segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Tempo Perdido

  “O PT distribuiu panfletos afirmando que a cobrança de ônibus por trecho custaria o emprego dos que moram mais longe do centro.”

  Como seria se não houvesse distorção na tarifa de ônibus?

  Vamos audaciosamente onde nenhuma mente brasileira jamais esteve.
  Não vou engana-los, se eu fosse capaz de projetar com precisão tudo que iria acontecer com certeza seria um dos maiores gênios que já passou pela Terra.
  Mas eu não ser muito esperto traz uma vantagem para esse texto, se eu entendo qualquer um é capaz de entender e isso é muito bom.

  Usando o Capitalismo da maneira certa sem dúvida o sistema de transportes seria muito mais eficiente e nossa vida seria bem mais tranquila que a atual, pelo menos ao que se refere a nossas idas e vindas do trabalho ou de outro compromisso continuo.

  Hoje em dia como a tarifa é a mesma as pessoas não se preocupam onde irão trabalhar, a distância do local de trabalho não faz parte do planejamento de suas vidas.
  Para as empresas também não, basta o bairro da pessoa ter disponibilidade de ônibus coletivo e tudo bem, como todos os bairros tem transporte público, a distância não é levada em conta.

  Mas e se a cobrança for por trecho como propôs Celso Russomanno?

  Se ao contratar um trabalhador que mora longe aumenta os custos, as empresas irão dar “prioridade” para contratar quem more mais perto...isso é EXCELENTE!
  Trabalhar perto de casa é muito bom!



  Fico vendo algumas reportagens em São Paulo e Rio de Janeiro onde o trabalhador demora 2 horas para ir e 2 horas para voltar do trabalho, como o transporte está sempre lotado são 4 horas por dia de sofrimento.
  Se você trabalha 5 dias por semana são 20 horas perdidas de sua vida a cada semana. É muita coisa.
  Minha mente entra em vórtice quando observo essas coisas que não fazem sentido.
  Como uma pessoa pode não levar em consideração perder 4 horas por dia!?
  Se você consegue dormir 7 horas por noite seu tempo acordado é de 17 horas, isso significa que de seu tempo acordado cerca de 25% é todo desperdiçado indo e voltando do trabalho!

  Por vezes há empresas perto da casa do cidadão, mas ele consegue emprego em uma do outro lado da cidade, não raro no mesmo ramo de atividade.
  Tem uma lanchonete McDonald's há 5 quilômetros da casa do indivíduo, mas vai trabalhar em outra que fica a 20 quilômetros cortando o trafego pesado do centro da cidade.

  Portanto estimular as empresas a dar prioridade a pessoas que morem nas proximidades é excelente em praticamente todos os sentidos, desafoga o transito, diminui o consumo de combustível, diminui a poluição, melhora a qualidade de vida do trabalhador.

  Distância do local de trabalho deveria ser uma preocupação do indivíduo, o tempo que ele perde no transito afeta diretamente sua qualidade de vida.
  A distância de minha casa até o local de trabalho sempre teve um peso muito importante.
  Hoje em dia além de avaliar a distância temos que levar em consideração o transito, se eu for perder mais de 1 hora e meia no transporte entre ir e vir eu praticamente descarto, se perder mais de 2 horas com certeza eu descarto a não ser que seja algo muito compensador.
  Trabalhei anos na cidade vizinha de Indaiatuba, mas a pista é boa, o carro da empresa me pegava na porta de casa, entre ir e vir dava em média 1 hora e 20 minutos.

  Hoje em dia antes de uma empresa se instalar ela faz uma pesquisa de mão de obra disponível no local.
  Uma empresa grande vai se instalar onde tem mão de obra disponível, ela vai onde o povo está.
  É muito difícil uma empresa de grande porte que não tenha fretamento de ônibus.
  Essa pratica iria ser ainda mais incentivada, porque dependendo da distância que o funcionário mora, a cobrança por quilometro do ônibus coletivo pode ficar mais cara que o fretamento de ônibus.
  A empresa iria cortar custo ao mesmo tempo que ofereceria um transporte mais digno aos seus empregados.
  [Não se esqueçam que a cobrança máxima descontada em folha é de 6% do salário, já temos esse subsidio Federal]

  Pense bem!
  No ônibus coletivo geralmente você tem que fazer baldeação, no fretado não, você entra nele e desce dentro da empresa, vai sentado, sem ser encoxado...

  Por todos os ângulos que olhamos NÃO permitir distorção no preço da passagem e cobrar por quilometro rodado iria forçar toda a sociedade a repensar a distância e o jeito de se transportar para o trabalho, iria nos trazer para REALIDADE.
  Buscaríamos a maior eficiência, com ônibus entre bairros por exemplo.
  Hoje em dia mesmo você não tendo que passar pelo centro acaba passando porque ali é um ponto obrigatório de baldeação.

  Sempre que cobramos o preço justo o sistema e tudo a sua volta vai se ajustando quase a perfeição como uma máquina bem lubrificada e com todas as engrenagens bem posicionadas.

  Quando criamos distorções de preços somos obrigados a compensar fazendo gambiarras, adaptando engrenagens, colocando calços como compensações, ficando com a máquina comprometida e pouco eficiente.

Aqui no Brasil chamamos gambiarra de “jeitinho.”

  Quando tem gás encanado na casa é obrigatório usar uma mangueira trançada com malhas de aço, mas como ela é cara alguns dão um “jeitinho” colocando uma mangueira comum ... o sistema fica comprometido.
  Aumenta o risco de vazamento e por consequência explosão
 
  Conheci pessoas que sempre que o carro dava algum problema nem pensavam em comprar peças originais, elas são muito caras.
  Também preferiam usar aquele mecânico amigo que aparentemente lhe dava algum desconto.
  Com peças de segunda linha e profissional de competência questionável o carro vai perdendo sua confiabilidade, começa a quebrar no meio do caminho.
  Chega uma hora que fica difícil identificar o problema até para um bom profissional.
  O carro está tão cheio de gambiarras que é melhor passar para frente e comprar outro.
  Da até dó de quem comprar “carro Frank Stein”.
  O que eu posso dizer a vocês?
  O que parece barato por vezes sai muito caro, perdemos muito tempo e dinheiro.
  Custa nosso FUTURO.

  Lá no passado não muito distante nossos governantes priorizaram o uso de carros, ônibus e caminhões no transporte público e de cargas.
  Deixamos trens e metrô de lado.
  Sabiam que:

  “No dia 10 de janeiro de 1863, começaram a circular regularmente os metrôs em Londres.
  Um exemplo logo seguido por várias outras metrópoles, que também canalizaram o transporte público para debaixo do solo.
  O primeiro metrô do mundo foi criado por pura necessidade. No começo do século 19, as ruas da capital britânica estavam completamente entupidas de carroças, carruagens e ônibus de dois andares puxados a cavalos. O criador do trem subterrâneo em Londres, Charles Pearson, disse certa vez que a única solução para os constantes engarrafamentos era transferir o transporte coletivo para cima de viadutos ou para debaixo da terra.” [DW]

  Nova Iorque inaugurou o metrô em 1870 tem hoje 369 Km.

  Em 1935 Moscou já era Comunista e inaugurou seu metrô, hoje tem 185 linhas e cobre 305 Km.

  Pequim inaugurou o metrô em 1969 tem 450Km

  São Paulo inaugurou o metrô em 1974 tem 78 Km.

  Uma cidade com 1 milhão de habitantes como Campinas NÃO TEM METRÔ!

  Onde eu quero chegar?

  Tanto Comunistas quanto Capitalistas há muito tempo chegaram a conclusão que o transporte de massa nas grandes cidades deveria ser prioritariamente metrô/trem.

  Porque nós brasileiros apostamos tudo em um utópico sistema de ônibus coletivo?

  E como se não bastasse criamos uma enorme distorção de preço.         
  Tem mais, demos um “jeitinho” de acabar com as ferrovias e encher as rodovias de caminhões!!
 
  Quanto tempo perdido...

  “Todos os dias quando acordo
  Não tenho mais tempo o que passou” ♫♫♫♫

  O que vamos fazer hoje e com o tempo que está por vir?

  Você vota, você decide.




Anterior          COMENTAR        Próximo 
Postar um comentário