quarta-feira, 20 de março de 2013

Morte aos Ricos!

  “Você que odeia a classe média, Capitalismo, ricos, empresários, agronegócio ... é extremamente INVEJOSO.”
[William Robson]   
 



   “Neymar é religioso, mas não praticante.
  Não frequenta mais os cultos no bairro do Catiapoã, em São Vicente.
   O pai, muito menos.
  A mãe é quem costuma ir.
  Ela sempre insistiu para que o astro do Santos pagasse o dízimo: 10% do valor do salário.
  Se for calculado apenas pelos vencimentos que recebe do clube, seriam R$ 50 mil mensais.”


  Todos nós conhecemos pessoas extremamente limitadas.
  Sabemos que elas são limitadas porque as comparamos com pessoas espertas que aprendem rápido.
  Não conheço a irmã de Neymar, não sei se é limitada ou esperta, até onde sei é uma garota normal.
  Se o pai visse na filha um talento fabuloso para algum esporte, arte ou aptidão cientifica de certo investiria nela tanto quanto investiu na aptidão para o futebol de Neymar.

  Não há problema em ser “normal” no sentido de não ter nenhum talento excepcional.

  A maioria de nós é assim.
  Eu gostaria de ter nascido com uma voz maravilhosa, ser um excelente cantor, não nasci, fazer o quê...

  Já pensaram se o pai do Neymar “socialisticamente” decidisse que um filho só pudesse ter o que o outro tivesse também?

  Na infância seria relativamente fácil, só comprar bicicleta para um se puder comprar bicicleta para o outro também.
  Só levar a Disney um se puder levar o outro também.
  Se der um grande ovo de páscoa para um tem que dar para o outro também.
  Se um não vai ao cinema o outro não vai também.
  Se a Rafaela não joga bem futebol o Neymar não pode jogar também...
  Êeepa!
  Agora você não gostou da ideia, o pensamento vinha “linearmente” satisfatório, mas algo o fez mudar para 3D e olhando vários ângulos você já não está tão satisfeito com os desdobramentos.

  O Neymar nasceu com talento para o futebol e não faz sentido limitarmos seu progresso ao progresso da sua irmã.

  Não limitando seu progresso, ele desenvolvendo seu talento, consegue ganhar muito dinheiro, pode ter um iate caro a irmã não.

  Devemos amaldiçoar Neymar porque ele pode comprar um maravilhoso iate e a maioria de nós não?



  Uma coisa interessante para esse texto ser útil é que embora a Rafaela não tenha um grande talento para alguma coisa ela pode ter uma qualidade de vida acima da média graças ao talento do irmão, fica evidente que o fato de ter um irmão talentoso A BENEFICIA.

  Você incentivaria a Rafaela a ter muita inveja, querer ter pelo menos metade de tudo que o irmão tem e se isso não acontecer que o irmão seja preso, morto tenha seus bens confiscados para ser distribuídos aos menos “talentosos”, você daria esse conselho a Rafaela?

  Acredito que a maioria de nós aconselharia Rafaela a aceitar o sucesso do irmão.

  Tá bom ela também poderia ter nascido com algum super talento, mas não nasceu.
  Reclame para Deus ou o Acaso.
  Se Neymar tivesse nascido “normal” provavelmente não ficaria milionário ... não sei em que a situação da Rafaela ficaria melhor.

  O conselho que NÃO daríamos a Rafaela é o que muitos seguem ideologicamente.
  Preferem ser consumidos pela inveja e/ou ter um Estado/Governo que impeça que alguém usufrua do próprio talento.
  Ninguém pode ter mais que outro não importas o motivo.
  Somos todos irmãos e tudo dever ser dividido “igualitariamente”.


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Sempre que falam mal de Bill Gattes e da Microsoft eu corro em defesa.

  Gattes teve talento para desenvolver uma grande empresa que beneficiou a todos, democratizou muito o uso do computador, todos nos beneficiamos.

  Gattes tem uma enorme fortuna e merece cada centavo, ele não tirou essa riqueza de alguém ele CRIOU RIQUEZA.

  Se você tem algum talento invista nele, crie sua riqueza, se não conseguir...paciência!

  Ficar alimentando inveja e querendo a destruição de quem foi bem sucedido é um péssimo caminho, um caminho socialmente destrutivo.

   Colocamos no poder pessoas que promovam uma questionável ... “justiça social.”

 “O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, aprovou a expropriação imediata de uma área de 15 mil hectares no Estado de Zulia para uma comunidade indígena da etnia yukpa, que vive na região da fronteira com a Colômbia.
  Chávez ordenou ainda a criação de um novo programa social para ampliar o "socialismo indígena venezuelano".
 [Estadão]

  “Chávez anunciou a expropriação de uma outra fazenda de 2.237 hectares no município Simón Planas, 700 quilómetros a oeste de Caracas.
  A Smurfit Kappa Cartón de Venezuela S.A. opera no país desde 1954, onde possui mais de 10 fábricas de papel.”
 [Globo]

  Ricos, empresários, proprietários de terras, homens talentosos da Venezuela que se destacaram são o grande mal da nação?
  Muitos governantes se elegem pregando isso e não falta invejosos pobres defendendo que ele está certo.

  Por favor! Não vão na direção contraria de idolatrar ricos.
  “HOJE” estamos flutuando pelo plano de pensamento onde limitar o progresso de alguém talentoso não traz nada de bom para a sociedade.
  No caso da Venezuela se a empresa de papel estivesse cometendo alguma irregularidade o Governo tem obrigação de intervir, mas expropriar as terras da empresa em nome de uma justiça social...a história recente da humanidade diz que isso traz votos rápidos, de certo todos os índios atendidos votaram no Chávez, mas para a economia da região podemos dizer CIENTIFICAMENTE que foi uma roubada.
 
  No Brasil não temos uma figura central/poderosa como Hugo Chávez promovendo o socialismo.
  Lula não teve o mesmo “sucesso” de Chávez em “fanatizar ideologicamente” boa parte da população.

  No entanto aqui os partidos de esquerda predominam.

  Mesmo quando as pessoas não são filiadas a algum partido de esquerda não perdem a oportunidade de promover a intervenção máxima do Estado para aplicar o que eles chamam de “resgate histórico” ou “justiça social”.

  Nosso Supremo Tribunal Federal está dominado por “ótimas intenções esquerdistas”.
  Veja mais esse fato empírico/cientifico:

RAPOSA SERRA DO SOL

  “Os miseráveis que o STF criou com a antropologia poética de Ayres Britto.
  Não foi falta de aviso!
  Sem a economia capitalista que já havia se instalado lá, a miséria seria certa.
  Ayres Britto tinha um modelo de índio na cabeça e o impôs legalmente. 
  Não custa lembrar que os agricultores ocupavam MENOS DE 1% DA RESERVA, mas empregavam farta mão-de-obra indígena.”




  Você que odeia a classe média, Capitalismo, ricos, empresários, agronegócio ... é extremamente INVEJOSO.   





anterior                       COMENTAR                              próximo

Postar um comentário