sábado, 4 de maio de 2019

Apolítico

  “Por que ateus se organizariam em um partido ou entidade se o ateísmo é apenas ausência de crenças!?"
  [Comentarista ateu]

  A política serve entre outras coisas para desenvolver leis.
  Se ateus não veem importância em participar da política para defender seus interesses ... nem sei o que dizer.

  Religiosos entendem essa importância e não abrem mão.

  
  

   “O preço a pagar pela tua não participação na política é seres governado por quem é inferior.”
[Platão]

   Não concordo integralmente com esse pensamento de Platão, mas reflete bem a importância de defendermos nossos interesses.

  Não diria que necessariamente alguém "inferior" a mim será eleito.
  Pode acontecer de chegar ao poder alguém contrário as idéias que defendo.
  Porém se os concorrentes ao cargo pensam mais ou menos como eu ... não vejo tanta necessidade de ser ativo politicamente.

  Vejam um exemplo.

  Raramente participo da reunião de condomínio, que eu me lembre fui apenas em 3.
  Não observo que as pessoas eleitas são “inferiores”.
  Sei das dificuldades de atender os interesse de tanta gente e acho que os síndicos que ocuparam o cargo fizeram um bom trabalho.
  A equipe atual é boa, o sindico tem uma paciência que eu não teria, nesse sentido, o considero “superior” a mim.
  Nunca me interessei em concorrer para sindico.
  O que me faria me interessar mais pela política do condomínio?
  Se eu notasse desleixo na administração, desconfiasse de desvio de verbas ou regras sem sentido fossem adotadas.

  Se eu fosse popular de certo tentaria carreira política, não porque aprecie esse meio, mas porque não aprovo como o Brasil vem sendo administrado por décadas.
  Como não tenho votos fico escrevendo textos defendendo a Centro Direita.

  No caso dos ateus, se eles tem tantas reservas sobre os procedimento dos religiosos ... ocupar cargos políticos seria a melhor forma de defenderem seus interesses.
  A não ser que apenas gostem de reclamar e reconhecem que não fariam melhor.

Vamos a uma questão objetiva.

  Igrejas devem pagar impostos?

  Não sou ateu, mas defendo que sim.
  Não tem nada a ver com crença ou descrença.
  Tem a ver com minha percepção de realidade.
  Visivelmente muitas igrejas são bastante rentáveis e deveriam pagar impostos igual qualquer outra pessoa física ou jurídica que tenha renda.

  Acontece que o atual Presidente é muito ligado à grupos religiosos o que torna bem difícil que alguma lei nesse sentido ganhe força durante esse mandato.
  Se fosse só o Presidente nem seria tão difícil, mas boa parte do Congresso foi eleita por evangélicos.
  Evidente que os católicos não defendem o pagamento de impostos sobre as "ofertas".

  Isenção “ideológica” plena não existe, cada um carrega suas crenças ou descrenças para onde for, ser eleito para alguma coisa não muda magicamente isso.
  Claro que no decorrer da vida podemos mudar nossas opiniões.
  Bolsonaro era defensor ferrenho da estatização generalizada e se elegeu com propostas de privatizações.

  Quanto a religião:

  “Acredito em Deus, essa é a minha religião.
   Sou um católico que, por 10 anos, frequentou a Igreja Batista.”
[Jair Bolsonaro]

  Essa opinião/posicionamento não noto que tenha mudado.

  Esperar que o “PSL” proponha medidas contra a “igreja” (mesmo que sejam justas) é tão otimista quanto esperar que o PT fizesse medidas contra o MST.

  Ateus não veem necessidade de se organizar politicamente nem que seja para apoiar os não religiosos como eu ... tudo bem, serão governados por quem pensa bem diferente deles.
  O que não significa necessariamente que a "bancada cristã" seja composta de “inferiores”.

  



.


segunda-feira, 22 de abril de 2019

William vs Paulo Freire


Método Paulo Freire

1 - O trabalho pedagógico baseado nesse método parte de uma investigação temática para verificação do universo vocabular do aluno e dos modos de vida e costumes da região, com o objetivo de perceber como o aluno sente sua realidade.

  Fala sério, vocês acham mesmo que é preciso toda essa frescura para alfabetizar uma criança?
  O que “eu” entendo por universo vocabular?
  São as palavras que a criança usa em seu dia a dia.
  Porque em cima disso não fazer uma cartilha nacional com palavras comum a todos?
  Nós brasileiros temos a vantagem de falar o mesmo idioma de norte a sul, leste a oeste.
  Menos de 1% da população é indígena e tirando algumas tribos isoladas a maior parte dos índios falam português.
  Laranja, banana, uva ... são frutas que todos conhecemos, porque a alfabetização não pode ser a partir dessa base comum?
  Uma cartilha de alfabetização nacional.
  A criança vai aprender mais fácil se a fruta for mangaba, umbu, pitomba!?
  Na minha cartilha aprendi o “beaba” com a letra b no formato de barriga, tem alguma região no Brasil que não tem barrigas? 
  Na região que a criança mora chamam de bucho ou pança, é isso que devemos reforçar e ignorar o termo barriga porque isso dificulta a alfabetização!?


2 - A partir deste levantamento é definido um tema gerador geral e demais tematizações a serem trabalhadas através de ilustrações que representem aspectos da realidade concreta dos alunos a fim de suscitar debates que levem a problematização das situações vividas.

  Veja bem, o professor tem que investigar a vida do aluno e da comunidade que o cerca   para estabelecer debates que levem a problematização das situações vividas...
  Porque isso não pode ser feito com historinhas infantis incentivando as crianças a leitura?
  Desde cedo temos que incutir preocupações políticas nas crianças!?
  Ao invés de ler o “Sitio do Jacaré de Chinelo” 😆 vai ler o sobe desce das ações na Bolsa, as prioridades da prefeitura para o bairro, o boletim sindical do trabalho da pai, cantar o hino do MST...


3 - Paralelamente a essas etapas são trabalhados pelo professor as dificuldades fonéticas sendo que, desta forma, o processo de construção e significação de palavras, leitura e escrita ocorrem simultaneamente.

  Essa parte é risível, não queria nem comentar, mas vamos lá.
  Você conhece alguém que sabe ler, mas não sabe escrever? 😄
  Fiquei especulando inúmeras situações e não fui capaz de encontrar um plano de pensamento onde isso seja possível.

  Juntando B com A dá BA, “ba” de barriga.
  Antes de Paulo Freire como era!?
  Desenhe esse símbolo “B”, agora desenhe esse outro símbolo “A”, na USP vão te falar para que servem...

  Vou encerrando por aqui essa sequência sobre Paulo Freire.
  Já escrevi bastante sobre a diferença dos termos Escolarizar e Educar.

  Escola escolariza, transmite conhecimentos “técnicos” acumulados pela humanidade.

  Família educa, transmite civilidade, valores “morais/éticos”.

  Vou deixar algumas meditações complementares no final do texto.

  No mais a principal diferença entre eu e Paulo Freire é "só"😊 a base do pensamento.
  Para Paulo o que mais interfere na infância é “uma elite opressora” que deve ser “combatida” com engajamento político de preferência “socialista”.

  Para mim o que mais interfere na qualidade da infância é a qualidade da família e a “personalidade” da criança.
  NÃO acredito na teoria da folha em branco, cada indivíduo já nasce com certas características genéticas ou espirituais ... como preferirem.

  Para o pessoal de Freire pai e mãe são pessoas maravilhosas, mas que devem ser ignorados.
  Quem educa são os professores do Estado, quem tem que dar casa, comida, ótimo padrão de vida ... é o Estado.

  Se concorda com isso, você é esquerdista, é natural que defenda o Estado Máximo.
  Saudações democráticas.

  Para você que acredita (igual eu) que quem põe filho no mundo tem obrigação de cuidar ... tenho alguns textos:
















  




domingo, 21 de abril de 2019

Milagre de Angicos


  “Um grupo de professores, sob liderança de Paulo Freire, ensinou 300 adultos a ler e escrever em menos de 40 horas, na cidade de Angicos (RN), em 1963.”

  Esse é o principal “milagre” atribuído ao Santo Paulo Freire.

  E como todo milagre tem suas inconsistências e curiosidades.
  Vamos a uma análise lógica/filosófica do ocorrido.
  Vou priorizar a “maiêutica” ... deixar perguntas para que você mesmo busque a “sua” resposta.

💣 Qualquer adulto saudável mentalmente pode “aprender” inglês em 40 horas.
  A boa pergunta é:
  Qual nível de inglês?
  O indivíduo pode ir tranquilamente sozinho para Inglaterra com total segurança sobre o idioma?
  Depois de 40 horas quem aferiu o grau de alfabetização alcançado nesse experimento de Paulo Freire?

💣 Li que depois de alfabetizados os trabalhadores começaram a lutar por mais direitos, acontece que mesmo analfabetos podiam fazer isso.
  Quem conhece pessoas analfabetas sabe que lhes falta leitura, mas não são burras.
  Se você ensina o analfabeto a construir uma casa ele aprende.
  Se ele se interessa em dirigir automóvel dirige.
  Se você começa incita-lo a ter ódio do empregador ... o analfabetismo não o impede de desenvolver esse sentimento.
  Analfabeto reconhece números e o valor do dinheiro.
  Para você analfabetismo é sinônimo de burrice?

💣 O projeto de Angicos custava 36 dólares por aluno e o prazo de aprendizagem era curto.
   Foi financiado pela Aliança para o Progresso, do governo dos Estados Unidos.
  Toda filosofia de Paulo Freire é baseada na vitimização.
  O “colonizador/opressor”, escravizando/espoliando o oprimido/excluído.
  Como você explicaria o GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS    financiando o projeto de Paulo Freire?

💣 Enquanto o método Paulo Freire virou uma bandeira a ser combatida (Por Jair Bolsonaro), 13 milhões de jovens e adultos com mais de 15 anos ainda não sabem ler nem escrever, dado que coloca o Brasil entre os dez países com mais analfabetos no mundo, segundo a Unesco.”
[Carta Capital]

  Nessa parte da matéria não sabia se ria ou chorava.
  Esqueçam Jair Bolsonaro, esses 13 milhões de analfabetos não surgiram de repente com sua posse em 2019.
  Eu William, quero que a ideologia de vitimização seja extirpada da nossa sociedade não só das escolas.
  Quanto ao “método Paulo Freire de alfabetização” ... onde está!?
  Vejam bem, um método que em 40 horas acaba com o analfabetismo.
  Se for aplicado apenas 1 hora por dia em 40 dias a pessoa está plenamente alfabetizada.
  Se for aplicado 4 horas por dia, em 10 dias você tem um analfabeto a menos.
  As contas são simples, um analfabeto é capaz de fazer.
  A pergunta é:
  Em quais países do mundo esse método maravilhoso/revolucionário foi replicado com sucesso?
  Tá, nossos militares são uns idiotas e não levaram adiante o milagroso sistema.
  Mas nenhuma outra nação se interessou em acabar com o analfabetismo em 40 horas!
  Paulo ficou famoso, deu palestras, prestou consultorias, mas porque não replicar seu experimento na integra?

  Lembra do outro Paulo famoso:
  Paulo Coelho em 1992 dizia que era um tipo de bruxo.    
 “Sei abrir buraco em nuvem, fazer chover...”
  No “O Diário de um Mago” disse que conseguiu fazer o vento soprar usando suas habilidades místicas.
  Mas esses incríveis poderes nunca foram replicados para registro cientifico ou mesmo místico.

  O Regime Militar foi até 1985.
  De lá pra cá ex guerrilheiros e esquerdistas históricos chegaram ao poder.
  A Constituição de 1988 foi feita por esquerdistas, até tabelamento de juros colocaram na carta.
  Se não me engano não podia exceder a 12% ao ano.
  Vereadores, prefeitos, deputados, senadores governadores ... adoradores de São Paulo Freire não faltaram, principalmente na sua região de origem o Nordeste brasileiro, onde por ironia há maior número de analfabetos.
  FHC, Lula e Dilma são inegavelmente adoradores desse educador.
  A boa pergunta é:

  2016 (Ano que Dilma foi afastada) – 1985 (Ano que chegou ao fim a Ditadura Militar) = 31 anos.

   Porque tantos esquerdistas não replicaram o método maravilhoso de Angicos e acabaram com o analfabetismo no Brasil?









