terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Concurso Público

  Um funcionário terceirizado merece ter todos os benefícios que tem um funcionário concursado?   

  A pergunta boa a fazer é:

  Porque um funcionário terceirizado ocupa o cargo que deveria ser de um concursado!?


  Vamos a uma ilustração.
  Digamos que o Mário Gatti para funcionar precise de 200 enfermeiros.
  Como é uma Empresa Pública e enfermagem é uma profissão diretamente ligada a razão social do hospital todos os enfermeiros deveriam ser concursados.
  Enfermeiros terceirizados deveriam ser temporários por motivo de emergência; epidemias e catástrofes.

  Todos os concursos tem cadastro de reserva, logo, se o Mário Gatti precisa rotineiramente de 200 enfermeiros não há razão para que eles não sejam concursados.
  Quando estiver acabando os candidatos de reserva é realizado outro concurso.

  Eu entendo a terceirização na limpeza, lavanderia, segurança...
  São serviços necessários, mas que não estão diretamente ligados a razão social do hospital que é tratar de doentes.
  O Mário Gatti [por medida de prevenção] deveria ser obrigado a ter pelo menos 30% desse pessoal contratado por concurso respondendo diretamente ao hospital.
  É preocupante que 100% da lavanderia, segurança ou limpeza fique por conta de uma empresa terceirizada.
  A mesma coisa em outros serviços especializados, o Mário Gatti deve ter seus próprios funcionários para manutenção e informática, mas como não estão ligados diretamente a razão social do hospital é aceitável 70% de terceirização.

  Pense em um Notebook, em uma situação normal você trabalha com ele conectado na energia elétrica, mas em caso de falta de energia você consegue trabalhar com ele por algumas horas.

  Quero dizer que o Hospital deve ter funcionários concursados em todas as áreas importantes para seu funcionamento, para não ficar totalmente dependente de uma empresa terceirizada.
  Já no caso das profissões diretamente ligadas a razão social do hospital como médicos, enfermeiras, anestesistas, operadores de equipamentos... todos deveriam ser concursados.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se a Empresa Pública tem excesso de terceirizados até nas funções diretamente ligadas a sua razão social ... algo está acontecendo de muito errado.



  Esse excesso de terceirização é preocupante até no setor privado, mas esse seria um outro texto.

  Atenção “malandros”, NÃO estou demonizando a terceirização só estou a questionando como fórmula mágica da boa administração.
  A terceirização é uma boa ferramenta, mas precisa ser usada com inteligência.

  Argumentam que a terceirização diminui custos, terceirizados ganham menos, tem menos benefícios.

  É preocupante um Órgão Público que deveria dar bom exemplo, contratar dois enfermeiros para a mesma função e deliberadamente pagar menos para um deles.

  Meditem comigo:
  Se a Unicamp pagar exatamente a mesma coisa a enfermeiros terceirizados e concursados não haverá corte de custos.
  Então porque não chamar o concursado que por MÉRITO tem direito a vaga!?

  Lembrem-se que os concursos são livres para qualquer cidadão que cumpra as exigências do cargo, os próprios terceirizados concorrem em igualdade de condições, se não querem ser terceirizados QUE PRESTEM CONCURSO.

  A gente racha de estudar, compete com centenas, milhares de candidatos, o concurso oferece 10 vagas.
  Se passamos entre os 10 não é garantia que seremos chamados temos que ficar em uma angustiante torcida.
  Se caímos no cadastro de reserva ficamos ansiosos pela chamada, que muitas vezes não vem, pois o órgão acaba contratando terceirizados ...
  Infelizmente os concursos públicos acabam virando um verdadeiro ESTELIONATO uma vez que todos são pagos.

  “Chega a 603 o número de candidatos que disputam cada uma das 1.500 vagas do concurso para técnico de seguro social do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que recebeu 904.459 mil inscrições - é a segunda maior relação candidato/vaga dos últimos anos, só perdendo para a da última prova para o Banco Central.”

  Imaginem toda essa gente pagando 60 reais em média para prestar o concurso, fora os gastos com estudo.
  É MUITO DINHEIRO!

  Nos concursos públicos há fiscalização muito rigorosa mesmo assim sempre temos notícias de fraudes ... é mais uma coisa que um “concurseiro” tem que lidar, concorrência desleal.

  Nas empresas terceirizadas a fiscalização é mínima durante a contratação, na maioria dos casos a terceirizada contrata sem dar maiores explicações, não é obrigada a isso por lei.
  Vejam o ridículo da situação:
  Algum parente ou colega é influente em uma Empresa terceirizada ele me arranja um emprego na Unicamp e depois de 3 meses eu sou na “pratica” um funcionário público!
  [Tenho total isonomia com o concursado.]

  Você acha justo isso?
  Enquanto tantos cidadãos sacrificam horas para prestar concursos eu entro facilmente indicado por alguém.
  Terceirizar em excesso o serviço público e criar uma isonomia entre funcionários públicos e terceirizados é um erro tão grande que é inacreditável que nossa sociedade defenda uma idéia dessas... tristes trópicos.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Sei que muitos terceirizados estão me odiando, peguem senha, entrem na fila.

  Vou terminar o texto me repetindo:

 “CADA UM DEVE CUIDAR DOS SEUS INTERESSES.”

  Quanto mais dinheiro vai para terceirizados menos verba sobra para eu enquanto funcionário público CONCURSADO.
  Os terceirizados tem direito de lutar pelos seus interesses e eu tenho direito de lutar pelos meus.

  Se os interesses dos terceirizados de isonomia for plenamente vencedor não tenho dúvidas que seremos todos perdedores.

  O Brasil continuará a ser o país do “jeitinho” e do "Q.I. " [Quem Indicou].
 
  Para se dar bem você terá que ter algum padrinho ou subornar alguém influente.





  “A terceirização é inaceitável em atividades finalísticas do setor público.
  Nessas situações, cabe ao Poder Público, ao invés de terceirizar, providenciar a criação dos respectivos cargos e a realização de concurso para o seu provimento.
  Diante disso, tendo em mente a advertência da doutrina no sentido de que “a contratação de serviços de terceiros, sem a prévia fixação de limites, por certo abrirá caminho para a imoralidade permanente”, é imperioso estipular parâmetros que, de algum modo, balizem o uso da terceirização por parte da Administração Pública Direta Federal.” [JUS/R7]


Anterior          COMENTAR        Próximo 
Postar um comentário