quinta-feira, 25 de abril de 2013

Não Discriminar os Bons

  É comum eu ver pessoas indignadas ou maravilhadas com declarações que alguma celebridade ou autoridade expõe na mídia.

  Se a autoridade fala algo que o indivíduo concorda ele fica maravilhado.
  Se a autoridade fala algo que o indivíduo discorda ele fica indignado.

  Caraca mano!
  Todos temos direito a emitir nossas opiniões.
  Autoridades e celebridades não são exceção a regra.
  Entendo que o que um ministro, governador, cantor, ator ... falam repercuti muito mais do que o comentário de um cidadão pouco conhecido.
  É prudente que quem influencia muitas pessoas seja mais comedido sobre o que fala, mas não deve se cerceado em sua liberdade de expressão.

  Veja esse comentário do Ministro de Dilma:
_________________________________
 "REDUZIR A MAIORIDADE É UMA LÓGICA QUE NÃO TEM SENTIDO, porque se hoje a gente diz que as quadrilhas usam meninos de 16, 17 anos, daqui a pouco vai ser o de 12, o de 10.
 Temos de atacar a causa, que é uma questão histórica da exclusão, a falta de oportunidades, A DISCRIMINAÇÃO DA JUVENTUDE NEGRA".
__________________________________

  

  Tenho certeza que o ministro emitiu uma opinião sincera, defendo o direito dele fazer isso, mas não sou obrigado a concordar.

 É importante termos um bom conhecimento de História porque o passado justifica [ou não] o ​​presente.
 Observe bem o que o Gilberto está nos sugerindo.
 De 1888 até 2003 a população negra foi excluída de qualquer possibilidade de progresso material, “uma questão histórica de exclusão”.
  Logo, a justificação de Gilberto para o Governo Dilma ser contra a redução da maioridade penal é que até 2003 a população negra sofreu forte discriminação que só começou a ser resgatada a partir de 2003 pelo Governo do PT.

  Em resumo, precisamos resgatar “dividas sociais históricas” desde o fim da escravidão!

  O problema com essa justificativa do Gilberto é que desde que me conheço por gente nunca observei no Brasil uma forte segregação racial ou exclusão.
 Minha geração não viu isso, não viveu isso.

  Crianças tem uma fraca noção do que é politicamente correto então fazem coisas que adultos não fazem...ao menos de forma explicita.
  Na infância você é zoado por qualquer coisa.
  Gordo demais, magro demais, se usa óculos, se é baixo, se é alto, se gagueja, se tem orelhas grandes, se é muito estudioso, se só tira notas baixas, se é branquelo, se é neguinho...

  Nós não mudamos muito, apenas fazemos comentários mais reservados em nome do politicamente correto e para não transformar um simples comentário em um ambiente de guerra.

  Nas empresas qualquer coisa que puder ser zoada será zoada, é uma forma de puxarmos assunto, rir um pouco, passar o tempo.
  Zoamos até com amigos, imaginem com desconhecidos.
  Tenho um colega que anda com uma garrafinha de água no bolso de trás da calça social, “EU” acho muito estranho, mas já me acostumei com a visão.
  Como não sou politicamente correto já disse para ele quanto acho engraçado ele andar com aquela garrafinha atochada no rabo...
😆
  Ele visivelmente não se importa com meu comentário nem se digna a responder e continua colocar a garrafinha no bolso de trás.
  Eu o entendo perfeitamente, ele é uma pessoa “adulta”, talvez lá no colégio se importasse com essa zoação, mas hoje em dia a garrafa é dele, a calça é dele, não está cometendo nenhum crime, e não se importa que eu ache estranho e até me divirta com isso.
  Ele é evangélico e também não esconde que me acha muito esquisito, quando me ofereço para explicar a bíblia para alguém ele corre a dizer:

  “Não escuta esse cara, nunca conheci alguém tão esquisito, ele vive em um mundo só dele”.

  HAHAHAHAHHAHAHA!
  É engraçado porque é verdade, também me acho esquisito, não me encaixo bem no mundo.

  Percebem?
  Nós nos “excluímos”, nos “discriminamos”?
  Sei lá, SOMOS DIFERENTES.
  Nos zoamos por isso, mas acreditem, há um enorme carinho entre nós.
  Ele é daqueles religiosos fervorosos e eu...vocês sabem, sou muito esquisito...

  Vamos voltar a opinião do Ministro Gilberto.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “Temos de atacar a causa, que é uma questão histórica da exclusão, a falta de oportunidades, A DISCRIMINAÇÃO DA JUVENTUDE NEGRA".
[Gilberto Carvalho]

  O fato é que um cidadão que tem 18 anos hoje [2013], nasceu em 1995, matemática elementar.

  Gente, gente, gente que exclusão ou discriminação tão grande esse cidadão sofreu que justifique sair roubando e matando por aí!?

  Parece que só eu vivo em 2013!
  Outros pensadores iguais o Gilberto parecem estar em 1913, um mundo filosoficamente 100 anos distante do meu.

  Não podemos punir mais rigorosamente o menor infrator negro porque temos uma “dívida histórica”.
  E o menor infrator branco?
  Em nome de que não podemos reduzir a maioridade penal para ele!?

  Será que só minha TV é esquisita porque nela eu vejo menores infratores brancos, que dívida a sociedade tem com eles?
  Se fosse só na TV [a “mídia burguesa”] já seria preocupante, mas tive uma infância difícil, posso afirmar que bandidagem não tem cor ou raça.
  Conheci maus elementos de todos os tons de pele.
  Vamos além.
   Países como a Inglaterra punem duramente menores infratores, lá a maioria esmagadora é branca.

  Se um bom padrão social é suficiente para que menores não cometam crimes porque não observamos o fim da delinquência juvenil em nenhum país, mesmo os desenvolvidos?

  Fica até estranho, como se tivéssemos o Príncipe das Trevas atuando em nossa sociedade.
  O bom garoto branco pode ser “punido/discriminado” pelo sistema de cotas, mas se ele for um mau garoto branco que entre para o mundo do crime não cabe punição em nome...nem sei de quê... Igualdade racial? Estatuto da criança e adolescente?

  O Estatuto da criança e adolescente não proíbe que uma criança seja preterida em uma vaga em função da cor da sua pele!?

  Percebem a INCOERÊNCIA, a falta de lógica por toda parte?

  Não estamos meditando sob as luzes da Filosofia, mas de IDEOLOGIAS.

  Cada povo tem suas peculiaridades culturais por tanto evitei nesse texto ficar comparando o Brasil com outros países até porque já fiz isso nos textos anteriores falando da bizarrice nas culturas.
  No Japão por exemplo os homens adultos são tarados por estudantes adolescentes, lá é comum garotas de 14 anos postarem fotos muito sensuais, coisa que aqui no Brasil não é vista com bons olhos.



 O fato é que nossa atual particularidade cultural é essa dificuldade em lidar com menores infratores devido a ideologia predominante até entre nossas autoridades e celebridades ... como não poderia deixar de ser.
  Por votar em políticos com opiniões como a de Gilberto de Carvalho ... uma sociedade desenvolvida no Brasil fica longe de acontecer.

  Se você parte de pressupostos “errados” (segundo minha argumentação) sobre um problema fica difícil implementar uma solução eficiente.
  É como estar com dengue e se medicar para gripe comum.


  É muito confortável pôr a culpa da delinquência no Brasil em uma escravidão que ocorreu há mais de 100 anos.

Será que a cidade de São Paulo é a pior do Brasil?

  “Os atos infracionais praticados por adolescentes aumentaram aproximadamente 80% em 12 anos, ao subir de 8 mil, em 2000, para 14,4 mil, em 2012 - diferentemente do que ocorre em relação aos crimes praticados por maiores de 18 anos, que vêm diminuindo na última década na cidade de São Paulo.”

  Será que outros estados apresenta números diferentes?
  Por favor pesquise.

    São 10 anos que o PT combate a exclusão social a nível federal [como nunca antes na história desse país], fora isso já esteve no Governo de inúmeras prefeituras e Estados, porque os delitos só fazem aumentar!?



  "O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse que o governo é contra a redução da maioridade penal.
  As quadrilhas que hoje utilizam menores de dezesseis ou dezessete anos, passarão a usar crianças de dez ou doze se a idade para cumprir pena for diminuída."


  Será que só marginais são capazes de aproveitar a mão de obra adolescente?

  As “sociedade freudiana” defende que alguém só é capaz de trabalhar depois dos 16 anos, que magica as quadrilhas fazem?

    Mas para esse texto ser útil esqueçamos todo esse debate sobre redução da maioridade penal porque as pessoas coerentes são minoria da minoria no Brasil e não tem como transformar isso em lei.

  Ao menos ajudemos os bons garotos de qualquer cor permitindo que eles trabalhem registrados a partir dos 14 anos, caso tenham essa NECESSIDADE.


  Se não pretendemos punir os maus ao menos não discriminemos os bons.

  Essa lógica “perversa” entra em sua mente?




anterior                      COMENTAR                             próximo


---------------------------
  "O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse que o governo Dilma é contra a redução da maioridade penal.
  As quadrilhas que hoje utilizam menores de dezesseis ou dezessete anos, passarão a usar crianças de dez ou doze se a idade para cumprir pena for diminuída."
[Estadão]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  SERÁ QUE SÓ MARGINAIS SÃO CAPAZES DE APROVEITAR A MÃO DE OBRA ADOLESCENTE?
.
  As “sociedade freudiana” defende que alguém só é capaz de trabalhar depois dos 16 anos, que magica as quadrilhas fazem?
.
    Mas para esse texto ser útil esqueçamos todo esse debate sobre redução da maioridade penal porque as pessoas coerentes são minoria da minoria no Brasil e não tem como transformar isso em lei.
.
  Ao menos ajudemos os bons garotos de qualquer cor permitindo que eles trabalhem registrados a partir dos 14 anos, caso tenham essa NECESSIDADE.
.
  SE NÃO PRETENDEMOS PUNIR OS MAUS AO MENOS NÃO DISCRIMINEMOS OS BONS.
.

#Trabalho
Postar um comentário