.










sábado, 20 de abril de 2019

São Paulo Freire

   “O marxismo se assemelha muito a uma religião cheia de dogmas onde Karl Marx é o principal profeta e o Estado é Deus.”
[Folha – Matéria Completa]

 





  Atualmente antes de publicar na integra uma meditação coloco um post que resume minha opinião e argumento mais forte sobre o assunto.
  Eu publicava o texto e analisava os comentários.
  Agora, sempre que possível, analiso os comentários e público o texto.
  A vantagem desse método é antecipar a “opinião predominante” sobre qualquer tema.
  Noto que a meditação mesmo que seja muito complexa fica mais acessível ao entendimento da maioria, porque ao publicar já trato de tornar mais claro o que as pessoas demostraram mais dificuldade em entender.

  Porém o mais importante é submeter o argumento ao fogo do debate, para ver se realmente é o mais coerente ou se alguém apresenta algo melhor elaborado.

  Antes de publicar essa sequência sobre Paulo Freire postei algum material para analisar a reação e observações dos internautas.
  Já havia notado algo interessante que não fazia parte do texto pronto no rascunho.
  Mas tive a oportunidade e resolvi fazer um último “experimento”.

   Perguntei a um colega muito esquerdista do tipo “Lula Livre” 😄 porque nossa educação tem um nível tão baixo se nela predomina as ideias desse pensador o qual tantos dizem ser um dos educadores mais importantes do mundo.

  Por meu colega publicar em sua página no Face qualquer postagem que exaltava Paulo Freire esperava que ele contribuísse me apresentando uma perspectiva que justificasse o nosso fracasso educacional e de certo eu incluiria na minha meditação.
  Para minha surpresa ele disse não conhecer a obra de Paulo Freire!!

  Resolvi naquele momento acrescentar mais alguma coisa no rascunho do texto.

    O "esquerdismo" se assemelha muito a "religião".

  Tem seus Santos:

  Karl Marx, Lenin, Guevara, Fidel, Mao ... Paulo Freire...

  Leon Trótski foi um intelectual marxista e revolucionário bolchevique, organizador do Exército Vermelho e, após a morte de Lenin, rival de Stalin na disputa pela hegemonia do Partido Comunista da União Soviética.
  Tornou-se figura central da vitória bolchevique na Guerra Civil Russa.
 [Wikipédia]

  Para alguns comentaristas o que não deu certo na Rússia foi Stalin chegar ao poder máximo e não Trótski.
  Para eu, foi trocar 6 por meia dúzia 😡

  Tem seus dogmas:

  “Tudo no Estado, nada contra o Estado e nada fora do Estado”. 

  "Aos oprimidos é permitido uma vez a cada poucos anos decidir quais representantes específicos da classe opressora devem representá-los e reprimi-los." 

   “A burguesia, resolveu o valor pessoal em valor de troca e, no lugar das incontáveis liberdades fretadas e indefensáveis, estabeleceu essa liberdade única e inconcebível - o livre comércio.” 

  “O dinheiro é a essência alienada do trabalho e da existência do homem; a essência domina-o e ele adora-a.”

 "Seria uma atitude ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que proporcionasse às classes dominadas perceber as injustiças sociais de maneira crítica."

Tudo se resume em criar um demônio: A “elite dominante”.

Identificar as vítimas (ovelhas): O "povo oprimido/excluído".

Indicar o Salvador: O “líder esquerdista” de plantão.


  Não vou dizer que li muito da obra de Paulo Freire, digamos que vi uns 25%.
  Porque tão pouco?
  O jeito dele escrever é bastante tedioso, suas construções de frases relembram os filósofos clássicos como Rousseau ou Goethe.
  A diferença é que quando li Jean-Jacques Rousseau suas ideias me pareciam originais.

   "O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que, tendo cercado o terreno lembrou-se de dizer "isto é meu" e encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo.
  Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não pouparia ao gênero humano aquele que, arrancando as estacas ou enchendo o fosso, tivesse gritado a seus semelhantes: "evitai ouvir esse impostor; estareis perdidos se esquecerdes que os frutos são de todos e que a terra não pertence a ninguém"


  Paulo Freire além de escrever de forma tediosa defende ideias as quais faz tempo que não concordo.
  Li o suficiente para captar “por mim mesmo” a essência do seu pensamento e não ficar dependente da opinião dos outros.
  Uma vez alcançado o objetivo ... para que ficar me torturando lendo 100% da sua obra!?
  Quem gosta da obra de Freire e é grande conhecedor da sua biografia tem uma vantagem enorme para defender suas ideias.
  Faça isso, estou à disposição.

  


Nota: Não tenho absolutamente nada contra esse filósofo, não duvido de suas ótimas intenções, não apoio sua “demonização”, apenas penso diferente e apresento meus argumentos.



.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Pedagogia do Oprimido

  Paulo Freire foi declarado patrono da educação brasileira em 2012, pela Presidenta Dilma Rousseff. 


 Pedagogia do Oprimido é um dos mais conhecidos trabalhos do educador e filósofo brasileiro Paulo Freire.
  O livro propõe uma pedagogia com uma nova forma de relacionamento entre professor, estudante, e sociedade.
  Continua popular entre educadores no mundo inteiro, é um dos fundamentos da pedagogia crítica.
  Dedicado aos que são referidos como "os esfarrapados do mundo" é baseado em reflexões realizadas durante seu exílio no Chile, período em que ajudou em experiências de educação popular.
  Freire inclui uma detalhada análise da relação entre os que ele chama de "colonizador" e "colonizado", utilizando como base a "Dialética do Senhor e do Escravo" extraída da Fenomenologia do Espírito de Hegel.
  Com mais de um milhão de cópias vendidas, é a terceira obra mais citada em trabalhos acadêmicos da área de humanas em todo o mundo, à frente de clássicos como Vigiar e Punir de Michel Foucault e O Capital de Karl Marx.”

  Até quem não gosta de leitura ou é desinteressado de qualquer debate filosófico provavelmente já ouviu falar de Karl Marx.
  Quem conhece um pouco Karl Marx sabe quanto ele foi influenciado por Friedrich Hegel.
  Quem conhece Hegel sabe o quanto ele foi influenciado pelos eventos da Revolução Francesa.

   Essas ideias que vinham sendo cozinhadas ao longo do tempo (digamos que) foram materializadas na Revolução Russa de 1917.
  Sabemos que os resultados não foram lá aquelas coisas.
  Mas "socialistas, marxistas, comunistas, bolivarianos" ... esquerdistas em geral ...não se dão por vencidos.
  Onde Stálin errou algum "iluminado" há de acertar.
  Tenha fé irmão 😄



  O fato é que esse tipo de "ideologia do oprimido" fez um enorme sucesso nos últimos 100 anos.
  Nas universidades latinas é quase hegemônica.
  Mesmo na Europa e América do Norte o que não falta são simpatizantes do marxismo.
  Paulo Freire foi só mais um a surfar nessa onda.

  Não se esqueçam que Che Guevara com seu discurso de libertar os oprimidos e fuzilar opositores da "revolução" foi aplaudido de pé na ONU, foi condecorado por Jânio Quadros.

  Logo, o fato de Paulo Freire ser um autor tão citado em trabalhos acadêmicos não é nada que chame atenção de um simpatizante da direita igual eu.
  Esquerdistas se fazem homenagens.
  De 2011 até 2018 Lula ganhou 35 Títulos Honoris Causa.    
  (Até depois de preso ele recebe, dizem que é um preso político.)

  Jovens são por natureza mais românticos, afeitos a esses discursos de vitimismo.

  👧“Ninguém me ama, ninguém me quer, me oprimem, meus pais não me entendem...”

  "Um homem que não seja um socialista aos 20 anos não tem coração.
   Um homem que ainda seja um socialista aos 40 não tem cabeça."
[Georges Clemenceau]

  No caso dos acadêmicos, depois de décadas defendendo conceitos de esquerda, isso já deve ter ficado calcificado na mente deles ou sabem que terão grande prejuízo em se "desdizer".

  Vamos a uma ilustração mental.

  Silas Malafaia, RR Soares e Edir Macedo.
  Esse líderes religiosos construíram suas vidas defendendo os escritos bíblicos.
  Não só progrediram financeiramente como também atraíram milhares/milhões de seguidores fervorosos defendendo a “causa” da Bíblia ser a palavra de Deus.
  Não duvido que a crença deles fosse verdadeira/apaixonada na juventude.
  E hoje?
  Suponhamos que um desses caras depois de muito estudar a Bíblia, com o maior juízo que a idade traz, chegou à conclusão que esse “livro sagrado” não tem como ser 100% a palavra de um Deus justo e bom.

  Percebem o quão difícil seria para esses caras se desdizerem depois de anos defendendo uma “ideologia”?

  O jeito é seguir em frente mantendo agora um “personagem”.

  Não estou escrevendo essa sequência esperando que defensores famosos do “legado Paulo Freire” revejam seus conceitos.
  Por anos se comprometeram tanto com esse pensador que entendo o quanto é difícil pessoalmente e profissionalmente voltar atrás.

  Mas você que é leigo, não construiu sua carreira em cima dessas ideias, não tem milhares de seguidores ... o que tem a perder “tentando” ver as coisas por outra perspectiva levando em consideração os RESULTADOS?

  Karl Marx também é um pensador muito citado ... não quer dizer que estava certo como vemos empiricamente.
  Aqui no Brasil nossa educação é uma catástrofe já passou da hora de nos perguntarmos.
  Paulo Freire estava certo?

  Paulo Freire foi declarado patrono da educação brasileira em 2012, pela presidenta Dilma Rousseff. 

  “Ninguém melhor que Paulo Freire para ser nomeado o patrono da pior educação do mundo.”

  [Claro que é um exagero dizer que nossa educação é a pior do mundo, mas todos estamos conscientes que ela deixa muito a desejar.]



Para você que é “jovem” e/ou ☛romântico demais: 

  




.




quinta-feira, 18 de abril de 2019

Paulo Freire Filosofia

 “O truque da filosofia é começar por algo tão simples que ninguém ache digno de nota e terminar por algo tão complexo que ninguém entenda.”
[Bertrand Russell - 1872 a 1970]

😄  😄

  Antes de tudo temos que classificar Paulo Freire como pensador/filósofo.

 “O que caracteriza a nossa história é não reconhecer os indígenas, os negros, os pobres, os camponeses, os quilombolas, os ribeirinhos e os favelados como sujeitos humanos”.
   “Essa crença serviu, ao longo da história, como justificativa ideológica para que as classes dominantes escravizassem e espoliassem esses setores sociais.
  A partir de uma visão de que somos o símbolo da civilidade e os outros a expressão da selvageria, imoralidade.”
 [Paulo Freire]

  No trecho acima está a síntese do seu pensamento.
  Em Filosofia é difícil simplesmente concordarmos ou não concordarmos.
  Na linha geral do raciocínio discordo de Freire, mas entendo o que ele quer dizer.
  No entendimento dele há uma classe dominante que escraviza/espolia todos os outros grupos.
  Escravizar todos sabem o que é.
  Espoliar é tirar algo de alguém por meio de fraude ou violência.

  A primeira coisa a fazer é identificar quem é essa “elite dominante”.

  Tirando todos os escravizados e espoliados podemos deduzir quem Freire classifica como elite dominante (a qual ele se inclui).

  Não são da elite:

Índios
Negros
Pobres
Camponeses
Quilombolas
Ribeirinhos
Favelados

  Por dedução lógica quem sobra do povo brasileiro é a tal classe dominante.

  Branco, morador em área urbana e rico.

  Quando eu penso em rico é alguém que tem muiiiito dinheiro.
  Em relação ao tamanho da população, fica um número reduzidíssimo de pessoas.
  Em 2018 temos oficialmente 42 bilionários.
  É difícil acreditar que por volta de 1950 em um Brasil predominantemente rural tivéssemos um número mais expressivo de ricos do que temos hoje.
  Silvio Santos e Paulo Leman são dois bilionários conhecidos, você nota alguma movimentação por parte deles para prejudicar nossa educação ou escravizar pobres!?

  Acredito que com pouca gente da elite para instigar o ódio, Paulo Freire e outros trataram de ampliar a base.
  Baixaram a régua para classe média. 
   

  “A partir de uma visão de que somos o símbolo da civilidade e os outros a expressão da selvageria, imoralidade.”

  O pai de Paulo Freire era capitão da polícia, sua mãe dona de casa.
  Com o passar dos anos Paulo Freire melhorou de vida, mas não tenho informações que tenha ficado “rico”.
  Porque estou reforçando isso?
  Leio muito na Internet que quando “esquerdistas” falam dos oprimidos incluem o pessoal da classe média.
  Até satirizam dizendo que quando falam de ricos a classe média pensa que estão falando dela.
  Então Paulo Freire seria mais um desses “iludidos”?
  O mesmo serve para Chico Buarque e tantos outros?

  Nessa meditação é importante ficar claro que por falta de ricos para culpar os esquerdistas começaram a culpar a classe média.

  Agora a elite dominante é branca, moradora da cidade, tem renda razoável.

  A “burguesia”, a classe a ser odiada.

  Freire sugere que a classe média e alta se sentem civilizadas e consideram as outras expressão da selvageria.

  Observe que todo discurso dele se baseia em instigar o ódio a qualquer família que tenha um padrão de vida mais alto, mas isso não basta, tem que provocar o confronto também entre brancos e não brancos, entre moradores das áreas urbanizadas e favelados, entre moradores da cidade
e do campo, entre indígenas e não indígenas...

  Mas para fechar a primeira parte dessa meditação.

  Por eu ser negro, pela divisão sugerida por Freire sou automaticamente um oprimido.
  Em verdade vos digo que não me sinto assim.
  Meu pai e minha mãe casaram cedo, tiveram muitos filhos, tinham pouco juízo financeiro.
  Minhas dificuldade na infância credito mais a irresponsabilidade de meus pais que qualquer outra coisa.
  Meu pai talvez influenciado pelas ideias de Freire e pensadores do tipo se sentia um oprimido, mas passou por boas empresas se não se fixou em nenhuma ... não sei como culpar alguma elite dominante por isso.

  Fui trabalhando, estudando, poupando ... não odiando ninguém e ... vivo bem.
 
  O índio pode gostar do modo de vida dele.
  O quilombola, ribeirinho, camponês, favelado ... do modo de vida deles.

  Porque não posso gostar do meu modo burguês de vida!?

  Eu William Robson realmente considero meu modo de vida mais civilizado/eficiente.
  Se eu achasse legal ser “ripe” eu seria.
  Se eu achasse legal ser “camponês” compraria um sitio.
  Se achasse legal morar em uma “comunidade” adquiriria um “barraco”, de certo é bem mais fácil que comprar um apartamento bem localizado.

  Quando Paulo Freire fala em melhorar a educação o que espera que aconteça!?
  Que o índio continue a viver como seus antepassados mais distantes?
  Então para que estudar coisas de homem branco!?

  Paulo Freire foi considerado subversivo não pelas suas qualidades como educador, mas por promover essa ideologia instigando as pessoas a luta de classes, uma característica marcante de qualquer COMUNISTA.


Depois continuamos...

   



  “Não basta saber ler que 'Eva viu a uva'.
   É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho.”
[Paulo Freire]

  Quando vi minhas filhas lendo as primeiras palavras foi com muita alegria.
  No ensino fundamental me basta sim que as crianças saibam juntar bem as letras e entender o que está explicitamente escrito.
  Eva viu a uva.
  O que espero que a criança entenda?

  Uma mulher de nome Eva viu a fruta uva.

  A FAMÍLIA EDUCA, se o pai e a mãe querem falar do personagem bíblico Eva e passar valores cristãos ... tudo bem.
  Se a família camponesa quer falar de como cultivar uvas ... tudo bem.

  A ESCOLA ESCOLARIZA, me preocupa quando o professor deixa de priorizar gramatica, matemática, geografia ... para pregar ideologias.

  “É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho.”

  Se Eva for branca, morar na cidade e tiver renda razoável é opressora ... Geeeesuiiiiis!

Nota: Mas como Eva sugere um nome feminino, pode ser uma oprimida pelo simples fato de ser mulher.
  Paulo Freire tornou a profissão de professor extremamente complexa, apenas “einteins” são capazes de lecionar nesse nível.
  Uma educação mais elitizada ... impossível.
  Por isso a maioria não consegue ensinar e coitado de quem precisa aprender para quem sabe progredir de classe social.😩



.