quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

COLT 45

  “Os homens fazem a sua própria história, mas não o fazem como querem... a tradição de todas as gerações mortas oprime como um pesadelo o cérebro dos vivos.” [Karl Marx]



  Nisso eu concordo com Marx, mas vamos prosseguir com o amigo Einstein.
  A Tradição não é necessariamente má, tudo é relativo...

  Como uma Tradição se estabelece?
  Não tem fórmula mágica, não temos como montar uma equação sobre isso.
  Dependendo da ideologia do observador o estabelecimento de uma Tradição pode ser fruto do Acaso, obra da vontade de Deus ou as duas coisas juntas em diferentes proporções.
  O que nos interessa aqui é o FATO.

  O fato é que depois de estabelecida a Tradição é um osso duro de roer caso precisemos muda-la.

  Notem que eu disse “caso precisemos”.
  É evidente que muitas Tradições são boas ou inofensivas eu acredito que a maioria delas são boas ou inofensivas [não precisamos mudar tudo isso que está aí], afinal caíram no gosto popular e muitas delas surgiram de uma NECESSIDADE.

  Veja um exemplo:
  Temos a tradição de comemorar a mudança de ano colocamos até um nome réveillon.

 “Escreve-se “réveillon”, ou seja, há acento no primeiro “E”.
  De origem francesa, essa palavra designava a princípio uma refeição noturna, tarde da noite.
  Tempos depois, mudou o sentido e passou a ser a refeição da noite de Natal, após a missa do galo.
  E em meados do século passado, mudou mais uma vez de significado, passando a nomear a refeição feita na passagem de ano.” [Português na Rede]

  É claro que essa Tradição não existiu desde sempre, demorou milhares de anos até que organizássemos calendários para contar a passagem do tempo e cada povo desenvolveu o seu.
  Essa sincronização de datas é algo bem recente na humanidade, os judeus por exemplo estão no ano de 5773.
  Os muçulmanos estão em 1434.
  Mas para efeito “pratico” o calendário romano é referência para o mundo, estamos em 2012 e o ano termina em 31 de Dezembro.

 “A Era Muçulmana começou no ano em que o profeta Muhammad emigrou, de Meca para Medina, a fim de escapar às perseguições de seus adversários e poder continuar a proclamar as Revelações, no ano 622 do calendário juliano/gregoriano.  
  Esse é portanto o 1º ano da Hégira (nome dado à emigração do Profeta), ou 1 aH.” [PortalSão Francisco]

  Comemorar Natal e Réveillon tornou-se uma Tradição festiva e prazerosa onde trocamos presentes e fazemos promessas de um mundo melhor, mas para os que cultuam o sofrimento ... “é o monstro do Capitalismo nos alcançando com as garras do consumismo.”
  [Tudo é muito dramático ]

  Imaginem se a Dilma ou o Obama decretassem o fim da comemoração do Natal e Réveillon!
  Nem o Papa conseguiria isso mesmo sendo chefe da Igreja Católica que instituiu a comemoração do Natal, sim ela criou, mas a “criatura se tornou maior que a criadora.”
  Lembrei de uma piada religiosa muito provocativa:

  Cristão: Fale a verdade judeu, você tem inveja da nossa comemoração Cristã de Natal que se estende pelo mundo inteiro?

  Judeu: Porque eu teria? Vocês comemoram o nascimento de um JUDEU!
 
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Para aproveitar esse texto você tem que SENTIR toda força da TRADIÇÃO.

  Se entender toda força da Tradição aprenderá respeita-la sem deixar que ela se torne sua personalidade, sem deixar que ela LIMITE SEU PENSAMENTO.

  “A Tradição é a personalidade dos imbecis.” [Einstein]

  A imbecilidade maior não está propriamente na Tradição embora essa em muitos casos possa ser bastante infantil, o problema maior está em limitar o pensamento por força da Tradição, “foi sempre assim e sempre será”.

  NÃO! Nada foi sempre assim, as tradições, os costumes tem um começo, por vezes tem razão de ser por um certo tempo. 
  Cada povo por N motivos desenvolve fortes Tradições podemos chamar de CULTURA.
  Torcer por uma time de futebol faz parte da cultura brasileira, é raro encontrar alguém que não torça ou pelo menos simpatize com um time de futebol e sabemos que futebol não existiu desde de sempre, essa forte tradição teve um começo.
  Muitos torcedores viram FANÁTICOS e torcer por um time começa a fazer parte de sua “personalidade”.
  Você pergunta para o cidadão: O que você é?
  “Sou Corintiano.”
  [É mole ou você quer mais!]
  Esse comportamento pode abrir ou fechar portas, pode ser o início de uma grande amizade ou um confronto de torcidas.
  Lembrem-se sempre que a vida não é exata, coisas que parecem simples são muito complexas, o Abismo dos Pensamentos é infinito.

  Na Coréia do Sul os caras são apaixonados por Matemática, na Espanha por touradas, na Venezuela o forte é beisebol, no Estados Unidos entre outras coisas a paixão são ARMAS...

  A paixão por armas garantiu aos americanos a liberdade no passado e superioridade militar no presente.

  Ter armas em casa virou uma forte Tradição americana... vamos entrar por essa brecha.
  O mundo encantado e desencantado das ARMAS.


  “DEUS criou os homens desiguais, mas o COLT 45 igualou a todos.”


I’ll be back...



Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário