sexta-feira, 16 de maio de 2014

Tenho Pré Conceitos

  “O amor é uma espécie de preconceito.
   A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente.
   Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse?
   Mas a gente nunca conhece.
  [Charles Bukowski]

  


  “Boechat nunca escondeu a sua descrença e às vezes lembra que os ateus são uma minoria que sofre muito preconceito.”


   A boa pergunta é:

  Quem nunca “sofreu” preconceito?

   Na Internet participo de 3 grupos de ateus, 2 no Face e 1 no G+.
   Um deles tem 28 mil membros.

  Vamos dizer que 50% sejam de “não ateus”.
  Ainda temos (só em uma comunidade) 14 mil pessoas defendendo que não passamos de “maquinas biológicas”, nada mais que isso.
  É bastante gente embora seja uma quantidade ínfima se comparada com espiritualistas”.


   Não entendo porque ateus não se organizam politicamente!?

   Ficam só reclamando que sofrem “preconceitos”.
   É muito difícil encontrar algum tipo de humano que pode dizer não sofrer preconceito.
   Peguemos um norte americano alto, forte, loiro, olhos azuis...   
   Só pelo fato dele ser americano será demonizado em várias partes do mundo.
   Quem nunca ouviu a frase “Loira Burra”?
   Isso não é um preconceito contra mulheres loiras?

  Esse negócio de querer valorizar sua crença ou situação dizendo que sofre preconceitos já virou um troço chato pra cara...mba. 
  Um vitimismo.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Eu tenho pré conceitos.
 
  São muitos, leia alguns.

  Quando alguém diz ter certeza que a Bíblia é 100% a palavra de Deus eu "preconceituosamente" coloco em dúvida sua capacidade de raciocínio lógico.
  Isso não quer dizer que eu a ache burra.
  Ela pode ser muito talentosa em algumas coisas, ser melhor que eu em muitas coisas, mas filosoficamente “me acredito” um pensador mais eficiente.
  De certo esse crente deve ter o mesmo preconceito com relação a mim.
  Quando ele sabe que para eu a Bíblia é só mais um livro com histórias dos antigos, deve ter o preconceito que está diante de alguém frio e calculista, alguém do "mundo" no pior sentido.

  O "pré" conceito é normal na grande maioria das pessoas.

  Eu vejo um carro bonito e novo estacionado, tenho o pré conceito que está em excelente funcionamento.
  Se o carro é velho tenho o pré conceito que não deve estar muito bom.
  É evidente que a realidade pode ser inversa ao meu pré conceito, o carro velho está bem cuidado e funciona muito bem enquanto o carro novo está com pane elétrica.

  O problema não está em termos pré conceitos é normal até confundi-los com intuição.
  
  Você está em uma rua deserta, tarde da noite, vê lá na frente dois homens parados em um lugar mal iluminado, você tem o pré conceito que pode ser ladrões e prefere mudar o caminho.

  Você vê um tablete da Apple último modelo sendo vendido por mil reais, você tem o pré conceito que pode ser roubado ou tem algum defeito grave.

  Você mulher vê um homem grande e tem o pré conceito de um bilau enorme, mas na realidade bilau é igual nariz ou orelha, um homem de 1,60 pode ter um bilau grande enquanto um de 1,90 não tem lá essas coisas...


  

  Quero dizer que o pré conceito também pode ser positivo ou decepcionante.

  Você homem vê uma mulher bonita, de voz macia e tem o pré conceito que está diante de uma pessoa muito boa, no entanto essa moça pode ser "bonitinha, mas ordinária", pode ser o "cão chupando manga".

  Temos o preconceito que toda pessoa de “olhos puxados” é japonês ou descendente.
  Temos o preconceito que todo japonês é inteligente, se encontramos um oriental não muito esperto ficamos decepcionados.

  [Vamos para parte complexa dessa meditação tentando achar um conceito para o preconceito.]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Como o preconceito é uma coisa inerente a condição humana temos que nos adaptar, aceita-lo mais “naturalmente”.

  O preconceito em si não é problema, o problema é limitarmos nosso pensamento e ação ao pré conceito. 
 [William Robson]

  Vamos a alguns exemplos "tentando" não ofender ninguém.

1 - Eu preciso contratar um profissional de programação, dos vários candidatos que se apresentam eu preconceituosamente presto mais atenção aos nisseis porque na minha cabeça japoneses ou descendentes deles são mais inteligentes.

2 - Preciso selecionar alguém como tesoureiro e prefiro evangélicos da minha igreja porque sendo tementes a Deus são mais confiáveis, não fariam nada que os levassem para o inferno.

3 - Preciso fazer um experimento e prefiro ateus porque são melhores cientistas.

  Quando limitamos nosso pensamento aos preconceitos, limitamos a eficiência de nossos resultados.

1 -  Grandes empresas de computação como Microsoft e Google NÃO pertencem a japoneses.

2 - Muitos evangélicos já desviaram dinheiro.

3 - Na história da humanidade não vemos a predominância de ateus na ciência.

   Enfim, você pode perder um grande profissional que iria fazer a diferença na sua empresa só porque resolveu ignorar o candidato por puro preconceito.

Preconceito e MERITOCRACIA não combinam.

  Você mulher pode ter o preconceito que marido bom é loiro de olhos azuis e perder a oportunidade de conhecer um grande amor negro, um ótimo companheiro para toda sua vida.
[Claro que a recíproca também é verdadeira]

  Vamos a uma “Terapia da Lógica” aplicar essa meditação a realidade para uma vida mais eficiente.

  Eu posso tirar os limites dos meus pensamentos, analisar meus próprio preconceitos, no entanto...

  Não tenho como obrigar as pessoas a tirarem os limites dos pensamentos delas, analisar seus preconceitos.

  Quando isso ocorre não temos muito o que fazer a não ser aceitar a situação e verificar o que é melhor para nossa vida.

  Sim, em casos que somos muito prejudicados devemos recorrer ao poder judiciário, temos leis contra assédio moral e racismo.

  Mas na maioria das vezes “eu acredito” que é melhor e menos desgastante deixar para lá, seguir adiante.

  De repente você ateu é cortado no processo seletivo em uma empresa de evangélicos.
  Sei lá, dinheiro não é tudo.
  Será que seria bom para você conviver com pessoas que vivem invocando Deus para tudo?

  Sei que meus pensamentos desagradam a maioria das pessoas, “sofro” muito preconceito por conta da minha filosofia, sou xingado de todas as maneiras, então no meu cotidiano prefiro ficar isolado e em silêncio, deixo pra lá, não fico me vitimizando.

  Um dia Livres Pensadores serão maioria?

  Não vislumbro isso acontecer tão cedo, "se" um dia acontecer.

  Enquanto isso tento me adaptar à realidade a minha volta e não exigir que a realidade adapte-se a mim.

  Não me considero algum tipo de “deus”, não tenho a pretensão que sempre seja feita a MINHA VONTADE.

  Você consegue dizer a mesma coisa sobre sua “crença” ou “não crença”?

Decifre-se ou seja devorado pela intolerância e/ou vitimismo.



anterior         <>              próximo
Postar um comentário