domingo, 12 de maio de 2013

Corrupção e Educação

  “A melhor forma de combater a corrupção é educar a população para que não a aceite nem vote em políticos corruptos?”
[Questão Revista Veja]          



EDUCAR

1 - Dar a alguém todos os cuidados necessários ao pleno desenvolvimento de sua personalidade.

2 - Transmitir saber a; dar ensino a; instruir.

  Não sei se a palavra “educar” cabe aqui.
  Quem tem que educar a população?
  O Governo?

  O conceito 1 nem compensa meditar, esperar que algum Governo seja responsabilizado pelo desenvolvimento pleno da personalidade de cada individuo ... é a velha e surrada bandeira do estado paizão todo poderoso.😞
 
  Vamos para o conceito 2.
  Educar em seu sentido mais simples é ensinar, transmitir um conhecimento.
  Se esse conhecimento vai mudar o comportamento é outra situação.

  Exemplos:

a)  Você ensina para seu filho que drogas trazem muitos malefícios, ele adquiri esse conhecimento, mas não há garantias que não irá usar drogas.
  É impossível que qualquer jovem ainda não tenha o conhecimento sobre os riscos de usar álcool, cigarro ... drogas de todo tipo.

b)  É bem difícil um motorista não ter conhecimento que usar celular enquanto dirige é perigoso.
  Todos concordam que a distração de poucos segundos pode ser fatal.
  No entanto o que mais vemos é gente com esse comportamento.

c) A AIDS se alastrou na década de 80 e por força dela as conversas sobre sexo passaram a ser escancaradas.
  Camisinha que era algo que se falava a “boca pequena” passou a ocupar todas as mídias em horário nobre.
  Bem antes disso, na década de 60 os anticoncepcionais foram popularizados, dando uma maior liberdade sexual as mulheres.
  Transar, pelo menos em termos de gravidez indesejada, ficou bem mais seguro.
  Podemos afirmar que o conhecimento/educação sobre sexo está bem difundido por toda população.
  No entanto ainda temos altos índices de gravidez na adolescência e de casais tendo mais filhos do que conseguem criar.

  Logo, defender que a educação é a melhor forma para diminuir a combater a corrupção NÃO se sustenta argumentativamente.
  Se conhecer os maléficos das drogas, uso do celular no volante, sexo irresponsável ... não acabou com essas práticas, porque magicamente faria isso com a pratica da corrupção!?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Não vejo pais, professores, ou mídia incentivando crianças a corrupção.

  Podemos dizer que somos “educados para sermos honestos” se o problema fosse só esse já estaria resolvido.

  Vamos pegar o assunto do momento redução da maioridade penal.
  Na escola eu duvido que tenha algum professor incentivando o menor a roubar.
  O professor é um trabalhador e de certo induz seus alunos a que sejam também trabalhadores.
  Já vi casos da família ser muito desestruturada onde o próprio pai contribui para que o filho entre no mundo do crime, no entanto é algo bem raro de ocorrer.
  No geral o pai pode até ser marginal, mas não quer que o filho seja.

  As pessoas que são contra a redução da maioridade penal dizem que a mente do menor infrator não está totalmente formada, ele é imaturo, não tem grande capacidade mental para discernimento do certo e errado.

  Sei lá, uma mente nessa situação deveria ser ainda mais suscetível a ser moldada pelo meio que vive.
  O meio que ela vive a incentiva ser honesta.
  Podemos pegar a pior favela, aquela dominada pelo tráfico de drogas, ainda assim veremos que a maioria da população é “decente”.
  Os garotos que se envolvem com o tráfico raramente tem um bom futuro, acabam mortos ou presos.

  Logo, a criança que nasce na pior favela é ensinada a ser honesta, observa que a vida do crime não é nenhuma maravilha.

  Mesmo assim o indivíduo vai contra tudo que predominantemente lhe foi ensinado.
  Aprende estratégias de roubo, consegue uma arma, se associa com outros marginais, sabe muito bem o que fazer com o produto do roubo encontrando até receptadores... que incapacidade mental é essa!?

  Chega a ser inacreditável a quantidade de pessoas que acham aceitável um cidadão de 14 anos cometer crimes e ainda colocarem a culpa nos cidadãos honestos.
  Como conseguir encaixar a falta de educação nesse comportamento?
  Me parece um problema CULTURAL.
  As pessoas só mudam de opinião quando a vítima é alguém muito próximo.
  Enquanto o crime está aparecendo nos jornais e TVs parece impossível para elas se colocarem no lugar da vítima ou da família da vítima...onde encaixar a falta de educação nesse comportamento?

  Fica claro que nos comportamos de acordo com nossa CULTURA.

  [Cultura também é definida em ciências sociais como um conjunto de ideias, comportamentos, símbolos e práticas sociais, aprendidos de geração em geração através da vida em sociedade.]

A CULTURA DO “VITIMISMO” É UMA PRAGA MUNDIAL.

  Ela se intensificou muito com os movimentos socialistas/marxistas/ comunistas onde a responsabilidade coletiva é considerada maior que a responsabilidade individual.
  Se um indivíduo comete um crime ou infração o primeiro a ser responsabilizado é o Estado/Sociedade/Coletividade.
  Com isso acontece a IMPUNIDADE.
  O criminoso passa a ser vítima com direito a inúmeras atenuantes.

  No caso da corrupção a percepção muda um pouco, mas o resultado é o mesmo.
  O coletivo se sobrepõe ao individual.

  “Todos os políticos roubam”.

  O eleitor nem se preocupa em fazer uma triagem ou pelo menos um rodizio.
  Vemos nas diversas câmaras municipais, estaduais, federal; políticos envolvidos em casos de corrupção, mas que são reeleitos há décadas.

  Se um político ganha dinheiro fácil com práticas antiética e não é punido por isso nem com a perda de eleitores...

  Imagine um marginal que ganha dinheiro fácil e não tem nem a consequência negativa da punição!
  Lembrem-se que poucos roubos ou crimes são desvendados no Brasil:

  “Enquanto o Brasil soluciona todos os anos, em média, de 5% a 10% dos homicídios, os Estados Unidos resolvem 65% dos casos; a França, 80%; e a Inglaterra chega a uma taxa de solução de homicídios de 90%.”

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Encontro direto com pessoas que não tem argumentos para defenderem suas ideologias e mesmo assim continuam com elas, garanto que são pessoas muito bem EDUCADAS.

  Um “especialista” disse que ficou emocionado ao entrevistar um menor infrator de 15 anos que dizia não esperar viver muito, mas enquanto estivesse vivo o tráfico de drogas lhe dava uma “dignidade” que a Sociedade não lhe dava.
  Não imagino o chefe da boca de fumo tratando o menor como um filho querido.
  A dignidade que o menor se referia de certo era dinheiro.

  A solução é darmos dinheiro para o menor e sua família, de preferência mais que seu faturamento com venda de drogas?
  Quem sabe um Bolsa Família de 3 mil para cada menor...

  De onde sairá o dinheiro?
  Da cobrança de impostos da parte da sociedade mais ajuizada.

  É a responsabilidade coletiva acima da individual.
 
   O Estado/Sociedade falhou em educar “sexualmente” a mãe ou pai ... são vítimas da sociedade


Pergunta:  Quando a “solução” de um problema nos deixa deprimidos ou decepcionados?

Resposta:  Quando acreditávamos que ao atingir o objetivo todos os problemas referente a questão seriam automaticamente resolvidos.

  Educar é uma boa ferramenta para uma sociedade que quer melhorar, mas o questionamento CULTURAL é fundamental.

  Podemos ser muito bem “educados” e ainda assim incrivelmente corruptos.
  Crimes do “colarinho branco” em geral são cometidos por pessoas com bom grau de instrução.





SOU A FAVOR DE 14 ANOS.



  Vítimas inocentes?
  Qual delas?
  O “dimenor”!?

“O adolescente teria facilitado a fuga do atirador.”



  “O adolescente de 17 anos suspeito de matar o universitário Victor Hugo Deppman”



“Um adolescente de 16 anos, conduzindo um veículo, matou um menino de 13 anos que saía da escola.”



“Dos 24 detidos por envolvimento em arrastões a restaurantes de São Paulo este ano, 13 são adolescentes.”





anterior                       COMENTAR                             próximo

-------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário