terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Anular Gênero

Qual a sua opinião sobre os homens que ficam em casa cuidando dos filhos para que a mulher possa trabalhar?
__________________________________________________
b) Requer adaptação, mas poderá dar certo se o homem não se ofender.
__________________________________________________

  A possibilidade de dar certo é bem remota
  [Não estou dizendo que é impossível]

  Vamos imaginar que sua esposa ganhe 10 mil e você 2 mil.
  Sua renda é bem menor, mas é a SUA renda, ganha com sua capacidade.
  Sua esposa de posse desse bom salário não se negará a pagar ótima creche ou escola para os filhos.

  Essa idéia dominante que o melhor lugar para as crianças é estar “sempre” junto com os pais é algo que vejo com reservas.
  Na creche a criança tem contato com outras da mesma idade e é exposta a uma melhor disciplina social, percebe que ela faz parte de um todo e não é o todo, mas isso fica para outro texto...

  Se o trabalho de sua esposa exige muito dela não deixando muito tempo para você e os filhos... é uma situação muito triste, mas se não há outro jeito é preciso se adaptar a essa situação evitando também trabalhar em algo que tome todo seu tempo, afinal as crianças não pediram para nascer, se sua esposa não pode estar presente ao menos você tem que estar.

  Sua esposa deve repensar a importância do dinheiro em sua vida, se ele é mais importante que tudo, sinto muito, sua mulher pode ser uma excelente executiva que mantém o trabalho de muitos, alguém muito eficiente para nossa sociedade, mas como esposa... não foi uma boa escolha.

__________________________________________________
  c) Pode funcionar por um período emergencial, até que outra solução surja. Fora isso, é desmoralizante para o homem.
__________________________________________________

  Se não tivesse a segunda parte “desmoralizante” esse item seria o mais satisfatório.
  Nunca fiquei muito tempo desempregado, mas sempre que fiquei tentei ser o mais útil possível.
  Não tinha serviço doméstico que eu não fizesse ou cuidado com as crianças que eu não tivesse.

  Ficar desempregado é uma coisa se comportar como um inútil é outra bem diferente.

  Eu considero cuidar da casa uma atividade importante para o bom andamento familiar, não me sinto nenhum pouco desmoralizado.
  Mesmo que fosse uma situação de longa duração não vejo “desmoralização” nisso.
____________________________________________________
  d) Eu acho antinatural.
____________________________________________________

   Sei que esse item a princípio provoca uma aversão, mas ele não é tão abominável quanto parece.

  Inverter os papéis de “pai” e “mãe” não é natural.

  Porque comemos alface a não comemos capim?
  Sei lá! Ainda não conheci ninguém que gostasse de comer capim no entanto é raro encontrar alguém que não goste de alface.
  Comer capim é “antinatural” em nossa espécie, causa um estranhamento.

  Muito insetos são comestíveis, mas a maioria não é.
  Não é só uma questão de “condicionamento alimentar”.
  Embora possa acontecer, comer insetos é “antinatural” em nossa espécie.

  “Existem 1,5 milhão de espécies de insetos no mundo, mas apenas 1 662 são comestíveis.”

  Mesmo os povos que comem insetos, não comem todos os insetos.

  Podemos “deduzir” que comer insetos não é “natural” ao homem; é uma exceção à regra.

  Baratas são excelente fonte de proteínas, em caso de necessidade extrema comer baratas pode mantê-lo vivo, mas viver comendo baratas não é o sonho de vida nem dos povos comedores de insetos.

  Quero dizer que é natural o macho prover o sustento da família em nossa espécie.
  Cuidado com “modismos”, cuidado com pessoas que inventam o que é “Politicamente Correto”.

  Anular gênero pode ser politicamente correto, estar na moda, mas está longe de ser NATURAL.



“Toda mulher gosta de rosas.” ♫♫♫♫

  Não sei se toda mulher gosta de rosas, mas observo que quem nasce com útero gosta muito mais de flores ... é coincidência? É condicionamento social?

  “Decifra-me ou te devoro!”




anterior                      COMENTAR                                próximo
Postar um comentário