segunda-feira, 29 de abril de 2013

Democracia de Verdade !?

Em uma Democracia de verdade:
  (Questões Revista Veja)


____________________________________________
  a) As questões fundamentais seriam decididas em plebiscitos.
      Só eles são fiéis à vontade popular.
____________________________________________

  Meditemos sobre Plebiscitos.
  Eleições custam caro é preciso montar uma grande logística senão são facilmente fraudáveis.
  Se a população é pequena em um território compacto como a Suécia ou Suíça fica mais fácil, mas esse não é o caso do Brasil com grande população e grande território.
 Citei esses dois países porque vejo na Internet muitas comparações estapafúrdias do Brasil com eles.
  A Suécia tem cerca de 10 milhões de habitantes, não dá uma grande São Paulo.
  O Brasil tem 200 milhões de habitantes tudo precisa de uma organização e custos bem maiores.

  Nesse caso esqueça a proporcionalidade, embora nossa economia seja maior somos muito ineficientes.

  Não pense só no “custo” logístico, tem também o custo do CONVENCIMENTO.

  Lembram do plebiscito sobre armas?
  É preciso grandes campanhas para esclarecer a população, campanhas custam dinheiro, sempre tem o grupo pró ou contra, os políticos são obrigados a tomar posição.

  Sem contar que o plebiscito é um pensamento linear SIM/NÃO.

  Pensamentos lineares são insatisfatórios com relação a situações complexas.

  O caso das armas é um ótimo exemplo.
  O NÃO para desarmamento “ganhou”. 
  No entanto, na pratica é como se o SIM para desarmamento tivesse ganho.
  O governo petista que queria o SIM, encheu de burocracia a aquisição de armas pelo “cidadão comum”.
  Claro que querer ter armas não significava um “liberou geral”, mas o Governo exagerou na exigências.
  Tente adquirir uma arma legalmente e veja quantas restrições, se os marginais ligassem para lei nenhum andaria armado. 😆

  Por vezes me pergunto, aquele plebiscito sobre armas foi feito para quê?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Essa questão da revista Veja deixa muito a desejar quando diz “Democracia de Verdade”.

O que é Democracia de Verdade?

  Sabemos o que não é Democracia.

  Sem liberdade de expressão, eleições honestas, sigilo no voto e abrangência do eleitorado entendemos que não há Democracia.

  Satisfeita essas condições básicas a Democracia pode assumir inúmeras formas o importante é que seja PRAGMÁTICA, traga bons resultados para a população em geral e respeite as minorias.
  Entenda “abrangência do eleitorado” como sendo permitido o voto a todo cidadão com mais de 14 anos independente de sexo, cor, raça, religião ou ideologia.
  O voto deve ser permitido e não obrigatório, eu democraticamente poderia me abster de votar.

  Plebiscitos podem satisfazer essas condição básicas e serem “extremamente democráticos”.
  O problema está aí ... extremo, excesso.
  Até Democracia demais pode ser um perigo.

  Para inúmeras decisões é preciso conhecimento técnico e a “massa” se guia mais pela emoção, pelo impulso.

  É importante que o indivíduo ao se sentir preparado para um cargo eletivo se candidate ... se essa for sua vontade.

  Mais importante ainda é [caso ele não se sinta preparado ou não seja “popular” o bastante para competir] votar em alguém que ele acredite que esteja preparado e tenha boa aceitação entre a população.

  A qualidade política/administrativa está ligada a capacidade da “massa” [entenda como maioria] de eleger bons representantes.

  A “Democracia Representativa” é mais eficiente que a “Democracia Plebiscitaria”.

  O importante nesse texto é você meditar se a vontade popular tecnicamente é realmente sempre o melhor para o país.

  Essa ideia “talvez” venha de um DOGMA:

“A voz do povo é a voz de Deus.”

  Como “teoricamente” Deus está sempre certo, o povo estaria sempre certo.
  Não vou desviar o texto para crenças religiosas.
  Apenas digo que a massa não está sempre certa, muitas vezes age emocionalmente movida por achismos, o efeito “manada”.

  Se Deus está sempre certo nem sempre o povo o ouve .😆

  Quer uma ilustração mental?

  Qual o resultado de um plebiscito que elevasse o salário mínimo para 3 mil reais?

  É bem provável que o SIM para esse salário sairia vencedor.
  O povo acredita piamente que só não é estabelecido esse salário porque Governo e Empresários não querem.
  Não dá nem para explicar que é impossível porque não é, basta o Governo imprimir mais dinheiro.

  Quantas pessoas da massa sabem da história do “padrão ouro” ou o que é “Lastro Monetário”?

  Para um grupo populista basta o slogan: 3 mil reais já!
  Para um grupo PRAGMÁTICO passar conceitos básicos de economia não seria nada fácil, passar conceitos complexos...prefiro nem comentar, a massa é “medíocre” ... no sentido de ter pouco conhecimento técnico sobre economia.

  Vamos para o cenário onde o Sim para salário mínimo de 3 mil reais ganha.
 
  Pense agora que você é dono de uma padaria.
  O salário mínimo estava em 700 reais e passou para 3 mil.
  Você vai dar um aumento de 420% a balconista.
  Claro que o padeiro com todo seu conhecimento técnico não vai aceitar ganhar o mesmo que um profissional menos qualificado.
  O padeiro ganhava 3 mil.
  Para manter a proporção o padeiro passaria a ganhar cerca de 12 mil.
  Sua folha salarial aumenta 420%.

  Tudo que você compra para a padaria sobe na mesma proporção, lembre-se que o fabricante de farinha de trigo também será obrigado a pagar o mínimo de 3 mil aos funcionários dele e os técnicos ganharão mais.

  [Estou fazendo cálculos bem toscos para facilitar o entendimento.]

  O pão que você paga 40 centavos passaria a custar 1,65.
  Teria um aumento de 420%.

  Você lembrou do plebiscito/referendo das armas onde gastamos uma dinheirama para ficar onde já estávamos ou pior?

  Ah garota, ah muleque ...então fica mais fácil continuar...



   Porque não podemos imprimir dinheiro sem lastro?




anterior                       COMENTAR                              próximo

--------------------------------------

O QUE É DEMOCRACIA DE VERDADE?
.
  Sabemos o que não é Democracia.
.
  Sem liberdade de expressão, eleições honestas, sigilo no voto e abrangência do eleitorado entendemos que não há Democracia.
.
  Satisfeita essas condições básicas a Democracia pode assumir inúmeras formas o importante é que seja PRAGMÁTICA, traga bons resultados para a população em geral e respeite as minorias.
  Entenda “abrangência do eleitorado” como sendo permitido o voto a todo cidadão com mais de 14 anos independente de sexo, cor, raça, religião ou ideologia.
  O voto deve ser permitido e não obrigatório, eu democraticamente poderia me abster de votar.
.
  Plebiscitos podem satisfazer essas condição básicas e serem “extremamente democráticos”.
  O problema está aí ... extremo, excesso.
  Até Democracia demais pode ser um perigo.
.
  Para inúmeras decisões é preciso conhecimento técnico e a “massa” se guia mais pela emoção, pelo impulso.
.
  É importante que o indivíduo ao se sentir preparado para um cargo eletivo se candidate ... se essa for sua vontade.
.
  Mais importante ainda é [caso ele não se sinta preparado ou não seja “popular” o bastante para competir] votar em alguém que ele acredite que esteja preparado e tenha boa aceitação entre a população.
.
  A qualidade política/administrativa está ligada a capacidade da “massa” [entenda como maioria] de eleger bons representantes.
.
  A “Democracia Representativa” é mais eficiente que a “Democracia Plebiscitaria”.
.
_________________            

#Democracia

Postar um comentário