segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Regime Militar Governo de Esquerda

  “Foi durante o regime militar (1964-1985) que a estatização da economia experimentou seu maior incremento, com a criação pelos governos federal e estaduais de um grande número de empresas estatais, que, por sua vez, criavam subsidiárias.
  Isso tornava difícil até quantificar seu número exato, sendo certo que se aproximavam de 500.”


  Tais empresas atuavam em setores estratégicos, mas também em áreas de menor importância como hotelaria e supermercados.
  Chegou-se ao extremo de se criar uma empresa estatal para realizar apenas uma obra: a construção da Ponte Rio-Niterói.
  O grande objetivo que circundava as criações de estatais pelos militares era o de aumentar o nacionalismo no país.
[Wikipédia]

  Vejam que interessante:

  “O Governo Federal, por meio de assembleia ministrada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) constituiu a criação de uma empresa estatal para representar os interesses do governo no planejamento e desenvolvimento do projeto do trem-bala que ligará Campinas (SP) a São Paulo e Rio de Janeiro.”
[Transporta Brasil]

  Essa notícia é de 2012.
  A Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. (ETAV) é uma Estatal criada pelo Governo Petista para a obra do Trem Bala.
  É difícil ver alguma diferença entre Dilma e Ernesto Geisel (General do Regime Militar).
  Os tempos são outros e Dilma e Lula concentram menos poder, [não conseguiram a hegemonia de Hugo Chavez], mas diante dos fatos fica claro que tentaram implantar um Governo de Esquerda nos moldes dos militares.
  Os Militares permitiam empresas privadas, mas os melhores financiamentos iam para os empresários alinhados com o regime ... não é o que o PT fez nos 13 anos de governo?

O Brasil teve uma ditadura militar de “Centro Esquerda”.

  Você dúvida?
  Então vem comigo e refute se for capaz.

 “Milagre econômico brasileiro é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico durante o Regime Militar no Brasil, entre 1968 e 1973.
  A taxa de crescimento do PIB chegou a 14% ao ano em 1973.
  Durante o milagre instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidenciou com a conquista da terceira Copa do Mundo em 1970 no México, quando se criou o mote: "Brasil, ame-o ou deixe-o".

  Interessante que os militares fizeram em 70 o que a China faz hoje, um “Capitalismo de Estado”
  O “milagre econômico” no Brasil funcionou enquanto tinha muitos camponeses miseráveis para migrar para as cidades.
   Durante o milagre, a alta nas bolsas de valores brasileiras iniciada ao final da década de 1960 resultou em um clima de euforia generalizada – incentivado por canções como “Pra frente Brasil.”
  O período do milagre econômico foi o que gerou maior crescimento econômico desde a Proclamação da República.
  Mas foi um voo de galinha.

  O governo militar estatizou demais e isso é ineficiente.

  Muitos dizem que o governo militar foi uma ditadura de direita, mas isso não resiste a nenhuma análise lógica.

  A direita prega o liberalismo econômico que prega a intervenção mínima do Estado na economia.
  Quem prega a estatização da economia é a esquerda que prega o comunismo/socialismo.
  Podemos tranquilamente classificar o período militar como centro esquerda... isso no mínimo.
  Não no sentido clássico de uma apologia a Marx, inclusive os militares combatiam o comunismo, mas lembre-se que Hitler também combatia o comunismo.
  Entendam que o comunismo após a Revolução Russa virou sinônimo de URSS/ Josef Stalin.
  Hitler preferia se auto denominar socialista temendo que Stalin avançasse sobre a Alemanha sob a bandeira do Comunismo.

  Os militares não gostavam nem dessa “suavização do termo comunista” o maquiando de Socialista, no entanto o Totalitarismo era o mesmo.
  E aqui entra a parte surreal.

  Porque os militares não se assumiram de esquerda nós os classificamos de direita!

  Que eu me lembre não tem nenhum registro histórico dos militares se dizendo liberais (de direita).

  Mas vamos dizer que algum general se dissesse de direita.
  Então suas ações não eram compatíveis com seus ideais.
  É como aqueles caras que dizem que respeitam as mulheres e depois ficamos sabendo que batem na companheira.
  Devemos classifica-los pelo que eles falam ou como agem?

a)  Os militares estatizaram tudo que puderam, coisa de esquerda.

b) Censuraram o máximo que puderam, coisa de esquerda.

c)  Quem falava contra o regime era preso como subversivo ou expulso, coisa de esquerda. “Brasil, ame-o ou deixe-o!”
 
  Com o General Figueiredo (Governou de 1979 a Março de 1985) começamos a sair um pouco da esquerda nos posicionando mais ao centro, mas dizer que algum dia tivemos um governo de direita é exagero.
  No ano de 1979 ocorreu a primeira greve dos Metalúrgicos do ABC.
  Em 1980 Lula ficou pouco mais de 1 mês preso preventivamente em consequência de sua participação no comando de greve.
  Em 20 de maio de 1980, Lula teve sua prisão preventiva revogada.  
  Julgado pela Justiça Militar em novembro de 1981, recebeu a pena de 3 anos e 6 meses de prisão.
  Posteriormente, o Superior Tribunal Militar anulou o processo.
  Tudo isso ocorreu no Governo Figueiredo.
  Se fosse um General linha dura de certo Lula cumpriria os 3 anos e 6 meses de prisão.
  Em um regime mais linha dura pegaria e cumpriria uma pena muito maior ou coisa pior.

  “Líder da oposição na Venezuela é condenado a quase 14 anos de prisão.
  Leopoldo López foi acusado de incitação à violência, danos ao patrimônio público e formação de quadrilha.
  Economista está preso há um ano e meio.”  [G1]

   Essa notícia é de 2015!
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Depois do Governo Militar a liberdade de expressão aflorou.

  Eu não posso dizer que sei o que é censura imposta por um Governo militar ou civil.

  Minha geração viveu e vive uma grande liberdade.


  Depois de adulto, conhecendo o Liberalismo econômico [por estudo próprio] cheguei à conclusão que na minha escola tinha uma apologia/encantamento ao socialismo, mas evidente que na época eu não tinha essa percepção.
  Lembro de vários professores dizendo tudo que tinha de nefasto no Capitalismo que era sinônimo do imperialismo americano.
  URSS era tida como um caminho a ser seguido por toda humanidade.
  Ninguém passava fome, todos tinham casa, não faltava trabalho...

Me considero da geração TV.

  Lembro de um seriado, Armação Ilimitada(1985).
  Uma moça namorava dois rapazes, não vi homens fazendo protestos por serem discriminados e nem mulheres chamando a protagonista de vadia.

  A novela Roque Santeiro foi proibida em 1975 pelo regime militar.
  Eu não assisti, mas pesquisando vi que ela foi relançada em 1985, lembro que fez muito sucesso.

  Armação Ilimitada e Roque Santeiro são exemplos de uma grande liberdade artística, logo após o regime militar.

  Mas no período militar, no cinema tinha filmes bem picantes, Dona Flor e seus dois maridos e Dama da Lotação não são exatamente filmes puritanos.
  No Governo Figueiredo foi exibido o seriado Malu Mulher que discutia temas espinhosos na vida familiar.
  Não é que tudo era censurado e de repente deixou de ser.
  No Regime Militar havia uma boa dose de liberdade, maior que na maioria dos regimes assumidamente comunistas.

  Nos Governos civis em termos de política as críticas a Sarney, depois Collor chegando a Itamar e Fernando Henrique podiam ser feitas por qualquer cidadão e não houve nenhuma repressão por conta disso.

  Depois de Figueiredo aquela estatização desenfreada parou.

  Com FHC chegamos a fazer privatizações importantes melhoramos a Vale, Telebrás, Embratel, Embraer ... faltou a Petrobras.

  Quando acreditamos que uma onda Liberal finalmente chegaria ao Brasil nos elevando a ser uma grande nação desenvolvida ... tivemos uma recaída na ineficiência esquerdista.

  Além dos esquerdistas transformarem as estatais em balcão de negócios escusos ainda criaram mais 8 estatais em 10 anos de governo.

  Não conseguiram cercear nossa liberdade de expressão, mas não foi por falta de tentar.
  Quem fala contra o regime é retrógrado, coxinha, traidor da pátria, entreguista ... e por aí vai.
  Tem professor da USP dizendo que quem é de direita tem que ser fuzilado.

  Definitivamente nunca tivemos um governo de Direita, você não acha que depois de tanto tempo deveríamos experimentar?
 O Liberalismo/Direita deu certo em muitos povos enquanto o Comunismo/Esquerdismo não deu certo em nenhum.
  Não confunda esse “dar certo” com ser perfeito, eficiência existe, perfeição não.




   Separei analises interessantes que eu fiz em comentários como resposta a questionamentos:

1-  Todos estão eufóricos com a China, mas por enquanto eu não vejo seu crescimento como sustentável.
  O Ocidente produz produtos lá porque a mão de obra é mais barata, mas à medida que os salários forem aumentando na China [isso está acontecendo] a vantagem em terceirizar a produção lá vai deixando de existir.
   Um diferencial na China é que ela tem uma grande preocupação com a Educação, mas não esqueçamos que a URSS também tinha.
  A URSS foi a primeira nação a colocar um satélite em orbita, seu poderio militar ficou par e passo com o USA por muito tempo.
  A história nos mostra que os meios de produção concentrados nas mãos do Estado e o cerceamento da liberdade de expressão produzem um “milagre econômico” por algum tempo, mas a corrupção e a ineficiência [muitas indicações políticas] vão corroendo as estruturas.
  Enquanto você tem camponeses miseráveis para explorar como burros de carga a coisa vai se sustentando, mas quando a sociedade começa a ficar mais “burguesa” [moradores de centros urbanos] o trabalhador não é mais tão ingênuo, começa a cobrar melhores condições de trabalho, as negociações se intensificam.

2-  A palavra burgo vem do latim ''burgus'', que significa "pequena fortaleza, povoado"
  Os burgos surgiram na Baixa Idade Média, na época da decadência feudal e crescimento comercial e urbano.
  Os burgos desenvolveram-se pelo processo de troca de produtos entre um feudo e outro.
  Os produtores levavam seus produtos até o burgo (que ficava "dentro" de um feudo) e lá faziam uma espécie de feira trocando seus produtos por outros ou por dinheiro.
  Os habitantes dos burgos dedicavam-se ao comércio e à produção artesanal, que era realizada pelo mestre em sua oficina.

   “Os habitantes dos Burgos eram chamados de burgueses, crescendo em poder econômico de modo que no século XIX formaram a burguesia.”

  Notem que burgueses são moradores urbanos.
  Para você ter uma ideia hoje 84% dos brasileiros vivem em “burgos/cidades.”
  Nossa lavoura é muito mecanizada de forma que os 16% que vivem no campo não são aqueles pobres miseráveis do passado, a figura do bóia fria praticamente deixou de existir em Estados como São Paulo.
  Você que está lendo esse texto tem mais características de burguês ou camponês miserável?

3- FHC herdou uma dívida atualizada de mais de 1 Trilhão deixada basicamente pelo Regime Militar.
  Os governos civis Sarney e Collor não tiveram sucesso em estruturar o país política e economicamente.
  Por todos os ângulos que olhamos Fernando Henrique fez um belo trabalho (para um esquerdista)...perfeição não existe.
 
  “Em 64 estava assim. O Brasil foi salvo pelo General Castelo Branco. Em 4 anos tinha o maior crescimento do mundo. É só não roubar.”  [Comentarista G+]

  Comunismo o máximo que consegue (quando consegue) é um voo de galinha, algum progresso no início para logo voltar há uma baixa qualidade de vida.
  Foi o que aconteceu na década de 70.
  Os militares estatizaram a economia e limitaram bastante a liberdade de expressão.

  OS MILITARES FIZERAM UM GOVERNO DE CENTRO-ESQUERDA.

 Deixaram para os governos civis uma dívida de mais de 1 Trilhão.
 João Figueiredo percebeu a catástrofe e disse a celebre frase:

“JURO QUE FAREI DESTE PAÍS UMA DEMOCRACIA.”
 [Ao tomar posse, em 15 de março de 1979.]

  E fez mesmo, pena que o decepcionamos entregando o país a guerrilheiros/esquerdistas.
  Na última eleição (2014) ao ver na TV a vitória de Dilma eu entendi muito bem a frase magoada proferida por Figueiredo.

“PREFIRO CHEIRO DE CAVALO DO QUE CHEIRO DE POVO.”

  Naquele dia seguinte as eleições eu e 48% da população assinaríamos em baixo dessa frase.
   Depois de 2 dias já estava mais calmo, voltei ao bom senso.

TODOS SOMOS POVO.

  Não vamos desistir de tornar o Brasil um país melhor e mais eficiente.
  Que o General “João Batista” de Oliveira Figueiredo, nos perdoe por termos “cortado sua cabeça” como um dos grandes homens de nossa História.

  Descanse em paz, que o General Figueiredo, onde estiver, ainda tenha motivos para se orgulhar de sua gente do NOSSO POVO.


  Juízo, pragmatismo e boa sorte a todos nós...

Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário