segunda-feira, 13 de maio de 2013

Combater a Corrupção

  Para combater a corrupção devemos punir com mais rigor celebridades que cometem crimes, serviriam de exemplo?

  Não acho sensato punir uma “celebridade” com mais (ou menos) rigor só porque é celebridade.


 
   A diferenciação que eu faria seria aumentar a pena para agentes da lei e políticos, não muito é claro, uns 10% de agravamento.
  Se a pena fosse de 10 anos, para o agente da lei ou político passaria para 11 anos.

  Mesmo essa diferenciação NÃO defendo com unhas e dentes [Todos devem ser iguais perante a lei], apenas acho que policiais e políticos se propõem a ser nossa garantia que a lei será cumprida.

  Vou exagerar para “tentar” me fazer entender.

  Você está fugindo de um bando de traficantes fica aliviado quando vê uma viatura da polícia, fazendo contato com os policiais eles te entregam para o bando porque estão na folha de pagamento!
  É algo tão horrível quanto um padre pedófilo ou pastor estuprador.

  Quem não lembra do juiz Lalau?
  Caraca, um juiz fraudando a lei é altamente decepcionante.

  O cara parecia tão sério, tão honesto...

  Todos devemos cumprir as leis, mas na minha cabeça agentes da lei e políticos tem um compromisso maior com a Sociedade.

  Compromisso que ELES assumiram.
  Ninguém é obrigado a ser delegado, juiz, policial, vereador, prefeito, deputado...

  Pense no casamento.
  Sua esposa (esposo) assumiu por livre espontânea vontade ser fiel a você.
  Se ela te trai sua decepção é maior com o amante dela!?

  Sei lá, se ocorre um caso de corrupção na Prefeitura com a conivência do prefeito é natural que minha “ira” seja maior contra ele.
  Isso é bastante lógico.
  O corruptor geralmente é um desconhecido para mim, o prefeito foi eleito pela maioria que CONFIOU nele a boa administração da cidade e o respeito às leis.
 
  Para combater a corrupção antes de mais nada, temos que diminuir a burocracia e os cargos públicos, para cortar as rotas de escoamento dos recursos públicos?

  Um grande problema no Brasil é o excesso de cargos de confiança.

  O cidadão que ocupa o cargo sabe que depois de 4 anos pode não ter mais as mesmas benesses e é tentado a forrar os bolsos enquanto pode.
 
  O Congresso Nacional [E demais órgãos municipais e estaduais] deveria ter funcionários efetivos concursados sem que o Deputado eleito tivesse grande autonomia para demitir a não ser em causa muito bem justificada, como vazamento de informações ou algum tipo de sabotagem.
  Eu William sou eleito e irei ocupar o gabinete 10 que tem lotado 20 funcionários administrativos concursados, eu posso levar 2 funcionários de confiança e nada mais.
  Se depois de 4 anos eu não for reeleito os 20 funcionários permanecem lotados no mesmo Gabinete, irão servir a um novo Deputado eleito.
  Esse sistema seria replicado em todos os órgão públicos com cargos eletivos.
  O Governante é eleito para dar direção a “máquina estatal” e não para ficar a montando e desmontando de acordo com suas “necessidades políticas” ou a bel-prazer.






  Para combater a corrupção é preciso punir com severidade também os cidadãos que dão "cervejinha" ao guarda rodoviário ou "caixinha" ao fiscal da prefeitura.

  Para ser coerente com o que escrevi na questão anterior ...  meu maior rigor seria com quem está se corrompendo, funcionário público ou não.

   A insistência na tentativa de corrupção deve ser punida, mas a tentativa não.

  Isso é complexo.

  Quando você cria uma lei que puni um “instinto inicial” ela tende ao abuso de poder, ao exagero.
  Na Bíblia temos um bom exemplo, pecamos até em pensamento!
  Caraca mano!
  Não fazer algo errado eu consigo, mas nem pensar em fazer é complicado.
  A mulher não trair o marido é uma coisa, mas nem fantasiar um caso com outro homem que lhe agrada aos olhos ... não sei como isso é possível.
  O abuso de poder está em Deus poder te mandar para o inferno [De acordo com a crença cristã] por um incontrolável instinto inicial/pensamento involuntário.

  Se alguém vai dar um tapa no seu rosto você tem o “instinto inicial” de se proteger é automático.

  Sua sala está pegando fogo seu primeiro instinto pode ser correr para fora do prédio, no entanto o “certo a fazer” seria pegar o extintor e apagar o fogo evitando que ele se alastrasse.
  Tá, você não fez o que era mais certo, agiu pelo instinto de sobrevivência, devemos prendê-lo por isso?

  Você atrasado para o trabalho e acelera um pouco mais da conta...excesso de velocidade.
   Se a velocidade máxima era de 60 Km/h e você passou a 75 Km/h a multa é de 574 reais.
  Se você ganha uns 1500 reais são 10 dias de trabalho para pagar a multa.
  Para maioria de nós é uma quantia grande de dinheiro para uma infração [digamos] não tão grave assim, é quase instintivo tentar uma negociação com o guarda no diálogo ou até tentando pagar a tal cervejinha.

  O guarda não tem a atenuante do instinto, se ele aceita a propina ou a pede não está fazendo o trabalho que é pago para fazer.
  O de manter a lei e a ordem.

  É aceitável que o guarda libere o motorista com apenas uma repreensão.
  É aceitável que ele aplique a multa.

  É inaceitável que o agente da lei aceite propina.
  É inaceitável que diante da negativa do agente em aceitar o agrado o infrator insista em suborna-lo.

Empresário tenta suborno em blitz








anterior                      COMENTAR                            próximo

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Postar um comentário