domingo, 11 de dezembro de 2011

Qual é a Sua Condição?

 "Perseverança não é igual a merecimento."
[House]



  O grande problema com os livros de auto ajuda é que foram escritos por pessoas que alcançaram um sucesso razoável.
  Vejam o César Cielo, ele faz o que gosta na vida e conseguiu ser bem sucedido na carreira o que mais César pode dizer a você que não seja: 

 
 "Dificuldades existem, mas com Fé e perseverança você consegue superar todas elas".

  Poxa, que lindo! 
  Não foi qualquer um que falou, foi o César Cielo campeão de natação, se deu certo para ele irá dar certo para eu também...

  Medite um pouco, você realmente acredita que os concorrentes de César não perseveraram, não tiveram "Fé"? 
  Nadar 100 metros em menos de 1 minuto não é para qualquer um e todos seus concorrentes diretos fazem esse tempo.
  O cara tem que treinar e perseverar bastante.


  Lembram do Guga? 

  Grande tenista, sofreu uma lesão séria, quem pode dizer que não houve perseverança em seu tratamento?
  O Guga é um cara legal, se não acontecesse a tal lesão não tenho duvida que permaneceria por muito mais tempo no topo da carreira.



  Logo, tem esse lado da perseverança onde você treina bastante, persegue sua meta, obtém bons resultados, merece ser campeão, merece o cargo mais alto, mas... tem alguém que foi melhor que você.

  Vamos descer a um nível ainda mais profundo.

  Você perseverou, perseguiu sua meta, mas nunca a alcançou, nunca obteve nem ao menos o índice olímpico.

 
  Muitas pessoas se acham merecedoras das coisas pelo simples fato de terem tentado insistentemente.

  Vamos a uma ilustração mental.
  O Cara depois de cantar a garota por um ano acredita que merece namorar com ela.

  Por ele perseverar existe uma "lei cósmica" em que a garota "é obrigada" a namorar com ele. 😱
  Você pode jogar por 10 anos seguidos os mesmos números na megassena  se não acerta-los a Caixa não esta obrigada a pagar-lhe o prêmio.

  Sim , estou falando daquela triste situação a qual ninguém gosta de lembrar que acontece ,mesmo sendo tão comum.

  Nos esforçamos, damos o melhor de nós e não conseguimos sair da "mediocridade."
 (No sentido de estar dentro da média, não ser um grande destaque/sucesso)
  
  Para cada César Cielo há centenas de "atletas desconhecidos" que deram o melhor de si, mas conseguiram algum destaque só na região que moram.
  No caso do esporte sabemos que a genética influencia bastante.
  Cada corpo tem capacidade diferente de recuperação, respiração, desempenho muscular.  
  Eu nunca tive muito folego, jogando futebol conheci colegas que corriam os 90 minutos com uma vitalidade incrível, sem nenhum treinamento especifico, "nasceram assim".
  E comida?
  Tem uns que comem bastante e não engordam, outros engordam até com o cheiro da comida. 😊

  Mesmo que você tenha boa genética para o esporte que adora, tem o fator "sorte".
  Qual a estrutura familiar que nasceu?
  Pais que te apoiam emocionalmente e tem condições de te bancar? 
  Para nos mantermos no exemplo da natação ... é preciso ter fácil acesso a piscinas de boa qualidade.
  É preciso ter tempo disponível.
  Não precisa ser um gênio da filosofia para entender que se você nasce em "família precária" tudo fica bem mais difícil. 

  A "sociedade Freudiana" diz que se não alcançamos certa situação de sucesso é porque nos sabotamos, não perseveramos o bastante, não fizemos por merecer.
  A tristeza, a frustração toma conta de nós; afinal "tudo" dependia da nossa força de vontade e "falhamos com nós mesmos".
 

  Não estou sugerindo que você a partir de hoje fique radiante por NÃO ter realizado seus sonhos de grandes realizações. 


  Estou lhe apresentado evidências facilmente observáveis que por vezes nascemos com limitações além da nossa capacidade de supera-las.

  Todos nós nascemos com o desejo de ser o máximo.
  É saudável tentar superar nossos limites, mas é "doentio" não reconhecer que temos limites.
  Querer saltar sobre uma distancia que você não consegue ... alem de não te fazer alcançar a outra margem lhe fará cair no precipício.
   Uma situação pior que se você tivesse se contentado com o que já havia conseguido, se contentado com a mediocridade.
  Filosoficamente esta é uma das decisões mais difíceis a ser tomada, um enigma que só você pode decifrar.

  Até quando tentar?

  Um método eficiente é definir até o que esta disposto a perder, lembram sobre traçar um plano B e C?

  Exemplos:

► Ficar correndo atrás daquela garota faz com que você não preste atenção em outras garotas mais simpáticas a você, faz você perder um tempo precioso.
  Se imponha um "limite negativo".
  Estou disposto a perder até um ano tentando namorar com aquela garota se não conseguir desisto e parto para outra.


►  Vou apostar no meu comércio até o ponto que não colocar em risco a posse de minha casa própria.


►  Gosto da igreja que frequento  quero que ela prospere, mas contribuir com mais de 10% não irei fazer de jeito nenhum. 


►  Entendo a importância do meu emprego, mas se o excesso de trabalho esta me afastando de minha família é melhor pensar em outro emprego ou impor um limite de horas extras, não estou disposto a destruir meu casamento para colaborar com a empresa.

  O que estamos fazendo?
  Estamos estabelecendo condições para nossa persistência/perseverança.

   Leia seus livros de auto ajuda, siga aquelas formulas magicas, tente o máximo.
  Apenas sugiro que estabeleça seu "limite negativo" para caso não alcance seu sonho dourado, sua vida não se transforme em um pesadelo.
  Que a tristeza não se transforme em depressão, que a frustração não se transforme em inação.
  É possível ter bons momentos mesmo sendo medíocre, afinal você já é bem grandinho papai Noel e Felicidade não existem.
  Se dê algum presente, cultive momentos alegres.


  Minha condição para persistir em busca de um sonho é que essa busca não me deixe cego para a brevidade da vida.


  De que adianta chegar no topo e ao olhar em volta ver vidas arrasadas.



  “Não há a nada a perder, não há nada a ganhar.
  A não ser o prazer de ser o mesmo, mas mudar.
  Não há nada só bom nem ninguém é só mau.
  Se o início e o final de nós todos é um só eu digo: SÓ!”
 [Lulu Santos]


  “Eu” digo PÓ!




.