segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O Grande Golpe

  “Se economistas e analistas erram tanto por que ouvimos suas previsões e atribuímos um caráter científico?”

  A Ciência, do latim scientia traduzido por "conhecimento”, refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos.


  Uma das frases que mais escrevi nesse Blog é:
A vida não é exata.
  A ciência faz parte da vida e está sujeita a “variáveis”.
  Um conhecimento aponta uma probabilidade que pode até ser de 100%, mas e se a probabilidade for de 10% deixa de ser uma ciência/conhecimento?

  Vamos a um exemplo simples para depois expandirmos para o complexo.
  O sorvete é um liquido ou massa congelado.
  Temos a ciência que para o congelamento permanecer o sorvete tem que estar em um ambiente de zero graus ou menos.
  Se deixarmos o sorvete na temperatura média ambiente de São Paulo há 100% de probabilidade dele derreter.

  E se colocarmos no freezer a menos 2 graus?
  Há 100% de probabilidade de mantermos as propriedades do sorvete pelo menos por 6 meses.

  Note que ignorando o imponderável nossas “previsões” do que irá acontecer com o sorvete em determinadas situações são 100% seguras.

  Mas e se uma frente fria baixar a temperatura de São Paulo para zero grau em um dia de inverno? É difícil, pelo nosso histórico de temperaturas, mas não impossível, lembro de já ter chegado a 6 graus.

  E se acabar a energia elétrica que alimenta o freezer?
  Onde moro é bem raro acabar a energia, mas acontece.

  Vamos para o complexo.

  Li uma matéria que zombava dos economistas e analistas políticos os igualando aos astrólogos e videntes.

  Se fosse só um chiste eu não ligaria, mas não foi, a matéria realmente incentivava a não darmos a mínima atenção para análises políticas e econômicas.
  Pelo tipo de filosofia que prático me considero analista político e para ser um bom analista político é preciso conhecer muito de economia e história.
  Previsão em filosofia ou ciência não é naquele sentido mágico de ver o futuro está mais ligado a projeção/probabilidade.

  Fica mais fácil entender se olharmos para ciências “exatas.”
  Você quer ir à uma cidade vizinha que fica a 60 quilômetros da sua.
  Você pega seu carro e mantém uma velocidade média de 60 k/h.
  Podemos “prever” que a viagem demorará uma hora, isso é uma previsão/projeção.
  É evidente que na prática algum acontecimento pode aumentar ou diminuir esse tempo.
  Se você aumentar a velocidade média a previsão passa a ser errada?
  Eu defendo que não.
  A projeção foi correta e você alterou uma variável para mudar o resultado final.

  Se o pneu furar a previsão passa a ser errada?
  Eu ainda defendo que não, surgiu uma nova variável, o tempo razoável para troca de pneu é de 30 minutos.

  O interessante aqui é nós sabermos que em condições normais podemos chegar a esse destino específico em 1 hora, isso é um conhecimento, uma “ciência.”

  É desaconselhável tentar fazer esse percurso em 30 minutos pois precisaríamos desenvolver uma velocidade perigosa para condução do veículo.
  Para não termos nenhum imprevisto com relação ao carro uma boa manutenção mecânica é aconselhável.
  Temos a “ciência” que um pneu pode furar, por isso nossos carros tem estepe.

  E se o imponderável acontecer?
  Uma queda de barreira, um acidente que envolva seu carro ... daí a gente vê o que faz, não dá para sair de casa sempre esperando que o pior aconteça.

  Pois bem vamos a algumas projeções econômicas e políticas.

  Na velocidade atual do crescimento de nossa dívida podemos em poucos anos entrar em moratória.
  De posse dessa projeção certa (matemática básica) espera-se que o Governo tome as medidas necessárias.
  O governo ajusta de alguma forma a economia e a moratória não acontece.
  A projeção estava errada?
  Claro que não, ela foi importantíssima para os técnicos do Governo conseguirem um outro resultado.

  O que esperar do governo Dilma?
  Se houver a cassação da chapa o novo eleito, seja qual for ele, conseguirá uma governabilidade muito melhor que Dilma.
  Para ser eleito ele tem que conquistar o apoio de mais da metade do eleitorado, coisa que Dilma só por um milagre irá conseguir.
  A vitória de Dilma nas últimas eleições foi a base de mentiras, maquiagens fiscais.
  Espera-se que os candidatos a Presidente não tenham os nomes envolvidos no escândalo da Lava Jato.
  Entenda que a Lava Jato trata essencialmente dos desvios de dinheiro na Petrobras, Dilma estava ali no olho do furacão desde 2003 e nunca viu nada, não soube de nada!?

  “Em 2002 Dilma participou da equipe que formulou o plano de governo de Luiz Inácio Lula da Silva para a área energética.
  Posteriormente, foi escolhida para ocupar o Ministério de Minas e Energia.” [Wikipédia]

  Considerando que seja verdade que ela nunca soube de nada ... é uma pessoa muito desligada, incompetente ao extremo.

  Um outro presidente nos traria ao menos esperança.
  Não vejo no horizonte nada que que possa fazer subir a popularidade da Presidente ou uma melhora significativa da economia.
Mas vejo um novo golpe sendo arquitetado.
  Para o tamanho dos nossos problemas econômicas atuais é espantoso o volume de reservas que nosso Governo mantem no exterior.
  Um Governo sério, preocupado com a população, enviaria bons projetos ao Congresso Nacional mostrando o que temos que fazer para conseguir um equilíbrio fiscal, mudar nossa trajetória de endividamento.
  Esses projetos poderiam ser debatidos com calma por toda Sociedade, criando um consenso.
  A calma seria possível com a repatriação de cerca de 150 Bilhões de dólares das nossas reservas, uma quantia suficiente para resolver os “rombos” provocados pela incompetência administrativa e populismo.
  Claro que não adianta trazer esse dinheiro e continuar com nosso rombo fiscal, o Governo insistir em gastar mais do que arrecada.

  Você tem uma dívida no cartão de crédito porque gasta em média todo mês 10% a mais do que ganha.
  Sua dívida acumulada está em 2 mil reais, mas tudo bem, você tem 5 mil na poupança.
  O mais inteligente a fazer é sacar 2 mil reais da poupança, quitar toda sua dívida com o cartão de crédito e parar de gastar 10% a mais que a sua renda.
  Os 5 mil que você tem na poupança foram fruto de boas vendas de grãos e minério de ferro para China em uma situação que dificilmente irá se repetir, é quase como esperar que São Paulo apresente uma temperatura de zero graus, impossível não é, mas pouco provável.

  Onde está o golpe!?

  Porque o Governo não se empenha em fazer as reformas fiscais, trabalhistas, previdenciárias que tem que fazer e insiste apenas em aumentar impostos?
  A resposta é fácil, cortar gastos é impopular, tira votos.
  Uma boa maneira de cortar gastos sem perder votos é dar esse tipo de esclarecimento que eu estou dando a população, mas o Governo prefere promover a ilusão que pode tudo, quer passar uma impressão de onipotência a população, que diga-se de passagem adora um Estado Paizão.

  Claro que os técnicos do governo sabem que se não fizermos reformas urgentes nosso futuro econômico é sombrio, isso é facilmente previsível.
  Acontece que a prioridade desse Governo não é tornar o Brasil uma nação desenvolvida e sim se manter no poder a qualquer preço.
  E como isso será feito?
  Lá pelo segundo semestre de 2017 se apesar de toda manipulação do Congresso através da liberação de verbas parlamentares e distribuição fisiológica de cargos o Governo não conseguir aumentar substantivamente os impostos... ele tem a carta na manga das reservas.
  Dilma traz o dinheiro lá de fora, dá uma aquecida na economia para parecer que 2018 foi o ano da “superação”.
  O eleitor brasileiro que não se interessa por política e economia e só se interessa na possibilidade de conseguir crédito para comprar alguma coisa vai acreditar que o Brasil voltou a crescer e votar no candidato do governo.
  A “crise” não passou de sensacionalismo da “mídia golpista”. [Dirão os esquerdistas]

  Para quem quer realmente o desenvolvimento do Brasil, uma maneira é desde já alertar a população sobre o golpe em andamento.

  Espero que lá em 2017 quando Dilma começar a queimar nossas reservas em uma nova tentativa de maquiar a economia e fazer seu sucessor vendendo ilusões e mentiras o eleitor tenha a ciência que a rainha esta nua...



  Mas não se desespere, um país por pior que seja administrado não some do mapa.
  Veja o caso do Haiti.
  Veja o caso da Ucrânia.

  Veja o caso da Grécia:

  A GRÉCIA ESTÁ NA POSIÇÃO 100 DOS PAÍSES MAIS DIFÍCEIS PARA TOCAR UM NEGÓCIO, LÁ A INTERVENÇÃO ESTATAL É A REGRA: [Brasil está na posição 122]

►Durante anos, e tendo um PIB per capita muito inferior ao da Espanha, o salário mínimo grego era 50% maior que o espanhol.

►Durante a bolha, Atenas nem sequer sabia quantos empregados tinha em sua folha de pagamento.  Os sindicatos estimavam uns 700 mil, enquanto o governo falava de 800 mil.  Porém, se somarmos os contratos temporais, a cifra superou um milhão de pessoas em 2007, equivalente a 10% da população e a quase 20% da força de trabalho do país.

►Somando todos esses extras, os funcionários públicos gregos chegavam a receber, em média, mais de 70 mil euros por ano, enquanto os funcionários públicos alemães recebiam 55 mil euros anuais.

►Adicionalmente, também havia uma pensão vitalícia de 1.000 euros mensais para as filhas solteiras de funcionários públicos falecidos, entre muitos outros privilégios e regalias.

►A Grécia tinha quatro vezes mais professores que a Finlândia, o país que está entre as melhores notas nos exames de PISA que mensuram a qualidade educativa.  No entanto, essa superabundância de professores serviu apenas para jogar o país entre aqueles que têm os piores níveis de ensino da Europa. Muitos gregos que enviavam seus filhos para escolas públicas tinham de contratar professores particulares para reforço.

► Outro dado curioso é que a saúde pública grega era a que mais gastava com provisões e estoques, superando em muito a média da União Europeia.  Mas os gregos não eram mais doentes que o restante da Europa.  Motivo desses gastos? Um dos muitos escândalos que foram descobertos durante os últimos anos era a tradição entre médicos e enfermeiros de sair dos hospitais carregando todos os tipos de materiais higiênicos e sanitários.

    O povo que elege políticos ineficientes não deixa de existir, apenas não vive tão bem quanto poderia viver.

  Quanto pior a qualidade dos políticos eleitos, pior a qualidade de vida.
  Sempre lembrando que nada é perfeito, Canada e Austrália são nações eficientes o que não quer dizer que sejam isentas de problemas.
  É como poder escolher que seu bebê nasça normal, mas preferir que ele nasça com microcefalia.
  A vida continua, mas bem mais difícil, complicada...
  É como poder escolher ser uma Austrália, mas preferir ser um Haiti sem nem ao menos chegar perto do que é uma problemática Grécia.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “Tem dias que a gente olha pra si e se pergunta se é mesmo isso aí que a gente achou que ia ser quando a gente crescer”
  [Lulu Santos]

  Eu fiz analises políticas e econômica, mas não limite esse texto a isso, escreva seu próprio texto sobre a análise de sua vida.
  Como você está projetando e construindo seu futuro?
  As projeções surgem da análise de fatos, ao observarmos para onde estamos indo podemos alterar alguma variável, mudar a direção ou criar novos fatos.
  Sem planejamento andamos às cegas.
  É como estar em um carro com os vidros todos embaçados, por melhor que seja o carro o desfecho pode ser trágico ou muito abaixo das expectativas.
  Enfim, reserve algum momento do seu dia para fazer análises, projeções, previsões.
  Se sua vida está em um rumo não desejado tente criar um novo fato.
  Namoro, emprego, casamento, amizade, ideologia, religião ... tudo deve ser analisado.
  Poucos sabem como eu da nossa impotência diante de tantas coisas, mas uma pequena mudança de rumo pode trazer um resultado bem melhor para nossa vida.

  Antes de vestir uma opinião analise seus fundamentos, deve ser triste lá no futuro você olhar para o seu passado e perceber que esteve nu na maior parte de sua vida.


Sei lá
Tem dias que a gente olha pra si
E se pergunta se é mesmo isso aí
Que a gente achou que ia ser
Quando a gente crescer
E nossa história de repente ficou
Alguma coisa que alguém inventou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um déjà vu

Sei lá
Tem tanta coisa que a gente não diz
E se pergunta se anda feliz
Com o rumo que a vida tomou
No trabalho e no amor
Se a gente é dono do próprio nariz
Ou o espelho é que se transformou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um vis a vis

Por isso eu quero mais
Não dá pra ser depois
Do que ficou pra trás

Na hora que já é! ♫♫♫♫♫


Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário