segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Punição ou Ressocialização?

  Eu defendo que “ressocializar” criminoso é conversa de ingênuos ou pessoas de má fé.
  Se a família e a escola não socializaram o adolescente porque nosso sistema penal vai ressocializar quem nunca foi “socializado”?



  Não sei muito bem como se estabelecem “verdades incontestáveis” em nossa sociedade.
  Qualquer um que vai contra certa corrente do pensamento só pode estar errado por má fé ou ignorância.
  Não me considero ignorante, acredito que tenho um conhecimento acima da média.
  A Filosofia me leva a muitas meditações e busca de informações, o conhecimento vem de brinde.
  Não escrevo de “má fé” realmente acredito nas minhas deduções.

  Vamos analisar uma “verdade incontestável”.

  “A prioridade do sistema penitenciário é a ressocialização.”

  Eu defendo que a prioridade é a PUNIÇÃO.

  Foi me dito que quem fala em punição no fundo quer vingança.

  E aqui entramos em outra questão complicada.
  Quando você não concorda com o pensamento dominante surgem essas abstrações.
  As pessoas acham que conhecem você melhor do que você mesmo.
  Eu associo punição com justiça, mas os “entendidos” dizem que eu associo com vingança, mas sou tão burro que não sou capaz de perceber/entender isso.

  Vingança tem mais a ver com pagar na mesma moeda segundo nosso próprio julgamento.
  Alguém pichou meu muro, eu acho que foi o vizinho da direita, vou lá e picho o muro dele também.

  Situação muito diferente é a polícia surpreendendo um indivíduo pichando meu muro, eu ter filmado ou apresentar testemunhas.
  Isso vai a juízo de terceiros (poder judiciário) é aplicado uma punição (indenização, multa, reparo do dano, prisão).

  Suponhamos que ocorreu um latrocínio, houve a investigação e chegou-se ao réu.
  Estamos falando de alguém que cometeu um crime foi investigado, julgado e sentenciado.
 

  Quando submetemos qualquer delito a evidências e julgamento imparcial não cabe mais falarmos de vingança.

  Dependendo do delito o juiz aplica uma PENA.

  Penalizar apenar, castigar, multar, condenar, autuar, punir, reprimir.

  Não sei como chegaram à conclusão que o juiz/justiça não penaliza ele ressocializa!
  
  João matou Maria.
  Recebeu uma pena de 30 anos.
  Eu entendo o João ser punido com reclusão de 30 anos (ou receber pena de morte).


  O que seria ressocializar?
  Falamos para o João que assassinar a Maria não foi legal.
  O João diz que está arrependido, que não vai mais fazer isso ... “matar Maria de novo” 😱!

  Depois de cumprir 5 anos [] da medida “sócio educativa” estará na rua e toda sociedade deve recebe-lo como o filho pródigo.
  E Maria? 
  Ficará para sempre em nossos corações. 😩

  E se o João matar de novo?
  A falha é do sistema penitenciário que não o ressocializou direito...

  Como podem perceber não é má fé ou ignorância da minha parte.
  Querem me convencer que João não sabia que é errado matar.
  Acontece que não matarás é um mandamento que ecoa por toda nossa sociedade há milênios.
   João foi “educado” que é certo matar um desafeto então cabe a nós reeduca-lo!?

  Não, não, NÃO!
  Não concordo com essa “verdade incontestável” que a prioridade é a ressocialização/reeducação.

  Se João matou alguém e não foi em legitima defesa (sua ou de terceiros) cometeu um ASSASSINATO e tem que ser PUNIDO.

  João matou Maria, foi julgado e condenado a 30 anos, lá no mais íntimo dos meus pensamentos eu vejo JUSTIÇA.
  Se eu pura e simplesmente matasse o João aí sim poderíamos falar em vingança.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Sou contra a ressocialização?

  O problema é que não entendo muito bem esse conceito.
  Vamos pegar um caso real.

  “PM confessa morte de embaixador, Justiça decreta prisão de envolvidos.
   O policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho, 29, e seu sobrinho, Eduardo Moreira de Melo, 24, confessaram ter matado o embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis.
  Eduardo afirmou que a mulher do embaixador, Françoise Amiridis, 40, não participou da execução, mas teria encomendado o crime por R$ 80 mil, "se tudo desse certo". O valor seria pago 30 dias depois.”

  Os três envolvidos tinham uma vida social, não eram eremitas isolados em alguma montanha.
  Os três não viviam na miséria, não eram excluídos sociais.

  Eu entendo que alguém que viveu em sociedade por muito tempo e por algum motivo foi afastado por longo período passe por uma ressocialização.
  Sei lá, a pessoa foi vítima de um naufrágio ou acidente aéreo e ficou isolada por meses em uma ilha.
  O indivíduo ficou em estado de coma por longo período.
  Enfim, o cidadão ficou distante da vida em sociedade então através de amigos ou assistência psicológica passa por uma ressocialização.
 
  Como aplicar esse conceito aos 3 envolvidos no caso do assassinato do embaixador!?
  Quem me explica?
  [Se não concorda com o conceito explique porque.]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬    
 Muitos pensadores defendem que quem nasce pobre tem uma espécie de licença para cometer crimes, são os excluídos sociais.

  A “exclusão social” na grande maioria das vezes é fruto da paternidade irresponsável.



  Eu nasci bem pobre, na minha casa tinha violência doméstica, então isso me dá o “direito” de cometer crimes!?
  Se eu exercer meu “direito” como irão me ressocializar?
  O sistema penitenciário vai me adotar e reconstituir minha infância!

  E aqui começa outro texto…

  Alguém é punido com prisão, fica afastado da sociedade.
  Quando o cidadão está próximo do fim da pena cabe o conceito de ressocialização.
  Digamos que ele ficou preso 10 anos.
  São 120 meses fora do convívio social “normal”.
  Se nós enquanto sociedade achamos essa pena justa para o delito cometido, depois de cumprida a pena devemos reintroduzir esse indivíduo em nosso convívio normal sem maiores cobranças ou preconceitos.

  No próximo texto vou defender algo que vai contra o pensamento dominante da maioria.
  Vou contestar mais uma “verdade incontestável...”

Presos não podem usar celular/Internet.

   Você concorda com essa proibição?

   Eu NÃO.

I’ll be back!




Anterior          COMENTAR        Próximo
Postar um comentário