quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Esperando Neném

Sobre o aborto, você acredita que:
__________________________________________________________________
a) É um direito da mulher, em qualquer caso, interromper uma gestação, desde que isso aconteça até o terceiro mês.
__________________________________________________________________



  Se a mulher não deseja engravidar e engravida... não falaria em “direito”, mas falaria em corrigir uma IRRESPONSABILIDADE, um erro.
  Eu entendo que para grande maioria das mulheres é uma decisão extremamente difícil, por isso o prazo máximo de 3 meses é aceitável.
  No entanto eu criaria meios para que o aborto não fosse banalizado.
  Sei que a maioria das mulheres tem consciência que o aborto é uma situação extrema, mas também sei que muitas não tem essa consciência.
  Como sabem, eu gosto que as coisas sejam REGULAMENTADAS.
  Liberdade Plena não tem como existir.

  O que limita a liberdade de um indivíduo é a existência do outro indivíduo.

  Exemplo simples.
  Eu ter liberdade para ouvir a música que eu quiser, no lugar que eu quiser, no volume que eu quiser ... pode ir contra a vontade de outro de não querer ouvir música.
  Qual liberdade deve ser respeitada?
  A minha ou do outro?
  Cada um tem que ceder um pouco em sua liberdade e se sujeitar a uma regulamentação que seja pelo menos tolerável para a maioria.
  Outra coisa impossível é agradar a todos...
 
  Dar liberdade plena para pratica do aborto não é algo que resista a lógica.
  No caso do aborto “EU” admitiria que ele fosse feito apenas em clinicas credenciadas e rigorosamente fiscalizadas.
  O aborto ficaria registrado no prontuário médico da mulher assim como o nome do pai, se for possível essa identificação.
  O primeiro aborto seria considerado um “acidente”, apenas ficaria o registro e seria ministrado um curso de participação obrigatória sobre métodos anticoncepcionais.
  Clinicas clandestinas seriam fechadas automaticamente, seu dono preso e sujeito a penas severas.
  Nada menos que 10 anos em regime fechado.

  Se a mulher precisar praticar um novo aborto a situação ficará muito mais complicada.
  Ela será obrigada a tomar injeções anticoncepcionais de longa duração pagas por ela e fiscalizadas pelo Estado.
  O objetivo é que essa mulher só volte a engravidar com AUTORIZAÇÃO da Sociedade nesse caso representada pelo Estado.
  Ela será obrigada a tomar as injeções e quando realmente desejar ter uma gravidez apresentará seu caso ao Estado que poderá autorizar a suspensão da medicação.
  Tudo que foi dito sobre a mãe vale também para o pai.
  Nossa ciência deveria avançar nas técnicas de identificação da paternidade e desenvolver injeções anticoncepcionais para homens.

  Complicado essa proposta de regulamentação?
  Eu sei, descrevi o que “eu” proporia.
  O ideal é que todos fossem responsáveis, gravidez indesejada não acontecesse e só discutíssemos o aborto no caso de má formação do feto.

  Já que não é possível evitar a irresponsabilidade e o consequente “acidente” meu segundo ideal seria evitar que fazer aborto fosse uma festa.
  O casal segue seus instintos e se ocorrer a gravidez “simplesmente” aborta.
  Nesse texto não quero entrar na polêmica de quando começa a vida.

  [Para facilitar essa meditação vamos aceitar que até o terceiro mês seja legalmente permitido o aborto não importa o motivo da mulher.]

  Eu considero o assassinato um crime terrível, sou inclusive a favor da pena de morte.
  Tem algo que é permitido em nossa legislação, mas “EU” considero um “crime” terrível.
 
  Gerar uma criança sem lhe garantir condições aceitáveis de vida é um crime quase tão horrível quanto o assassinato.
[William Robson]

  A chave para o entendimento desse texto não é meditarmos sobre o “direito” da mulher, mas no conceito que um indivíduo merece nascer de PAIS RESPONSÁVEIS.

  Esse seria o direito básico e inalienável da criança e na impossibilidade dele ser atendido é aceitável que o feto nem se desenvolva, seja abortado.

