quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

FAVELAS

    “Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes.” 
[William Shakespeare]

  Falando em demência:
__________________________
👩 “É incrível o que acontece no Brasil.
    Por conivência dos governos pessoas moram em barracos.
    É melhor para os políticos ter favelas do que bairros estruturados, na miséria ganham votos.
 [Comentarista no G+]    
___________________________

  Essa opinião tão comum em nossa Sociedade não corresponde a uma realidade observável.

  Que políticos e governos (no geralzão) “lucram” com favelas é um pensamento tão fora da realidade que se assemelha a “demência mental”.

  Você sabia que apenas 6% da população brasileira vive em favelas?
   

  “Favelas concentram 6% da população brasileira, com 11 milhões de habitantes.
  Apenas três regiões metropolitanas concentram quase metade (44%) dos domicílios favelados do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Belém.

  Nem todas as pessoas que moram em favelas vivem na “miséria”. 

  Comprar casa não é fácil, mas se o cidadão e sua esposa ganham um salário mínimo cada um ... fome não vai passar, pode até se dar algum luxo como ter celular ou uma moto usada.
  Evidente que quanto mais filhos o casal decide ter, mais as coisas vão se complicando.
  Entretanto não vejo nenhum Governo (Municipal, Estadual ou Federal) estimulando a paternidade irresponsável.
  Como sempre esperamos tudo de algum Governo e dispensamos o cidadão de suas RESPONSABILIDADES INDIVIDUAIS.

  Meu maior feito financeiro foi quitar meu apartamento, garanto que NÃO FOI FÁCIL.

  Meus pais não me deixaram nenhum imóvel, sempre morei de favor em casa de fundos.
  Ralei muito para conseguir morar decentemente, não culpo Governo nenhum pela irresponsabilidade, falta de juízo dos meus pais.

    “Sou a favor de uma rede de proteção básica para o indivíduo não passar fome, ter ao menos um albergue onde ficar e assistência médica, fora isso, se quiser mais QUE CORRA ATRÁS e ... dentro da lei senão sou a favor de penas duríssimas.
  Para as crianças boas escolas, educação de qualidade e a ESPERANÇA que não sejam tão irresponsáveis quanto seus pais” 

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Para uma vida mais eficiente é importante definir prioridades.

  Temos capacidade para tocar vários projetos paralelos, no entanto a vida tem uma infinidade de coisas que podemos fazer ou participar de forma que os projetos tem que passar por uma escolha, uma definição de prioridade.

  A vida nós planejamos, mas não controlamos.  

  Por vezes novas prioridades se impõe.
  Você planeja trocar de carro no final do ano, mas em Setembro é demitido ...  para 99% das pessoas a prioridade muda.
  Se já tem um bom carro trocar de veículo não é de suma importância.
  Se não tem carro e planejava comprar o primeiro...já viveu tanto tempo sem carro infelizmente continuará sem.
  Note que é uma situação triste, perdeu o emprego, tinha um projeto que iria melhorar sua qualidade de vida e foi adiado você nem sabe para quando.

 Chega de “vaselina”, vamos a dureza desse texto.

  Cuidar de favelados deve ser uma prioridade para a sociedade em geral?


  Ter casa própria é uma prioridade para qualquer um o que vou questionar são os meios que muitos estão dispostos a utilizar e outros dispostos a permitir.

  “Panfletos arremessados pelo Águia causam revolta no Pinheirinho.” 

  Claro que “favelas” são um problema social muito triste, mas a dimensão que dão a esse problema não corresponde à realidade.
  Agora você sabe que 94% da população brasileira não vive em favelas.
  No entanto ao vermos os telejornais a impressão que dá é que pelo menos 30% da população vive nessa condição e com base nessa “impressão” montamos teorias e definimos prioridades.

  É sacanagem da mídia burguesa que só quer ver o caos?

  Não é bem assim.
  As principais agências de notícias estão nos grandes centros urbanos, no caso do Brasil estão no Rio e São Paulo.
  Grandes cidades atraem muita gente e naturalmente ocorre uma concentração de favelas, pessoas que vem tentar a “sorte” na cidade grande.
  Se o indivíduo vem morar na casa de um parente tudo bem, vivemos em um país livre com liberdade de ir e vir.

 Se o cidadão invade propriedade particular ou do Estado tudo muda de figura.

 Infelizmente há um consenso na população que a “cidade grande” tem obrigação de acolher a todos construindo casas e cedendo terrenos.

  Sei lá se o indivíduo veio para cá sem a menor condição de se estabelecer seria melhor que voltasse de onde veio.
  Nossa prioridade deveria ser o respeito à propriedade e proibir a construção de novos barracos, mas se defendemos que a Cidade/Governo tem que dar casa para todos votamos em políticos que prometem essas coisas.

  Notem que os 6% da população que mora em favelas, não tem MATEMATICAMENTE força para eleger políticos populistas, quem tem força é a maioria que defende que o político deve ser populista e dar casa para todo mundo.

  Os 6% de favelados tem o apoio irrestrito da grande maioria da nossa sociedade que os tratam como vítimas dos não favelados, vítimas de nós mesmos ... demência em “estado” puro.
😞

  I’ll be back!

  


  Na visão Marxista do Socialismo a propriedade particular não deveria existir é um dos grandes males da humanidade.
  Isso muita gente sabe, o que não sabem é que Jean Jacques Rousseau foi um dos grandes pensadores a entrar por esta brecha bem antes de Marx.
  Rousseau disse:

  "O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que, tendo cercado o terreno lembrou-se de dizer "isto é meu" e encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo.
  Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não pouparia ao gênero humano aquele que, arrancando as estacas ou enchendo o fosso, tivesse gritado a seus semelhantes:
 "evitai ouvir esse impostor; estareis perdidos se esquecerdes que os frutos são de todos e que a terra não pertence a ninguém"

  Eu discordo de Rousseau, a propriedade privada foi um dos maiores avanços da humanidade.
  Tribos indígenas já demarcavam territórios e ai de quem entrasse neles sem consentimento.
  Demarcar territórios foi uma necessidade e respeitar as demarcações também.


anterior         <>              próximo

Postar um comentário