quarta-feira, 4 de julho de 2012

Two and a Half Men

  “Eu não minto para as mulheres, apenas protejo-as da verdade.” [Charlie Harper]


   Tem uma série de humor a qual gostei muito de acompanhar, “2 Homens e meio” [Two and a Half Men].

  Eu não recomendo, é uma série muito devassa, os temas não tem limites e isso fere o bom gosto, fere o “politicamente correto” de muitas pessoas.
  Fere meu gosto também, no entanto no meio de tanta baixaria há uma Filosofia de ótima qualidade, muito provocativa.
  Parei de assistir quando a Filosofia desapareceu e só sobrou a baixaria.

  Charlie é um daqueles caras que eu chamo de “escolhidos” as coisas dão certo para ele... nem ele sabe muito bem como, dá maneira dele só tem a agradecer a Deus.

  O irmão Alan vai morar com Charlie levando o filho de 10 anos Jake, isso dá título à série 2 homens e meio.
  Alan está vindo de um divórcio onde perdeu a casa para esposa e ainda tem que pagar pensão.
  Alan é o oposto de Charlie, ele é todo certinho [ou tenta ser], mas a vida lhe prega muitas peças.
  Charlie é um escolhido, Alan é uma “criatura”.

  Lembrei agora de um episódio que Alan depois de muito tempo conseguiu um encontro com uma mulher, conseguiu até ficar sozinho com ela na bela casa de Charlie, mais uma vez tudo deu errado para Alan.
  Acidentalmente Alan incendiou a casa de Charlie, tudo foi destruído, até o telhado, ele ficou lá sentado nos escombros, resumindo bem, o final foi mais ou menos assim:

Alan: Não entendo tinha tudo para dar certo, ser uma noite maravilhosa e tudo deu errado!

Charlie: Lembra da história de Jó? Deus se diverte com você.

Alan: Você acha mesmo! Porque Deus faria isto?

Charlie: Sei lá! Ele gosta de mim e se diverte com você o vento sopra a meu favor porque serei eu a questiona-lo?
   Como fez com Jó ele deve estar testando sua Fé.

Alan: Tudo isso acontece como um teste para minha Fé?

  Charlie faz sinal que sim e nisso uma linda prostituta chega e Charlie vai passar a noite com ela em um hotel.
  Charlie tem muito dinheiro, a casa que queimou era dele, mas estava no seguro, no final das contas ele não teria grande prejuízo.
  Alan, ali sentado medita sobre sua conversa com Charlie, pensa na história de Jó olha para o céu e diz:

“NÃO VOU PERDER MINHA FÉ!”

  Nisso começa a chover...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
  É engraçado, o que estava tão ruim ficou ainda pior, ri junto com Deus...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Eu discordo de Charlie a respeito do Alan, a história de Jó não cabe nele.
  Alan nunca esteve numa boa, sua vida sempre foi medíocre.
  Lembremos que Jó era um cara de muitas posses, passou um período sendo tentado e depois reconquistou em dobro tudo que tinha.

  O melhor da série é que ela não ficou só nesta linearidade do Alan se dando mal e o Charlie se dando bem.
  Apesar de Charlie estar na maioria das vezes em uma situação muito privilegiada, Alan também consegue viver bons momentos e Charlie quebra a cara algumas vezes, como na vida real nada dá sempre certo para os escolhidos assim como nem sempre tudo dá errado para as criaturas.
  Alan vive em boa parte das “migalhas” que caem da mesa de Charlie e a casa em Malibu é sem dúvida uma ótima migalha.

  Enfim, a série Filosoficamente é muito interessante para quem assiste desde o começo como se fosse uma novela.
  Os autores foram muito felizes na composição dos personagens e os atores são excelentes.
  Charlie Sheen parece interpretar ele mesmo na vida real, um bêbado, drogado e inconsequente que se dá muito bem na vida.
 [Ele chegou a ganhar 2 milhões de dólares por episódio, 6 milhões de reais]

  Na série Charlie inegavelmente foi muito legal recebendo Alan e o filho em sua casa, inclusive pagava todas as contas, Alan nem se preocupava em pagar aluguel.

  Porque destaquei isso?
  É surpreendente quando Alan em consulta a uma psicóloga “infantil” [um dia eu explico] deixa escapar que ODEIA Charlie...isso nos leva para o próximo texto.
   Clique no “Lado Escuro da Força” tentando ser dominante em Alan, a inveja mortal que nós criaturas geralmente desenvolvemos dos escolhidos.
  Inveja dos ricos e bem sucedidos.
  Como se preguntássemos a Deus ou ao Acaso “porque ele e não eu"!?        
  Conheça o Lado Escuro e depois, para o bem de todos nós, BUSQUE A LUZ.



Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário