sábado, 25 de fevereiro de 2012

Outra Face

“- Ele teve um desequilíbrio. Reconheceu que estava nervoso naquele momento – disse o coronel, que conversou com o sargento pelo telefone após tomar conhecimento do caso.”  [O Globo]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Policial agride estudante da USP.
  Não é propriamente sobre este acontecimento que irei falar apenas vou usar como gancho.
  Para trazer algum dinheiro para casa já trabalhei em muitas coisas. Aproveitando minha altura e um bom físico devido a musculação já fiz bicos como segurança.
  Por vezes já tive que respirar muito fundo e contar até 100 para não cometer um desatino.
  Sabe aquele cara fraquinho que você pode matar ou deixar sequelado com apenas um golpe e ele fica ali torrando sua paciência, sem ter noção do perigo fica colocando o dedo na sua cara confiante que não será agredido?
  E aquela mulher escandalosa que fica gritando com você na certeza que por ela ser mulher você não será capaz de agredi-la?
  Outra situação é daquele cara “importante” que quer te tratar como lixo e por você ser pobre ele imagina que você deve beijar o chão que ele pisa porque o que ele ganha em um dia você trabalha o mês todo para receber, por ele ser importante ele acredita que você em hipótese alguma irá agredi-lo.
  Nesta minha contagem até 100 eu ficava meditando o quanto aquela pessoa na minha frente não tinha noção do perigo que estava correndo, uma pessoa idiota abusando da sorte.
=========================
  Um segurança por mais treinamento que tenha não veio de outro planeta, ele é humano e você pode estar o provocando em um péssimo dia.
  Tenho uma coisa importante para falar a você.
  Nos trabalhos de segurança nunca encontrei um monge budista, padre, pastor e mesmo estes indivíduos são seres humanos sujeitos a todo tipo de explosões emocionais.
  Discutir rispidamente com um sujeito muito mais forte ou que esteja armado é uma IMBECILIDADE, é melhor serenamente buscar outro caminho ou até ceder, deixar para lá.
  Certa vez faltavam 2 horas para terminar meu turno [final de turno e dias quentes são situações criticas, cansaço e desconforto] e tive problemas com uma mendiga que começou a caçoar de mim, em uma fração de segundos a peguei pelo braço e a lancei uns 3 metros longe, só quando a vi deslizando por uma rampa é que me dei conta do que havia feito.
  Outra vez um cidadão importante veio por o dedo no meu rosto querendo dizer com que eu estava falando. Dei um tapa forte na mão dele e gritei: NÃO ME INTERESSA QUEM VOCÊ É!
  Ainda bem que ele afinou na hora, senão era outro que iria deslizar pelo chão...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
  Lembrei agora de um vídeo em que o cara para em um posto de gasolina e a frentista vai lá dando uma de super mulher por algum desentendimento, o cara deu-lhe um soco direto que ela desmaiou na hora.
  Em dois casos recentes clientes foram tirar satisfação com seguranças de banco e foram baleados, nos dois casos os clientes morreram por conta de um desentendimento na porta giratória.
  Então você que acompanha este Blog, tente manter a calma diante de alguém armado, mais forte ou em maior numero que você, mesmo que se sinta injustiçado.
  Pegar touro a unha pode ser um ato de coragem, mas para nós que somos Filósofos antes da ação tem que vir o questionamento.
  Porque eu vou pegar o touro a unha? Vale mesmo a pena? Eu “consigo” pegar o touro a unha?
   Jesus dizia que se lhe baterem em uma face que você lhe ofereça a outra.
  As coisas que meu amigo Sócrates falava irritava muito as pessoas e na falta de argumentos certa vez um cidadão deu-lhe um chute. 
  Do jeito que é narrada a historia tem-se a impressão que Sócrates poderia dominar fisicamente o oponente que não era tão forte, mas Sócrates preferiu se afastar e ir embora.
  Seus amigos lhe questionaram porque Sócrates não devolveu o chute com ainda mais intensidade?

  “Se um burro lhe desse um coice, faria algum sentido você dar um coice no burro? Você não estaria sendo mais burro que o próprio burro?”

  Meu amigo Sócrates era fantástico, ele já havia demolido as crenças daquele homem, ele entendia que diante daquela dor mental o chute que havia recebido era desprezível.
  Confesso que o exemplo deixado por Jesus não me agrada muito, ceder tão passivamente diante do mal, de uma agressão, acho uma Filosofia que deixa muito a desejar.
  Meu amigo Sócrates eu entendo completamente, mas não tenho a capacidade de manter tanta serenidade.
  De qualquer forma, seja você um Cristão, um simpatizante de Filosofia, ou uma pessoa que deixa a Lógica penetrar em sua mente, reflita bem antes de agir com violência, antes de retribuir um ato de agressão física ou verbal.
  Porque eu vou pegar o touro a unha? Vale mesmo a pena? Eu “consigo” pegar o touro a unha?
 “Decifra-me ou te Devoro!


anterior                       <>                                próximo
                                                                 

Postar um comentário