sábado, 8 de dezembro de 2012

Trabalhar dá trabalho

 "O trabalho é como barbear-se. Não interessa se você fez um ótimo trabalho hoje, terá que repetir a performance amanhã."

  Quanto os professores merecem ganhar?
  Como todos os outros trabalhadores o melhor que pudermos pagar.

  Lá na ponta da Contabilidade as contas de uma Empresa Estatal ou Particular tem que ficar no azul.
  Como a economia é variavelmente imprevisível em linhas gerais eu defendo o salário por mérito e por bônus.
  Fiquei sabendo que a USP dará bônus de 6 mil reais aos seus funcionários.
  É evidente que não tenho acesso a contabilidade da USP, mas “se” ela é feita de maneira competente a USP paga os salários que consegue pagar com sua arrecadação, mas prudentemente não mantém essa conta no limite, afinal imprevistos acontecem.
  Se o imprevisto não acontece e tem sobra de caixa nada mais justo que dividir com os colaboradores.
  Muito parecido com o que já escrevi sobre o PLR.
  Esse bônus de acordo com as finanças do ano pode não acontecer, pode ser de 2 mil, de 8 mil, de 20 mil ... não devemos demonizar o dinheiro.


  Não vou me estender em salários, já escrevi um texto sobre isso falando que quem paga os professores não é o Governador, mas todos nós que compomos a Sociedade.
  Devemos pagar aos professores o que PODEMOS e não o que queremos, devemos escalonar os salários com base no MÉRITO e até demitir professores de baixo desempenho.
  Se tudo correr bem e ocorrer sobra em caixa distribuímos bônus... essa é a estrutura de pensamento PREÇO.

  Vamos para estrutura de pensamento VALOR.

  Os professores sentem saudades do tempo que eram “idolatrados”.

  Os professores mais novos tem saudades de algo que nunca viveram.
  Os professores mais velhos tem saudades de algo que não voltará mais.
  Em um país de analfabetos quem sabe ler é muito valorizado, mas em um país razoavelmente alfabetizado saber ler é algo comum, nada a ser idolatrado.

  Professor é um profissional como qualquer outro, não entendo um professor dizer que ensina mal porque ganha pouco.

  Já pensou se seu médico te operar mal porque não está satisfeito com o salário?
  É melhor que não opere, que procure outra profissão.
  Ninguém é obrigado a ser professor, ninguém é obrigado a ser médico.
  Dizem que Magistério é uma profissão difícil.
  A de médico não é?

  Dirigir ônibus é difícil, coletar lixo é difícil, ser cabeleireiro é difícil, ser policial é difícil... enfim toda profissão tem suas dificuldades.
  Trabalhar dá trabalho!

  Lembrei de uma colega que adora pentear cabelos, mas adquiriu L.E.R no desempenho da profissão.
  Cuidar de cabelos é a coisa que ela melhor sabe fazer e não consegue mais fazer, o sofrimento é muito grande.
  Quero dizer que mesmo trabalhando no que gostamos, no que temos vocação, todo trabalho oferece muitas dificuldades, tenho dúvidas se o magistério é a pior das profissões.
  Mesmo que não sejamos vocacionados, mesmo que não estejamos exercendo a profissão que gostamos, temos que no mínimo sermos PROFISSIONAIS.
  Se o ensino não está sendo satisfatório no Brasil é porque nosso sistema de ensino não tem bons profissionais.
  O que devemos fazer?
  Repensar a formação de nossos professores e quem mais pode nos ajudar nisso são os próprios professores.
  A primeira coisa a fazer é parar com esse discurso que não ensinam bem porque ganham pouco, em relação a inúmeras outras profissões os salários não são tão baixos assim, um professor Universitário tem bons rendimentos.

  Jean Willys diz que como Deputado Federal trabalha mais do que quando era professor universitário e ganha a mesma coisa.

  Claro que Jean fala algo esdruxulo ao comparar salários de deputados com professores, não entendo como as pessoas elegem gente assim...
  No entanto deixo claro que concordo com ele que político deve ganhar bem.

  Continuando o paralelo com médicos, a faculdade de medicina é tão cara que demora até recuperar todo dinheiro investido; mesmo que a faculdade não tenha mensalidade os gastos são imensos e no começo de carreira um médico pega muitos rojões.
  Sei, sei você dirá que o setor de saúde não é uma maravilha em nosso país... é que você não sabe como é em outros países.
[Isso precisará de um texto]

  O SUS tem uma “universalidade” no atendimento encontrada em pouquíssimos países.

  A medicina praticada aqui é de ponta, uma das melhores do mundo, não podemos falar a mesma coisa do MEC e nosso sistema de ensino.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Porque professores eram idolatrados no passado?

  No passado nas cidades e no campo o professor era um grande intelectual, sabedor de muitas coisas.
  Não que necessariamente o professor soubesse tanto assim, é que os outros cidadãos sabiam bem pouco.
   Hoje o conhecimento é tanto e as informações tão acessíveis que não é raro um aluno conhecer determinado assunto melhor que o professor.
  Quando eu estava no colégio não tinha Internet no Brasil, mas eu lia muitos livros.
  Por vezes era constrangedor o pouco conhecimento de quem me ensinava; na prova eu tinha que responder o que o professor acreditava ser o certo.

  Em tempos de Internet qualquer criança curiosa pode aprender muito sobre qualquer assunto.
  No YouTube temos vídeo aulas interessantíssimas.
  Lembram do que eu disse sobre o Mercado ser regularizado pela Oferta e Procura?
  Quando o Conhecimento era monopólio do Professor acontecia muita procura e pouca oferta, esse profissional era idolatrado.
  Hoje o conhecimento/informação está por todos os lados, é igual mato.
  Se eu quiser aprender equação de segundo grau tenho acesso com poucos cliques, não preciso esperar pela ajuda de um professor.

  Quero dizer que hoje mais do que nunca o professor tem que se concentrar na especialização e desistir de ser idolatrado.
  A situação do professor de monopolizar o conhecimento ... não volta mais.

  Se o cidadão é professor de Física e Matemática ... se especialize em Física e Matemática e em como ensinar bem essas matérias a nossas crianças e adolescentes.
  É isso que os médicos já fazem há um bom tempo.
  Um especialista em transplante geralmente não é tão habilidoso no tratamento do câncer.

  Sei que é repetitivo, mas essa coisa tão abrangente de “formar cidadãos” deve ser deixada de lado pelo magistério.

  Os professores devem se especializar em transmitir conhecimentos cada qual na sua especialidade.

  [Vou precisar de mais um texto porque não quero passar como inimigo do magistério, muito pelo contrário, vou tentar aparar arestas no próximo texto...]


 "Pensar é o trabalho mais pesado que há, e talvez seja essa a razão para tão poucos se dedicarem a isso." [Henry Ford]



  "EM FEVEREIRO DESTE ANO A UNICAMP GASTOU 103,18% DO QUE ARRECADOU COM O REPASSE DO ICMS COM A FOLHA DE PAGAMENTO."  [Jornal Metro]      

  Esse tipo de falha administrativa em universidades como USP e UNICAMP, mostra muito bem que se cada um de nós não tentar ser um cidadão melhor, mais responsável, não vai ter governante ou partido que dê jeito.
 [Doutor em Economia]




Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário