quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Amortecedores Morais

“O mal conhece o bem, mas o bem não conhece o mal.”
   [Franz Kafka]

  Como pode um cara que matou 50 pessoas e tentou fugir 3 vezes da cadeia ficar apenas 20 anos preso?

  “Cabo Bruno foi libertado com base no artigo 1º, do inciso 5, do decreto 5.648/2011, assinado pela presidente Dilma Rousseff.
   Segundo a norma, todo preso que passou mais de 20 anos seguidos na cadeia deve ganhar a liberdade caso tenho tido um bom comportamento.” [R7]
 
Matador Bruno


  Na Internet não consegui achar algum “inocente” que Cabo Bruno tenha matado, ele dava uma de Charles Bronson.
  Meu lado emocional é até simpático a ele, mas meu lado racional entende que não podemos fazer justiça com as próprias mãos, é muito poder para permitir a um homem, fazer justiça é função do Estado.

 “Cabo Bruno ficou conhecido como um dos maiores matadores do Brasil.
   Acusado de matar mais de 50 pessoas, ele admirava um ator que ficou famoso em filmes violentos. “Ele imitava até no jeito de vestir. Era o Charles Bronson.
  Ele queria ser igual. Ele achava (que podia fazer justiça com as próprias mãos). Achava que tinha que fazer. Não justifica, mas foi isso”. [Verdade Gospel]


  Esse texto tem dois extremos da (in)justiça.
  Um cabo Bruno que faz “justiça” com as próprias mãos e uma Sociedade com penas muito brandas para criminosos e que acredita que faz “justiça”
  Entre esses extremos vamos flutuar por alguns meios, vem comigo!
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Tem aquela historinha muito conhecida em diferentes detalhes e versões, mas com o mesmo sentido.

  Havia um grande incêndio e os animais que conseguiam atravessar para a outra margem do rio faziam isso.
  O escorpião não conseguia e seria morto pelo fogo.
  Viu a tartaruga e sabia que ela conseguiria, implorou a ela que o ajudasse, ele seria eternamente grato.
  A tartaruga ficou muito receosa, mas como era boa decidiu ajudar o escorpião.
  No meio da travessia o escorpião não resiste e ferroa a tartaruga que perde as força e é arrastada pela correnteza.
  Ela vendo o fim próximo pergunta ao escorpião:
 - Porque você fez isso vai morrer também!?
  Escorpião – “Não pude evitar é da minha natureza.”

  Não podemos subestimar o Mal, acreditar que milagrosamente alguém fique justo e bom de repente contrariando sua natureza.

  Eu entendo que muitos não consigam se imaginar fazendo certas coisas, eu não me imagino sequestrando alguém ou transando com uma criança.

  A grande maioria da humanidade também não.
  Acredito que se você morasse em um país onde esse tipo de coisa não acontecesse nem acreditaria que um ser humano é capaz de uma coisa dessas.

O Bem não conhece o Mal.

  Um sequestrador, um pedófilo sabe do que é capaz de fazer, conhece a sua própria natureza e mais que isso conhece o Bem.
  O Bem não espera que o sequestro ou a pedofilia possam acontecer, isso facilita muito a ação do Mal basta não levantar suspeitas, agir de surpresa.

  Eu observo que a evolução de nossa tecnologia trouxe a possibilidade da humanidade olhar de frente o Mal que facilmente se escondia.
  Não é que o mundo piorou é que hoje conseguimos enxergar melhor o Mal que existe nele.
  Eu não me imagino sequestrando uma pessoa, mas sei de muitos sequestros realizados com imagens cada vez mais nítidas.

  Hoje mais do que nunca temos a possibilidades de conhecer o Mal sem “amortecedores morais”.

  Por motivos que é difícil explicar as pessoas se recusam a acreditar que o Mal existe.
  Antigamente o principal amortecedor moral era ignorar os acontecimentos, ouviam dizer, mas era algo bem distante, podia ser podia não ser, “quem conta um conto aumenta um ponto.”
  Hoje imagens de alta definição chegam a nossas casas, há câmeras por toda parte é difícil o Mal se esconder.

  Hoje os grandes amortecedores morais são a “desigualdade social” e/ou o “transtorno mental”, ninguém é mau de fato só precisa nascer pelo menos na classe média alta ou ter um tratamento mental adequado.

  Fica mais ou menos assim:
     Todo mundo é “puro e bom”, mas se nasce pobre tem “direito” a ser mau.
  Todo homem é “puro e bom” cabe a Sociedade com a Terapia Psicológica certa ou o “Exorcismo” certo lapidar esses “diamantes brutos”.

  Cabo Bruno virou evangélico.
  Ele foi exorcizado ou entendeu a lógica que não podemos fazer justiça com as próprias mãos?
  Bem, se ele diz que simplesmente foi exorcizado não sou eu que irei dizer que não foi.
  Para eu a Lógica me basta, mas não sou a medida das coisas.
  Tenho esperança que a intensidade dos debates na Internet faça mais pessoas reconhecerem a existência de pessoas más.

  O Bem conhecerá o Mal e reduziremos a IMPUNIDADE.

  AMÉM?



  Homem aponta furador de gelo para criança em sequestro nas Filipinas
▬▬▬//▬▬▬
 "Desejo um bom dia a todos.
  Vamos ficar mesmo espertos.
  Reconhecer o mal não só fora de nós, mas dentro de nós também.
  Não o mal que podemos fazer, mas aquela porção "maléfica" que pode nos induzir a omissões e à indiferença perante o sofrimento alheio." [Nihil]

[Excelente comentário.]
Homem Bruno


Anterior          <>        Próximo 





25 comentários:

turbilhão 1.122 disse...

...de bom dia.

Existem outros "amortecedores morais".

O desejo de fugir da realidade,de muitos.
A introspecção sistemática dos infantes,e dos mais velhos,que só conseguem ver o mundo,através de "lentes próprias".
(falei nisso uma vez,no "Terapia da Lógica" do Terra,num texto longo)
O sentimento de impotência diante do mesmo mal.
A "vergonha da simplicidade",ou seja,a recusa em acreditar que alguém pode ser inferior,ao ponto de poder sofrer um dano físico,ou moral.
A cisão que existe entre as pessoas de bem,em alguns lugares do mundo.
Quando existe muita antipatia mútua(sempre não admitida) entre as pessoas de uma comunidade,a tendência é ignorar-se as hostilidades exteriores.
Afinal, "se meu vizinho está sofrendo,isso não me importa".

Nesse ponto, frisarei que pessoas pobres,de "outras cores" e hábitos,podem ficar ao desamparo numa comunidade que tem a tendência de ver a pobreza,a negritude,e o desamparo como "defeitos de fabricação".
Tem sido costumeiro eu presenciar reações de pessoas que vendo notícias trágicas na televisão,desconfiam das vítimas,e acham que "elas facilitaram as ações contra elas".
Já percebi a mesma atitude por parte de um ou outro repórter.

Idem,é um costume que colabora na omissão das pessoas,às vezes nem acreditar no que as vítimas dizem sobre o que sofreram.
O elemento "mais fraco" na sociedade,costuma ser visto como um mentiroso em potencial,e eu ainda não consegui identificar a causa disso.

Especialmente as pessoas mais velhas(podem ser mais velhas do que nós) idem se recusam muitas vezes,a entender nossa realidade instintiva e animal.
Cresceram,muitas delas,com aquela informação de que "somos almas criadas por Deus,portanto não deveríamos poder errar".
Portanto,se ficam em situação de encarar os erros que acontecem,de opinar e tomar alguma decisão a respeito deles,se descontrolam ao ponto da histeria.
Não conseguem conceber "um mundo assim" e uma "humanidade desse jeito".
Eles amadureceram com uma autopercepção errada,e com uma percepção errada a respeito do que é o nosso grupo humano.
Apenas os que já trabalham com isso,tentando erradicar a violência,ou tentando educar os desajustados- se tem "certa idade",conseguem lidar com os fatos,de forma isenta.

Então,teremos um bom caminho pela frente ainda para afastarmos um pouco o Mal,do nosso meio.
As percepções das pessoas são muito divididas,conflitantes,e as "pessoas de bem" são desunidas,e em muitos casos,até hostis umas às outras.
Existe também o problema,como falei mais acima,do preconceito contra a vítima.

Iremos esperar uns cem anos,sr.William.
Até lá,prosearemos sobre essas questões,em outros mundos "sensíveis" e talvez,usaremos uma internet melhor por lá.(haha!)
Ou debateremos através do sistema de telepatia.
Porque o sr.vai ficar na parte dos "filósofos",eu vou morar na vila dos "botânicos" e dos ecologistas.


1.122,parte 2 disse...

Como o sr.viu,também já pensei muito a respeito disso,pois escrevi o texto rapidamente.

Tem o agravante em alguns "casos mais raros" da simpatia secreta de alguns pelos que praticam o mal,porque "bandidos são pessoas viris".
O sr.mesmo postou um artigo,outro dia,em que um adolescente disse que ingressou no "mundo do crime,para impressionar as garotas".

A educação dada a muitos jovens,anda deixando a desejar,e as famílias se esquecem umas vezes que meninas tem uma natureza humana igual a de todo mundo,e que precisam ser instruídas.
Pode ser que alguns tenham a crença de que mulheres já nasceram prontas e acabadas.
Na verdade,eu acho que a educação a nós,é até mais melindrosa,do que a dada aos garotos.
Porque para nós,é mais difícil lidar com o mundo,e com a multiplicidade dos desejos.

As famílias precisam se lembrar de dar educação real às filhas,e não apenas de obrigá-las a estudar,pois todos precisam formar bons valores que servirão de sustentáculo,e que inclusive,formarão suas opiniões.
Pessoas que admiram bandidos,podem votar em políticos ruins,por pura diversão,e ninguém pensa nisso.
°
°
Eu me "senti próxima emotivamente" por um período,do Pedrinho Matador,personagem que me inspirou a criação do Angulimala budista,uma vez que existem poucas informações sobre esse "justiceiro da antiguidade".
Tempos depois,estranhei a eu mesma por isso.
Não importa se Pedrinho foi um justiceiro,ele foi um monstro,e deveria estar num manicômio,hodiernamente.

A lógica muitas vezes,só entra na mente das pessoas,através do treino e da experiência.
Foi o que ocorreu ao soldado que morreu(mencionado no texto)

Talvez mais tarde,farei uns acréscimos a esse assunto.
Preciso sair agora.
Esse é um tema sempre oportuno.

Desejo um bom dia a todos.
Vamos ficar mesmo espertos.
Reconhecer o mal não só fora de nós,mas dentro de nós também.
Não o mal que podemos fazer,mas aquela porção "maléfica" que pode nos induzir a omissões e à indiferença perante o sofrimento alheio.

°°°°°°°°°°°°°°°°°

William Robson disse...

“Parece que muitos expoentes do passado foram destruídos por sua própria sabedoria.
Talvez tenha razão a bíblia ao afirmar que faria Deus loucura aos sábios.” [Daniel]
===========================
No final tudo desmorona, não lembro de nenhum dos apóstolos ter tido um final feliz.
Todos os apóstolos foram destruídos.
Meus companheiros pensadores ao menos tentaram um mundo melhor e defendo que CONSEGUIRAM!

Tirando Elias que alguns defendem que não morreu e esta em carne e osso no céu, ele nem aguardou o “juizo” final, todos os outros crentes tolos ou sábios tiveram o mesmo fim de Niet, Sócrates ou Darwin...portanto:
Quem quiser permanecer tolo que permaneça tolo, quem quiser buscar sabedoria que busque a sabedoria.
No final tudo desmorona, por hora o importante é nossa qualidade de vida aqui na Terra.

William Robson disse...

“Aqui está o ponto, não sabemos necessariamente no que devemos nos focar.” [Daniel]
============================
A vida é múltipla então temos múltiplos focos. [Pensamento 3D]
Se estou dirigindo um carro meu foco é dirigir com segurança, chegar onde pretendo chegar.
Se estou comendo meu foco é saciar minha fome e até ter prazer sem cometer excessos que me farão engordar.
Se vou votar meu foco é analisar o melhor candidato [ou menos pior].
Se estou transando meu foco não pode se aquela dificuldade na Empresa ou acabarei broxando.

A vida é múltipla então temos múltiplos focos. [Pensamento 3D]

William Robson disse...

Quem poderá dizer se isto é sorte ou azar? [Daniel]
===========================
Ele é um bom Capitalista, soube explorar muito bem sua deficiência a tornando uma boa fonte de renda.
Talvez longe das câmeras até fique deprimido, mas isso não chamaria a atenção, não traria DINHEIRO.
É como aquela mulher com belas formas que ganha um bom dinheiro explorando sua sensualidade, fatura tirando fotos nua ou sensuais.

Como nem tudo é dinheiro eu preferia ser a mulher gostosa com saúde mais que perfeita.
Nascer sem os membros eu considero um grande azar, não quero para mim mesmo que rendesse muita grana.

PS: Para quem não acredita em sorte substitua por BENÇÃO.
Não acho que nascer deficiente seja um benção.

Para quem não acredita em benção...
Ganhar dinheiro é algo muito bom, nascer com seqüelas físicas não.
Uma coisa não exclui a outra.
Nosso conhecido do vídeo ganha dinheiro com sua deficiência física, mas eu prefiro ser pobre com todos os meus membros. Questão de GOSTO.

William Robson disse...

Desejo um bom dia a todos.
Vamos ficar mesmo espertos.
Reconhecer o mal não só fora de nós,mas dentro de nós também.
Não o mal que podemos fazer,mas aquela porção "maléfica" que pode nos induzir a omissões e à indiferença perante o sofrimento alheio. [Nihil]
===========================
MUITO BOM!

Daniel disse...

Ter o próprio negocio é sempre uma boa, srta Nihil.
Apenas precisa ser rigorosa na administração das finanças. Ter prospecto de crescimento e ter estudado o local em que se quer trabalhar, contribui para o sucesso do negocio.
Não demora mais de um ano para você ter uma boa cartela de clientes.

Daniel disse...

Excelente texto principal, e a resposta da srta Nihil destacada pelo William, foi muito oportuna.


WILLIAM - Acredito que se você morasse em um país onde esse tipo de coisa não acontecesse nem acreditaria que um ser humano é capaz de uma coisa dessas.


Eu também não acredito que numa sociedade humanizada, onde a principal marca seja a educação, que não haja distúrbios.
Mas eu acredito que quanto maior for o cuidado que nós tivermos com as pessoas, menos surpresas de comportamento nós teremos.


Sobre a sorte eu acredito que é parte do conceito individual previamente mal concebido. Eu, porém não acredito que haja sorte nem benção, porque para mim não há o que possa determinar isso.

Há qualquer momento eu posso me entender como o individuo mais sortudo do mundo, como também posso me considerar como o maior azarado, os dois com a mesma enorme facilidade.

Daniel disse...

Convido-vos a assistirem shurato.

http://www.youtube.com/watch?v=_AAai5jfv9Q

Terapia da Lógica disse...

Há qualquer momento eu posso me entender como o individuo mais sortudo do mundo, como também posso me considerar como o maior azarado, os dois com a mesma enorme facilidade. [Daniel]
====================================
Não é o que você sente ou se considera, é o que acontece com você.
Você pode achar sorte ter batido o carro "Deus sabe o que faz", mas bater o carro não se tornará algo bom só porque você quer que seja

Estou feliz! disse...


Escutei o sr.Hosaka no blog da Selma.
É a voz que costumo ouvir em meus sonhos com ele,que já costumavam ocorrer,mesmo antes de eu conhecer ao mesmo em nossos sites.

Acho que sou mesmo uma criança,entusiasmada com a fala de uma pessoa querida.
Mas,convido-os a conferir como nosso amigão costuma dissertar oralmente.

Ele se assustaria,se me ouvisse.
Minha voz é igual à da Mônica,filha do Maurício.
Infantil,mas autoritária.

Nihil disse...


Em nome da honestidade,postarei as últimas precepadas minhas no blog da Selma,bem aqui,na "Natureza Viva- 71" que irá sumir.(vou sumir com ela)

Em meu entendimento,as visões da natureza combinam com a religiosidade,e essa é uma história velha para mim- que foi atenuada em 1.983,mas que ainda existe.
Eu só me sinto próxima do sagrado,desse modo.
Mas,para a Selma,isso não combina com religião.

Minha essência jamais mudou.
Para mim,a vida ideal,poderia ser um eterno "power.point".
Não concebo brigas entre deuses,nem competições olímpicas para o vencedor levar alguns troféus no Juízo Final.
Na "pior das hipóteses",religião é serviço voluntário numa instituição.

Eu retirei meu repertório antigo do blog vizinho,por vários motivos.

_para não incomodar o sr.Hosaka com meu "passado mítico",porque esse logo ia ver que ele faz parte dele.
_porque o Adilson vivia me criticando.
_porque me afinizei mais com o sr.William- em sentido intelectual,e com o tempo,formei sequências de textos aqui que não podiam ser quebradas.
_porque ali eu poderia ter atrapalhado as conversas,aqui não houveram conversas que eu pudesse ter atrapalhado.

Eu tentei começar a corrigir meu erro de ter me ausentado de lá por tanto tempo,e estava me preparando para voltar a escrever um pouco ali.
As imagens faziam parte desse "esquema".
Estavam sendo meu prelúdio.
Minha flores comuns ampliadas iam durar um mês,e ali mesmo,eu ia começar a série "Mística".
Aquele conjunto de textos esotéricos que eu havia prometido no mês de julho.

Isso tudo vai ficar bastante adiado.
Ou talvez,eu não publicarei mais lá,mas publicarei no blog que foi formado para mim.

A Selma e o Adilson são caipiras.
Eles querem que eu discuta Budismo.
O Budismo não é uma religião para ser debatida,e nós integrantes dessa religião,por ora,somos "fechados demais" em nosso modo de pensar.
De todo modo,não se pode debater o Budismo,sem uma ênfase no contato com a natureza.
Mas,aqueles dois amigos,-uma,pessoa real,e outro,um "joão",são muito bobos.

Eu não vou sofrer.
Fiquei com pena das horas que gastei numa intenção boa,mas nada funcional(cheguei a me cansar,ao selecionar aquelas imagens com tanto capricho),mas não vou me chatear.
Ao menos,meu precioso tempo,e empenho foram respeitados.
Poderei direcioná-los para onde os resultados forem melhores,doravante.

Coitados.
Eles ficaram com medo de que eu transformasse o site num gibi cheio de figuras.
Mas,minhas incursões imagéticas ocorriam dia sim dia não,e durariam só um mês...





Nihil disse...

Não vou deixar essa prosa constrangedora decorando as paredes daquele site.
Nunca tive tal intenção,e toda e qualquer colaboração minha para qualquer lugar,sempre desejou ser eminentemente benevolente.
Fico pensando como as pessoas tem coragem de começar certas conversas em situações às quais elas deveriam ser gratas.
No meio da natureza,no meio de expressões de beleza e harmonia.

Minha "Natureza Viva" é uma sequência de links que se destina a produzir harmonia nos locais onde costumo estar.
Sua intenção(a da série mencionada) não combina com o que ocorreu.
Por isso,não só parei com o empenho das ampliações das flores comuns,como idem não deletar essa postagem,para que não envergonhe os três postantes envolvidos nela.
Reparem que escrevi os textos finais(no espaço da "Natureza Viva 71",usando minha identidade virtual,ou minha "assinatura".

Quando faço isso,é porque pretendo apagar os textos,ou porque receio me arrepender deles-e precisar eliminá-los.

William Robson disse...

E-mail recebido:

- Onde vai Álvaro?
-À farmácia.
- Para que?
-Comprar Viagra, Lourdinha!
Ela começa a se vestir também. Pergunto:
- Onde vai Lourdinha?
-À farmácia.
- Para que?
- Tomar anti-tetânica.
- Ué, mas por que?
- Vai que essa coisa enferrujada começa a funcionar de novo...
Aí a briga começou...
===============================
Minha esposa sentou-se no sofá junto a mim, enquanto eu passava pelos canais.
Ela perguntou: - O que tem na TV?
Eu disse: - Poeira.
Aí a briga começou...
===============================
Minha esposa estava dando dicas sobre o que ela queria para seu aniversário que estava próximo.
Ela disse: - Quero algo que vá de 0 a 100 em cerca de 3 segundos.
Eu comprei uma balança para ela.
Aí a briga começou...
===============================
Quando cheguei em casa ontem à noite, minha esposa exigiu que a levasse a algum lugar caro.
Então eu a levei ao posto de gasolina.
Aí a briga começou...
===============================
Depois de aposentar-me, fui até o INSS para poder receber meu benefício. A mulher que me atendeu solicitou minha identidade para verificar minha idade. Chequei meus bolsos e percebi que a tinha deixado em casa. Disse à mulher que lamentava, mas teria que ir até minha casa e voltar depois. A mulher disse: - Desabotoe sua camisa.
Então, desabotoei minha camisa deixando exposto meus cabelos crespos prateados. Ela disse: - Este cabelo prateado no seu peito é prova suficiente para mim. E processou meu benefício.
Quando cheguei em casa, contei entusiasmado o que ocorrera para minha esposa.
Ela disse: - Por que você não abaixou as calças? Você poderia ter conseguido auxilio-invalidez também...
Aí a briga começou...
===============================
Minha mulher estava nua, se olhando no espelho do quarto de dormir. Ela não está feliz com o que vê e diz: - Sinto-me horrível; pareço velha, gorda e feia. Eu realmente preciso de um elogio seu.
Eu disse: Sua visão está ótima!
Aí a briga começou...
===============================
Voltei do médico após uma consulta e minha esposa toda preocupada, pergunta-me:
- E então, o que o médico lhe disse?
De pronto, eu respondi:
- A partir de hoje, não faremos mais amor, estou proibido de comer qualquer coisa gorda.
Aí a briga começou..

Daniel disse...

WILLIAM - Não é o que você sente ou se considera, é o que acontece com você.


Exato.
Sou SORTUDO por ter conquistado a mais linda garota. Ah, mas que AZARADO que sou! Comprei um presente e não sabia que ela era alérgica a perfumes!

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Não precisa ficar tão sentimental Nihil.

Aprecie a beleza clássica das palavras destes dois emails que eu recebi

certeza de tudo!!!!‏

Dani meu amor eu quero a certeza do absoluto.
A afirmação positiva.
Não quero os sonhos dos loucos,
nem a vontade dos sem-alma.
Eu quero a certeza da vida.
A afirmação do amor.
Não apenas um amor carnal e dirigido,
mas do sentimento verdadeiro
que se entranha na alma
e que não existam mágoas, que não dissolva.
Quero ter a certeza premonitória
que posso mergulhar, que não encontrarei uma pedra.
Quero a certeza da luz
que não se machuca nos espinhos,
penetra as sombras, não se inibe no mar...
Ou a certeza ou nada!
Duas almas que constroem uma estrada juntos,
não sabem como esse trajeto será,
mas apenas têm uma certeza quase sobre-humana
que têm que construir juntas.
São vidas independentes, mas harmônicas.
São autônomas, mas responsáveis.
Consistentes no que sentem
e têm a certeza do que realmente sentem.
Não é um "eu acho", "pode ser", "quem sabe",
"vamos tentar", "se der certo"...
É a certeza que só o verdadeiro amor tem.
Espero isso de você meu amor

De sua eterna flor Débora que tem muito carinho e respeito por você!!!

Te amo
_______

quero você amor...
Querer você pertinho de mim,
é algo assim,
que não consigo controlar.
Meus pensamentos fogem da realidade,
criando a possibilidade,
de você comigo estar.
Em sonhos você chega sorrindo,
os braços abrindo,
louco pra me abraçar.
Com lábios quentes,
sobre os meus entre abertos,
assim eles roubam mil beijos espertos.
Suas mãos perfeitas em suaves carícias,
no meu corpo deslizam,
provocando delícias.
Sinto seu corpo quente,
apertado contra o meu, pedindo insistente,
que você seja eu.
Fica difícil sentir
sua respiração ofegante,
mesmo que por um instante e resistir.
É no embalo desse doce sonho,
que sempre me proponho
amar você até não mais poder.

___

Tem momentos que eu gostaria de ser tão sensível como você!

Encantadora 8 disse...

(ao Denys)

Quando eu conheci o Príncipe,ele "era eu",eu "era ele".
Ele se tornou minha referência sistemática.
Longe ou perto,vivia entranhado em minha mente.
Transferi para o mesmo,meu "complexo de édipo".

Talvez eu pensasse que estava inventando o amor,quem sabe eu julgasse que ninguém podia gostar tanto quanto eu.
E de fato,em minha família,ninguém amou tanto.
Todos casaram "por conveniência",dois desses casamentos deram certo,outro acabou em separação.

Eles "retrocederam" nos hábitos sociais,pois meus pais se casaram perdidamente apaixonados mutuamente.

Outro dia,falei com mamãe no Príncipe.
Ela não deu bronca(qualquer pai ou mãe fica aflito quando ouve seu filho,ou filha de qualquer idade,falar em seus amores,ou em seus cônjuges),mas também mudou rapidamente de assunto.
Como todo pai,e como toda mãe,ficou desconfortável com isso.
Ao mesmo tempo,imagino que algum dia ela irá querer conhecer melhor "quem foi esse" que me tornou tão careta.
(na época,namorei quase "escondido").

Eu costumava relacioná-lo ao Alceu da Safo.

Não,o "Alcaio" foi outro rapaz que eu conheci,e que é totalmente biruta.(continua assim)
É possível que José seja "Skamandrônimus" retornado.
Pois como o sr.Hosaka disse muito bem,quando leu minhas poesias para esse namorado,"eu não sabia de que parte do mesmo eu devia gostar mais".
O sr.Hosaka é sempre um piadista.
°
°
°
Mas,Denytus,outro dia eu quase disse que era bom vc parar de flechar todos os corações,e casar.
Se vc quiser casar com essa moça poeta,conseguirá isso amanhã mesmo...

(kkk...!!)

Encrenca 1.055 disse...

É,sr.William,brigas em família são problema.(hahaha!)

"O marido chega em casa,e pergunta para a esposa,

_O que vc ficou fazendo o dia inteiro?
A casa não está cuidada.

_Recebi o Ricardão.

_O queeeê???_ele gritou_E o que esse safado veio fazer aqui?

_Veio comprar Tupeware para a Rita,esposa dele.
(a esposa vende Tupeware)
E ainda encomendou um para a irmã,e outro para a cunhada."

(fecha a cortina)

Piada inventada por mim.
Até hoje,qualquer um jura que eu vi isso na internet...

Nihil disse...

Bah.

A Selma disse que queria que "eu falasse mais lá,e postasse menos imagens".
Farei mesmo essa experiência daqui a um tempo,só para provar que meus assuntos irão provocar reclamações.

O "Adilson" vivia resmungando,quando eu dissertava muito por ali.
Dizia que meus temas eram muito comuns e sem foco estritamente religioso.
Meu jeito filosofante não é muito bem aceito em alguns lugares,e nisso sou "vizinha de Abismo" do sr.William.
Se minha prosa corrente não se desenvolver bastante aqui,só no meu site próprio ela poderia se desenvolver.

Se eu por ex,for para o Jornal de Debates,o pessoal vai fugir de lá.
Não é meu interesse dominar um site coletivo.
Para mim,está tudo bem.
Se é para postar menos imagens no blog vizinho,então vou postar menos imagens.
Mas,dificilmente,irei aumentar ali a quantidade de crônicas.
Pois a festa não duraria nem três meses.

Nihil disse...

Estou "a fim" de continuar tratando nosso grupo como "uma família alternativa" que arrumei,e mesmo aceito colaborar sem receber muito em troca.
Gosto de todos assim mesmo,mas a bronca terá que existir.
Acho que ficarei um bom tempo sem postar minhas orquídeas por lá.

Ainda nos dias atuais,fico pensando em como seria para nós desse blogue presente,acharmos um site para nós todos do ex-gd do terra,ou acharmos um site onde hajam uns vinte postantes.
Isso é difícil na web comum atualmente,e suspeito que os números que antigamente eram encontrados em salas de discussão,migraram todos para nichos do Facebook,ou do Google +

Ainda existiria o risco de sermos expulsos(fôsse onde fôsse nossa sorte) ou de espantarmos os demais usuários...com nossa prosa característica.
Acho que não existe estabilidade mesmo em contatos da internet.
Eu,que antigamente vivia iludida com nossos gds,quando eles existiram.
Como aquela vinculação entre vários desconhecidos me parecia mágica...

turbilhão 1.123 disse...

(ao sr.William)

Ontem fiquei emotiva quando o sr.destacou,como nota extra em seu texto em destaque,meu comentário final da minha crônica de réplica de ontem.

Rapidamente,como eu já havia pensado no mesmo assunto tempos atrás,fui lembrando uma lista de atitudes que colaboram com a conivência social com o mal.
A inédita que anda aparecendo,é a ingênua simpatia de alguns pelos malfeitores.
Espero que o sofrimento não seja o remédio para a tolice de muitos púberes,que vivendo em tempos mais felizes do que viveram tios,pais,e avós,talvez ficaram meio bobos.

Especialmente,meninas precisam ser instruídas,porque são elas que educarão seus filhos,netos e bisnetos.
A mulher,de certa forma,é a transmissora das heranças sociais-e uma formadora indireta da cultura do país em que se vive.
Não consigo imaginar essas moças,futuramente,se casando com "qualquer um",talvez recebendo a pensão devida aos maridos presidiários,e ensinando seus filhos que "na vida devemos conquistar as chances que aparecem,mesmo que seja de forma errada.
Com ética ou sem ética,não importa.
Só não se devem cometar crimes".

É,precisamos ficar atentos à mentalidade que os mais novos andam desenvolvendo...

turbilhão 1.124 disse...

Irei comentar a pequena crônica que o Denytus escreveu ontem sobre a frase de Niet,que o sr.William destacou no penúltimo texto dele- porque foi muito "sensível".

Falei nesse tema com o sr.William,na série "Mundo dos Pensamentos".
Por momentos,acreditei que a velhice,mesmo com saúde,colabora para certa confusão mental,e para a insensibilidade ao sofrimento alheio,uma vez que as pessoas ficam objetivas demais na "maior idade".

Desisti desse modo de pensar.
A sabedoria só pode destruir aos que não tem,desde o início- maturidade para tê-la.
Elementos que aparentemente,agem certinho por décadas de suas vidas,e que na meia idade,começam a errar contra alguns,ou contra multidões,nunca foram realmente bondosos,ou nunca foram "certos da cabeça".

Então,com mais articulação,e conhecimento "técnico",ganham desembaraço para errar em maior escala.
Idem não é verdade o que eu pensei na época sobre o fato dos malvados nem saberem que são malvados,até terem em mãos,a chance de agirem concretamente.
Todo mundo se conhece,no básico.
As intenções podem ficar disfarçadas,mas habitam o interior de cada um,sejam malevolentes,ou sejam benemerentes.

Tem muita gente chata por ex,que na maturidade nos surpreende por seu equilíbrio e por demonstrações de bom caráter.
Mas,essas pessoas já eram assim antes,não obstante o temperamento rabugento.
O mesmo se pode dizer dos que prejudicam aos outros,com uma sabedoria recém adquirida.
Antes,já cometiam seus erros,apenas ninguém conhecia esses erros,ou não eram levados a sério.

E o problema da velhice,continua sendo em minha opinião, a lentidão do raciocínio,devido a um excesso de lembranças.
Mas,não que isso vá tornar alguém mais sensível,ou menos sensível do que já era antes.

°°°°Nessa parte,Niet foi um poeta,mas ele se enganou...
...eu poderia sim,viver pela eternidade com meus sentimentos,desde que a vida seguisse o princípio da alteridade útil.

eu, em algum blog da internet disse...

hehehe!

Encrenca 1.056 disse...

Acabei de conferir o episódio de "2 homens e meio" postado pelo sr.ontem.

Esses carinhas são impagáveis...