sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Homem Moderno


 “A manhã me socorreu com flores e aves, borboletas em bando..."
[Djavan]


  


  Em geral acordo bem antes do amanhecer.
  O celular me acorda ás 4:30. 
  Até ás 6 horas um texto tem que estar publicado ou revisado.
  O alarme toca outra vez é hora de me preparar para levar minhas filhas a escola.
  Meu celular tem vários alarmes programados, ele toca eu mudo de atividade, faço o que tenho que fazer.

  O que eu gostaria de fazer?

  A primeira coisa que me vem a mente é dispensar essa dezena de alarmes.
  Dormir sempre que me desse sono, "acordar acordando", as meditações me vem a qualquer momento, gostaria de escrever sempre que a "provocação" ocorresse.

  É bem raro eu estar em casa sozinho livre de qualquer compromisso.
  Quando isso ocorre desligo todos os alarmes, essa meditação ocorreu em um desses dias...
 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Já são 8 horas!
   A luz me lembra que lá fora há flores e aves, borboletas em bando, tenho que fazer a parte que me cabe.
  Qual a parte que me cabe?

  Como ser humano estou cansado do que meus irmãos de humanidade falam de mim, que eu desmato, destruo, que sou o grande mal do mundo.

  Não entendo porque um pássaro ou uma flor tem mais direito de existir que eu "homem moderno".
  Se até borboletas se reúnem em bando porque isto deveria ser negado a minha espécie?

  Até onde nossa ciência consegue enxergar, nós sapiens nunca fomos vegetarianos no entanto um homem das cavernas matando um antílope é admirável eu comendo boi sou desprezível!

  Os índios tal qual os gorilas demarcavam uma grande extensão de território (propriedade) e qualquer índio desconhecido era tido como invasor sujeito a ser sumariamente morto.
  Os índios se consideravam donos da terra, água e tudo que havia nela.

  



  Eu com muito trabalho tenho um pequeno apartamento, sou considerado o grande vilão da natureza, um maldito "homem moderno".

  Procriamos demais, já são milhões de pequenas casas e apartamentos que ocupam o lugar de muitas florestas, mas calma aí, eu tenho duas filhas e não pretendo ter mais, quando eu e minha esposa morrermos deixaremos 2 pessoas, saem dois entram dois, logo, se há humanos demais não posso ser responsabilizado por isso, eu NÃO.
  Em casa vivemos com uma certa fartura alimentícia, mas como a maioria das famílias fazemos de tudo para não desperdiçar alimentos, eletricidade ou água, afinal pagamos por todos esses itens.

  Sem mais rodeios...

  Se os pássaros não tivessem nenhum predador natural na Terra, dominariam o mundo, não observo que se preocupariam ou tomassem providencias caso este domínio provocasse o extermínio da espécie humana.


  Um urso com fome não hesitaria nem por um segundo em devorar um bebezinho humano de 2 anos.

  Nós humanos não temos predadores na natureza, mesmo os micro organismo são controlados satisfatoriamente.

  É fascinante que muitos de nós humanos decidamos preservar uma espécie como o urso pardo.
  Não precisamos deles para nada apenas não queremos que deixem de existir.

  Sei que outros filósofos demonizam a espécie humana, não eu.

  Se me pedissem para escolher o animal mais magnifico que já habitou esse planeta eu diria sem hesitar que é o homem moderno.

  Não é o "índio", não é o homem das cavernas, não é o leão ou a águia.

  Um animal que atingiu o poder de destruir todos os outros e mesmo assim preserva até os que não tem interesse...não pode ser assim tão mau.

  O que há pra falar, onde leva esta ladeira de ficarmos nos demonizando, há que triste Terra nos levará?

   Há muita “nobreza” em nós, busquemos o melhor da nossa espécie.

 Amém?

  





.