sábado, 10 de novembro de 2012

Sem Paixão

  Não entendo o ódio e amor que as pessoas desenvolvem pelos políticos!

  Não tive nenhum motivo especial para votar no Jonas Donizete [Prefeito de Campinas].
  Ele conquistou apoio político para ser Prefeito tornando-se um nome viável.
  Conseguir apoio político não é uma tarefa fácil.
  Que eu me lembre Jonas era um radialista no tempo que isso ainda dava uma boa fama, com o desenvolvimento do MP3 e a facilidade de ouvir nossas músicas preferidas a qualquer hora e lugar ocorreu uma diminuição na audiência das rádios.
  Lembro de ficar horas ouvindo rádio mudando constantemente de estação para literalmente “caçar” alguma música que gostava, aturava até os comerciais e conversa furada do radialista.
  Podemos dizer que Jonas estava no lugar certo na época certa, hoje possivelmente não conseguiria destaque.
  Ele já havia se candidatado outras vezes então é de se esperar que conheça bem os problemas da Cidade.

  Como podem perceber não há nenhuma paixão, é um cidadão que deseja ser Prefeito, conseguiu apoio político, vamos testar.
  Foi para o segundo turno com Jonas o Márcio Pochmann o conhecia de comentários econômicos em entrevistas que dava a vários canais da região, ele é economista, é sua primeira candidatura, se saiu bem nos debates, pode ter uma carreira política em Campinas, quem sabe no futuro chegar a Prefeito.
  Dificilmente algum dia vou votar em Marcio Pochmann, ele é simpatizante do Socialismo e eu não.

  Enfim, uma disputa tão corriqueira de dois homens absolutamente normais... isso na minha visão.

  Para boa parte da população [como sempre acontece] tornou-se um embate entre Deus e o Demônio.
  Para “torcedores” do Márcio, Jonas seria a besta do apocalipse e para torcedores do Jonas, Márcio seria o Mensalão em Campinas.

  O Mensalão foi algo que ocorreu no primeiro mandado de Lula e surpreendentemente nossa justiça está agindo a contento.
  O PT precisava de novos nomes e buscou novos nomes, Márcio não teve absolutamente nada a ver com o Mensalão e a resposta exemplar do Supremo irá coibir essa pratica por parte de qualquer partido.

  Tem um provérbio Chinês que diz:

"A paixão é má conselheira."

  Eu entendo que Política seja uma coisa apaixonante mas se apaixonar pelo homem ou mulher não é Política é ROMANCE é IDOLATRIA.

  Espero que nas próximas eleições eu encontre mais cidadãos com CONSCIÊNCIA POLÍTICA, menos cidadãos apaixonados por partidos e ainda menos cidadãos idolatrando homens...



Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário