segunda-feira, 11 de março de 2019

Lombadas Eletrônicas


   República é a forma de governo em que o Chefe de Estado é eleito pelos representantes dos cidadãos ou pelos próprios cidadãos, exerce sua função por tempo limitado.

  A palavra deriva do latim “res publica”, expressão que pode ser traduzida como "assunto público". 

 Sou republicano.
 Não gosto de ditaduras seja de um rei, militar ou civil.

  Durante a campanha presidencial vi os eleitores contrários a Bolsonaro muito preocupados com possíveis coisas que ele poderia fazer.
  Eu tentava tranquiliza-los dizendo que estávamos elegendo Presidente em um regime republicano não um rei absolutista com plenos poderes.
  As opiniões e vontades pessoais de FHC, Lula, Dilma, Temer, Bolsonaro ... é uma coisa realiza-las só por ser Presidente é outra.

  Devemos ficar "adultos" em relação a isso, esse é o objetivo dessa meditação.

  Não é porque votei em Bolsonaro que tenho que apoiar o que ele quiser, concordar com tudo.
  (Espero que quem votou em outro candidato não discorde apenas por discordar.)

  Não é eu "ir contra o Presidente" é simplesmente analisar uma proposta do Presidente.
   (Ou da Câmara, ou do Senado)

 Vejam esse caso das lombadas eletrônicas.

    



👨“Sou a favor de usa-las como foram usadas no início, em hospitais e escolas.
      Do modo que é agora são caça-níqueis”
         [Comentarista no G+] 

  Não sei porque!
  As que conheço são bem visíveis, passa acima da velocidade quem está bastante desatendo ou rápido demais para desacelerar.
  O que aceito (e defendo) é revisar as velocidades estabelecidas.
  Aqui em Campinas tem radares de 40 por hora em vias que NÃO TEM PASSAGEM DE PEDESTRES.
  No túnel aqui perto de casa, um radar é 40 e logo adiante 50.
  O limite de 60 “no meu entender” é bastante seguro.
  Os veículos evoluíram bastante.
  Um carro, moto, ônibus ou caminhão que não freiam com eficiência numa velocidade de 60 ... devem ser recolhidos, são uma ameaça em qualquer via.
  Deveríamos padronizar nas cidades lombadas eletrônicas (ou radares) com limite de 70 e 60.
  Nas estradas 100 e 120.
  Rodovias que não oferecem condições dos veículos (de passeio) trafegarem nessas velocidades deveriam passar por reformas.
  Em escolas e hospitais defendo aquelas lombadas físicas e ou sinaleiros acionados pelo pedestre.


🙎 “Eu penso que o limite quem sabe é o motorista, ninguém deve ter o direito de dizer como eu devo andar.”
[Comentarista no G+]

  Observo que a maioria das pessoas tem “bom senso” razoável, porem um enorme contingente não.
  Que pessoa de bom senso tiraria racha em via pública?
  Que pessoa de bom senso dirigiria alcoolizada ou drogada?

  Enfim.
  A imprudência no trânsito pode ceifar a vida ou ferir gravemente cidadãos totalmente inocentes e “indefesos”.
  Estou dirigindo seguramente minha moto de repente aparece um veículo a 100 por hora que se desgoverna...
  Tá, podemos deixar o motorista apodrecer na cadeia, mas prevenir é melhor que remediar, tenho certeza que minha família prefere que eu continue vivo.

  Bolsonaro não está propondo nada de “ridículo" é a opinião dele e de boa parte da população, como mostram alguns comentários e pesquisas.
  Todos devem ser democraticamente respeitados.

  Se a maioria concordar comigo (for contra a retirada das lombadas) fica difícil Bolsonaro levar essa medida adiante arbitrariamente, em política dizemos que desagrada a base.
  No caso da Presidência não é mais um nicho do eleitorado como acontece na situação de deputado ou vereador, mas a maioria da população brasileira.

  Esses contratos com lombadas eletrônicas são enormes devem ser bem fiscalizados.
  Se não tem nada irregular e a lombada atende as normas técnicas ... que permaneçam onde estão e que venham mais.

  Quem lida com público sabe que boa parte da nossa população quer burlar a regra pelo simples prazer de burlar.

  Veja um exemplo:

  As visitas a pacientes no HC Unicamp para “enfermarias comuns” vai das 9 horas as 19 horas, 7 dias por semana.
  Entram 2 visitas por vez com direito a permanecer até por 1 hora.
  [Texto publicado em 11/03/2019]
  Não vou dar exemplos do que as pessoas fazem para não facilitar a vida dos “folgados/indisciplinados”.
  A maioria, vamos dizer uns 80%, se adequam as normas lógicas/coerentes da instituição, são bem atendidas, o relacionamento é tranquilo.
  Mas tem uns 20% que não querem respeitar absolutamente nada.
  É para aguardar no pátio, mas se deixar sentam no balcão de atendimento.
  É para entrar 2, mas para eles tem que ser 3, 4, 5 ... porque “eles tem um familiar ou amigo doente” !!
  Caraca, é um hospital, todos que estão internados tem problemas de saúde.
  Porque uma família quer ser melhor que todas as outras!?

  No hospital tem pessoas trabalhando 24 horas por dia, há uma pequena lanchonete interna.
  Por motivos óbvios ela não é aberta ao público, dá acesso fácil a todo o hospital.
  Quando os “selvagens” descobrem essa lanchonete, querem porque querem aceso a ela.
  Caraca, porque não vem comido de casa! 😄
  [Queria falar isso, mas não posso, as regras do hospital não permitem]
  Entendam que não dá para abrir essa lanchonete ao público.
  O médico depois de uma cirurgia cansativa está comendo alguma coisa e vai lá um familiar fazer questionamentos ... nem sempre amigáveis.
  (Só um exemplo entre tantos possíveis)

  Quero dizer que conversar, dialogar, apelar para o bom senso nem sempre funciona, por vezes o bom mesmo seria uma arma de choque 😄 😄 😄 o pronto socorro é logo ali...

  Se eu fosse Presidente minhas posições pessoais seriam bem polêmicas, mas pra realiza-las eu precisaria de VOCÊ.

  Essa lógica entra em sua mente?


   






.