domingo, 13 de janeiro de 2013

Harmonia dos Contrários

 “O universo é uma harmonia de contrários.”
 [Pitágoras]

 Você conhece na Faculdade uma moça bonita, inteligente, simpática, nasce uma amizade que você começa a desejar que vá um pouco além.
  Vai convidar a moça para sair e comenta sua intenção com um colega e ele diz:

   "Você sabe que ela é HIV positivo?"

  Quantos de nós não daria a menor importância a essa informação?

  Vou ser muito sincero com vocês, para eu seria um balde de água gelada, a possibilidade de eu seguir adiante com minha intenção de namoro seria mínima.
 Sim, a amizade continuaria, o respeito continuaria, mas o desejo sexual ou de um relacionamento amoroso sumiriam quase que completamente.
  Pensaria em toda dificuldade que surgiria ao me relacionar com uma soro positivo.
  A medicina avançou muito, a possibilidade de nascer um filho soro positivo é bem menor hoje em dia, mas existe.
  O tratamento por enquanto é para o resto da vida e bem desagradável.

  Por mais difícil que seja a situação [por tudo que escrevo] seria hipocrisia eu condenar alguém por defender seus interesses caso isso não prejudique alguém “diretamente”.
  Logo, eu não tenho interesse em desenvolver um relacionamento que de saída já virá com uma carga extra de dificuldades, não tenho como me condenar por essa precaução.

  Não importa nem mesmo em que condição a moça contraiu o vírus, vamos dizer que ela deu azar, foi em uma necessária transfusão de sangue.
  Por pena da moça tenho que ignorar todo o transtorno que esse tipo de relacionamento pode trazer para minha vida?
  Minha intenção era um relacionamento amoroso e não de compaixão.

  Sei, sei você deve estar me achando um monstro, pensando só em mim e não me colocando no lugar da moça.
  Meditemos sobre isso.
  Se você é ateu sabe que o mundo está cheio de acidentes ao acaso, o mundo não é perfeito, a vida não é perfeita, se alguém está se afogando e você não sabe nadar, se atirar na água por “compaixão” só produzirá dois cadáveres.

  Se você é religioso entendo que a situação bagunce sua mente de uma maneira lamentável então como sempre você evitará pensar, agirá pelo instinto do momento.
  Mas se pensar...
  Onde estava o bom Deus quando permitiu que aquela boa alma contraísse a doença?

  E se ela contraiu a doença porque tinha uma vida promiscua? [de pecadora]
  A AIDS foi um castigo divino, se o bom Deus não a perdoou porque você se sente na obrigação de perdoar?

  O importante é você entender que cada um tem seus critérios, mas todos fazemos uma seleção natural de pessoas.
  De quem queremos ser amigos ou manter distância.
  Do colega que gostamos de trabalhar.
  Com quem desejamos procriar.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Todos nós fazemos “seleção natural” segundo nossos critérios.

   Ao evitar o namoro com uma pessoa portadora de uma doença grave estou fazendo uma seleção.

  A Eugenia errou em acreditar que havia uma espécie superior a todas as outras e que as inferiores [segundo seus critérios] deveriam ser eliminadas.
 
  "Não há solução para os males sociais fora das leis da biologia."
   [Eugenia]

  A Eugenia ignorou que somos seres emocionais.
  Nós temos sentimentos que vão além das “leis” biológicas.
  Uma pessoa mesmo não sabendo nadar pode se atirar na água para tentar salvar outra, para ela, viver sem ao menos essa tentativa não valeria a pena.
  Outras, ao contrário, não suportam nem a própria vida.

 "Querido mundo, estou deixando você porque estou entediado."
  Foi com esse recado que o ator americano dos anos 50 George Sanders se despediu da vida.
  Assim como ele, o jornalista e beberrão Hunter Thompson reclamou em sua carta suicida que era um baita tédio ter vivido 17 anos além dos 50 - e que não via a hora de se mandar.
   E mesmo Kurt Cobain deixou claro em suas últimas palavras que não via mais graça nenhuma em tocar para as multidões e estava de saco cheio de fazer música.
  Tudo indica que, quando o tédio bate de jeito, a história pode acabar mal.”

  Percebam que há pessoas que não querem morrer de jeito nenhum enquanto outras não suportam mais viver.
  Eu não entendo onde está a “superioridade” em se apegar a essa vida com unhas e dentes como se ela fosse algo extremamente prazeroso.
  Você deve me achar “doente” por pensar assim, me acha um ser “inferior” que precisa de ajuda.
  Eu apenas sou um tipo de humano entre vários outros tipos.

  Como há vários tipos de cães há vários tipos de humanos.
  Um pitbull é superior em força, um Labrador é superior em simpatia.
  Um pode ser mais eficiente vivendo pela força e outro pela simpatia embora nada impeça um pitbull de ser super simpático e um Labrador muito forte.


  Observem que mesmos saindo da espécie humana a dinâmica sugerida pela Filosofia Matemática se mantém. 




  Devemos buscar a harmonia dos contrários, a convivência pacifica respeitando as diferenças.

  Vamos audaciosamente onde nenhuma mente jamais esteve.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Há vários tipos de humanos e se pudermos manipular geneticamente certas características?

  Eu não vejo problemas, o risco como sempre é nos apegarmos em dogmas, NÃO PENSAR.
  É importante que você Livre Pensador medite sobre isso porque a medicina e nossos super computadores estão a ponto de nos oferecer tratamentos revolucionários em termos de saúde e estética.
  Hoje em dia é possível você escolher o sexo da criança, mas dizem que não é ético.
  Se um casal tem interesse em ter uma menina e temos tecnologia para isso que direito temos de impedi-los legalmente?
  Se um branquelo alemão com uma injeção pode ficar com a pele bronzeada e tem interesse nisso porque devemos impedi-lo?
  Se um negro tem interesse em clarear sua pele, seria um “pecado” contra sua raça?
  Se um japonês quer olhos “ocidentais”, qual o “real” problema?
  Se alguém de 1,60 metros quer ficar com 1,80 porque devemos negar isso ao indivíduo?
  O dogma é:

   Usar manipulação genética para curar doenças pode, usar para estética não pode..

  Por esse princípio deveríamos proibir o implante de silicones, mesmo que uma mulher se sinta muito melhor com seios maiores.
  Se quer se sentir melhor tome remédios, faça terapia, vá mais a igreja... por silicone não pode é uma “alegria falsa”.

  Para quem ainda não captou a mensagem:

  Estamos as portas da ciência tornar nosso conceito de raça muito subjetivo.
  Com o uso dos aviões misturamos demais nossos povos, com o uso da Internet misturamos demais nossas culturas, com os avanços da medicina podemos alterar demais nossas caraterísticas físicas.
  Caminhamos para ter super corpos e estéticas para todos os gostos.
  Sabemos que o diferente se destaca, um carro amarelo no meio de centenas de carros cinzas, chama a atenção, nos parece mais bonito.
  Quero dizer que se a maioria tivesse olhos azuis os olhos “bonitos” seriam os verdes ou castanhos.
  Para decifrarmos um enigma precisamos entender qual o problema proposto.

  Dizem que com intervenções estéticas todos ficaremos iguais, perderíamos a identidade individual.
  Como isso é possível se temos diferentes gostos!?

  Somos diferentes por dentro (mentalmente) e isso sempre se refletirá em nosso exterior.

  Por vezes definir algo como superior ou inferior é só uma questão de GOSTO.

  Razão e Emoção nem sempre contrarias, mas sempre necessitando de harmonia...






PS: Atente para o “caos” desse texto, a Harmonia dos Contrários.


      Assuntos tão variados que de alguma maneira se entrelaçam, se encaixam, dão uma organização ao pensamento.





Anterior          COMENTAR        Próximo 

Postar um comentário