quinta-feira, 6 de junho de 2013

Água no Feijão

  “O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, avisou que o governo estuda aumentar a importação do feijão para equilibrar o preço.
   O Feijão não pode faltar no prato do brasileiro.”
 [emcom]
 

  “O governo de Minas Gerais proibiu a plantação de feijão, de 15 de setembro a 25 de outubro, no Noroeste do estado, região que responde por 70% da produção do terceiro ciclo.
   A determinação é conhecida como vazio sanitário e visa a exterminar um vírus transmitido pela mosca-branca – a praga não causa problema ao ser humano, mas prejudica bastante a lavoura.
  O ciclo do inseto é de 20 dias. Daí a interrupção do plantio por 40 dias.”

  Vamos aproveitar o preço alto do feijão para conhecermos melhor o Liberalismo Econômico/Capitalismo.

  No Capitalismo devemos respeitar a dinâmica do Mercado o máximo possível.
  Intervir no preço de um produto ou serviço não é proibido, mas esse tipo de decisão deve ser meditado a exaustão.
  Darei um exemplo rápido.
  O feijão está com o preço bem elevado.
  Como nosso povo e Governo no geral não se interessam por “leis de Mercado” cria-se [digamos] “mandamentos”.

  1º Mandamento do feijão:

  "O feijão é um componente da cesta básica e tem que ter seu preço controlado pelo Estado."

  [Depois vamos flutuar pelas possibilidades de controle de preço] 

  Primeiro vamos questionar o “mandamento”.

  Porque é “pecado” o preço do feijão subir?

  Sabemos que houve uma quebra na safra é NATURAL  que o aumento de preço aconteça.
  Porque devemos nos alvoroçar em ir contra a natureza, me dê um argumento para ir contra a “sequência de eventos”:
 Safra quebra/preço sobe.

  Feijão é um alimento importante, mas ninguém vai morrer se ficar sem comer feijão.
  Com o preço alto acontece de imediato duas leis do Liberalismo [Leis de Mercado]

1 – A venda do produto despenca, diminuindo a DEMANDA.
   Só compra quem pode ou gosta muito de feijão.  

2 – Quem vende tem um bom LUCRO porque o produto está VALORIZADO.
  O lucro atrai mais investidores a produção aumenta EQUILIBRANDO O MERCADO. 

  Percebem?

  O preço sobe e desce sem nenhuma intervenção do Estado.

  Quando o Estado intervém ele distorce o PREÇO JUSTO.

  Como é “pecado” o feijão subir de preço o Governo pode decidir subsidiar o produto pagando parte de seu preço, acontece que o dinheiro do Governo não é propriamente dele, é o dinheiro dos impostos é o SEU DINHEIRO.

  Toda sociedade paga o subsidio, pasme, até QUEM NÃO COME FEIJÃO!!

  Um dinheiro que poderia ir para Segurança, Educação, Saúde, Infra-estrutura...vai para garantir o “sagrado direito” de todos pagarem um preço baixo pelo feijão.

2º Mandamento do feijão:

  “Não pode faltar feijão na mesa do trabalhador”.


  Meditem sobre esse segundo mandamento, depois continuamos.





anterior                       <>                                próximo


----------------------------------------------------------------

Postar um comentário