sexta-feira, 10 de maio de 2013

Teach for America

   “Os progressos obtidos por meio do ensino são lentos; os obtidos por meio de exemplos são mais imediatos e eficazes.”
 [Sêneca]
.
  “Os professores obtidos por meio do ensino teórico são lentos; os obtidos por meio da experiência são mais imediatos e eficazes.”
[William Robson]



  Do norte ao sul do país falamos o mesmo idioma, o Português.
  Isso deveria ser uma grande vantagem competitiva nossa em relação a outros países que falam vários idiomas e dialetos.
  Preciso explicar porque?
  Vamos lá.
  Se você escrever ou falar a palavra “casa” ela será bem entendida do Rio Grande do Sul ao Amapá.
  Deve ter gírias regionais, mas o Português reina absoluto no país inteiro isso facilita muito a comunicação, diminui os custos com traduções.
  Diminui os custos com ensino...bem deveria, mas não acontece.

  Porque temos várias cartilhas de alfabetização!?

  Poderia ser uma única distribuída para o país inteiro.
  No entanto cada Prefeitura ou Estado tem seu pedagogo de plantão querendo ensinar “cientificamente” diferente. 😞

  Até pouco tempo fazer o curso médio de Magistério permitia alguém dar aulas.

  O curso Magistério tem a duração de 4 anos.
  Se você já tem o Ensino Médio completo pode fazer uma complementação que dura de 1 a 2 anos dependendo do estado/município.
  Com o Curso Normal (Magistério) você poderá lecionar para a Educação Infantil e Ensino Fundamental I.

  O que já era ruim conseguiram piorar...
Sai Magistério entra Licenciatura.
 
   Uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE - 2013), prevê que TODOS os professores da Educação Básica tenham formação específica de nível superior em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam até 2020.
  No Brasil, a licenciatura além de habilitar o profissional em sua respectiva área, também o habilita a ser professor em escolas de Ensino Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Técnico além de ser um dos caminhos aconselháveis para se seguir o meio acadêmico através do mestrado e doutorado.
  As Universidades Públicas do Brasil oferecem licenciaturas nas áreas de Artes, Biologia, Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia, Ciência Política), Ciências Naturais, Educação Física, Engenharias, Filosofia, Física, Geografia, História, Informática, Letras, Matemática, Música, Pedagogia, Psicologia, Química e Teatro, que são obtidos através de cursos superiores que duram cerca de três a cinco anos.

  Quem investe tantos anos em estudo e especializações é natural que queira um bom retorno financeiro.
  A pergunta que “culturalmente” devemos nos fazer é?

  Precisamos de pessoas com grau tão alto de formação para ensinar o básico do conhecimento para crianças e adolescentes?

   “Decifra-me ou te Devoro!”

   É algo como contratar um mecânico da Fórmula 1 para cuidar do seu carro de passeio.
  Se você tem dinheiro para isso ... tudo bem.
  Mas mesmo nesse caso é um desperdício de dinheiro e talento.
  Nós brasileiros acreditamos que dinheiro cai do céu, mas na verdade ele sai dos nossos bolsos através do pagamento de impostos.
  Um colega (Socialista) disse que é preciso diminuir os impostos cobrados no Brasil.
  Isso não é possível se não diminuirmos a intervenção do Estado.
  Ele igual tantos brasileiros quer mais Estado e menos impostos, isso não tem como dar certo.
  Agora mesmo estamos a ponto de encarecer bastante a Educação SEM torna-la mais eficiente.

   E se eliminássemos a obrigatoriedade da Licenciatura?

  Qualquer um que concluir qualquer curso superior poderia dar aulas depois de uma extensão rápida, 6 meses de teoria e 6 meses de estagio como “auxiliar de professor”.

  No caso da alfabetização [Digamos até a antiga quarta série] acredito que alguém com o segundo grau completo é capaz de dar conta, ministrar uma cartilha de alfabetização para crianças.
  Mesmo assim eu manteria a exigência do terceiro grau para dar aulas apenas como uma garantia a mais.

  O problema é que nossos “cientistas pedagogos” não se entendem sobre uma cartilha única, são “ideologicamente” contra.

 Todos poderíamos ser alfabetizados pelo mesmo método.

  Sabiam que em muitos países Islâmicos as crianças aprendem ler no Corão?
  [Livro sagrado dos Islâmicos]
  Claro que aprender a ler em um livro que prega IDEOLOGIA é algo péssimo, pior que isso é só NÃO aprender a ler e escrever.
  A única exigência para uma cartilha nacional seria ser isenta de ideologias revolucionarias de qualquer tipo.
  Historinhas do Maurício de Souza poderiam ser tornadas clássicas da alfabetização.
 [Só um exemplo “nacionalista”]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Sou a favor do principal da educação ser mantida nas mãos do Governo, assim como segurança e saúde.

  [Evidente que não eliminaria a iniciativa privada.]
 
  Os professores do ensino público continuariam a ser funcionários públicos, mas sem essa estabilidade que protege fanaticamente os incompetentes.
 Lembre-se que quem paga o funcionalismo não é o Governador é você com seus impostos.
  Não entendo que amor você tem ao seu filho achando normal que ele tenha aulas com um professor sabidamente incompetente! 
  Se o cidadão não tem talento para dar aula que vá procurar outra atividade não fique prejudicando O FUTURO DO SEU FILHO.

  Veja que prático e EFICIENTE suponhamos que:

  Me formei em Advocacia, quero dar aulas, faço o curso de extensão e tento dar aulas, simples assim.

  Esqueçam aquele dogma: “Querer é poder”.

  Você pode querer ser um grande pintor, mas não ter nascido com talento para isso.
  Acredito que uns 80% dos garotos brasileiros gostariam de ser um grande jogador de futebol, mas poucos tem o talento [ou sorte] necessário para isso.
  Acredito que 80% das garotas brasileiras gostariam de ser uma grande atriz Global, mas poucas tem o talento necessário para isso.

  Você pode achar lindo ser professor, mas não ter talento para isso.
  Guarde essa chave:

  Essencialmente ensinar não é uma ciência é uma ARTE.

  Independente de salário sempre haverá ótimos professores, bons professores e ... pessoas que não tem vocação para o ensino e que devem ser descartadas dessa profissão.

  Então eu advogado tento ser professor, apresento ótimos ou bons RESULTADOS na aprovação de meus alunos e vou seguindo carreira, ganhando salário maior por MÉRITO.
  Acreditem, ensinar é apaixonante, muitas pessoas tem esse talento, mas são privadas de exerce-lo por um excesso de burocracia sem sentido, não fizeram a longa “licenciatura”.
  Lembrei dessa entrevista na Revista Veja:


🤴  Os professores tradicionais ficam incomodados com a chegada de gente sem formação pedagógica para dar aula?

👩  “Cada país tem suas peculiaridades.
  Nos Estados Unidos, quando começamos, em 1989, o primeiro passo foi colocar professores do Teach for América em escolas onde havia falta de professores tradicionais.
   Agora, temos gente em todos os tipos de escola.
   Em geral, nossos professores são recrutados através de um processo altamente seletivo, passam cinco semanas em treinamento intensivo e são então colocados nas escolas, contratados pelos governos, são professores assim como os demais.”
[Wendy Kopp]

🤴  Entre os recrutados, há formandos em pedagogia?

👩  “Qualquer um pode se candidatar, mas não gastamos nossa energia procurando formandos em pedagogia.
   De todos os nossos professores, cerca de 3% se formaram em pedagogia.
  Por que tão poucos?
  É evidente que há estudantes fantásticos de pedagogia, mas, na média, eles não representam os universitários academicamente mais promissores.”
[Wendy Kopp]

  Logo, em eu me adaptando a profissão de professor eu posso me dedicar a essa atividade e deixar a advocacia de lado ou exercer as duas atividades em paralelo.
  Vejam que não estou pregando o fim da carreira de professor isso seria uma imbecilidade.
  Estou dizendo que dar aulas no Brasil é uma BUROCRACIA que só nos faz mal.

  Através de estatísticas, podemos priorizar os melhores métodos.
  Através de palestras e simpósios podemos estimular a troca de experiências, como acontece em qualquer outra profissão.

  Ensinar é uma ARTE, a parte técnica de ser professor pode ser conseguida se formando em qualquer faculdade, sinaliza que você tem disciplina para o estudo e consegue aprender, se não tem a arte de ensinar...tente ser advogado, tente a arte de defender, descubra seu talento e boa sorte!


Cada profissão tem sua parte técnica e sua parte arte.

  O ideal é que cada um tenha o BOM SENSO de não persistir em uma profissão a qual não tem vocação.
  Você pode adorar cantar, mas canta muito mal, vai tentar ganhar a vida de outra maneira.
  Tome cuidado! No caso da escolarização:

  Você pode estar valorizando muito seu filho ter aulas com um “cientista pedagogo”, quando o melhor para ele é ter aulas com um “artista professor”.





  "Quando decidiu recrutar estudantes formados nas melhores universidades dos Estados Unidos para dar aulas, por dois anos, nas piores escolas públicas do país, a americana Wendy Kopp, 41 anos, foi tachada de louca." 







anterior                       COMENTAR                               próximo


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário