sábado, 1 de dezembro de 2012

A Farsa da Redução do IPI

  “Eu queria fazer um anúncio para vocês antes de encerrar. Eu hoje vim aqui também anunciar que nós vamos prorrogar a redução do IPI até 31 de dezembro de 2012”
____________________________________________________
  Há pouco tempo fui escrever um texto sobre o peso dos impostos nos carros e tive uma desagradável surpresa.
____________________________________________________

  Sim, os impostos encarecem demais os carros como tudo o mais aqui no Brasil, mas mesmo descontando os impostos pagamos mais caro pelos carros que muitos outros povos.

  “Segundo estudo da consultoria Roland Berger, o brasileiro vai gastar ao menos 37,6% a mais que o indiano para comprar e manter o mesmo carro médio durante cinco anos. Em todos os demais países pesquisados essa diferença é ainda maior.”  [Exame]



  Analisando do ponto de vista do Capitalismo não seria um pecado grave, poderia ser uma “estratégia”.
  Permitirmos uma maior lucratividade para as Montadoras atraindo suas plantas para nosso país, fabricas de automóveis atraem bastante investimento e geram bons empregos.
  Acontece que a diferença de preço é muito grande.
  Caraca! Onde está o Governo que não defende os interesses do povo Brasileiro!?
  Em situações como essa precisamos da atuação do Governo, não temos enquanto consumidores como evitar que as montadoras combinem entre si o alto preço dos automóveis.
  Minha mente entra em espiral porque verifiquei todas as variáveis e não vejo sentido é muita incompetência administrativa até para petistas.

  O Governo não reduz os impostos nos combustíveis cujo setor (Petrobrás) está no limite do endividamento, mas reduz os impostos no setor automobilístico que tem gordura para queimar!

  Alguém consegue me explicar?
  Mesmo para o Governo não faz nenhum sentido, não vejo que vantagem pode ter.
  A não ser que as montadoras estejam de posse de provas incriminadoras contra alguém e ocorre uma chantagem ou algum esquema de corrupção muito cabuloso.

  Me desculpem, só sobraram teorias conspiratórias, mas em que aposto mesmo é INCOMPETÊNCIA E BURRICE.

  "A carga é onerosa para o consumidor, mas as perspectivas de redução fiscal permanente são remotas.
  "A quantidade de dinheiro recolhida da indústria automotiva é muito favorável ao governo e por isso não há interesse algum em mudar as regras do jogo", ressalta André Belchior Torres, consultor automotivo.
  Só em 2009, foram gerados 28,1 bilhões de reais em impostos. "E mesmo com uma contribuição fiscal tão pesada, o mercado está mais aquecido do que nunca."  [Exame]

  Sei, sei, você vai dizer que o Governo ganha muito com as Montadoras, mas com qual setor da Industria e Comércio o Governo não ganha muito?
  Essa farsa da redução do IPI é muita sacanagem.
  No meu cotidiano eu não falo palavrões, mas nesse discurso da Dilma me dá vontade de mandar ela para a “PQP”.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O quadro fica mais dantesco porque com a FARSA das benesses e indução ao consumo a frota aumentou bastante.

  Frota maior consumo de petróleo maior [aqui tem uma falha de estrutura, mas acho que ninguém irá perceber].
  Me parece que nosso Governo quer apagar fogo com gasolina.
  De um lado torna ineficiente a produção de petróleo do outro lado estimula o consumo.
  Onde poderemos reclamar do preço abusivo das montadoras?
  Na ONU?
  E agora, quem poderá nos defender?



  "No México do Chapolin Colorado, por exemplo, o Novo Gol 1.6 sai por 128.045 pesos - ou "modestos" 18.105 reais. No Brasil, o carro deixa as concessionárias valendo quase o dobro: 34.500 reais."



Anterior          <>        Próximo 

34 comentários:

William Robson disse...

“Li ao primeiro "Flash Back",bem na data em que começo a suspeitar que estou com a desagradável doença LER.
E que vou precisar usar aquelas borrachas protetoras dos pulsos, por longo período.” [Nihil]
============================
Acho que tínhamos feito um tipo de aposta onde eu dizia que suas orações budistas não serviam para nada e você disse que se no prazo de um ano elas não dessem bom resultados você viraria agnóstica. [ou algo próximo disso]

2012 esta terminando e não me lembro de você ter relatado nenhum acontecimento muito bom.
Minha memória não é muito boa, mas eu dizia que seu desanimo em realizar os rituais budistas completamente era devido a falta de bons resultados o que tornava os rituais agradáveis sensorialmente mas uma perda de tempo objetivamente.

Da minha parte sem orações e rituais o mais desagradável esse ano foi o roubo no meu apartamento, mas fora isso foi um ano muito bom.
O roubo foi de alguns equipamentos, não foi um rapa geral como o que acontece com muitas pessoas ou assalto a mão armada que é bem pior.
O estresse gerado pelo acontecimento não chega nem perto de outros estresses que tive em anos passados.

Se deslocar até o templo budista, ficar recitando mantras, ficar em posições desconfortáveis...para resultados tão discretos... se fosse você repensaria muitas coisas em 2013.

Sei que você irá recorrer ao ESCAPISMO de que “sente” que poderia ter sido bem pior sem as orações, não tenho nada a dizer a não ser:

“O que pode a razão diante da emoção?”

Bem pouco, mas não posso desistir de tentar.

revista realidade 119 disse...

Bom dia ao sr.

Mesmo sem ter lido a todos os sublinks,hum...

...suponhamos que o governo precisa dos impostos do setor automobilístico,para cobrir gastos fúteis.
Tem algumas coisas que ele anda fazendo afinal,que estão resultando em prejuízos,ou que vão dar prejuízos.

Imaginando uma "teoria conspiratória"- esse seria um meio de brecar o consumo,para tentar controlar a inflação.
Se o governo não pode impor ao fome ao povo,por ex,para que nem os alimentos sejam comprados,ele deseja impedir aos pobres,a compra de carros.
Talvez,eu esteja só maluca,espero que sim.

Vou tentar contar onde está a "falha de estrutura" naquela frase do sr.
Como a frota de veículos pode aumentar tanto,se existe ameaça de faltar petróleo?
Era isso?
(li os sublinks do texto anterior,de madrugada)
Aliás,sob meu ponto de vista,o governo não está tentando incentivar o consumo de veículos,muito pelo contrário.(expressei isso no presente texto)

O "incentivo" ao consumo,é uma falsidade.
Ele realmente não quer que os pobres comprem veículos.
As montadoras,mesmo se não venderem muito,talvez irão continuar lucrando,devido aos altos preços.
É isso.

tripitaka 779 disse...

réplica ao comentário feito pelo sr.
°
°
Os anos anteriores foram melhores para mim,do que o atual.
Mesmo 2.010, o "período perdido",foi mais produtivo,apesar das falhas sérias de memória que então eu tive.

Mas,em comparação com tempos remotos,esse ano até que está sendo legal.
Em comparação com períodos recentes,porém,está sendo um "lugar morto".
Isso se deve à minha preguiça de orar,e de praticar os rituais.
Muito antigamente,eu era mais diligente nessa parte.

Tentarei não dar um viés religioso a isso.
Estou certa de que as coisas irão melhorar,e que eu irei permanecer budista.
O prazo para mim,não era um ano,mas era dez anos.
Acho que eu disse um ano,por confusão.

Considerarei o seguinte,

_tive uma conduta meio passiva em 2.009,2.010,e mesmo,em 2.011, porque eu estava tentando aproveitar a vida ao máximo,pois eu previa um período "mais escuro" para depois.(está sendo esse)
Não foi uma "clarividência".
Haviam motivos concretos para tal projeção.(sem comentários)
Todavia,as coisas estão sendo menos ruins do que eu estava pensando.

Em resumo,minha história atual,era "algo que estava incubado",assim como por ex,a falência daquela empresa onde vcs trabalharam,em Campinas(ou Indaiatuba) era previsível.
E como eu "já sabia de alguma coisa",vou apelando para a "virtude desesperada" da paciência,na certeza de que até meados do ano que vêm,as coisas irão mudar de direção.
Como sei disso?
Estou "plantando para colher".

Outrossim,dores físicas para mim,nunca foram uma novidade.
Tem um fitoterápico de cérebro que vou parar de tomar,porque ele pode influenciar o aparecimento da doença da osteopenia.
Fiquei meses ingerindo-o,para manter minha competência acentuada,porque meu lar precisou disso,ultimamente.
Agora,estou sofrendo a consequência.
Mas,isso é reversível.
Só parar com o remédio,por uns meses.
(ninguém agora precisa mais de mim tanto assim,enquanto "mulher maravilha")
Se eu parar com ele,não irei também tomar outros receitados por médicos,para diminuir dores específicas.
Elas irão sumir,naturalmente.

Desculpe,acho que ando trazendo preocupações ao blog.
Preciso começar a relatar também,os bons acontecimentos que existem em minha rotina.
Isso eu tentarei fazer na série "Sotonenses",ou na "Tripitaka".

Um abração no sr.,coitado do sr.,sr.William,fico "esquentando" sua cabeça...

tripitaka 780 disse...

Ontem mesmo,encerrei um pequeno ritual(um mini-ritual de quatro dias,em português mesmo)- e pedi à divindade para "tomar conta" da minha vida- nas prolongadas fases em que eu não rezar.
Disse a ela que não gosto de rezar,pois preces me geram ansiedade.
Nesse pequeno período,contei os problemas das últimas semanas.

Vou seguindo pelos tempos atuais,embalada pelas boas lembranças que tenho de 2.009,2.010 e 2.011.(2.004 e 2.008 idem foram anos meio ruinzinhos para mim)
Não vivemos só de embalos,todo o tempo.
Daqui a pouco, "o engarrafamento de trânsito" irá passar.
Como já aconteceu outras vezes,para mim,e para tantos.

sotonenses 9 disse...

Em menina,mamãe dizia que,apesar do meu silêncio,e da minha dignidade bizarra(nunca reclamava das coisas)- achava que algum dia eu ficaria "que nem" a vó Joana,que era um tanto estressada.(vó paterna)
Ela sofria de reumatismo,entre outros "ismos" da idade,e esbravejava contra isso.(hoje eu sei que ela tinha razão.
No lugar dela,eu teria virado era uma incendiária...rs)
"Pai-pitaco" idem costuma ter fortes dores esporádicas,causadas por uma doença neurológica,mas costuma fazer hidroginástica,vez por outra.

Mamãe contudo,estava errada.
Eu fiquei parecida mesmo,na minha adultez,com aquele tio que eu admirava,que morreu cedo,e que deixou uma descendência prolífica.
A conduta das pessoas dificilmente muda.
Minha "dignidade bizarra" daquele tempo,é a mesma de agora.

Fiz três visitas ao tio de quem estou falando,e pelo pouco que lembro dele,ele era "quem eu sou hoje",também,no modo de falar.

Outro dia,mamãe apreciava um cartão de visitas da oficina que ele teve,misto de funilaria,com oficina de artesanato,onde ele trabalhava demais para sustentar a família.
Desejei ganhar o cartão,mas ela foi logo dizendo:

"_Tira a patinha(a mão) daí,porque esse cartão irá permanecer nos meus guardados.
Ele(o personagem) ser seu tio,mas também é meu irmão."
Demos umas boas risadas,ficamos nostálgicas.

Talvez,o problema do tio Ângelo,que o levou tão cedo do mundo(era pouco mais velho do que eu sou agora) foi o fato de haver trabalhado demais.(ele ficava acordado dia e noite...)

turbilhão 1.198 disse...

(comportamento)

Fazia tempo que eu queria escrever uma crônica sobre a psicologia dos bichos.
Há pouco,fui abrir a casa,e deixei portão para o sótão idem aberto.
O gatinho Pitaco não veio para cá.
Entendi em seguida o motivo.
A comida dele estava dentro da outra casa...oh dó...(agora,ele está tomando o lanchinho dele,no salão embaixo daqui)

Ia pela rua ontem,para o posto de saúde.
Um cachorro mansinho que só vendo(dá para fazer amizade com ele,quando o vemos passeando),ao entrar em sua casa,ficou muito "macho-chô".
Quando me viu,iniciou uma latideira doida.
Tipo "amigos amigos,mas aqui ninguém entra."(hahaha!)

Uns anos atrás,tive uma cadela boazinha,mas muito estabanada,e engraçada.
Fêmeas são ainda mais barulhentas do que os machos,e por isso,muitas vezes,ela ficava presa,para não ver o movimento da rua,que a estressava.
Uma pipa voando no céu,a deixava meio maluquete.

Um dia,veio uma visita em casa,e na verdade,era do cunhado do meu irmão(então era um menino),que gostava muito de cachorros.
Sem nenhum medo,ele foi brincar com a "menina de rabo".
Ela ficou bem pouco à vontade,e chorava parte do tempo.

Logo identifiquei qual era o problema.
Mandei o garoto sair do espaço destinado a ela,e fechei o portão.
Ela,então,no maior desembaraço,ficou em pé,e começou a latir bem brava,para ele.

"_Então era isso!
Ela queria que vc saísse,para poder ficar brava,e demonstrar que quem manda "no pedaço" é ela!...

Será que existem pessoas que são assim?
Tipo "sou uma criatura bondosa,mas disfarça,que eu tenho que manter minha fama de "mau".

Acho que quem era desse jeito,era o professor Andros.

(escrevi esse texto para alegrar o "clima" do sábado.
Daqui a pouco,irei sair daqui,para voltar mais tarde.)

que falha... disse...

O garoto de quem falei não é cunhado do meu irmão(menos jovem)-na verdade,é enteado dele.
Atualmente,é quase um adulto,e tem seu lar,seus filhos,e seus bichos de estimação.

encantadora 59 disse...

lisiantos rosáceos.

Tenham um ótimo sábado.

William Robson disse...

“Ela tentou se matar 33 vezes e hoje lidera campanha contra o suicídio” [Daniel]
============================
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHA!

Uma pessoa que tenta se matar 33 vezes e não consegue... não deve ser levada a sério.
A vez que ela perdeu a perna deve ter escorregado, calculado mal o seu teatrinho.
De qualquer forma, espero que na 34ª ela tenha sucesso... HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!


]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]][[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[
William 2013, Arrogante e Prepotente+

William Robson disse...

Sensualidade acima dos 100 Quilos
===========================
Perdoai Pai, eu não devia ter olhado.
Tira da minha mente esta curiosidade que não me pertence e apague o ultimo minuto da minha memória.

AMÉM!

William Robson disse...

“Vou tentar contar onde está a "falha de estrutura" naquela frase do sr.
Como a frota de veículos pode aumentar tanto,se existe ameaça de faltar petróleo?” [Nihil]
============================
Uma frota nova é mais econômica e menos poluente, mas como o volume de carros aumentou bastante uma coisa anula a outra. [ Talvez até supere]
A estrutura esta linear e o Blog privilegia o pensamento 3D.
Falha corrigida e curiosidade satisfeita.

William Robson disse...

O "incentivo" ao consumo,é uma falsidade.
Ele realmente não quer que os pobres comprem veículos.
As montadoras,mesmo se não venderem muito,talvez irão continuar lucrando,devido aos altos preços. [Nihil]
===========================
Você não tem uma visão holistica das coisas isso dificulta seu entendimento.

O brasileiro tem a cultura do crediário, se a mensalidade cabe em seu bolso [ou ele acha que cabe] ele compra o bem sem se importar com o preço final.
Poucos brasileiros compram carros a vista, o Governo sabe disso, quem conhece nossa cultura sabe disso...

Não dá para colocar todos esses detalhes no texto cada vez que eu escrevo senão os textos virariam livros.

William Robson disse...

“Um abração no sr.,coitado do sr.,sr.William,fico "esquentando" sua cabeça...” [Nihil]
===========================
Você e o Daniel são tão dramáticos.

Vocês escrevem algo eu comento, simples assim.

Para o Daniel se eu comento estou revoltado.
Para você se eu comento estou preocupado, doente ou estressado.

Vocês se sentiriam melhor se eu permanecesse em silêncio, apenas postasse o texto?

Não precisa nem responder, não irá fazer a menor diferença...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAAH!

emaranhado 147 disse...

Bah,sr.William! (hahaha!)

Vim "flagrar" o blog por uns minutos.
Já li seus comentários.

Replicarei ao último.
Por favor,continue comentando meus textos,sempre que desejar.
Em parte,é para isso que costumo entrar aqui.
Desejo mesmo "feedback",você é o meu melhor interlocutor atual(ou eu nem ficaria aqui)

Talvez eu não precisava "te dar essa ordem".
Menos mal,sr.William.
Menos mal.(hehehe!)

Boa notícia,

-estou sem dores físicas.
Minha disciplina com o gelol,"me salvou".
(parodio nesse momento,a história do "sua fé te salvou".
(se bem que eu também orei...)

Daniel disse...


Empresa britânica faz combustível a partir de ar e água

http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/10/empresa-britanica-faz-combustivel-a-partir-de-ar-e-agua.html

Daniel disse...


Empresa britânica faz combustível a partir de ar e água

http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/10/empresa-britanica-faz-combustivel-a-partir-de-ar-e-agua.html

Daniel disse...

WILLIAM - "Você e o Daniel são tão dramáticos.
Vocês escrevem algo eu comento, simples assim.
Para o Daniel se eu comento estou revoltado.
Para você se eu comento estou preocupado, doente ou estressado.
Vocês se sentiriam melhor se eu permanecesse em silêncio, apenas postasse o texto?"


Errado. Para mim também o senhor parece meio combalido
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deveria fazer como o seu madruga: quando muitos falam é porque pode ser verdade!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Daniel disse...

Eu gostaria de fazer uma pergunta para a Nihil.
Desculpe por eu ser deselegante fazendo esta pergunta. Mas ainda quando voce dissertava no terra, eu lembro que teve um período que voce vivia se despedindo. Pergunta. Voce por acaso pressuponha o que te aconteceria?

William Robson disse...

“Deveria fazer como o seu madruga: quando muitos falam é porque pode ser verdade!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk “ [Daniel]
===========================
Tudo bem!

William 2013, revoltado, estressado, doente, preocupado, arrogante e Prepotente+

Pulando essa etapa talvez as pessoas prestem mais atenção na Filosofia.

É até legal isso, já li muitas biografias de gênios e muitos são percebidos assim, será que sou um gênio?

Lembrei de uma frase que “talvez” Mozart tenha dito.

“Não esperem que eu desça ao nível de vocês, subam ao meu.”

Mais arrogante e prepotente impossível, mas no caso de Mozart ele tinha razão, o cara era bom.
No meu caso é uma piada, 2013 pode ser um ano engraçado com textos bem interessantes...

entropia 99 disse...

Boa noite a vcs.

Hã...essa é para o último comentário do sr.William.

O sr.até demorou para fazer "um "joão-bobo" de si mesmo.
Tempos atrás,para economizar os "elogios" das outras pessoas a mim,eu costumava me assinar Malú,ou "Mala+uquete".
Quando meus leitores deixaram de duvidar da minha "sanidade",aí voltei a ser Nihil.

Mas,seu pseudônimo ficou bem comprido,hem... (kkkkkkkkkk...)

emaranhado 148 disse...

réplica ao Denytus,

Não,quando eu passei um tempo "me despedindo" do gd,mas sem conseguir sair de lá,era porque eu estava apenas saturada da sala.
Todavia,mesmo nesse período,eu previa que eu viveria um ano como esse,mas minha atitude não tinha a ver com tal previsão.

Antes de ficar esse período,"inativa"- me preparei para o mesmo.
Até arrumei uma banda larga para mim.
Se tivesse esperado sair do serviço,para depois arrumar uma,ia ser um "deus nos ajude".
Felizmente,tomei essa providência ainda no ano passado,e ela até me salvou do ano sem acesso à internet que eu poderia ter tido,pois eu só podia trabalhar através do computador de outras pessoas.
Ou seja,era fazer o que eu precisava,e sair bem depressa.
Por isso,costumava deixar o notebook numa gaveta,para utilizá-lo.
E em casa,eu usava outro.

revista realidade 120 disse...

Desejo agradecer as duas réplicas do sr.William para mim,sobre o texto principal.
Na verdade,não me falta "visão holística".
Ando mesmo meio desinformada.
Se eu ainda ouvisse o jornal Gente da Band,eu seria mais esperta.(kkk...)
O Poli tem razão.(o Poli é um personagem que irá aparecer com alguma frequência na série "Sotonenses".
É meu irmão menos novo)
Ando precisando atualizar as leituras.
E ando tentando pensar numa data para fazer isso.

Daniel disse...

Este é o espírito. Precisa-se fazer boas previsões sobre tudo para assim termos verdadeira satisfação em viver buscando sempre pelo bem e pelo que é necessário para se ter paz. Ninguém ousa dizer o que é necessário mas no entanto todos sabemos do que precisamos para sermos felizes. E o melhor de tudo é que não precisa ser magnânimo para além do pensamento para aquirir esta felicidade, precisa ter respeito pelo próximo. Ao menos.

Daniel disse...

adquirir*

turbilhão 1.199 disse...

Porque o sr.William leu a história da moça que tentou se matar trinta e três vezes,eu li também.

Sem comentários,por enquanto.
(trinta e três?
Acho que isso é mitificação...)
Não duvido que alguns acontecimentos ruins,realmente a deixaram psicótica.

Terapia da Lógica disse...

"E o melhor de tudo é que não precisa ser magnânimo para além do pensamento para aquirir esta felicidade, precisa ter respeito pelo próximo. Ao menos." [Daniel]
=========================
Amanhã escreverei sobre felicidade.
Segundo a Bíblia Jesus respeitava o próximo e era magnânimo.
Não podemos dizer que ele foi feliz, teve momentos de muita irritação, tristeza e os momentos que antecederam sua morte foram bastante trágicos.
Nem Jesus foi feliz, não conheço nenhuma passagem que ele disse ser.

sotonenses 10 disse...

Um pouco depois dos sonhos lúcidos que eu tive com uma paisagem maravilhosa que então,eu ainda não sabia que ficava num país chamado Grécia(era um bebê),a televisão de casa,foi comprada.
Em preto e branco,da Telefunken.
O primeiro programa que vi nela veiculado,foi a chegada do homem à Lua.
Um astronauta fincou a bandeira tremulante em terra.

No berço,o irmãozinho Poli chorava.

Eu não conseguiria me interessar muito por desenhos animados,nem por novelas.
Era muito ativa,e um pouco desatenta.
A televisão só "me pegou de verdade" a partir da idade escolar,e a primeira novela que eu assisti do começo ao fim,foi "Anjo Mau",a história da baby-sitter que cisma com o patrão,e consegue conquistá-lo.
Gostei muito daquela personagem tão politicamente incorreta,quanto minha avó Joana.

sotonenses 11 disse...

(toda amor)

Meu cachorro Bidu havia fugido de casa,tempos antes,atraído pelo agrado de uns meninos que moravam na rua de trás,e que seriam meus futuros colegas de classe.
Apareceu,para ficar no lugar dele,uma cadela prenha,que se matronizou no nosso quintal,dentro de um latão de gasolina.
Não podíamos chegar perto da sua renca de filhos.
Ela ficava brava,nos ameaçava,mas nós admirávamos tanta dedicação da parte dela à prole.
Com o tempo,foi ficando mais sociável.

Todavia,como uma boa família disciplinada,os filhotes tinham hora para "voltar para casa".
Acreditem se quiserem.
Quando escurecia,ela começava a ganir,e eles se encaminhavam todos ao latão.
De manhã,a renquinha saía,e então eles brincavam conosco.

Depois de uns meses,mamãe começou a dar os filhotes,para todos os que queriam cachorros.
Morávamos numa área rural,isso era fácil de resolver,pois muitos queriam cachorros para vigiar suas chácaras.
Mas,até hoje é difícil esquecer a tristeza da mãe deles.
Cada vez que um ia embora,ela chorava a noite inteira.
Eu pensava algo como "esse mundo não é justo".
Ela precisou se acostumar,e tudo era para o bem "da família dela".
Depois de um tempo,ela,que havia ficado famosa por ser uma boa cuidadora,acabou também sendo dada para o dono de um sítio.

Depois disso,os gatos voltaram a passear em nossa casa.
Eu prendia todos os que chegavam ali,num quarto que vinha sendo usado como aposento para estudos,e para serviços de costura.
Arrumava caixa para eles,comida,água,fazia-lhes carinhos.

De madrugada,mamãe abria a janela.
E os felinos sumiam.
Afinal,estavam só de passagem.
Sabem como é,gatos de regiões provincianas,saem a passear,e andam em tudo quanto é casa.
Os bichinhos que passavam pelo nosso quintal,já tinham outros donos.
Então,eu nunca ficava com nenhum gato.
Esses seres divertidos,e ranhetas,começaram a fazer parte da nossa família,quando eu já era uma pré-adolescente,e mamãe ganhou um filhote.
As criaturas,quando são cuidadas desde a infância,acabam ficando mais leais,e permanecem nas famílias.
Esse filhote era uma fêmea,que formou sua família também.
Essa "família" de longos bigodes,acabou sendo dada aos outros,pouco antes da nossa mudança para a área urbana,em 1.982.
O cachorro atual,ao qual chamarei de Epaminondas(que morreu em 1.989) veio no carro.
Na nova casa,ele continuou seus hábitos éticos de sempre.
Se queria fazer uma "sujeirinha",chorava para sair,e para ir até um poste.
Depois,voltava,e ficava em pé no portão.
Um passante da rua,vinha,e tocava a campainha.
Nem ficávamos sabendo quem era.
Logo,púnhamos o Epaminondas dentro de casa,e ele fazia festa.

Terapia da Lógica disse...


Eu entendo!

Boa noite a todos!

PASSEANDO

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Tenho uma pergunta para o William.
Voce se lembra de algum tempo no passado que voce teve que pagar alguma promessa feita ou por voce ou por teus pais?
E qual a opinião que voce tem disso?

revista realidade 121 disse...

(texto principal)

Depois de ler todos os sublinks,confirmei uma teoria.
As montadoras de automóvel ganham mais na venda de poucos veículos,por preços altos,do que de muitos veículos,por preços menores.
Os abusos permanecem,pois afinal nós otários compramos os carros.

Aqui,eu comentarei mais uma vez,um texto seu dos últimos dias,sobre a vantagem da "filosofia usada de uma forma particular".
Eu disse que isso é muito comum,que nós brasileiros somos heróis nessa parte.
Mas,que embora tenha sua vantagem,praticada em excesso,cria um "mundo surreal",em que todos tentam surrupiar algo nosso,sem que estejamos unidos para impedir isso.

Fácil pensar que os preços dos carros,são para incentivar o uso do transporte público,e a preservação ecológica.
Mas,eles permanecem assim,por um grande motivo,

_nós compramos.
Entonces...

turbilhão 1.200 disse...

Estava lendo a biografia do dr.Getúlio,parei num subtítulo-e continuarei a leitura mais tarde.

Eu já havia lido a história da vida dele na wiki,só que algum revisor incluiu muitos outros fatos.
Dá para entender porque ele se suicidou.
Foi por consciência pesada.

Suponhamos que dos políticos que lideravam os Brasis dessa época,ele era o menos ruim- afinal,ele havia sido mesmo,um conciliador.
Seus amigos todos,eram bem mais violentos.
Mas,ele "entrou na deles" devido à ambição política.

Isso,posteriormente,lhe cobrou o preço do remorso.
Ainda não cheguei ao fina,estou especulando o fato.

Já pensaram se as eleições da época atual,para presidente ou para governador,ainda fôssem um carnaval de tiros?
Eu hem...
Ainda bem que existe a entropia(o movimento),pois em alguma coisa,o Brasil melhorou.

Um bom domingo a vcs.

encantadora 60 disse...

lisiantos rosáceos