sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dentro do Furacão

  "A ignorância é uma bênção."
   [House]

  Se eu não tivesse nascido pobre em uma família desestruturada "ignoraria"muitas situações. 
  Uma coisa é você ter teoria, outra é ouvir depoimento/testemunho e outra é estar dentro do furacão.

  “De que forma o Brasil buscou reparar séculos de injustiças com os negros?
   Quais foram os nossos esforços para acabar com as desigualdades e os preconceitos?"

  Não penso que um cara igual o Netinho age de má fé, ele apenas tem uma visão diferente da minha de como as coisas devem ser ou podem ser.
  Entendam que eu respeito a opinião do Netinho apenas penso diferente.


  
  Sinceramente NÃO entendo porque Netinho e tantos outros ainda culpam a escravidão pela falta de sucesso de muitos negros.

  Analisando a HISTORIA é uma teoria que deixa muito a desejar.
  Meditem comigo.


  O que impede um negro de ascender financeiramente e por conseqüência socialmente?

  Ha décadas não temos escolas que proíbem a entrada de negros.


    “Em 1909 o sétimo Presidente do Brasil foi um negro de família bem pobre.
       Nilo Peçanha fez os estudos preliminares em sua cidade, no Colégio Pedro II.
       Estudou na Faculdade de Direito de São Paulo e depois na Faculdade do Recife, onde se formou.”

  Negros não são impedidos de abrir empresas, se não querem trabalhar para "brancos" ... que iniciem seu próprio negócio.


  Ser funcionário publico não é nenhum privilégio de brancos, concursos públicos são impessoais, estude e passe.


  Em outros países (como Estados Unidos) até a década de 1970 havia uma forte rejeição social quanto ao casamento entre "raças", mas nenhum impedimento legal.
  A mãe de Obama foi uma branca que casou com negro.

  Aqui no Brasil (desde que me conheço por gente) há um certo desconforto, mas raramente chega a rejeição.
  Estou/estive dentro desse furacão.
  Minha mãe é de família "branca", meu pai é de família "negra".
  Não vou negar que sentia o "desconforto" no ar.
  A família de meu pai não gostava muito da "branquela" e a família da minha mãe não gostava muito do "neguinho".
  No entanto era tipo: "O que não tem remédio, remediado esta."

  As duas famílias se adaptaram bem a situação.
  Como eu convivi muito mais com minha mãe que com meu pai ... por um tempo fui influenciado que muitas coisas eram fruto de racismo.
  Minha mãe acreditava que não recebia mais ajuda por parte da família do meu pai porque ela era branca.
  E não recebia mais ajuda por parte da família dela porque nós eramos filhos de negro.

  Entretanto, em pouco tempo a lógica falou mais alto, as teorias da minha mãe eram inconsistentes.
  Meu pai e mãe eram muito desajuizados em todos os sentidos.
  Tanto na família do meu pai como de minha mãe não tinha ninguém rico.
  O que meus pais queriam!?
  Quem minhas avós e tios pagassem todas as contas da família!?

   Meus tios negros tinham a própria família para cuidar ... os tios brancos também.

  Essa parte da meditação é forte, mas inevitável 😟

  Eu falo dos negros brasileiros a mesma coisa que falo dos "oprimidos" muçulmanos, ciganos e tantos outros povos.


FALTA AMOR POR SEUS FILHOS.

  Calma, não se irrite, me dê uma chance de expor minha teoria.

  Eu e minha esposa, sem deixarmos de viver nossas vidas, nos preocupamos muito com um bom futuro para nossas filhas.
  Como vim de uma família muito pobre claro que minhas chances de atingir uma classe média alta são reduzidas, mas posso passar para minhas filhas o bastão da classe média baixa, se elas tiverem juízo e disciplina financeira não terão grandes dificuldades de conseguirem o que eu não consegui.

  Se eu recrimino o fato de meu pai ter problemas com o álcool e minha mãe ter mais filhos do que conseguia sustentar ... porque vou reproduzir o mesmo modelo!?


      “É insanidade continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”
     [Albert Einstein]

   Não sei muito bem que tipo de amor paternal é esse de colocar crianças no mundo sem ter um lugar digno para morar ou condições de dar alimento.
   Depois a culpa é do  "Imperialismo Americano", Capitalismo, Estado, do Diabo ... do parente ou vizinho mais ajuizado!!

  Sei que azares na vida acontecem, você esta em uma situação aceitável e algo imponderável acontece, no entanto, em se tratando de paternidade, não é o que mais vemos.
  Meus pais casaram ferrados (minha mãe engravidou na adolescência) e mesmo ferrados continuaram tendo filhos.

  Claramente não nasci em uma situação que gostaria de nascer, mas se nada acontece sem que Deus queira então não posso culpar a parte da sociedade que planeja bem a vinda de um filho.

  Se você nasceu muito pobre e quer arrumar um culpado pela sua situação fale com Deus, com seu pai ou sua mãe.


  Considero insano que na hora de procurar um culpado pela miséria o cidadão isenta “deus” e pais de qualquer culpa.
  Deus é tudo de bom, os pais são santos.
  Sobra para quem?
  A maldita Sociedade, eu e você que somos cidadãos responsáveis.
  Nós que temos amor por nossas crianças a ponto de só traze-las ao mundo se nos achamos em condições de cria-las.


"Os inocentes pagando pelos pecadores."

  Os responsareis  pagando pelas falhas dos irresponsáveis.

    “Se alguém vem a mim e não odeia seu pai e sua mãe, não pode ser meu discípulo”.

  Calma, não vamos exagerar😆
  Mais eficiente que ficar criticando a "infantilidade" de nossos pais é nós não repetirmos a mesma infantilidade.


    “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua origem, ou sua religião.
  Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se elas aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar.”
[Nelson Mandela]

  Teorias como a do PC do B te ensinam a odiar o "sistema", o "homem branco", "empresas e empresários", "pais ajuizados" (família burguesa)

  Eu estive dentro do furacão, fui garoto negro e pobre. 

  Não encontrei motivos para odiar pessoas brancas a minha volta em nome de uma escravidão dos meus antepassados.
  Meus vizinhos brancos NÃO foram as pessoas que escravizaram meus bisavós.

  Fui instigado ao ódio, mas não vi argumentos lógicos para esse sentimento.

  Quanto mais estudei historia e tive contato com grandes pensadores menos ignorante eu fiquei, isso deveria ser bom ... mas só eu sei o quanto fui e sou desprezado.  

  Por vezes acho que minha vida seria mais "agradável" se eu fosse mais ignorante.
  Conhecer tanto virou meio que uma maldição, a ignorância seria uma benção.
  Mas eu sou o que sou aprendi a me aceitar.

  Para você pessoa pobre de qualquer cor ou crença...

  Tenha juízo, disciplina financeira e principalmente AMEM com mais QUALIDADE seus descendentes.
  Onde seus pais erraram se esforcem para acertar.

  Se seus pais são ajuizados e lhe proporcionam uma boa infância isso deve ser motivo de muita satisfação, um ótimo exemplo a seguir.
  Eu cuido bem da minha família, planejei minhas filhas, eu e minha esposa as amamos antes delas nascerem.
  
  Se você prefere continuar "criando" motivos para odiar ... só posso lamentar.
  

  

  Quem tiver ouvidos que escute.
  Quem tiver olhos que veja.
  Quem tiver boca que propague a verdade.

  Se preferes se manter na ignorância ou permanecer em silêncio diante da falta de bom senso ...

  "Não posso ensinar nada a ninguém, só posso fazê-lo pensar”
[Sócrates]




.