  Claro, se eu fosse o “Deus que criou o mundo”, assim como eu fiz que todos os humanos precisem de oxigênio para viver eu faria com que todos os humanos fossem responsáveis com relação a paternidade, mas eu não sou Deus, tenho que me virar com o que ele permitiu ou criou.
  Tirando Deus da equação:

  Se é natural de muitos humanos não ter a devida preocupação com sua prole... eu não tenho como brigar com a natureza, só posso criar meios de levar um pouco de racionalidade a situação de forma a amenizar os prejuízos que ela trará para a Sociedade.
  Minimizar o prejuízo que trará para os pais responsáveis, porque não é lógica uma justiça onde o inocente paga pelo pecador.

  A Maria Guerreira abre as pernas para qualquer um lá, o William Pagador de Impostos e a Mara Mãe Responsável se ferram aqui!

  As punições duras para os pais irresponsáveis é para que se eles não se preocupam com a gravidade do aborto ou a qualidade de vida que darão a seus filhos ao menos devem se preocupar com a qualidade de vida que terão atrás das grades.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Como eu posso falar em “Direito do Feto” se até 3 meses não o considero com vida?

  Eu não prometi um raciocínio fácil.
  Vamos para nossos “números complexos imaginários”

  Seria bom se pudéssemos perguntar ao feto:

  A situação é essa, você quer nascer assim mesmo?

  Seria ótimo que a decisão final fosse do feto, mas nessa impossibilidade a decisão final tem que ser da mãe, essa é a REALIDADE OBSERVÁVEL, os nossos números reais.
  Acredito que todos concordam que não há nada mais importante para o nascimento de uma criança que ter o amor de sua mãe.
  Ela se esforçará para protege-la de todo e qualquer perigo, terá uma paciência que ninguém mais terá, estará disposta a fazer sacrifícios para o bem estar da criança que dificilmente outra pessoa fará.

  Enfim, o direito básico de um feto ao ser gerado é ter uma mãe que lhe ame.

  De repente essa mulher que ama, ou ao menos tem muito respeito por esse ser que está se desenvolvendo em seu ventre, sabe que não terá a menor condição de cria-lo como ele merece então ela pode decidir gesta-lo e assim que nascer entrega-lo a um casal desejoso de ter um filho, um casal que criará essa criança com amor, essa é uma outra situação que também a mulher terá que considerar, a decisão final deve ser dela.

  Viver é muito difícil mesmo para quem nasce em condições aceitáveis.
  Se um feto dentro do ventre de sua mãe já não tem nem amor ou respeito, para o bem da criança... é melhor que nem nasça.

  Não, a vida não é um presente maravilhoso de Deus!

  Não temos fatos para comprovar esse dogma de que viver vale a pena em qualquer condição.
  Eu não me lembro de absolutamente nada antes do meu 1 ano de idade.
  Na minha memória mais antiga eu já sabia andar... não muito bem.
  Minha mãe conversava com meu pai e estava demorando para me dar banho, cansado daquele falatório me atirei na bacia com roupa e tudo, tirar o shorts eu era bom, andava sempre com minhas “partes” de fora [segundo minha mãe], mas não tinha a menor noção de como desabotoar uma camisa.

  A Filosofia Matemática nos sugere que até os 3 meses o feto não tem consciência nenhuma, se está sendo gerado no ventre de uma mulher que não lhe quer...
  Me parece melhor nunca ter consciência nenhuma, precisamos decidir isso por ele.

[Esse texto me deixou muito triste, a Filosofia Matemática é implacável, a realidade por vezes é muito dura, os outros itens dessa questão ficam para o próximo texto. Uma vida sem amor é muito escura.]

  Pior que ficar sem consciência é ficar consciente no escuro.
  É onde minha mente está nesse momento, preciso retornar, garanto a vocês que é um péssimo lugar para estar, não desejo isso a ninguém.

  Vamos buscar alguma luz.
  Ofereço essa linda canção a todas as mães e pais responsáveis.

  “Espero que tenha sido com muito amor
   E seja quem for há de achar também você tão linda.
   Esperando neném”  ☛♫♫♫♫
  [Roberto Carlos]

   Que todas nossas crianças nasçam do amor.


Amém?



.


37 comentários:

sotonenses 51 disse...

Todo mundo acha que as lembranças são registradas no hipocampo só a partir dos três anos de idade.
Escrevi um "turbilhão" no gd do Terra,em que demonstrei que há casos e casos.
Alguns só se lembram das suas vivências a partir dos quatro anos e meio.
Outros,já as tem a partir de um ano.

Minha primeira memória,me vê sentada numa cadeira alta,comendo sopa(mamãe me dava sopa)
Em seguida,eu,com uma dificuldade natural de fala(claroo...),pedia tomate.
(_mamãe, me dá toma...te...)

Depois disso,me vejo correndo pela casa, tentando cantar.
Isso mesmo,tentando cantar,acredite quem desejar.
"esse mar é meu,leva esse barco prá lá desse mar..."
Eu gostava muito de um rádio que hoje em dia,figuraria num museu,caso ainda existisse,e não tivesse ido para o ferro velho.

Seu texto foi suave e melancólico.
Mais tarde,comentarei mais.

Vou desejando agora um bom dia a todos.
Sem nostalgias excessivas,pois elas nos deixam tristes.
Carpe diem,com toda a "energia" possível.
Nascemos para bailar samba nos carnavais.

°°°°°°°°°°°

William Robson disse...


-o autor da reportagem se enganou "redondamente" numa afirmação que fez sobre o Budismo ser tolerante com "a vida sexual livre" e "com os vícios".
================================
Você se enganou na interpretação do texto:

Se você clicar no teletransporte de hoje entenderá o que estou dizendo.

Ser tolerante não é incentivar.

O budismo não condena ninguém ao “inferno” por ir a um prostíbulo, ele tolera, mas não aconselha que você se entregue ao prazer sexual desmedido.
Algo que eu mesmo escrevo muito.

Eu tolero o aborto, mas não é algo que eu desejasse que existisse.
Eu quero que todos tenham consciência da responsabilidade que é trazer uma vida ao mundo

Eu tolero a pena de morte, mas gostaria de viver em um mundo onde crimes não fossem cometidos.

Tolerar é ... tolerar.

É muito difícil explicar o óbvio.

William Robson disse...


“Eu não entendo porque lá no Blog Discussão Religião vc precisa ser colaboradora para participar e aqui não. O William sempre foi contra colaboradores e vc sempre aceitou numa boa.”
==============================
Apenas vou comentar o “sempre”.

No começo chamei todo mundo para participar, coloquei até um link para enviarem textos, até comprei um domínio para reproduzir o melhor possível o GD Terra, é evidente que distribuiria senhas de acesso.
Insisti para Nihil ser colaboradora e ela preferiu enviar alguns poemas para serem publicados por eu mesmo.

Inevitavelmente tive que mudar o foco do Blog, dei ênfase aos debates com meus amigos mortos e agora a comentar noticias e reportagens.

Houve uma mudança de foco, mas não foi “sempre” assim.

Eu mesmo não imaginava que fosse tão impopular...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAH!

Acredite, foi uma surpresa, mas não vou mentir dizendo que nunca passei por isso.
É que das outras vezes eram pessoas que não gostavam de debate.
Ser rejeitado até por pessoas que aparentemente tem o mesmo gosto por debate...essa foi a surpresa.

De qualquer forma também fiquei surpreso em saber que esse Blog tem leitores, mas essa foi agradável...

Bom dia a todos!
]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]][[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[

PS: Espero que esse Blog seja útil a maioria dos leitores, se não estiver sendo útil parem de ler, para que passar nervoso atoa!? É ILÓGICO.

Outro PS: Concordo com a Selma, também não entendo essa insistência da Nihil.
Sem contar que ela tem o Blog ONÍRICA.
Lembremos que a Nihil é Freudiana.
Freudianos desafiam qualquer lógica...

Daniel disse...

WILLIAM - Ocorreu uma “variação no fluxo de energia” [não sei como traduzir]

HAHAHAHAHHAHAHHAHA!

Acho que eu sei o que isto significa: é quando sabemos que pessoas queridas sofrem ainda (fatídico) com a interferência de mentes primitivas, mas sabemos que não podemos ir além do estabelecido para não inibirmos a belíssima liberdade de expressão de quem está conosco.
Assim como houve um natural processo de evolução para você não mais se deixar seduzir pela beleza e maravilha de alguns tipos de conversas religiosas, talvez este processo esteja perto de acontecer na vida dessas pessoas queridas. Ou jamais aconteçam. Mas jamais nós poderemos impedir que aconteça o que parecia estar predestinado a acontecer desde o início. E, inevitavelmente talvez (rs), você se limitará ao entendimento de que ela é a parte frágil e insensata da relação, e ela entenderá justamente o contrário. Feliz sina!

Daniel disse...

Claro que se fosse perguntar aos fetos que hoje nascem se eles prefeririam nascer sabendo que nós adultos jamais deixamos de dar importância aos bem materiais, a esmagadora maioria entender-se-ia como um fardo para os pais, como muitos pais jamais tiveram pretensão de esconder isto de seus filhos.
E por isso que filho mata pai e que pai mata filho.

Sonia Araújo disse...

Muito intrigante essa foto onde aparece um sujeito aparentemente morto e sangrando em segundo plano e em primeiro plano um garoto sorridente. De onde vc tirou essa imagem? Seria verdadeira ou montagem?

Para a Selma, disse...

...,para o sr.William,para o Denytus.

Por favor,vejam a vigésima segunda postagem da página linkada,e assim entenderão minha "insistência".

Quando eu disse que "me humilhei",é porque fiz isso mesmo.
Falei demais no assunto ali,e o próprio sr.William concordou que fiz isso.
A culpa pode ser minha,mesmo assim,acho bom seguir meus critérios,conforme expliquei no texto que ora estou postando.
Assim,me sentirei melhor.

Bom almoço aos leitores.

Daniel disse...

Gostaria de fazer uma pergunta aos leitores do blog.

Para você é coerente pensar que por você não ter uma carteira de motorista você não está envolvido em acidente de transito?

Daniel disse...

Srta Nihil, eu não quero me posicionar a respeito, mas gostaria de saber em qual frequência você sintoniza. A bem pouco tempo você dizia que se afastaria das salas de discussão. ..

Daniel disse...

http://www.youtube.com/watch?v=xxFXdMuqbMA

Documentário em inglês sobre mentes brilhantes.

William Robson disse...


“Claro que se fosse perguntar aos fetos que hoje nascem se eles prefeririam nascer sabendo que nós adultos jamais deixamos de dar importância aos bem materiais, a esmagadora maioria entender-se-ia como um fardo para os pais” [Daniel]
============================
Vixe! Que negatividade!
A maioria das pessoas desejam ser pais e recebem com muito amor seus filhos.
Viver é uma grande aventura e se tem uma família bem estruturada para nos receber porque não viver essa aventura?

Claro que minhas filhas me dão trabalho, mas é maravilhoso tê-las por perto, viver a paternidade.
Em uma comparação tosca:
É ruim ter que colocar gasolina e fazer manutenção no carro, mas a vida com carro é bem melhor.
Você é um cara sensato, tenho certeza que quando for pai irá entender.

William Robson disse...


“De onde vc tirou essa imagem? Seria verdadeira ou montagem?” [Sônia]
============================
Hoje em dia esta muito difícil dizer se uma foto é verdadeira ou montagem.

O cadáver me parece verídico, talvez a imagem do menino tenha sido sobreposta, mas “eu” apostaria que ele estava ali seu rosto apenas passou por tratamento, retoques.

Em muitos lugares é comum encontrar cadáveres nas ruas, as crianças infelizmente se acostumam com essa cena.
Aqui onde moro, encontrar um cidadão comum com uma pistola na cintura é motivo de alvoroço se estiver com um fuzil é caso de chamar a policia imediatamente, mas sabemos que em muitos morros e favelas a cena é comum.

Os cadáveres ficam horas na cena do crime e quem não é familiar até tira foto com o celular, o morto vira atração, enfim não sei se a foto é verdadeira, mas de certo corresponde a uma realidade bem observável.



PASSEANDO


Morreu na contra-mão atrapalhando o Sábado

MUITO ACESSADO


Nihil Metilene disse...

Boa noite a vcs.

Primeiro,irei treplicar ao comentário do sr.William sobre o assunto da Selma.

Eu não me tornei colaboradora no seu blog,no início,porque era difícil ficar mandando textos para o e-mail "publicar".
Mais fácil seria se tivéssemos a senha.
Uma vez que entendemos seu temperamento "restritivo" em seus assuntos,só usaríamos a tal senha,vez por outra,quando o caso fôsse bem especial.

Atualmente,não faço questão disso.
Recearia atrapalhar a sua rotina.
Teve uma vez em que perguntei,de brincadeira,se o sr.daria a senha a alguém.
O sr.não gostou,e não percebeu que havia sido uma piada minha.
Não lembro mais o motivo de eu ter feito isso.
Sei que foi naquele tempo em que eu queria que o sr.publicasse em destaque,minhas poesias.
Depois,o sr.criou o "Onírica" para mim.

Enfim,o tempo passou,as coisas foram mudando.
E o sr.não precisa mais se justificar para as visitas.
Eu esclareci para a Selma(espero que ela leia) que eu queria voltar a me relogar como colaboradora,principalmente por causa de quatro sutras budistas.
O restante dos textos que gosto de escrever,eu poderia continuar postando nos espaços de réplicas de lá.

Enquanto eu não for atendida em meu pedido,ficarei envergonhada de ficar aparecendo lá com frequência.
Então,vou tratar de ficar bem ..."sossegada" agora.

Nihil Metilene disse...

Enfim, se ela "fizesse o que eu queria", eu aceitaria as demais "condições impostas".
Trataria de me adaptar.

Nesse momento porém,não há muito "ao que me adaptar".

Talvez,em alguns dias,darei uma "passeada" por aquelas bandas.

William Robson disse...


“Para você é coerente pensar que por você não ter uma carteira de motorista você não está envolvido em acidente de transito?” [Daniel]
===========================
Você pode estar dirigindo sem carteira ou ser atropelado, de qualquer forma estará envolvido em um acidente de transito.

Nihil Metilene disse...

Para o Denytus.

Não entendi a primeira pergunta.
Não sei exatamente qual é a minha "frequência".

Há pouco tempo atrás,eu disse que me afastaria de salas de discussão.
É por isso que estou tentando resolver algumas questões atrasadas.
Minha relogação no blog vizinho,para eu postar aqueles quatro sutras budistas,os quais eu prometi ao sr.Buda,e à sra Avalokistewara que eu iria expor em algum site onde eles interessassem à muita gente(prometi isso em outubro),é um desses assuntos que eu gostaria de resolver nos próximos trinta dias.
Mas,esperarei o tempo que a Selma achar que eu devo esperar,e em preces,explicarei a situação para os meus santos.

O sr.William,há um tempo- começou uma coletânea de textos,baseados num questionário da revista Veja.
Eu percebi que alguns deles,eu não conseguirei comentar,e tratei de dizer logo.
Assim,ao invés de eu ficar tentando criar um assunto do "nada"- quando eu não conseguir,posso me ocupar de outros interesses na internet.
Mas,se o tema dele é um com o qual posso interagir,então interajo.
Apesar de que minhas idéias estão um pouco rarefeitas.
A "fábrica" está minguando.

Vai ter uma data,em que realmente estarei afastada.
Isso será logo após eu refazer a conexão com a internet,no segundo semestre.
Aproveitarei os meses subsequentes para atualizar as leituras.

Idem desejo ficar uns tempos perto do Teacher,no JD.
Enfim,eu precisava avisar isso,e avisei um tempo atrás.
Se eu sumir de um momento para o outro,vcs não irão estranhar.
Ainda bem que tem você aqui no blog,ainda bem que o sr.Robson Conti nos acompanha(talvez) e pode voltar para cá,a qualquer momento,ainda bem que vcs conectam com a galera do G+

É doloroso falar nesse assunto,pois sou-lhes apegada.
Como eu queria ganhar na loteria,para que a minha vida não precisasse mudar.

Daniel disse...

http://www.youtube.com/watch?v=e1IfaD-Visg

"Susan é a prova vida de uma teoria incrível a de que uma criança comum pode ser transformada em gênio."

Nihil Metilene disse...

Para o Denytus,segunda réplica.

°°°°Não sou motorista habilitada,e entretanto,em 2.011,quase perdi a vida numa acidente de automóvel.
Fui protegida "pelos santos" e não fiquei com nenhuma sequela,nem cheguei a me ferir.
"Quem se deu mal" foi a seguradora.
Gastou uma notona para consertar o carro da família.

Acredito que se eu tivesse carro,já teria visto alguns acidentes de trânsito,mas nunca me envolveria em um.
Mulheres podem não dirigir muito bem(por causa da insegurança),mas se envolvem menos em acidentes.

William Robson disse...


“Eu não me tornei colaboradora no seu blog,no início,porque era difícil ficar mandando textos para o e-mail "publicar".
Mais fácil seria se tivéssemos a senha.”
===========================
“Tivéssemos”!!!!
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAAH!
Ninguém se interessou nem em comentar nada.

Sabia que eu entrei em contato com duas pessoas por e-mail e elas educadamente deixaram claro que queriam distancia de mim?
Para quem eu iria mandar alguma senha? Me dê nomes ou niques.

Você não se lembra e esse não é um assunto tão importante a ponto de eu revirar arquivos atrás de comentários.
Mas uma vez constatado que era só você que participava eu propus te adicionar como colaboradora e você publicaria seus textos e você também se recusou.
Aliás foi essa recusa que me fez nem colocar mais o link “publicar”.

Depois você se interessou, mas eu não sou o tipo de pessoa que fica sempre a disposição dos outros a fila anda.

É igual quando você convida uma garota para sair e ela fica te esnobando, daí você desiste e se acerta com outra, quando ela vê que você esta com outra aí ela quer rever sua oferta.

Eu gosto de pessoas decididas, não quer diz que não quer, quer diz que quer.
Ninguém quis participar desse Blog...tudo bem.
Você quis ficar só nos comentários, fez o que quis e esta sendo muito bom, desenvolvemos temas interessantíssimos, de qualquer forma esse Blog acabou sendo meu e seu.
Qualquer um que lê o Filosofia Matemática ou Terapia da Lógica percebe que eles não seriam os mesmo sem sua participação.

Você não foi colaboradora com direito a senha porque não quis e quando quis eu já estava em outra configuração.

Como gratidão por sua companhia criei o Onírica para você, segui todas suas recomendações, você poderia escrever suas mensagens a Buda lá e colocar um link aqui ou no GD Religião, como você vê, você pede espaço o espaço lhe é dado e você não usa!!!

Sei que você é uma pessoas sensata e fará bom proveito desses comentários.
Espero que todos esse anos de Filosofia não tenham sido em vão.
Você tem se comportado infantilmente nessa questão de publicar textos 2013 é uma ótimo ano para amadurecer.
Publique seus textos no Onírica e participe do GD Religião e Terapia da Lógica.
É o que eu faço.
Publico meus textos nos meus Blogs e passeio por outros.
Essa lógica entra em sua mente?

Você é uma grande amiga virtual, não vou prosseguir nesse assunto que já foi longe demais, um forte abraço!

Daniel disse...

WILLIAM - Você pode estar dirigindo sem carteira ou ser atropelado, de qualquer forma estará envolvido em um acidente de transito.

Sim, supostamente.
Mas minha pergunta tem um sentido maior e mais profundo.
Será possível determinar todas as variantes ao nosso redor?
Por quais males você jamais desejaria ser acometido?
Pensar sobre a morte realmente faz qualquer pessoa mais prudente em detrimento das inúmeras situações da vida?

William Robson disse...


Será possível determinar todas as variantes ao nosso redor? [Daniel]
===========================
Eu já escrevi inúmeras vezes que não.

Nunca consegui eliminar a possibilidade do Acaso em nenhuma teoria.

Se tudo esta determinado não é do meu conhecimento, nem foi determinado por mim, logo não tenho controle.

Exemplo: Deus já determinou que amanhã irei ficar gripado, não há absolutamente nada que eu possa fazer. Não tenho controle sobre nenhuma variável.

]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]][[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[
Usando a Dialética do não determinismo:

Amanhã como todo dia planejo ir de moto trabalhar, mas ao acaso a moto apresenta uma falha mecânica.
Falhas mecânicas acontecem, minha moto passa por revisões periódicas, mas não dá para ter controle sobre todas as variáveis...

Está tarde, vou dormir, boa noite!

Espero que essa variável permaneça dentro do planejado...


Nihil Metilene disse...

Um abraço no sr.também,sr.William.

Vamos "esquecer" esse assunto.
No "destaque" do Onírica,por enquanto,eu vou publicar as minhas poesias que ficaram "sem teto".
Depois, repetirei os sutras lá,que eu já tiver publicado no "destaque" de outro lugar.

Daniel disse...

Um gênio é igual a trabalho e circunstancias de sucesso.

Daniel disse...

Eu já acho que podemos trabalhar nossa mente para entendermos mais da natureza das coisas, porque o que mais nos surpreender é a surpresa de um evento novo. O que é novo causa-nos pavor, e isto é fundamentado pelas nossas experiências de criança, porque nesse tempo de descobrimento temos medo até de passarinho que pia.
Se trabalharmos nossa mente nada poderá representar um grande perigo, e estaremos experimentados para muitas coisas. É como o entendimento antecipado dos eventos que desde cedo nos sobrevieram.
Seria um autocontrole exclusivo, um que não pode haver limitações.
Nada hoje pode surpreender-me porque faço o exercício de pensar em todas as coisas de maneira antecipada e precisa.

WILLIAM - Falhas mecânicas acontecem, minha moto passa por revisões periódicas, mas não dá para ter controle sobre todas as variáveis...

Você é quem prevê que sua moto pode apresentar falhas pelo estado que você conserva sua moto.

Daniel disse...

Nihil, já te ocorreu que você si sobrecarrega por ser tão emocional? Mas dai você me pergunta: qual mulher que não é? E eu faço :/ ...

tripitaka 907 disse...

Quaréplica ao comentário religioso do sr.William.
(quando o sr.ler,já será hora do "bom dia")

O Budismo "faz de conta que não vê alguns erros das pessoas",mas isso não quer dizer que os aceita.
Hehehehe!
Isso a minha religião tem de capcioso.
Nem sempre ela é o que parece ser.
Entre nós,certos temas são tabu(ou seja,não ficam sendo falados),e somos sempre muito delicados com todos.
Todavia,temos nossos meios de "restringir" os inadaptados.
Ou eles mesmo,acabam nos abandonando.

No Terra Pura,por ex, existe a história do refúgio nos preceitos.
O fiel só pode se refugiar em todos eles,quando "se sente seguro para isso".
Eu ainda não tomei refúgio em nenhum,só tomei refúgio generalizado,no Budismo.
Na Shinnio-en, quem erra ostensivamente,não pode praticar a meditação avançada.
(talvez eu nem devesse contar,mas como confio em vcs...)

Nas outras seitas budistas,precisamos mostrar que somos bastante confiáveis,e "humanos",pois a discriminação dos estrangeiros é severa.
O Budismo ainda é em parte,formado por japoneses.

"Fazer vistas grossas" não é exatamente o mesmo que tolerar,e é isso o que o Budismo faz a certas condutas,

_vistas nubladas.

Daniel disse...

A vida nos obriga a nos tornar mais reflectivos, e nossa obrigação é de tirar lições validas das coisas que nos circundam.

Eu imagino que para você é complicado se imaginar estando sem nem um dinheiro. Mesmo já tendo no passado ficado duro, hoje isso é doloroso só de pensar e, claro, você age de maneira a que isso jamais aconteça. Você trabalha os meios para conseguir as coisas, e é totalmente necessário que te sobrevenha uma consciência e ideia inteligentes sobre o que fazer com o dinheiro. Você não ignora e sabe que muitos têm problemas com isso, e você gasta horas a pensar sobre qual o melhor modo de aplica-lo. E isto o satisfaz ao final das contas, ou ao final da muitas horas dedicadas a pensar sobre o assunto. Você consideraria insensatez não se preocupar com isso, e entende que é um processo natural que qualquer pessoa se preocupe tanto como você para questões do dinheiro.

Nihil Metilene disse...

A Lilian(sobrinha do sr.Hosaka) já se formou,passou nos exames da OAB,vai casar,e "pior",
está perto dos trinta anos.

O tempo passa rápido.

se o texto é do sr.Hosaka,escrevo lá qualquer hora.
A restrição que me impus,não o inclui.

encrenca 1.161 disse...

Eu devo ser mais "emotiva" do que as outras mulheres,Denytus.
Escrevi sobre isso outro dia no blog da Selma,dizendo que por causa desse fato,tento permanecer numa conveniente superficialidade,e costumo ser meio palhaça.
Safo de Lesbos foi bipolar,ou seja,foi "bem pior".
E procurou equilibrar isso,com um excesso de atividades,e exacerbando sua verve para a comédia.
Seu lirismo talvez faça alguns chorarem,mas algumas das suas declamações,na verdade,eram piadas disfarçadas.

Eu ainda não aprendi a ser menos do que "emotiva".
Medito e pratico o Budismo,com o fito de "esfriar a cabeça" e tenho conseguido alguns bons resultados.

Tem pessoas que todavia dizem que temperamentos não mudam.
Que só podemos melhorar nossas inclinações,mas que nunca as perdemos.
Será?
É...eu sou "meio assim" há uns milhares de anos.
Tenho procurado tirar certo partido disso.
O lucro tem sido considerável.

Daniel disse...

Srta Nihil, você entende que haja algum conhecimento imprescindível para as pessoas saberem?
É imprescindível na sua opinião que todos conheçam ao budismo?

turbilhão 1.289 disse...

Para o Denytus,

as pessoas precisam ter bons conhecimentos variados,para melhor se conduzirem.
E intuir a si mesmo é imprescindível.
Isso não é conseguido só pela "interiorização".
O homem,ou a mulher,também sabem quem são,conhecendo ao mundo,e imaginando seus papéis a cumprir.

O ser humano é simbiótico aos seus deveres.
Entender o que pode acontecer nesse intercâmbio pessoal versus "situação exterior" completa o autoconhecimento.
Com uma autolucidez real,podemos ir mais longe nos nossos objetivos-

No mais,eu gostaria que todos conhecessem ao Budismo.
Que nossa igreja se expandisse pelo Brasil.
Isso por uma questão comodista.(haha!)
É que eu queria que houvesse um templo perto de casa.

tripitaka 908 disse...

Concordo com o sr.William.

Ninguém tem a chave do futuro.
Viver no mundo,é nos sujeitarmos à sorte.
Ela iguala todo mundo,chegando a tornar nossa onipotência,uma atitude risível.

Por que será que quando tenho idéia de descer para a praia,milhões de pessoas também tem a mesma idéia?
(fiuuuuu...)

revista realidade 190 disse...

É claro que a fotografia que o sr.William destacou no texto de ontem,é uma montagem.

William Robson disse...


Um gênio é igual a trabalho e circunstancias de sucesso. [Daniel]
============================
Circunstancias do sucesso = a sorte

Estar no lugar certo na hora certa.

Tenho certeza que em meio as mulheres muçulmanas há cérebros fantásticos, mas sem oportunidade de desenvolver seu potencial uma vez que uma formação superior lhes é negada pela tradição de sua religião.

Na tragédia da casa noturna muitas carreiras promissoras foram abortadas, as pessoas estavam em um lugar divertido, mas na hora errada...

Fatalidade, destino, vontade de Deus, obra do demônio, irresponsabilidade humana?

São muitas variáveis e possibilidades.

Milhares de casas noturnas funcionaram naquele dia até em condições mais precárias.
O incêndio não se alastrou, o que matou as pessoas foi uma quase imprevisível formação de gás cianeto, uma variável que escapou de todos...

William Robson disse...


Se trabalharmos nossa mente nada poderá representar um grande perigo, [Daniel]
===========================
Respirar cianeto destrói sua mente em segundos.

Você poderia se sentir seguro longe do fogo e nem se importar com o cheiro forte, poderia tentar ajudar outras pessoas, acontece que o cianeto te mataria do mesmo jeito, é uma reação química que não esta nem aí para suas ideologias e crenças.

Respirou... Morreu.

Daniel disse...

http://www.youtube.com/watch?v=eLawrQ1KQno

10 MANDAMENTOS, PORTA DOS FUNDOS.

Nihil Metilene disse...

Duas últimas mensagens do sr.William vistas e lidas agora.