sábado, 17 de março de 2012

Companheiros

  “Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.” [Guevara]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Com o passar dos anos meu “coração” ficou frio para muitas coisas.
  Não observo que eu tenha perdido a sensibilidade, apenas me conformo, aceito mais as opções das pessoas.
  Mas sim, ainda fico indignado com injustiças, tanto que ataco muito neste Blog a morosidade da justiça e as penas brandas.
  Se fico indignado com injustiças isto me torna companheiro de Che? Vejamos.
  Não gosto de ver ninguém passando fome, me comove muito, ainda mais se for criança.

  Com tanta fartura no planeta acho injusto que alguém passe fome, mas também entendo que comer do bom e do melhor não é para todo mundo, um dia talvez seja.

  Se encontro uma criança com fome minha primeira providencia é dar-lhe alguma coisa para comer.
  A segunda ação é saber porque ela esta passando fome, se é uma irresponsabilidade dos pais ou dificuldade financeira deles.
  Irresponsabilidade pode ser denunciada no Conselho Tutelar com profissionais capacitados para tomarem as devidas providencias. 
  Se for dificuldade financeira há programas do Governo e entidades assistências que podem dar suporte a esta família.
  Enquanto Governo devemos manter uma rede de proteção básica para os mais necessitados, como cidadãos é desejável que contribuamos com entidades assistências CONFIÁVEIS.
  Se você tem fartura em casa é CIVILIZADO repartir com quem não vive um bom momento, chamamos isto de FRATERNIDADE.
============================
  Homens como Che ficam indignados ao ver faltar pão para uma criança e elegem como vilão o padeiro!!
  O dono da padaria é um explorador de homens.
  “Exploração do homem pelo homem.”
  A solução é se apropriar do comércio e vender pão a preço de custo.
  Para Che o motivo da criança estar passando fome é o dono da padaria desejar ter LUCRO.
  Che condena a propriedade privada, condena o lucro.
  Bom, a indignação de Che diante de uma criança com fome é a mesma que a minha, no entanto a solução do problema caminha em direções opostas, logo não tenho como ser companheiro de Che.
  Eu entendo que o padeiro tem uma família e trabalha para sustentar esta família.

  Eu entendo que a criança tem uma família e preciso entender porque esta família não esta cuidando da criança.

  A família do garoto é que não esta funcionando.
  Che pega a família do padeiro que esta funcionando e a desmonta, incentiva até seus filhos a pegarem em armas e lutar contra tudo isto que esta aí.
  Isto alem de não fazer a família da criança faminta funcionar ainda prejudica  a família do padeiro.
  Isto é uma grande injustiça, o inocente pagando pelo pecador, fico indignado diante desta situação.
  Já para Che o inocente pagar pelo pecador não causa nenhuma indignação, os fins justificam os meios.
  Eu sou um Filosofo, tenho que meditar muito sobre o meio a ser empregado, não tenho formulas prontas, não tenho formulas magicas.
  A principio todo mundo é inocente, mas pelo mesmo principio ninguém esta acima de qualquer suspeita, acreditem nem a criança, ela pode ser uma mente [espirito] muito difícil de lidar, que foge de casa em busca de aventura, que mesmo com pouca idade é capaz de muita maldade.


"Entrei nessa vida por que vale a pena. Eu não tinha dinheiro e agora tenho. Sou menor e não vou ficar preso por muito tempo, daqui a três meses ou três anos eu saio. Vou ficar até matar ou morrer", enfatizou o menor.” [É proibido revelar o nome]


  Che gostava de jovens revolucionários, condenava a propriedade privada e considerava o lucro um grande mal...definitivamente eu e Che não somos, não podemos ser companheiros.
                                              



anterior                                           <>                                                próximo
                                                                        
                                                                   

Postar um comentário