quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Militares vs Civis


   

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

  Vi a postagem a baixo no G+ e achei importante comentar sobre ela nesse momento que (na minha opinião) há um excesso de militares em postos chaves.

  Espero que o atual Governo iguale o regime de previdência para funcionários públicos e privados.

  Isso vale também para militares que na pratica são funcionários públicos.

   


  Vamos meditar sobre cada item da postagem.


Horas extras para militares.

  Eu servi o exército, a maioria dos militares faziam horário administrativo normal.
  Se houver necessidade do militar fazer horas extras proponho que sejam pagas.
  Pelo menos serão pagas para quem está trabalhando.
  O que acontece hoje é que muito militar com a vida mansa tem direito aos mesmos "benefícios compensatórios" que outro que está mais atuante.
  E o militar atuante, mais operacional e menos administrativo?
  Nas mais diversas profissões temos regimes especiais de trabalho de acordo com a necessidade.
  Onde eu trabalho tem enfermeiras que trabalham 6 horas no turno de manhã e tarde e outras que trabalham 12 horas no turno da noite.
  Tudo devidamente legalizado pelo regime CLT ou Estatutário.
  Funcionários de navios cruzeiros e de carga tem suas atividades devidamente legalizadas pelas leis trabalhistas vigentes.
  Trabalhadores das plataformas da Petrobras permanecem embarcados 15 dias, depois 15 dias ficam em casa.
  Enfim, militares deveriam ser tratados como qualquer outro profissional com relação a horas extras.

Fundo de garantia:
   O Fundo nada mais é que uma porcentagem relativa ao seu salário que a empresa deposita em uma conta a parte, atualmente obrigatoriamente na Caixa.
  A nossa cultura paternalista (Estado Paizão) determinou que nenhum de nós é capaz de poupar para situações dificulteis como desemprego, o Pai Estado obriga essa “poupança” que rende juros abaixo da poupança... 😩
  Algumas categorias de funcionários públicos não tem o recolhimento do FGTS, mas em compensação tem benefícios compensatórios que custam muito mais caro a sociedade.
  Quantas categorias na iniciativa privada tem direito a licença-prêmio?
  É uma licença remunerada a que o funcionário tem direito na proporção de três meses para cada cinco anos servidos.
  (Só um dos exemplos)

  Limite de horas semanais:
  Já vimos isso nos regimes especiais de trabalho.
  Se você aceita ser camareira em um navio de cruzeiro e esse navio vai ficar 7 dias em alto mar ... vai ficar 7 dias no seu local de trabalho o que não significa necessariamente ficar trabalhando.
  Fará o serviço de camareira, terá seu horário de lazer e descanso.
  Com soldados é a mesma coisa.
  Você acha que os soldados em missão no Haiti ficavam 24 horas patrulhando!?

  Direito a greve:
  Mesmo fora do meio militar há certas categorias que tem o direito a greve restringido.
  Em serviços considerados essenciais pelo menos 30% não pode parar.
  E quem pode garantir o cumprimento dessa lei se necessário usando a força?
  As forças policiais/militares.
  Policiais realmente não devem ter direito a greve, quem não quer abrir mão desse direito ... não seja policial, não seja militar.
  Aqui no Brasil infelizmente tem o serviço militar obrigatório, mas seguir carreira militar é opcional.
  Por vezes o cidadão quer seguir e não consegue devido as exigências.

  Direito a ir para casa depois de 24 horas de plantão:
  Mais uma vez voltamos a situações especificas.
  Um médico depois de ficar de plantão 24 horas (o que não significa que ficou efetivamente acordado e consultando todo esse tempo) na hora de ir embora chega um acidentado grave que o obriga a ficar mais 5 horas realizando cirurgia.
  É uma situação que deve ser evitada a todo custo.
  Eu não gostaria que um médico tão prejudicado fisicamente me operasse.
  Da mesma forma um soldado estafado não está na melhor condição mental para tomar decisões que podem fazer diferença entre a vida e a morte.
  No entanto ... se ocorrer a necessidade do prolongamento do plantão tanto o médico quanto o soldado devem ter compensação em dinheiro ou banco de horas.

Obrigue cada civil jurar a sacrificar a vida pelo Brasil:
  Nossa, que dramático! 😃
  O Brasil não entra em guerra há décadas.
  Na missão do Haiti não sei de nenhum militar “morto em confronto”.
  O caso dos policias militares no Brasil realmente é uma tragédia.
  Por décadas a tolerância com a impunidade e o exacerbado respeito ao "direito dos manos" criou um quadro dantesco em nosso país.
  Vamos ver se com um governo mais sério os números serão reduzidos.
  De qualquer forma prefiro que os policias jurem viver e proteger a vitima.
  Se alguém tiver que morrer que seja o bandido.






.