domingo, 23 de setembro de 2012

STOP!

  "A verdade só é encontrada quando os homens são livres para a perseguir". [Franklin Roosevelt]

 “A distribuição dos dons e ministérios não é feita ao acaso, obedece a um plano de Deus e quem vive pela fé, se dispondo a ser usado por Ele, certamente é assistido em suas fraquezas e receberá na medida da necessidade, ou da oportunidade, os dons e ministérios de Cristo.
 Isso é viver pela fé, é viver à disposição da soberana vontade de Deus, sendo usado por Ele para edificar Sua igreja, ou para conquistar as almas que Ele escolheu para Si.
  Viver pela fé é viver sob a graça de Deus e a graça de Deus não tem limites.”

  Para viver pela Fé é importante primeiro definir esse conceito.

  Fé - é a firme opinião de que algo é verdade, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão. [Wikipédia]

Lembremos o que é Sofisma:

  Sofisma - Em filosofia, é um raciocínio aparentemente válido, mas inconclusivo, pois é contrário às próprias leis.

“Viver pela fé é viver sob a graça de Deus e a graça de Deus não tem limites.”

  Se a graça de Deus não tem limites então eu posso viver pela Fé e tudo o mais é dispensável, vejam que o texto é contrário a própria lei que ele prega.
  Porque vou sair por aí conquistando almas?
  Basta eu ter Fé que pela graça de Deus elas virão para igreja que eu frequento.
  É meio estranho porque na teoria Deus pode tudo, mas na pratica se você não sair por aí evangelizando muitas almas serão perdidas.

  Eu defino Fé em duas linhas:

 Ter Fé é “pensar dentro da caixa.”
Se impor limites ao pensamento.

  Cuidado para não confundir Fé com Esperança.
  Veja um exemplo:

  Você joga na loteria e tem “Esperança” de ganhar, existe uma probabilidade de você ganhar e torce para que isso aconteça.

  Seu colega joga e tem “Fé” que Deus irá o abençoar, ele confia em uma ação invisível além da probabilidade cientifica.

 Se você não ganha, no campo da Esperança não tem problema era só uma probabilidade.

  Se seu colega ganha, no campo da Fé é Gloria a Deus se não ganha é ...Glória a Deus também.
   Deus sabe que não é o momento dele ganhar na loteria.
   Pela Fé seu colega é aquela criança que se recusa a reconhecer que perdeu.
   Pessoas mentalmente adultas sabem que ganhar ou perder faz parte da vida, faz parte do jogo.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Eu gostaria que dar liberdade aos homens fosse suficiente para irem em busca da verdade com eficiência.

  [Vamos considerar a “verdade” como sendo uma argumentação ou situação satisfatória, a melhor resposta.]

  Temos um grande paradoxo nessa questão, se você respeita a liberdade do indivíduo tem que aceitar inclusive a limitação que ele auto se impor.
  Eu não posso te prender na sua casa, mas se você entra, tranca a porta e se recusa a sair...

  Quero dizer que um Governo ou Instituição pode dar liberdade de pensamento e expressão ao cidadão, mas se ele se recusa a perseguir a verdade tem que ter sua liberdade respeitada nisso também.

  Vamos a um exemplo sempre debatido:

O mal alcançou a humanidade.

A culpa é da Eva ela deu ouvidos a serpente e desobedeceu a Deus.

A culpa é de Adão ele deveria ter tomado conta da Eva.

A culpa é da serpente que enganou homem e mulher.

A culpa é ...STOP!

  Esse é o limite, a culpa não pode atingir a Deus, temos Fé que ele é perfeito, onipotente, onipresente e onisciente, este é o limite da “caixa” que nos enclausuramos.
  Se buscarmos uma verdade mais abrangente, irmos além do limite da caixa, não temos como isentar Deus de sua parcela de culpa, mas se limitamos o pensamento não temos como chegar a uma argumentação satisfatória.
  Deus criou a Eva, sabia que ela iria dar ouvidos a serpente, sabia que a serpente estava lá.
  No mínimo a falha da OMISSÃO devemos imputar a Deus (sendo bem generosos em nossa observação).

  Vamos para outra situação não religiosa:

Seu filho cometeu um crime.

A culpa é da sociedade com seu estimulo ao consumismo.

A culpa é do cinema com seus filmes violentos.

A culpa é da polícia que deveria ter evitado.

A culpa é sua que deveria ter dado mais amor ao seu filho.

  A culpa é ...STOP!

  Seu filho é como uma folha em branco, um indivíduo puro e bom incapaz de por si só praticar qualquer mal.
  Se aconteceu algum delito a culpa pode ser de todo mundo, menos do seu filho, esse é o limite.
  O problema é que qualquer tentativa de praticar a justiça que não passe por punir seu filho não será satisfatória.
  Se alguém me convida a traficar drogas cabe a eu aceitar ou recusar, se aceito colherei os benefícios e se der errado arcarei com o prejuízo.

  Quando limitamos até onde queremos perseguir a verdade estabelecemos até onde queremos viver de mentiras.


  Soluções baseadas em mentiras ou meias verdades não são satisfatórias.
  A qualidade de nossas soluções pode e deve ser melhorada, mas precisamos em nossa sociedade mais pessoas pensando FORA DA CAIXA!

  Perseguir a verdade sem limites.



Anterior          <>        Próximo