sábado, 30 de março de 2013

Com quem andas?

  “Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és.
  Saiba eu com que te ocupas e saberei também no que poderás tornar-se.”  
[Johann Goethe]

  Procurar a Lógica nas situações e agir de maneira sensata acaba nos isolando um pouco [ou muito].
  Não deveria acontecer, mas acontece.

  Para amenizar o isolamento procuro ignorar a insensatez, olhar para outro lado e seguir o meu caminho.

  Exemplo:
  Você está andando na calçada e tem um daqueles "presentinhos" dos cães.
  O sensato seria aquele inconveniente não estar ali, outra coisa sensata a fazer seria corrigir o erro, eu mesmo recolher a sujeira e colocar no lixo.
  Na primeira situações eu não tenho controle.
  O cão pertence a alguém e esse alguém deveria ser responsável pelas ações de seu cão, mas não tenho como obrigar o proprietário a ter essa CONSCIÊNCIA.
  A segunda situação iria me prejudicar bastante.
  O que não falta é sujeira de cães nas calçadas, passaria boa parte do meu tempo praticando uma ação desagradável para reparar a falta de consciência dos outros.

  A atitude mais satisfatória é ficar atento para a insensatez, conseguir identifica-la de longe o suficiente para não tropeçar nela e me contaminar, fora isso olho para outro lado e sigo meu caminho.

  Saindo do simples e indo para o complexo...

  Naquela fase de ataques a policiais em SP verifiquei de longe uma grande insensatez.

  Na primeira vez eu estava em um supermercado e 3 policiais conversavam.
  Duas mulheres desviam seu caminho e eu pude ouvir o que comentaram.

  "Não vamos ficar perto dos policiais, se eles forem atacados algo pode acontecer conosco."

  Vi isso acontecer em outros lugares, me parece uma situação normal.
  Eu mesmo ao avistar um carro forte recolhendo ou descarregando dinheiro procuro ficar afastado.
  Primeiro porque sei da tensão dos rapazes, não quero atrapalhar o trabalho deles, realmente um homem do meu porte pode representar alguma ameaça.
  Segundo porque em uma ação rápida de bandidos eu posso ficar no fogo cruzado.
  Se eu atesto que querer ficar longe dos policiais é algo normal ... o que me incomoda então?

"Diz-me com quem andas e eu lhe direi quem és."

  Esse pensamento deixa muito a desejar, mas sem dúvida é muito provocativo.

  Não é por estar com um amigo alcoólatra que eu sou alcoólatra, não é por ter um amigo pastor que eu acredite que a Bíblia é 100% a palavra de Deus.
 Mesmo eu tendo um amigo alcoólatra dificilmente você irá me encontrar em um boteco ou bêbado porque eu não sou alcoólatra.
  Mesmo tendo amigo pastor raramente você irá me encontrar em uma igreja porque não sou religioso.

  E se eu estiver em companhia de marginais?

  Pessoas aparentemente boas e trabalhadoras ou jovens sem envolvimento com crimes constantemente são vítimas em chacinas por estarem em má companhia.

  “No chão de terra da Estrada Velha de Valéria, um corpo amanheceu, ontem, coberto por uma lona.
  A menos de 10 metros, outros quatro estavam amontoados e cobertos com sacos de aniagem.
  Os corpos tinham membros quebrados e queimaduras.
  Todos estavam com as mãos amarradas e tinham, cada um, cerca de 20 perfurações de bala.”

  Eu acho sensato se manter distante de uma situação que pode te trazer algum prejuízo.
  Manter uma certa distância de agentes de segurança em serviço é algo prudente.

  Mais sensato ainda é manter distância de pessoas que optaram por uma vida de crimes.

  É evidente que esse texto não se trata de transformar a vítima em culpada, a utilidade dele está em ser um ALERTA.
  Você jovem tem aquele querido amigo de infância, vocês viveram bons momentos, mas como acontece com todo mundo vocês foram crescendo e seu amigo fez opções que uma pessoa honesta e trabalhadora não faria.

 “A chacina teve início por volta da 1h de hoje, quando dois carros pretos, de placas não identificadas, chegaram à residência com os algozes.
  Armados, os bandidos arrombaram a porta da casa e entraram efetuando os disparos, matando Márcio Varela Henrique, de 33 anos, João Manoel Henrique Pereira, de 22 anos e Ranchiel Henrique Pereira, de 18 anos. A companheira dele, Laryssa Roberta de Oliveira, de 16 anos, estava grávida de dois meses e foi ferida na ação.
  Ela chegou a ser atendida no hospital de João Câmara, mas não resistiu e também morreu.” 

  Se você é íntimo do indivíduo é quase impossível não ficar sabendo as escolhas que ele está fazendo.
  Sei que as Redes Sociais estão cheias de mensagens idolatrando a “amizade verdadeira”, que amigo é aquele que está sempre do lado a qualquer hora, em qualquer situação, mas muito cuidado com essas “frases bonitas” a REALIDADE não liga para elas.

  Se seu amigo está fazendo opções muito diferente das suas, cada um caminha para um lado é natural que o distanciamento comesse a acontecer.
  Não complique as coisas forçando uma situação que deveria ficar em algum lugar do passado, não por sua vontade, mas porque a nova situação pode prejudicar sua vida.

  Se seu amigo se transformou naquele “presentinho de cães” do início do texto ... provavelmente o mais sensato a fazer é seguir com sua a vida adiante e se manter distante.

  Isso serve muito para as garotas, você se interessou por um rapaz é quase inevitável saber como ele ganha a vida.
  Vida de mulher de bandido na maioria das vezes acaba sendo muito sofrida.
  Pode ser emocionante quando você é jovem e sem muito compromisso, mas os filhos vem, as prisões vem, os acertos de conta vem, os pagamentos de propina vem, as mudanças repentinas de endereço vem.
  É o tipo de homem que ele pode largar você, mas você não pode largar dele.
  Para esse tipo de homem matar e torturar é fácil, faz parte da rotina dele.
  Mesmo que você desista da relação, se ele não quiser o fim você só sai morta.

  Você já sabe [Ou deveria saber] com quem anda, agora tem que se perguntar:

  Com quem quer andar?

“Decifra-me ou te Devoro!”




  Recentemente um colega me contou dramas de sua vida, dramas familiares, profissionais, financeiros, relacionamentos afetivos.
  Ele creditou tudo as más companhias desde de a adolescência que o levaram entre outras coisas ao alcoolismo.
  Eu ouvi com atenção, senti que ele precisava daquele desabafo.
  Mas a coisa complicou quando ele me perguntou se amizades também prejudicaram minha vida.
  Não gosto de mentir, disse algo mais ou menos assim:

  Desde a adolescência minha vida foi estudo e trabalho, minhas amizades foram com pessoas trabalhadoras e/ou estudiosas.
  Colegas que praticavam crimes, usavam drogas ou bebiam muito foram ficando em outro mundo.
  Veja esse caso, você é meu colega porque está trabalhando, está sóbrio.
  Dificilmente nos conheceríamos em algum boteco porque EU não frequento botecos.

  Meu colega entendeu que ELE fez escolhas erradas, que bom que agora estava fazendo as certas.
  A vida coloca centenas de pessoas em nosso caminho, você escolhe de quem vai ser mais próximo.

  Se você gosta de encher a cara de bebida ou seguir uma “carreira” de cocaína ... escolhe com quem quer andar.

anterior                       COMENTAR                            próximo

Postar um comentário