sábado, 13 de abril de 2013

Torcer o Pepino

  “É de menino que se torce o pepino.”

 [Expressão indica que se deve corrigir os defeitos morais da pessoa quando ainda criança]

  Seu filho de 11 anos bateu em um colega no recreio, você:
  [Questões revista Veja]

a) Antes de mais nada, quer saber o que o outro menino fez para apanhar. ​​
  Algum motivo deve haver

b) Conversa com seu filho para saber por que ele anda tão irritável.

c) Marcar um encontro com os pais do coleguinha e obriga os meninos a pedir desculpas um ao outro.

d) Nem quer saber o que o outro menino fez.
  Bater não é uma reação aceitável, seu filho vai ficar de castigo um mês.


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Defendo que os adultos não devem se intrometer em demasia no relacionamento das crianças, é um mundo muito a parte.

  Não existe fórmula mágica para viver, cada um vai encontrando seu caminho de acordo com suas características.
  Mesmo sendo da mesma família, com criação muito semelhante, nem irmãos são iguais nos enfrentamentos de problemas.

  Os pais também variam ao infinito.
  Minha esposa é mais protetora, eu estimulo minhas filhas a resolverem seus problemas.

  A orientação que dou a minhas filhas é evitar a violência, não bater em ninguém, mas se forem atacadas devolvam a agressão.
  Se o oponente for muito mais forte ... corra! 😁

  Sou coerente com minha Filosofia.
  Não observo que nascemos folha em branco.

  A grande maioria das crianças não são violentas, minhas filhas não terão problemas com elas.

  Devem se preocupar com os indivíduos violentos, eles só respeitam a força, quem demonstra muita fraqueza consegue desprezo ou sofre opressão.

  Quem nasce violento respeita os fortes e despreza os fracos.

  Não se trata nem de perder ou ganhar uma luta, se trata de não se deixar dominar.
  A outra criança tenta te fazer de capacho e mesmo levando a pior você deixa claro que ela sempre terá dificuldade em te subjugar, você terá o respeito dela que “geralmente” procurará um alvo mais fácil.
 [Não vou complicar o texto falando de psicopatas cuja ações são difíceis de prever]

  O oponente sendo muito mais forte, encara-lo não é lógico, se você não for masoquista é melhor manter distância ou buscar proteção na direção da escola.

  O que me provocou nessa questão foi exatamente essa parte.

  O que permitimos que a direção da escola faça?

  Hoje em dia nossa Sociedade não oferece dispositivos para a diretoria da escola enfrentar esse tipo de situação.
  A primeira medida é a professora conversar com a criança violenta, mas se o indivíduo nasceu só respeitando a força o diálogo é pouco eficiente.
 Não adianta a outra parte ser forte se não vai ou “não pode” usar a força como é o caso da professora/diretora.

  A segunda medida é entrar em contato com os pais do agressor.
  Se o pai for igual eu duras medidas serão tomadas.
  Se eu ficar ciente que minha filha é uma criança violenta e mesmo com aplicação de punição ela continuasse agredindo outras crianças eu tentaria convence-la a praticar algum esporte que gastasse bastante energia, onde ela pudesse canalizar sua agressividade para ganhar competições esportivas.

  Não acredito que a pessoa escolheu ser violenta [pavio curto], não escolhemos o que sentir.

    A agressividade está aí e minha filha terá que dar vazão a ela de alguma forma, tentarei que não seja batendo gratuitamente em outras crianças.

  Em Psicologia eu não acredito, tenho sérios problemas com as teorias de Freud.

  A Psiquiatria em último caso poderia ser tentada, seria horrível ver minha filha depender de drogas para se manter sob controle, mas é melhor que sair por aí prejudicando a vida de outras pessoas que não tem nada a ver com o problema.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   E pais que visivelmente não tem nenhuma autoridade sobre os filhos?

  Para alguns pais se a criança bate em todas as outras é motivo até de orgulho, acreditem, eu já vi isso.
  Quando a criança aprende a falar algum palavrão é festa.
  Enquanto o filho deles está batendo eles nem ligam, só viram bicho se o filho apanha.
  O pestinha não dá um tempo na sala de aula e se a professora falar mais alto com a criança [o que hoje em dia pode ser registrado em qualquer celular] a professora estará em graves apuros.

  O que permitimos que nossas escolas façam com crianças indisciplinadas e violentas?

NADA!

  Sou a favor de proporcionalmente ao número de habitantes termos escolas rigorosas com disciplina militar para os casos mais difíceis, são os famosos “internatos” que existiam antigamente.
 Claro que hoje seria mais light, a criança não ficaria internada, nossos meios de transporte evoluíram bastante.

  Sei que com a mentalidade atual de nossa Sociedade tem gente que lê isso e me acha ridículo, idiota.
  “Freudianos” são brandos até com menores assassinos imaginem com crianças indisciplinadas na escola.
  Eu é que sou um monstro, propondo “traumas psicológicos” a crianças agressivas.
  Quanto aos traumas psicológicos que crianças violentas provocam em crianças pacificas... isso é proibido debater, não é “politicamente correto”.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Com dialogo não se consegue tudo por vezes é preciso o uso da força, porque?

  Alguns indivíduos [geneticamente ou espiritualmente, como preferir] respeitam os fortes e desprezam os fracos...ou que agem como fracos.

  Sei que "os politicamente corretos " preferem frases bonitas como:

“Só os fracos fazem uso da força.”

  Nós pragmáticos, priorizamos o diálogo se ele não for eficiente a força sempre é uma opção.

  “Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada.”
 [Edmund Burke]

  As crianças e adolescentes violentas continuarão triunfando enquanto optarmos por não fazer nada.
  Daí na fase adulta é pepino... [encrenca]


 Professora reage a "má criação" de aluna em sala de aula.






anterior                      COMENTAR                              próximo
Postar um comentário