sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Dizem que Deus

Sobre o aborto, você acredita que:


________________________________________________________
b) Deveria ser liberado apenas nos casos de bebês ¹com defeitos insuperáveis, como a anencefalia, ou quando a gravidez fosse resultado de ²estupro.
_________________________________________________________

  É comum postarem no Face ou G+ a imagem de alguém que nasceu com grave deficiência, crianças são as preferidas.
  É impressionante como os comentários são de puro êxtase!
  Como se ao ver um corpo defeituoso estivéssemos diante de uma das cenas mais maravilhosas do mundo.  😱

  Por esses dias foi postada a imagem de um garoto com ¹membros mal formados, na imagem ele estava com um largo sorriso e brincando com uma bola de futebol.
  Caraca! A fotografia congela 1 segundo, congela um único momento.
  Sabiam que 1 dia tem 86400 segundos?
  Por 1 segundo até eu consigo sorrir para uma foto.

  Se uma criança deficiente é algo tão maravilhoso porque ninguém deseja isso para seu filho?

  Um participante apenas olhando a foto disse que o garoto é um craque!
  Foi a gota d’água, perguntei porque ele não fazia uma campanha para o garoto jogar no time dele?
  Porque não vemos deficientes físicos jogando nos times da primeira, segunda ou terceira divisão?
  Até agora não recebi resposta.

  No caso de ²estupro há pouco o que comentar, a decisão final será de acordo com a crença da mulher.

  Se eu fosse mulher não quereria gerar um filho fruto de uma grave violência, como olhar para criança e não vir a minha mente toda a violência sofrida, como não pensar no detestável pai biológico da criança?
  No caso de estupro eu não só permitiria o aborto como não constaria “criminalmente” (referente ao texto anterior) contra a mulher, sua ficha com relação ao aborto ficaria limpa.
  Fazer esse tipo de registro “puniria a vítima” coisa que eu abomino.
________________________________________________
c) Deveria ser permitido apenas nos casos em que a gravidez significasse risco de vida incontornável para a mãe.
________________________________________________     

   Se eu tivesse que fazer a difícil escolha entre a vida da mãe e da criança eu preferiria manter a mãe viva, até para ser coerente com o que já escrevi.
  É horrível uma criança nascer sem mãe, não desejo isso para ninguém.
______________________________________________________
d) Deveria ser proibido em qualquer circunstância. Não importa como uma vida se iniciou, ela é sempre uma vida.
_______________________________________________________

  Essa questão não é possível submeter minimamente a Lógica, ela é 100% emocional e particular.
  Tem pessoas que se agarram a vida com unhas e dentes, tem pavor da morte, não querem morrer de nenhum jeito, nem cogitam essa “possibilidade”.
  Querem ser mantidas vivas nem que seja vegetando em uma maca, com a vida mantida por aparelhos “enquanto há vida há esperança”.

  Para pessoas com a minha mentalidade VIDA É MOVIMENTO.

  Poder se movimentar por conta própria, ser independente, fazer escolhas com consciência.
  Para pessoas sintonizadas com o meu modo de pensar IMPORTA como a gravidez aconteceu, em caso de estupro o aborto é recomendável.
   Me importa também a vida pós parto, importa saber se a criança terá uma boa qualidade de vida ou sofrerá graves limitações.

  Vou além, importa as limitações que imporá a pessoa ou pessoas que conviverão com ela.

  Exemplo, cuidar de um bebezinho com grave distrofia muscular é difícil, essa dificuldade vai aumentando a medida que a criança cresce.
  Recentemente fiquei sabendo de um caso em que a criança nasceu com uma deficiência genética grave, seus ossos eram quebradiços.
  Ela morreu no final do ano passado depois de uma “maravilhosa” vida.
  Nossa moderna medicina a manteve viva por longos 12 anos, sua jovem mãe praticamente morava no hospital, que eu saiba a criança nunca saiu de lá.
  Sim, os gastos com essa criança devem ter sido milionários, podemos fazer cálculos precisos sobre isso, mas e se formos para os números complexos?
  Imaginem a tortura que essa mãe foi submetida por longos 12 anos?
  Imaginem essa criança sem cometer crime algum ficar “vivendo” em um leito de hospital, olha, sinceramente eu não desejaria isso nem para um Hitler ou Maníaco do Parque.

 Deixar que um bebê nasça com gravíssimas sequelas físicas ou mentais é algo monstruoso ... com uma bela vestimenta de “amor e respeito à vida.”

  Mas para pessoas sintonizadas em uma “frequência” diferente da minha, monstruosidade seria ter interrompido essa gravidez.
 Deus está no controle de tudo e deve ter seus motivos para que algo desse tipo ocorra.
  Devemos apenas aceitar e orar.
  A Fé exige que vejamos toda essa tragédia como uma grande benção, “Deus escreve certo por linhas tortas”.

  Por favor! Não estou “demonizando Deus”, não o conheço, não acredito que a Bíblia o descreve com fidelidade.

  Estou criticando a IDEIA que fazem de Deus baseados no que está em livros escritos a mais de 2 mil anos.
  Não faltam pessoas afirmando conhecer a vontade de Deus e “dizem” que ele quer que seja assim.

  Usando nossa amiga Dialética:
  Deus pode querer que eu faça de tudo para evitar dor e sofrimento ou ao menos minimiza-los.
  Abortar um feto com graves sequelas sem dúvida evitaria um mal muito maior.
  Agindo assim Deus ficaria muito satisfeito comigo.

  Dizem que Deus quer que eu aceite toda dor e sofrimento, são provações para o meu bem.

  Bom, isso é o que “dizem”.
  Deus nunca falou nada desse tipo para mim, então enquanto ele permanecer em silêncio vou considera-lo justo e bom até que me PROVEM o contrário.

  Se Deus não for justo e bom...quem precisa de um Deus assim?

  Eu não!

  Eu quero todo mal FORA DAQUI!






  “Fogo eterno prá afugentar, O inferno prá outro lugar, Fogo eterno prá consumir, O inferno, fora daqui.”  ☛♫♫♫♫

[Gilberto Gil]



anterior                      COMENTAR                               próximo





Postar um comentário