terça-feira, 15 de maio de 2012

Deuses da Confraternização

   “Haja ou não deuses, deles somos servos.”  [Fernando Pessoa]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Hoje vivemos uma maior liberdade intelectual, mas não há muito tempo atrás eu teria
grandessíssimos problemas por escrever o que escrevo, nós éramos todos “servos” das idéias de outros...do Papa, do Rei, do Ditador de plantão, do Livro Sagrado, do Cientista Famoso.
  Esta provocação de Fernando nos remete a religião, mas não vamos nos contentar com o óbvio, sigam-me os bons!
  Assim como Friends, assisti muito Seinfeld eu ria de dar gargalhadas enquanto as pessoas a minha volta não entendiam muito bem de que eu ria tanto.
  Eu ria porque Seinfeld nos mostra o quanto a vida pode ser ridícula olhando de fora ou de dentro de nós, assistindo este humorístico eu gargalhava de eu mesmo.

  Um episódio inicia com a Elaine desanimada com dois pedaços de bolo na mão cantando um tedioso parabéns para você. [minha memória não é boa, foi mais ou menos assim]
  Qual a razão do tédio dela?
  Ela estava cansada de tantas comemorações, de tantos sorrisos forçados, a empresa tinha mais de 200 empregados e todo dia era dia de alguém.  
  Lembrancinhas, lista de contribuições para pessoas que ela apenas falava oi, não tinha relacionamento, eram conhecidos que ela nem lembrava o nome direito.
  Me esborrachei de rir quando um grupo de pessoas chega a sala dela com bolo, cantando e ela dispara:

  “Gente, para que nos enganarmos, aqui somos todos infelizes, com esse monte de doces e salgados vamos ficar gordos. 
 GORDOS INFELIZES!”
  
 HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAH!
  Todo mundo sai da sala triste cabisbaixo e quando eu pensava que já tinha rido tudo que podia uma gordinha do grupo diz:
  “Nós ainda podemos comer o bolo né?
  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
                                                  =====================
  Elaine não é contra as comemorações e confraternizações ela só não quer ser obrigada a isso, não quer ser “serva” desta tradição, dos deuses da confraternização no trabalho.

  Esse e todos os episódios de Seinfeld nos mostra o quanto somos ridículos, ser ridículo faz parte da vida, da minha parte só quero escolher quando ser ridículo e não ser ridículo só porque é politicamente correto, alguém, um manual da boa etiqueta disse que deve ser assim.
  Se você gosta desse tipo de confraternização por favor continue, esse texto não é nenhuma critica a quem gosta, acontece que tem muitas pessoas que não gostam, como sou uma delas estou tornando publico o que nós pensamos sobre isto.
  Eu me vi na Elaine porque não gosto de me entupir de doces e salgados e já perdi boa parte do meu tempo fazendo coisas que não me davam nenhum prazer e ainda pagava por isso!
 Meditem um pouco, depois continuamos.
  



Conheçam um pouco da minha amiga Elaine.



anterior                                <>                                     próximo
                                                                     

Postar um comentário