terça-feira, 3 de abril de 2012

Brasil X Argentina

  “Videla governou a Argentina nos primeiros cinco anos do regime e é considerado o principal arquiteto do plano de repressão estatal que resultou em 30 mil mortos e desaparecidos.
[Gustavo Hennemann]

  Mais uma vez eu reforço que para entender o que é escrito neste Blog o leitor tem que aceitar a possibilidade de que a vida não é exata, a perfeição não existe, soluções magicas onde os resultados são excelentes e não há nenhuma perda são uma UTOPIA.

  “Felicidade não existe o que existe na vida são momentos felizes”
[Odair José]

  Dito isso:
  Organizações de esquerda após exaustivos levantamentos apontam que houve no Brasil cerca de 400 vitimas da forte repressão do regime militar.
  Sem duvida são vidas, não é algo para ser desprezado. Principalmente para quem perdeu um filho, um pai, uma mãe é uma dor que não cessará nunca.
  Mas vamos a matemática, em 2010 no Estado de São Paulo houve 4.320 homicídios.
  É senhoras e senhores, todos nós estamos HOJE sujeitos a grande dor de perder um familiar ou um amigo querido.

 Eu sou um cara pragmático, prefiro gastar o dinheiro dos impostos combatendo as injustiças que acontecem na minha geração.

  Meu principal compromisso agora é em viver bem e deixar um mundo melhor para minhas filhas e sinceramente não vejo muita lógica em focar minha atenção em erros cometidos pela geração anterior, me basta as informações disponíveis, justamente para que eu não repita os mesmo erros, esta caçada as bruxas não nos traz nenhum beneficio.
  Que o ministério publico continue fazendo seu trabalho, punindo individualmente e LEGALMENTE quem teve alguma responsabilidade por excessos.

  Li o depoimento de uma manifestante que pichou uma calçada em protesto e o motivo alegado é que o “suspeito” tinha prendido e torturado jovens como ela!!!

  Não interessa nem saber o que o jovem fez, só o fato de ser jovem já o torna um ser maravilhoso.
  Quer dizer, todo jovem é um santo, uma folha em branco incapaz de qualquer ilegalidade ou maldade, todos nossos menores são seres maravilhosos...
  Mas voltemos a matemática.
  Quando um criminoso fica famoso, qualquer crime que aconteça ele é o primeiro suspeito, então até que se prenda o criminoso e se apure a autoria dos crimes muita atividade é atribuída a ele pela “fama”.
  Usando a dialética uma situação oposta também pode ser verdadeira, um criminoso cometeu mais crimes do que foram atribuídos a ele.
  Não me lembro bem, mas o “maníaco do parque” confessou o assassinato de cerca de 10 garotas isto não quer dizer que ele não tenha matado 20, como podemos confiar cegamente em seus depoimentos?
  O que não falta nas grandes cidades é foto de garotas desaparecidas.
  Então vamos dizer que a Ditadura Militar no Brasil vitimou 1000 pessoas, isto mesmo, vamos imaginar o pior cenário, percebem que é um percentual mínimo das 30 mil vitimas na nossa vizinha Argentina?
  Escrevo isto porque já cansei de ler nos jornais que o Brasil em relação a outros países da América Latina não tratou o julgamento da Ditadura com o rigor desejável.
  Caraca! É porque a nossa ditadura não foi tão rigorosa quanto as de nossos vizinhos!
  [Olha o óbvio aí geeennnte!]
  A América Latina teve muita sorte do Brasil não se tornar Comunista.
  Getúlio Vargas por sorte foi um “ditador” que não simpatizava com as teorias Marxistas, se Getúlio fosse Comunista provavelmente arrastaria o Brasil para este regime e com ele praticamente todos os países fronteiriços.

  Eu não estou aqui tentando transformar Castelo Branco ou Costa e Silva em heróis, só estou dizendo que Prestes, Fidel e Che Guevara também não o são.

  Todos sabem da minha isenção, analisando os fatos o único ARGUMENTO que consigo defender é que a Ditadura Militar dos males foi o menor.
  Bom mesmo é vivermos em uma Democracia Capitalista e pragmaticamente garantir que continuemos assim.
  “Não tenho tempo a perder, só quero saber do que pode dar certo.”


anterior                                           <>                                                próximo

                                                                     

Postar um comentário