domingo, 19 de fevereiro de 2012

Dieta da Religião

 “Pra não engordar há quem coma somente verduras. Os elefantes só comem verduras.
 Pra não engordar há quem coma somente peixe. As baleias só comem peixe.”  [Edward Murphy]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Vamos meditar sobre o que a Nihil escreve com tanto empenho, sobre a piora da qualidade de vida quando mudamos de religião.
  Nasci em uma família católica e a vida sempre foi muito dura, com muitas carências, se a teoria da Nihil estivesse certa, em algum momento a vida de meus pais iria melhorar, iriam colher bons frutos, mas aconteceu inclusive a separação.
  Sabemos que tem muitas famílias católicas com membros bem unidos e prósperos, logo, não podemos dizer que quem é católico só coleciona sofrimentos.
  Como católico eu achava os protestantes muito estranhos, andando de terno no calor do verão e sempre com a Bíblia debaixo do braço.
  Ainda adolescente meu colega Valmir me convidou para um retiro espiritual da Igreja Presbiteriana e fui conhecer, assim mudei de religião. 
  Não, nunca fui capaz de andar de terno, sinto muito calor, mas a Bíblia me acompanhava por toda parte.

  Fiquei cerca de 3 anos na Presbiteriana, minha vida não melhorou absolutamente nada, só passei a conhecer muito melhor a Bíblia do que quando era católico.

  Já escrevi esta historia em detalhes então vamos avançar.
  Se uma pessoa esta bem em uma religião e tudo esta em paz só um certo masoquismo explicaria ela mudar de religião, conhecer outra por curiosidade...tudo bem! Mas mudar.
  Se a Nihil saiu de uma religião porque as coisas não estavam bem, ela não via bons RESULTADOS, então como ela pode culpar a atual religião por problemas que já existiam?
  Minha vida como católico era muito insatisfatória e como protestante continuou insatisfatória, não posso dizer que a nova religião mudou uma SITUAÇÃO que já existia.
  Como protestante minha vida piorou por motivos bem prosaicos, na católica eu ia uma vez por semana, na Presbiteriana eram 3 vezes, me tomava muito mais tempo, exigia muito mais minha participação, então o desgaste era maior não por questões espirituais, mas por motivos práticos.
  A Presbiteriana me tomava muito tempo e como o resultado “nesta vida” era nenhum fui desanimando de ir, ia pouco, mas me considerava evangélico, em casa lia a Bíblia e orava muito.
=========================
  Fui com minha mãe em um Centro Espirita, passei por um tratamento de 8 sessões e naquele ano muitas coisa aconteceram.
  A academia que eu dava aula e desfilava fechou, a principio parecia ruim, mas desfilar era mais divertido que rendia alguma coisa, muito trabalho, muita correria e pouco retorno financeiro.
  Junto com isso recebi uma promoção para chefia na empresa que eu trabalhava, esta era uma promessa do meu patrão de longa data e que nunca se cumpria.
  Meu salário dobrou e aí sim minha vida começou a melhorar um pouco.
  Logo, essa teoria do Budismo sobre um piora de vida quando mudamos de religião não verifiquei em minha vida.
  A Nihil já disse que a melhora da minha situação se deve a orações feitas há 3 ou 4 anos atrás!!!
  Eu chamo isto de viajar na maionese porque ela poderia falar 10, 15 ou 20 anos com o único objetivo de “justificar”  sua crença.

    Eu sou mais PRAGMÁTICO, se você frequenta uma religião, esta se sentindo bem, esta observando resultados, continue nela, oras! [não confundir com inventar bons resultados]

  Eu parei de frequentar o Kardecismo porque os resultados bons deixaram de acontecer.
  O que mais uma vez coloca em xeque a teoria do Budismo uma vez que depois de anos na mesma religião, participando direitinho não havia razão para a proteção desaparecer.
  Coloquem em suas mentes que a vida não é exata, utilize sua mente para analisar a situação.
   Comer verduras e peixes para não engordar?
   Orar assim ou assado para as coisa darem certo?
  Fique atento aos RESULTADOS, se sentir que esta só perdendo tempo mude de dieta, mude de situação, mude de religião, fique um tempo sem religião...
  Não tenho como te dizer exatamente o que fazer, você terá que conhecer a si mesmo, diferenciar realidade de ilusão.
Na realidade acho que esse botão não irá fechar a calça.


anterior                       <>                                próximo
                                                                        
Postar um comentário