quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Salas Mistas

 “Segundo estudo da Easse (Associação Européia de Educação do Mesmo Sexo, em inglês), no Reino Unido, das 29 escolas públicas que se encontram entre as cem melhores, 25 são de educação diferenciada.
  O Ofsed britânico (Gabinete para Padrões em Educação, em inglês) recomendou a separação por sexo.”  [Folha]     Clique Aqui
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$        
  Em um Blog ateu foi denunciado o “fascismo” de alguns evangélicos em querer acabar com as salas mistas.

  Na ocasião [subtraindo da proposta os dogmas da Fé] a reivindicação dos evangélicos me pareceu bastante coerente, mas evitei emitir opinião, pois não havia meditado sobre esse assunto.
  Depois de meditar bastante iria escrever um texto, mas outros textos gritaram para sair e o tema foi ficando esquecido.
  Ele voltou a minha mente no debate com um defensor do anarquismo:

“Minha referência ao anarquismo é justamente por falta de conhecimentos de alguns que o tomam como vandalismo e atitudes desorganizadas e caóticas, mas o anarquismo não significa isso! Bom, algumas medidas anárquicas existem até hoje, por exemplo: através do anarquismo foi concebida a ideia de meninos e meninas estudarem na mesma sala de aula e receberem igualmente a mesma educação. " [G+]

 Será que é bom meninos e meninas estudarem na mesma sala de aula?
 Em debate com um defensor do movimento anarquista ele falou da importância de salas mistas para a sociedade moderna.
  Não vou entrar em detalhes históricos, vamos apenas aceitar que o anarquismo trouxe esse grande “benefício” para a sociedade.
  [Esse é o tipo de coisa que várias ideologias reivindicam a paternidade.]

  O que vou questionar diante dos resultados é quanto salas mistas são benéficas para educação.

  Antes de continuar quero deixar claro que não concordo com muitas teorias “modernizantes” sobre aprendizado.
  Acho eficiente o modo tradicional e não vejo muitos motivos para muda-lo.
  Bom professor, crianças focadas, caderno, lousa e giz.
  Claro, com a tecnologia atual a lousa pode ser eletrônica e o caderno um tablet.
  A princípio você que me acompanha vai achar um contra senso alguém que fala tanto em liberdade defender uma escola mais fundamentada na disciplina, mas me dê ao menos o benefício da dúvida.

  A liberdade precisa da disciplina, se cada um fizer o que quiser inviabiliza a liberdade do outro...liberdade nunca tem como ser plena, total.

  Vamos a um exemplo simples:
  Sou maior de idade e tenho liberdade para comprar qualquer coisa que esteja à venda no supermercado, de bebidas alcoólicas até comidas gordurosas ou vegetarianas.
  Mesmo que algo me faça mal eu tenho liberdade para comprar.
  Acontece que eu tenho que pagar e para pagar eu tenho que trabalhar, conseguir dinheiro...não conheço muitos empregos onde não precisamos ter DISCIPLINA.
  Percebe que para ter a liberdade de comprar o que quiser você primeiro teve que ter disciplina para ganhar dinheiro?
  Se você não fez isso, seus pais ou alguém fez por você.
  No caso da criança ela deve ter liberdade para brincar, conviver com sua família seus amigos, mas escola é lugar de estudo, lugar de muita disciplina
=====================
  Não acho que é pedir muito que pelo menos por 4 horas 5 vezes por semana a criança seja duramente cobrada para aprender o básico do conhecimento humano acumulado.
  Se a aula tiver mais 2 ou 4 horas [período integral] que nesse tempo façamos outras experimentações extra curriculares, mas as primeiras 4 horas tem que ser exigido muita disciplina e RESPONSABILIDADE.
  Quanto é 3 X 3 ?  
  Vem a minha mente fácil o número 9, eu não medito sobre esse resultado, ele está “decorado” em minha mente.

  Decorar é bom, é uma característica importante de nosso cérebro, liberta nossa mente para outras meditações, novos aprendizados.

  Tenho 3 colegas, disponho de 9 balas e quero distribui-las em partes iguais, dou 3 balas para cada um.
  Como decorei a tabuada essa sistemática toda acontece em segundos, liberta minha mente para outras deduções como evitar de oferecer bala para alguém que é diabético.
  Decorar a tabuada do 0 ao 10 encurta muito os caminhos para saltos maiores, radiciação, potenciação, álgebra...
  Pelo menos por 4 horas a aula não deve ser transformada em “circo”, professor não tem que ser palhaço nem animador de auditório.  Clique Aqui
  A escola deve ser como um “emprego” para criança onde seu dever é aprender conceitos básicos do conhecimento humano.

  Claro que eu entendo o que os educadores moderninhos pregam:
  Se eu morar um tempo em Brasília nunca mais vou esquecer que ela é a capital do Brasil.
  Quando aprendemos vivenciando alguma coisa ela dificilmente sai de nossa mente.
  Acontece que temos 26 Estados, é inviável cada criança morar um tempo em cada capital para aprender seus nomes.
  É mais eficiente repetir várias vezes os nomes para acertar na prova, decora-los e saber localizar as capitais no mapa.
  Eu já não sei dizer de cabeça o nome de todas as capitais, não é uma coisa que eu lide profissionalmente, mas é uma informação de fácil acesso porque meu ensino fundamental me dotou dessa capacidade.
  Depois do ensino fundamental as salas podem ser mistas, mas antes o mais eficiente para manter o foco é separar meninos de meninas.
  To be continued...



 “ Este tipo de sistema é uma prática do século passado. Com o passar dos anos, a educação brasileira passou a adotar o ensino misto. E, para muita gente, como a especialista em educação Laura Monte Serrat Barbosa, voltar ao sistema antigo é um retrocesso:”

“- A gente aprende a diferença com a convivência com o diferente, e não na segregação.”   [R7]  Clique Aqui

  Percebam mais uma vez que transformaram a escola em um lugar onde a prioridade é “formar cidadãos” e o conhecimento humano fica em segundo ou terceiro plano .
  FORMAR CIDADÃOS É FUNÇÃO DA FAMÍLIA.

  Minhas filhas não são segregadas da convivência com meninos, eu e minha esposa não fazemos isso, mas na escola, no ensino fundamental, queremos que elas foquem no CONHECIMENTO HUMANO ACUMULADO.

anterior         <>              próximo

Postar um comentário