terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FORA DAQUI!

“Minha aura clara, só quem é clarividente pode ver.”
 [Gilberto Gil]

_________________________
 👩 "Cada um faça o que quiser de sua vida e da palavra de Deus, depois cada um terá mesmo que arcar com as consequências de suas escolhas, então, que assim seja."
[Comentarista no G+]
________________________
     
  Humm... segundo a “Bíblia” (palavra de Deus) não é bem assim.​​


  Você não é salvo por obras, quem é um escolhido já está com o nome escrito no livro da vida desde a fundação do mundo.

  Por esse ponto de vista é complicado afirmarmos que de fato temos algum poder de escolha.

 
  É o que já disse várias vezes sobre Eva, estava escrito que ela comeria o fruto se Lúcifer estivesse no Éden.
  Deus tinha uma escolha, permitir a presença de Lúcifer ou não.
  Eva só tinha capacidade para seguir o roteiro.

  Crentes ignoram propositadamente o significado da palavra onisciência.

  Onisciência saber absoluto, pleno; conhecimento infinito sobre todas as coisas.
  Saber divino, universal, uno, intuitivo, independente, infalível e eficaz.

  Se Deus de Abraão sabe tudo ... sabe tudo.
  É difícil explicar o óbvio.
  Porque eu William nasci tão questionador?
  Porque Deus me fez assim, escreveu que eu teria essa personalidade, não tenho escolha estou preso ao roteiro.

  Entretanto a provocação desse texto é outra...

  Embora seja algo terrivelmente injusto já nascer “condenado” simplesmente porque algum deus escreveu assim, aceitando essa hipótese bíblica tem um problema ainda maior.

  O indivíduo se achar um escolhido quando tudo indica que não.

  O cidadão não tem muita sorte na vida, para conseguir alguma coisa é muito trabalho e sacrifício.
  Alguns a sua volta tem excelentes oportunidades e o cidadão mesmo sendo justo, bom, trabalhador fica só com migalhas.

  Se você não é um escolhido aqui na Terra, porque seria no céu!?

  Um Silvio Santos tem muito mais chance de ter o nome no livro da vida que você ou eu pobres de maré de si.


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Eu aposto que essas historinhas dos antigos são só contos da carochinha na maior parte do tempo.

  O evangélico passa toda sua vida acreditando que Abraão é o cara e ele nem existiu ou sua história foi muito diferente do que a que chegou até nossos dias.

  Aceitando a hipótese que alguma espiritualidade “nos administra” é mais “lógico” acreditar que para alcançar algum tipo de salvação (um lugar melhor no pós vida) basta se esforçar para ser bom independente de qualquer doutrina ou religião ou algum pacto divino feito por “Deus” com algum indivíduo.

  Todos somos chamados e cada um pode optar pelo bem ou pelo mal.

  Deus separaria um mundo muito eficiente para os bons e deixaria os maus vivendo em mundos infernais, mas sempre com possibilidade de optarem pelo bem.

  Muitos antigos, de outras crenças, escreveram sobre essa “salvação” pelas obras.
  O Hinduísmo é a religião mais antiga conhecida.
  Ele prega basicamente que a sociedade precisa de todos os tipos de “profissionais” e esses se dividem em “castas”.
  Você inicia em uma casta bem baixa e pelas obras, nas encarnações seguintes, vai subindo de casta.
  Se optar pelo mal pode também estacionar em uma casta ruim ou regredir a uma pior.

  Apesar de nós do Ocidente termos ojeriza pelo sistema de castas ... para um pensamento primitivo ... é muito mais coerente que a “predestinação cristã” outro pensamento primitivo.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   “Você terá que prestar contas a Deus!”

  Quando alguém nos “ameaça” com essa frase, passa a impressão que o indivíduo está de acordo com os preceitos divinos e nós estamos ignorando ou burlando as leis.
  Se o indivíduo morrer naquele dia estará com sua consciência limpa e tranquila diante do julgo suave de Deus, porque obviamente o sujeito está certo e nós estamos errados.

  Em que o sujeito acredita estar certo?

  Eu poderia dar inúmeros exemplos, mas vou dar um exemplo batido que todos já conhecem.

  Ele está certo que aceitar Jesus como filho de Deus é o único caminho e se você tiver alguma dúvida sobre isso “terá que se acertar com Deus!”
  Esse “acerto” é só uma figura de linguagem porque fatalmente você já está condenado.
  A conversa com Deus será só uma burocracia protocolar.
  Você acredita de todo seu coração que Jesus é o único caminho então está salvo. (Seu nome provavelmente está no livro da vida)
  Se tiver alguma dúvida é o suficiente para ser mandado eternamente para o inferno.
  “Deus é sim, sim ou não, não.”
  Sua Fé é quente ou fria.
  Mais ou menos, morno, frio...essas “opções” mantem sua alma na perdição.

  Eu estou na perdição porque tenho dúvidas.
  O cristianismo é um bom caminho, mas não consigo acreditar que um bom cidadão hindu, islâmico, budista ... vá para um lugar pior por não ser cristão.

  [Não vou ficar explicando os próximos números a vocês, se alguém não entender, por hora apenas “aceite”.]

  Digamos que a humanidade tenha 6 mil anos.
  (Para falar o “idioma” do judaísmo/cristão mais radical)

  Aceitemos que Adão e Eva viveram no Éden por 300 anos.
  Após a queda do homem Deus demorou cerca de 3700 anos para enviar Jesus.
  Depois de 4 mil anos temos o ano Zero da era cristã.
  É muito tempo, evidentemente surgiram outras crenças, outras religiões...OUTROS CAMINHOS.
  Egípcios e gregos desenvolveram outras crenças.

  Depois da vinda de Jesus houve uma organização espiritual?

  Veremos que não.

  “No verão de 325, os bispos de todas as províncias foram chamados ao primeiro concílio ecumênico em Niceia.
  A religião cristã nesses tempos era majoritária unicamente no Oriente.
  No Ocidente, era ainda minoritária, especialmente entre os pagãos, vilas rústicas.
  Daí o nome de pagãos para os gentios.
  [Paganismo (do latim paganus, que significa "camponês", "rústico") é um termo geral, normalmente usado para se referir a tradições religiosas politeístas.]

  “Embora algumas obras afirmem que no Concílio de Niceia discutiu-se quais evangelhos fariam parte da Bíblia, não há menção de que esse assunto estivesse em pauta, nem nas informações dos historiadores do concílio, nem nas atas do concílio que chegaram a nós em três fragmentos: o Credo dos Apóstolos, os cânones, e o decreto senoidal.
  O Cânone Muratori, do ano 170 d.C., portanto cerca de 150 anos anterior ao concílio, já mencionava os evangelhos que fariam parte da Bíblia.
  Outros escritores cristãos anteriores ao concílio, como Justino Mártir, Ireneu de Lyon, Papias de Hierápolis, também já abordavam a questão dos evangelhos que fariam parte da Bíblia.”


   Observem que não foi só Jesus vir e todo um mundo novo foi iniciado.
  Antes da conversão de Constantino o Cristianismo no Ocidente era pouco difundido.
  Acredito que todos concordamos que 325 anos é bastante tempo para desenvolver novas crenças outros caminhos.
  Os normandos (Vikings) eram politeístas.


  Calma que tem mais complicação.

  Quando o Cristianismo graças ao Império Romano estava suficientemente forte para dominar o mundo...nasce Maomé.

  Maomé com a benção de Deus [O anjo Gabriel apareceu para ele] iniciou a religião Muçulmana que foi dominante no império Otomano
  Isso aconteceu 245 anos depois do Concilio de Niceia.

  Em paralelo surge o Império Persa onde a religião dominante era o Zoroastrismo.


  Do ponto de vista “metafisico” fica claro que se somos administrados por outros seres eles propositadamente promovem um “rodizio de impérios”.
  Devem ter um propósito o qual desconhecemos.

  Do ponto de vista “materialista” ...

  Observem a correlação direta entre império Dominante X Religião Dominante.

  Você pode ser cristão simplesmente porque os portugueses eram cristãos na época de nossa colonização.
  Americanos são cristãos porque os colonizadores ingleses eram cristãos.
  Não dá para dizer que os USA são um império [se olharmos para os moldes antigos], mas em termos de influência econômica e cultural podemos “subjetivamente” dizer que sim.

  Perceba que você brasileiro e outros povos latino americanos só conheceram “Impérios Cristãos”, você é cristão por força da tradição.
  Se tivesse nascido no império Otomano provavelmente seria muçulmano.
  Se tivesse nascido no império japonês ou chinês seria budista/xintoísta.

  Vamos a mais complicação.

  Como a Bíblia é muito confusa, suas interpretações deram origem a muitas correntes no Cristianismo.
  O Cristianismo Católico é diferente do cristianismo Protestante que é diferente do cristianismo Ortodoxo.
[Isso para ficar no geralzão]

  Diante de tantos caminhos, tantas ramificações como não ficar em dúvida!?

  Como ter certeza que o “império que eu vivo” é o dono da verdade?

  Você que nasceu no Brasil aceita Jesus como o único caminho porque foi uma TRADIÇÃO herdada de seus pais que herdaram dos pais deles, que herdaram dos avós...

  Se você não questiona a sua tradição recebida porque quer obrigar o hinduísta ou islâmico a questionar a dele!?

  E quem igual eu questiona é um blasfemador, “Vai se acertar com Deus!”

  Em um comentário interessante foi me perguntado:

👩 “Quero ver qual argumento irá usar quando estiver diante de Deus.”

  De certo uma criatura insignificante como eu não terá essa honra, mas se eu tivesse argumentaria:

  Sou um ser imperfeito fiz o melhor que pude, o Senhor como ser perfeito deixou muito a desejar, complicou demais as coisas.

  Para nós criaturas que ousamos pensar só nos resta fazermos o melhor que pudermos e torcer para que se existir um Deus ele seja INTELIGENTE ou ao menos MISERICORDIOSO.

  Deixe-nos viver em paz ou nos ANIQUILE.

  Depois da morte física o abençoado/misericordioso ESQUECIMENTO.

  


Fogo eterno prá afugentar
O inferno pra outro lugar
Fogo eterno prá consumir
O inferno, FORA DAQUI!
Todo mal, toda dor, toda violência, toda falta de amor... FORA DAQUI!








anterior                                <>                                     próximo
Postar um comentário