sábado, 23 de fevereiro de 2013

E Agora André?

  “A lei de causa e efeito reflete a perfeita justiça e sabedoria do Criador para com suas criaturas.

   Tudo o que fomos reflete-se em nossa vida atual.
   É a lei do retorno que nos devolve pelas mãos da justiça divina, tudo o que fizemos no passado distante ou próximo.

    A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.”



  O Kardecismo defende que tudo é ação e reação.
  Necessariamente “colhemos o que plantamos”.
  NÃO é o que observo.
____________________________________________________________
  “Segundo a Polícia Militar, o condutor de um veículo, ao fazer uma ultrapassagem, invadiu a contramão e bateu de frente com o motociclista que morreu na hora.”
____________________________________________________________

  Qual foi a ação do motociclista que teve como reação a sua morte?

  Qual a ação para evitar que um outro veículo avance o sinal vermelho?
  Qual a ação para evitar uma bala perdida?
  Qual a ação para evitar ser assaltado dentro do ônibus?
  Qual a ação para evitar nascer com leucemia?
  Qual a ação de um cidadão paulista para evitar que Renan seja Senador por Alagoas?

  Fica claro que muito “efeitos” que sofremos não tem como causa nossas ações e sim a de outros.

  Para essas questões da existência atual o espiritismo não consegue se sustentar então ele recorre a existências passadas.
  O problema é que por esse método fica muito fácil criar CONTOS.

  Veja essa historinha de uma livro psicografado:

  “Conta o espírito André Luiz, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier) que certa mulher pediu para reencarnar com determinado defeito físico, porque queria preservar-se de tentações e quedas, já que em sua última encarnação fora muito bonita e caíra espiritualmente pelas vias do sexo.”

  Primeiro eu tenho que ter Fé que Chico entrou em contato com uma entidade chamada André Luiz que lhe psicografou a história de uma “certa” mulher que pediu para reencarnar com defeito físico.
  Qual o nome da mulher?
  Não tem, mas poderia dizer qualquer nome comum... Márcia.
  Se pesquisarmos o período de 200 anos atrás não deve ser difícil encontrar uma Márcia com alguma deficiência física qualquer.
  Quero dizer que se for possível uma pesquisa e encontramos em algum lugar do passado alguém de nome Marcia com deficiência física ... não prova nada.
  Sem citar um nome tudo fica mais subjetivo ainda.
  O que não falta no presente ou no passado e alguém com deficiência física.

  Mas se tudo isso é muito subjetivo vamos analisar o que André Luís está nos dizendo, suponhamos que realmente seja assim.

  Como não temos provas contundentes que André Luís está falando a verdade, vamos aplicar aquele método do 50%.
  Se alguém lhe fala que tem um gato dentro da caixa e você não tem como confirmar isso você trabalha com as duas hipóteses possíveis.

  1ª - Há um gato na caixa e você constrói teorias baseadas nessa hipótese.

  2ª - Não há gato na caixa e você constrói teorias para essa hipótese.

  Esse método é muito mais aplicado do que você imagina.

  “Essa casa de show não vai pegar fogo.” [50%]
  Mas “E SE” pegar? [50%]
  Quais os dispositivos contra incêndio, qual a rota de fuga...

  Vou convidar aquela garota para sair comigo.

  Ela vai aceitar [50%]
  Ela não vai aceitar [50%]

  Se ela aceitar devo ter dinheiro pelo menos para um cinema, se ela não aceitar ... mais um sábado atirando para todo lado na internet.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  E se André Luís estiver certo?

  Na escola lhe são ensinadas várias matérias e tem uma nota de corte em todas.
  Vamos supor que para passar de ano, “evoluir”, a nota mínima é 7.
  Você tirou 7 em Geografia, 10 em Historia, 8,5 em Português, 5 em Matemática.
  No nosso mundo terreno de “baixa evolução”, nós reprovamos o aluno em Matemática, ou o submetemos a aulas de reforço.
  No nosso entendimento a evolução do aluno em outras matérias esta satisfatório.
  É em Matemática que ele precisa se esforçar mais e nós lhe darmos um melhor auxilio.
  Mas no evoluído mundo de André Luís é diferente, é um mundo “além da imaginação” ... [literalmente]
  Nesse mundo o aluno pode simplesmente pedir para tirar matemática do currículo para ele não ser reprovado novamente!!
  Veja bem, nossa amiga Márcia não soube lidar com a beleza sem cair em tentação então ela pede para tirar essa matéria do seu currículo!

  Acho que todos concordam que roubar é algo errado, mas eu sou um espirito que sente prazer em roubar.
  Sabendo disso eu peço para nascer sem membros, então passo uma encarnação sem roubar.
  Gente, gente, gente!
  Não houve evolução moral ou ética, eu não roubei porque NÃO TIVE OPORTUNIDADE.

  Tirar Matemática do meu currículo não irá fazer eu superar minhas dificuldades com essa matéria.
  Eu nascer sem membros não fará que meu espirito deixe de sentir prazer em roubar ou veja isso como algo errado.
  Essa lógica entra em sua mente?

  André Luís nos fala de um mundo e sistemas patéticos.

  Não encontrando fundamento para teoria da ação e reação nessa existência o espiritismo cria contos que não resistem a mínima analise racional.

  Outra analise que coloca em xeque toda essa teoria é:

   Se ao “desencarnar” percebemos todas nossas falhas morais, nos arrependemos delas ... nessa situação de “espíritos” somos muito evoluídos.
  É a vida espiritual que conta.

  Porque ter sua mente nublada com o esquecimento e ser enviada de volta a um corpo biológico!?

  O LÓGICO seria se eu morri avarento, permaneço avarento e fico reencarnando até superar essa falha moral, se quando morro fico perfeito porque ser mandado de volta a imperfeição?

  Ao invés de nossa amiga Márcia nascer deficiente poderia nascer saudável e bonita em uma família que lhe passasse melhores conselhos sobre a sexualidade.
  Se ela foi reprovada na matéria “beleza/sexualidade” e essa matéria é importante para sua evolução, qual a lógica em tirar essa matéria do seu currículo!?

  E agora André Luís?


 “Decifra-me ou te devoro!”



anterior                      COMENTAR                             próximo



Postar um comentário