segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Fracasso do Ateísmo

“Ateus definirem a existência ou não existência de “interferências” nesse planeta baseados em livros sagrados escritos há milênios ... é no mínimo constrangedor.”
[William Robson]

  “(William)Você sabe o que é auge? Volta 800 anos atrás.”
[Comentarista no G+ sobre o auge do Cristianismo]
▬▬▬▬▬▬▬
  Ateus tem dois pilares básicos para atacarem o cristianismo, ridicularização da Bíblia e atrocidades da Inquisição.
 
1 - Ridicularização da Bíblia. 
  Ateus só reconhecem a “ideia de Deus” exposta na Bíblia.
  Se “Deus” (espíritos em geral) existisse seria tal qual descrito na história contada pelos antigos.
  Como o Deus Bíblico é indefensável do ponto de vista da justiça e bondade, ateus afirmam que ele não existe.
  Esse modo de agir dos ateus é constrangedor para um Livre Pensador.
  Não sei se conseguirei me fazer entender, vou tentar.

Religiosos fanáticos -  É constrangedor ver pessoas bem alfabetizadas e com bom nível de conhecimento defenderem que a Bíblia seja 100% a palavra de algum espirito justo e bom.

  Para eu é uma subversão da lógica que por si só sugere alguma interferência mental difícil de explicar.

Ateus fanáticos -  É constrangedor ver pessoas bem alfabetizadas e com bom nível de conhecimento defenderem que se Deus existe é tal qual descrito por pessoas que viveram 6 mil anos atrás (no caso do judaísmo) ou 2 mil anos atrás (no caso do cristianismo).

  Apoiar nossas hipóteses sobre existência de espíritos no conhecimento humano de 6 mil ou 2 mil anos é como querer observar ondas gravitacionais usando tecnologia e conhecimento de milênios atrás...

  Eu sou um Livre Pensador sintonizado com os conhecimentos e observações do meu tempo.
  Claro que conheço muito do passado, sei que antigos acreditavam que o Sol girava em torno da Terra.
  Não os ridicularizo porque realmente é essa a impressão que temos.
  Quero dizer que Ateus definirem a existência ou não existência de “interferências” nesse planeta baseados em livros sagrados escritos há milênios ... é no mínimo constrangedor.
  Vamos ao meu conhecimento de história para analisar a sugestão que o Cristianismo teve seu auge há 800 anos.

2 - Inquisição.

  Se voltarmos 800 anos temos: 2016 – 800 = 1216

  “A Inquisição é um grupo de instituições dentro do sistema jurídico da Igreja Católica Romana, cujo objetivo era combater a heresia.
  Começou na França a partir de 1250.
  Avançou para Espanha e Portugal.
  Um foco particular das inquisições espanhola e portuguesa era converter forçadamente judeus e muçulmanos ao catolicismo, em parte porque esses grupos minoritários eram mais numerosos na Espanha e em Portugal do que em muitas outras partes da Europa e em parte porque muitas vezes eles eram considerados suspeitos devido à suposição de que haviam secretamente voltado a praticar suas religiões anteriores.
  Estima que o número total de pessoas julgadas por tribunais inquisitoriais ao longo da sua história foi de aproximadamente 150 mil, dos quais cerca de três mil foram assassinadas - cerca de dois por cento do número de pessoas que foram a julgamento.”  [Wikipédia]

 O ano 1216 foi o auge do Cristianismo no planeta?

  Pelo que sabemos da história nem no período da Inquisição o cristianismo esteve em seu auge.

  Auge = O ponto mais alto; pico ou cume.
    Que se encontra no mais alto grau; que possui a maior intensidade; ápice ou apogeu: no auge da vida; no auge da profissão; no auge da tristeza.

  Podemos dizer que no período da Inquisição o Cristianismo esteve no auge do fanatismo e selvageria, esse argumento eu consigo defender.
  Não consigo defender o argumento que o Cristianismo vivia seu auge no planeta durante a Idade Média.
  O mundo não era só França, Portugal e Espanha.
  Nem a Europa se resume a esses 3 países.

  Observem os dados muito bem registrados:

 O Império Mongol (1206 1368) foi uma entidade política que existiu durante os séculos XIII e XIV e foi o maior império em área contígua da história.
  A partir de estepes da Ásia Central, que se estendiam da Europa Central até o mar do Japão, ao norte até a Sibéria, ao leste e ao sul até o subcontinente indiano, a Indochina e o planalto iraniano e, por fim, ao oeste até o Levante e da Arábia.”
  O império unificou tribos mongóis e turcas da Mongólia sob a liderança de Gengis Khan”

 O Império Otomano foi um Estado turco que existiu entre 1299 e 1922 e que no seu auge compreendia a Anatólia, o Médio Oriente, parte do norte de África e do sudeste europeu.
  Foi estabelecido por uma tribo de turcos oguzes no oeste da Anatólia e era governado pela dinastia Otomana.”

  Notem que há 800 anos o Cristianismo era forte só em partes da Europa, um resquício do Império Romano.

O auge do cristianismo é hoje.

  É a religião com mais adeptos no mundo, em segundo são os islâmicos e em terceiro os hinduístas.
  E os ateus?
  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAAHH!
  O auge dos ateus foi a URSS.

  “A união soviética foi o primeiro Estado a objetivar a eliminação completa da religião e sua substituição pelo ateísmo universal.
  O regime comunista soviético confiscou propriedades religiosas, promoveu amplamente o ateísmo nas escolas, perseguiu crentes e investiu na ridicularização das religiões.
  O confisco de bens religiosos apoiou-se principalmente em denúncias de acúmulo ilegal de riqueza.” [Wikipédia]

Olhem que interessante:

  A Rússia por ser o centro nervoso da URSS deveria ser predominantemente ateia, afinal a URSS existiu até 1990, não faz muito tempo.
  Não faz 30 anos que o Estado Ateu Soviético deixou a Rússia e lá os ateus não chegam a 15%!!!!

  “A Constituição da Rússia afirma que o país é um estado laico, porém, a Lei do Parlamento russo (Duma) sobre a religião em 1997, afirma que as quatro religiões tradicionais da Rússia são a Igreja Ortodoxa Russa, o Islã , o Budismo (principalmente lamaísta ) e Judaísmo , de modo que todos têm o direito automático a pregar e praticar sua religião em público e em privado, enquanto outras religiões devem executar procedimentos de registro.” [Wikipédia]

   Para quem não sabe a Religião Ortodoxa é uma corrente do CRISTIANISMO.
  Nota-se um fracasso retumbante do ateísmo em uma nação que deveria ser a “casa” deles, a Rússia deveria ter o ateísmo como uma herança cultural.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Há muitos ateus na China porque são obrigados pelo Estado a ser.

  Em muitos países do Oriente Médio você é obrigado a ser islâmico.

  Não lembro de nenhum país atual onde você é obrigado a ser Cristão.
 [Quem lembrar pode postar, deve ser uma incidência baixíssima]

  Os países cristãos são os mais liberais em termos de religiosidade.
  Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Canada ... você ora para quem quiser, é totalmente livre para ser ateu.
  O Cristianismo é a maior corrente religiosa a qual as pessoas aderem por traço cultural ou por livre e espontânea vontade.
  Se espalha pelos 5 continentes.
  A nação mais poderosa do nosso tempo é o Estados Unidos, uma nação majoritariamente cristã.
  Podemos considerar a China a segunda maior potência?
  A China investe muito em seu exército é potência nesse sentido.
  A economia da China é a maior do Planeta ... mas lembremos que são mais de 1 bilhão de habitantes, gente que come, bebe, se veste...

  Se colocarmos na balança o que mais importa que é qualidade de vida geral da população a China não se equipara nem ao Brasil.

  E a pergunta que não quer calar é:

  Se o partido Comunista da China desse total liberdade religiosa, por quanto tempo os ateus seriam maioria?
 
  “Crescimento significativo no número de católicos e protestantes inquieta o regime comunista chinês, temeroso de que os cristãos se dediquem a fazer política” [El País]

  Senhoras e senhores se o auge do Cristianismo não é agora ... então precisamos reescrever a história segundo a imaginação dos ateus...
  A questão se espíritos existem ou não fica até em segundo plano, o fato é que acreditar em espíritos é um pensamento muito superior (melhor adaptado).
  Ficamos com duas situações:

a) Acreditar em espíritos de alguma forma faz nos organizarmos mais eficientemente em sociedade.

b) Ou espíritos existem e protegem quem acredita neles.

  Uma situação não elimina a outra.

  Concluímos que o Homo sapiens e seus ancestrais eram “ateus” igual todos os outros animais, em algum momento recente o pensamento espiritualista surgiu e se fosse ineficiente não vingaria.
  Sapiens “religiosos/espiritualistas” seriam exterminados ou subjugados por Sapiens “não religiosos/materialistas”.
  O que observamos é que o pensamento espiritualista cresceu e predomina na humanidade.
 O ateísmo não é o novo é o antigo.
O ateísmo não é o futuro é o passado.



Anterior          <>        Próximo 


   Me aprofundar na Filosofia me fez ficar sem religião.
    Nunca estive tão longe da religião e minha distância é ainda maior com relação ao ateísmo.
    Mas já não estou tão solitário:

  “Quem se declara como sem religião é, sobretudo, jovem, com idade média de 26 anos.
  Eles não rejeitam valores religiosos, mas sim a institucionalidade ou até mesmo a mediação de sacerdotes ou de uma igreja.”  [Viva a nova geração!] 

Postar um comentário