançar o propósito.

  Um curso desse poderia ser ministrado em 1 semana, dependendo da carga horaria e disponibilidade de tempo.

  Depois disso, na rua, é só ficar atenta.
  Se o cidadão se aproximar e tentar alguma coisa é passar fogo e alegar legitima defesa.
  Ter arma não é garantia de defesa é a possibilidade de defesa contra outra pessoa armada, mais forte ou pessoas em maior número.



  Em casa com pouco investimento é possível ficar mais relaxada.
  Câmeras e sensores de movimento baratearam bastante.
  Em caso de invasão do ex (ou algum ladrão) chame a polícia e pegue a arma.
  Se a proteção do Estado não chegar a tempo ... azar do invasor.

  Uma das bases do “pensamento de direita” é o respeito a propriedade.
  Se uma propriedade não é sua, não pode entrar nela sem autorização do proprietário.
  Se fizer isso e for recebido a bala ... é direito do cidadão proteger sua propriedade com os meios que estiverem disponíveis.
  Se você é um “cidadão de bem” não terá problemas.
  Cidadão de bem não pega nada que não é dele, não invade propriedades.
  Nem agride mulheres...

  


  




.