quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Caridade Instintiva

“Toma mais esse texto meu bem!”

“Ser um especialista em alguma área é praticamente uma necessidade no mercado de trabalho na atualidade.
   Na China existem profissionais especializados em cheirar
flatulências.” 

"Sou casada faz quatro anos, e estou quase me separando... É que meu marido peida o tempo todo, e nem faz questão de esconder de mim. Ele chega a dizer: Toma esse meu bem! Vê se pode!" 



❖ “Se ele [Chico Xavier] era mesmo um calhorda (como diz Adilson) por que então não pegou a grana dos 400 livros e foi embora morar em um lugar sofisticado e viver uma vida boa, como vive a Zíbia Gasparetto com os direitos autorais de seus livros? Burrice?
  Por que Chico doou o dinheiro para obras de caridade?”
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Porque esses 3 destaques estão relacionados?

  Nem tentem entender como funciona minha mente, eu li o destaque do GD Religião e a provocação que chegou a minha mente foi sobre pessoas que gostam de cheirar seus gases e por consequência gostam de solta-los a todo momento.
  É incrível como há pessoas que se divertem, literalmente sentem prazer em soltar gases, por vezes anunciam com um largo sorriso no rosto.
  Soltam e ficam esperando o resultado da "obra", quanto mais forte o cheiro, mais orgulho elas tem de seu feito!!

  Quanto a minha mente ... gosto de diferentes caminhos para espantar o tédio.
  Se temos tantos caminhos porque seguir sempre pelo mesmo?

  Porque Chico Xavier não vivia luxuosamente?

  Nem todo mundo sente PRAZER no luxo, eu me considero um Filosofo do Prazer porque essa foi uma das estruturas de pensamento a qual mais me dediquei.
  Porque uns preferem o azul e outros o vermelho?
  Não tem explicação, NÃO ESCOLHEMOS O QUE SENTIR.
  Porque muitos sentem prazer no luxo Chico Xavier tinha que sentir também!?
  Eu gosto de conforto, mas não ligo para o luxo, as coisas tem que ter uma razão de ser, tem que me trazer algum benefício que eu queira ou precise.
  Mesmo que eu fosse bilionário não me vejo comprando diamantes, 10 carros, várias casas [a não ser que fosse para alugar], não me imagino nem morando em uma dessas enormes mansões.
  Comprar iate pra quê se não gosto de navegar?
  Sei que a maioria das pessoas sonham essas coisas, mas eu não.
  Minha esposa gosta de viajar eu faria isso para agrada-la, mas não que eu tenha essa vontade de conhecer o mundo.
   Se eu tivesse muito dinheiro teria empresas que gerassem bons empregos.
  Gostaria de ter uma fundação para caridade, mas em moldes bem diferentes do que fez Chico Xavier.
  Não quero essa caridade instintiva praticada por Chico ... ajudar a quem precisa sem maiores julgamentos.
  Sei que isso está na Bíblia, mas eu não idolatro a Bíblia.

  “Quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita”
[Mateus 6:3]

  Na minha fundação tudo seria muito bem contabilizado, os RESULTADOS seriam analisados.
  Quero saber o que “cada uma das mãos” fez e porquê.
  Praticaria uma caridade/fraternidade RACIONAL.

  Ajudar quem “realmente” precisa da maneira mais eficiente possível.

  Se o indivíduo não tem nenhuma ambição na vida e quer só comida e eventualmente remédios... poderia fazer isso por ele, mas se tiver alguma ambição gostaria de ajuda-lo a buscar seu auto sustento, quem sabe na abertura de um pequeno negócio ou emprego em uma de minhas empresas.
  Eu teria assistentes sociais e até detetives para investigar a real necessidade da pessoa. [Por vezes nem ela sabe]
  Se o indivíduo tiver dificuldade com drogas e “quiser” se libertar do vicio será essa ajuda que irei dar, simplesmente dar refeição acho muito pouco e dar dinheiro para o viciado dar para o traficante não me parece lógico.
  Eu faria essa caridade investigativa/racional como um "consolador", sem a menor pretensão de resolver todos os problemas do mundo.
  Esse seria meu PRAZER.

  Quando pensamos em prazer uma associação recorrente é pensar em vícios terríveis, mas não é bem assim.

  Há pessoas que sentem grande prazer no trabalho de voluntariado, é um vício de ajudar outras pessoas.
  Há grandes empresários cujo prazer é cozinhar ou mexer em seu jardim.
  Por esses dias fiquei impressionado com uma colega que disse não ter muita paciência com crianças, mas tem toda paciência do mundo com idosos.
  Eu presenciei ela tratar tão bem um idoso que pensei que fosse seu pai ou parente e era um total desconhecido!

  Conheço muitas pessoas que tem enorme prazer em fazer churrasco, chamam familiares e amigos e os brindam com agradáveis reuniões.

  Enfim, Chico Xavier tinha um prazer/vicio legal de ajudar pessoas e não se apegar ao luxo...já conheci tanta gente assim, é que elas permanecem anônimas na maioria das vezes.

  Eu não tenho o dom de "psicografar", mas acredito que tenho o dom de escrever e enxergar coisas que poucos observam.
  Todos sabem que eu tenho senões com essa pratica de ficar contatando "mortos", mas suponho que Chico fazia isso com boa intenção, em um desejo sincero de ajudar as pessoas.

  Meu caso é parecido [guardada as devidas proporções] eu não tenho muitos admiradores, as pessoas tem vários senões com relação as coisas que eu escrevo, mas não tenham duvida que eu faço na melhor das intenções.
  Tenho um enorme cuidado para que os textos sejam úteis, tragam conhecimento, informação e sejam agradáveis de ler.
  Sei que muitas coisas que passei na vida são comuns a maioria das pessoas e as explicações disponíveis são muito insatisfatórias.
  Não estou trazendo soluções magicas ou explicações exatas estou apenas apresentando novas possibilidades audaciosamente indo onde poucas mentes já estiveram.
 
  Basicamente o que faço é observar a vida e meditar sobre cada situação usando toda a Filosofia acumulada em minha mente.

  A meditação é transformada em textos os quais eu tenho um enorme prazer em “solta-los no ar.”
 “Toma mais esse texto meu bem!”

                        Alguns tem prazer em falar mal dos outros ...

Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário