terça-feira, 25 de setembro de 2012

Pequena propriedade grande ineficiência

  “90% das fazendas brasileiras são consideradas pequenas.” [Planeta Sustentável]

  Que tipo de Reforma Agraria pretendemos fazer?
 
Propriedades grandes somam 3% e são responsáveis por 34% da produção agrícola no Brasil.

Propriedades médias somam 7% e são responsáveis por 16% da produção agrícola no Brasil.

Propriedades pequenas somam 90% e são responsáveis por 50% da produção agrícola no Brasil

  Perceberam?
  Propriedades médias e grandes são apenas 10% das propriedades agrícolas e são responsáveis por 50% da produção.
  Se todas as propriedades fossem pequenas ou minis como querem os socialistas nossa produtividade despencaria.

  Em tempos de preservação ecológica a pequena propriedade é um verdadeiro câncer para natureza.
  Ela é ineficiente na utilização dos recursos.
  Tá bom, câncer é um exemplo muito forte, foi só um exagero para você entender melhor a REALIDADE.


  Não sou contra a pequena propriedade, a pessoa gosta da vida no campo, quer ter uma pequena propriedade, juntou dinheiro ou herdou da família e quer viver disso... tudo bem!
  Só não gosto de ouvir que está fazendo um grande favor a sociedade.
  Há uns 40 anos atrás até podia ser.

  Esses assentamentos pretendidos por Pedro Stédile e MST significam um grande prejuízo para a sociedade.
  Se o cara gosta da vida no campo e não tem capital para isso porque eu tenho que me sentir culpado, porque tenho que bancar o sonho dele?

  Tem tanta coisa que eu queria na vida e também não tenho ou não consegui, agora o indivíduo acha que tem “direito” a um sitio só por ele ter nascido e eu arco com o prejuízo!!!
  Pensem bem, toda criança tem direito a um imóvel próprio só por ter nascido!
  Será que só eu vejo o absurdo da coisa?

  Antes de colocar uma criança no mundo o mínimo que devemos fazer é lhe garantir sustento e um lugar para morar.

  O participante do MST não está nem aí, ele já fez a sua parte transando irresponsavelmente agora a “sociedade ajuizada” que se vire!!!
  Desculpem tantos pontos de exclamação, mas é melhor que colocar palavrões.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Pequenas propriedades são menos produtivas que grandes propriedades (isso é fácil constatar) e em termos de empregos, como ficamos?

  Pela sua precária mecanização a pequena propriedade gera mais postos de trabalho, mas qual a qualidade desse emprego?
  Se você pensar na questão de salário/renda tudo fica muito complicado.
  É difícil ver um pequeno agricultor nadando em dinheiro, a agricultura familiar mal dá para subsistência.

  Semana passada um colega estava falando sobre sua infância, uma história que já ouvi inúmeras vezes de várias pessoas.
  Ele está com uns 35 anos então não dá para dizermos que é um exemplo muito fora da realidade atual.
  Seu pai tinha uma pequena propriedade e desde cedo meu colega trabalhava muito em tarefas bem exaustivas dentro da pequena propriedade.
  Ele nunca passou fome, comiam o que plantavam e tinham animais para abate, mas era só isso, comida e muito, muito trabalho.
  Com pouco mais de 15 anos veio para SP, estudou para auxiliar de enfermagem e não se arrepende.

  Minha esposa e seus irmãos vieram de uma cidade pequena no interior do Paraná, Borrazópolis, as histórias sobre colheita de algodão não são muito agradáveis, verificamos que além do salário baixo o trabalho no campo em si geralmente é extenuante.
  Hoje são todos adultos e não sei de nenhum cunhado que quer viver na roça.
  Só meu sogro Lázaro não dispensa sua horta no quintal.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Pensamos na agricultura de maneira muito romântica.

  Economicamente nos prendemos mentalmente a realidade econômica de 1950, um Brasil rural.
  Um Mundo que acreditava que o futuro era o Comunismo, ainda mais depois que os Soviéticos colocaram um satélite no espaço.
  Devemos parar com essa estupidez de achar justo invadir terras e que é eficiente implantar o Bolivarismo ou coisa do tipo como apoia o MST.

  Nessa questão outra coisa que leio muito é:

  “Sem as pequenas propriedades muitos alimentos sairiam da mesa do brasileiro porque não haveria interesse do Agronegócio em produzir.”

  Essa é uma teoria “fundamentada” no mais puro achismo.
  Tudo que é vendável tende a ser produzido.
  Se há demanda por tomate porque não produzir com técnicas modernas e eficiente controle de qualidade?
  Exatamente quais produtos sairiam da mesa do brasileiro?
  Tanta gente gosta de quiabo, havendo demanda porque deixaria de ser produzido!?
  Quando vamos ao supermercado deparamos com uma infinidade de marcas e produtos oferecidos por grandes indústrias.
  Porque com o Agronegócio (Agroindústria) seria diferente?
  Você acredita realmente que se diminuísse drasticamente o número de pequenas propriedades não teríamos mais couve ou alface?
  Se há consumidores em grande escala surgem produtores em grande escala essa é a “verdade” do mercado.

  Quando limitamos até onde queremos perseguir a verdade estabelecemos até onde queremos viver de mentiras. [William Robson]


  Reforma agraria com o objetivo de priorizar pequenas propriedades acreditando que isso é melhor para a humanidade é uma mentira bem aceita pela maioria.





Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário