quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Albânia ou Estônia

  “O inusitado país que se tornou o maior produtor de maconha da Europa.”




  A Albânia é um pequeno país montanhoso no sudeste da Europa com uma população de cerca de 3 milhões.
  A Albânia fez parte do Império Otomano por mais de 400 anos.   
  Conquistou sua independência em 1912.
  Seu nome em albanês significa A Terra da Águia.

  Na atualidade, a Albânia está entre os países menos desenvolvidos da Europa, embora possua indicadores sociais superiores ao da média brasileira (em 2013).
  A Albânia foi uma nação COMUNISTA da Segunda Guerra Mundial até 1992.
  Todavia, rompeu relações com a ex-União Soviética em 1961, e aliou-se à China.
 [Trocou seis por meia dúzia 😄]
 
  Em 1967 todas as mesquitas e igrejas foram fechadas e práticas religiosas proibidas.
  Em novembro de 1990 o governo começou a permitir práticas religiosas particulares.
 [Mais um grande sucesso ateu 😄]



 Trecho da reportagem da BBC:

   Em uma estrada de terra, em um pequeno vilarejo ao norte da capital Tirana, existe uma casa inacabada de tijolos.
  Ela fica isolada e parece estar abandonada, mas o cheiro doce que sai de dentro revela sua função atual, a produção de cannabis.
  Mais da metade do piso está coberta de brotos de maconha secando.
  "Há mais ou menos 20 quilos aqui", diz o proprietário.
  Ele é jovem, talvez menos de 30 anos, e veste calças jeans justas, uma camiseta e tênis.
   Ele é um de milhares que estão ganhando dinheiro com a explosão do cultivo de cannabis.
  Paga 15 pessoas para colher e processar a maconha e homens armados para defender a plantação.
   Ele diz que é o encarregado, mas provavelmente faz parte de uma rede mais ampla.

  Mas se todos plantam, e isso parece ser de conhecimento geral, por que não houve ação policial?

  "Eu pago 20% para a polícia.
   Todos têm que pagar. Se você não paga, eles te levam preso.
   Essa é a nossa sina, não há empregos, não há trabalho aqui.
   Plantar outra coisa não dá dinheiro.
   Eu sei que não estou fazendo uma coisa boa, mas não tem outro jeito."

  A Albânia viveu sob um regime repressivo e fechado por décadas.
  Com a queda do comunismo, veio um período marcado por revoltas civis e crime organizado.
  Vinte e cinco anos depois, o desemprego continua alto e a corrupção é comum, o que fez com que o mercado de cannabis crescesse.
  Fontes na Albânia sugerem que diversas comunidades passaram a produzir a droga pela primeira vez este ano.
  A corrupção sistemática é crítica para o sucesso deste negócio.
  Com certeza a polícia foi corrompida, mais de 3 mil policiais estão sob investigação criminal ou disciplinar, isso significa cerca de 20% da força.
  Nem todos os policiais estão sendo investigados por ligações com a produção e o tráfico de cannabis.
  A corrupção na Albânia afeta diversos aspectos da vida diária do país.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  É comum esquerdistas pegarem casos como o da Albânia e dizerem:  

  “Está vendo, o capitalismo não dá certo.”

  O primeiro contra argumento é que se o comunismo fosse bom NÃO teria acabado na Albânia.
  Como era a Albânia durante o regime comunista?
  Tirando a elite do partido ninguém tinha muito para comemorar.

  O segundo contra argumento é que Capitalismo de boa qualidade não é algo que se implanta do dia para noite.
  E preciso uma drástica mudança CULTURAL.
  Aqui no Brasil mesmo nós não tendo experimentado o comunismo clássico ainda não desenvolvemos uma cultura capitalista.
  Se bem que o regime militar foi na pratica um regime de esquerda, nunca se criou tantas estatais.

  Nós latinos adoramos um estado paizão, detestamos empresas e empresários, prestigiamos candidatos de esquerda, evitamos cuidar de nós mesmos, queremos que o Estado cuide.
  O Estado tem que educar nossos filhos, nos empregar, nos dar casa comida, nos aposentar no máximo até 55 anos e com salários altos.
  A sim, sem cobrar muitos impostos.
  Até muitos esquerdistas já perceberam que essa conta não fecha.

"NÃO É POSSÍVEL QUE A IDADE MÉDIA DE APOSENTADORIA NO BRASIL SEJA DE 55 ANOS"

 "O Brasil vai ter de encarar a questão da Previdência.
  Essa é uma equação que atinge todos os países desenvolvidos e emergentes.”

  “O governo vai "perseguir" neste ano uma reforma da Previdência aumentando a idade média para a aposentadoria”.

  É possível discutir também um modelo que mescle a idade com tempo de contribuição, a chamada fórmula 85/95 progressiva.

  Depois do populismo a qualquer preço (propina), Dilma sabia o que era preciso fazer.
  Não fez por malandragem ou incompetência?
 
  Acredito que até 2013 ela tinha certeza que as teorias econômicas socialistas eram o certo a fazer, mas o endividamento colocou em xeque sua “crença”, começaram as pedaladas mais intensas para agora sim malandramente se manter no poder.
  Como na campanha de 2014 ela afirmou que tudo estava, bem não tinha necessidade de ajustes dramáticos em 2015.
  Ao propor a população e Congresso medidas duras para combater o desiquilíbrio fiscal que ela disse que não havia ... ficou evidente a farsa deslavada e paralelo a isso a Lava Jato explicitou a máfia que se instalou no poder, nesse momento Dilma se tornou incompetente para tocar qualquer tipo de reforma, mesmo escolhendo o bom ministro da economia Joaquim Levy.
  Eu aposto que se não fosse o Impeachment o Brasil estaria muito pior.
 População extremamente descontente, Congresso hostil a presidenta, a economia se deteriorando rapidamente como ocorreu na Venezuela.

  Nossa economia é esse Frankenstein um Capitalismo de Estado.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O Comunismo não é tão eficiente quanto o Capitalismo para produzir bens e serviços.

  Como o Estado intervém fortemente em tudo é normal muita burocracia. 
  Como a produção de bens e serviços não é eficiente surge um mercado paralelo de mercadorias.
  Para facilitar a papelada ou ter acesso a alguns produtos começa rapidamente fazer parte do processo pagar algum agrado a quem lhe providência um atalho.
  A corrupção e a propina impregna todo regime comunista que já conhecemos.
  Isso atrapalha o Livre Mercado, a empresa não sobrevive pela competência, mas pelo apadrinhamento ... isso onde é permitido empresa privada alguns regimes mais fechados como Cuba ou Coreia do Norte só tem estatais. (Agora está se abrindo)

  A melhor alternativa econômica dos albaneses é plantar maconha?

  O que virá a seguir coca?
  [A “ína” não a cola. 😀]

  Não conheço a cultura albanesa o suficiente para fazer uma projeção satisfatória.
  Mas o destaque dado a corrupção, ao poder do crime organizado e a desculpa esfarrapada que cometem crime porque não há emprego ... dificilmente um capitalismo de qualidade dará as caras tão cedo por lá.
  Nós brasileiros estamos bem mais perto de um Capitalismo eficiente acontecer.
  Pelo menos nossa indignação com a corrupção e excesso de burocracia já começou.

   NÃO devemos creditar apenas a herança comunista como causadora da situação na Albânia.

  Cada povo é responsável pela sua cultura, em exaltar o que é bom e repensar o que é mau.
 
  Vejam esse outro caso de um país satélite da URSS.

 Estônia ingressou na União Europeia em 2004, tem uma economia de mercado moderna e um dos mais elevados níveis de renda per capita da região do Mar Báltico.

  O atual governo tem seguido políticas orçamentárias consistentes que têm garantido orçamentos equilibrados e dívida pública reduzida.
  A economia se beneficia da força dos setores de eletrônica e telecomunicações e dos fortes laços comerciais com a Finlândia, a Suécia, a Rússia e a Alemanha.
  O país é um membro novo da OMC, tem uma renda alta, economia de mercado moderna com aumento de aproximação com Ocidente, incluindo a adoção do Euro.
  Há um grande grau de mobilidade econômica e avanço tecnológico.
  A prioridade do governo é manter as altas taxas de crescimento anuais, que se mantiveram em média nos 8% entre 2003 e 2007.
  O país atravessou uma recessão em 2008 em parte como resultado da retração na economia mundial provocada pela crise no mercado imobiliário norte-americano.
   O PIB contraiu 14,3% em 2009, mas atualmente a Estônia tem uma das mais altas taxas de crescimento da Europa, em grande parte graças ao aumento das exportações e do investimento estrangeiro, sobretudo após a adoção pelo país do Euro, em 1 de janeiro de 2011.
  O país é o 35º no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.
  A população da Estônia apresenta várias características culturais semelhantes à Finlândia.
  A nação compunha a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), no entanto, um plebiscito realizado em 1991 estabeleceu a independência do país, obtido com 78% dos votos.
   No dia 20 de agosto do mesmo ano, a URSS reconheceu a autonomia da Estônia, sendo essa, a data da independência do país.
  Diferentemente da maioria das nações da extinta URSS, a Estônia não integra a Comunidade dos Estados Independentes (CEI).
  O país se aproximou da Finlândia e da Suécia nas relações comerciais.

  Observaram “cientificamente”?
  Albânia e Estônia, nações que partiram de situações semelhantes, uma diz que não tem opção melhor que plantar maconha e se entupir de corrupção.
  Outra se estruturou em um capitalismo de boa qualidade e atingiu ótima qualidade de vida.

  Mais uma vez aquele estranho padrão se repete.

  Ao analisar o sucesso da Estônia pesquisei suas origens mais antigas e me deparei com povos nórdicos.

  As origens mais antigas da Albânia são povos latinos.

  Povos nórdicos e anglo saxões optam por um liberalismo econômico de boa qualidade.

  Latinos, africanos, árabes optam por uma grande intervenção do Estado.

  “Asiáticos” estão no meio do caminho, algumas nações conseguiram acordar para realidade que persistir na democracia e capitalismo é o melhor caminho para o progresso econômico e social outras permanecem altamente estatizantes.
  Vivem dizendo que a China tirou milhões de pessoas da linha da pobreza o que não dizem é que isso começou acontecer quando ela se abriu para as indústrias do Ocidente e todo seu capitalismo.

  Vamos nos concentrar nos latinos.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se analisarmos a História veremos que sempre que o Brasil cresceu bastante foi porque aplicou um pouco de Liberalismo e parou de crescer quando desistiu dele.

  Muitos falam do milagre econômico da década de 70 no governo militar.

  O que não falam é que antes do golpe o Brasil se abriu bastante para o capital estrangeiro, meu pai trabalhou em muitas multinacionais Bosch, Bendix, Clark...
  Pense na produção de veículos sem GM, Ford, Volks.
  Você conhece a história da Vale que os esquerdistas/estatizadores não contam?

DEVEMOS A EXISTÊNCIA DA VALE AOS “GRINGOS”.

  “Vários grupos de INVESTIDORES INTERNACIONAIS adquiriram extensas glebas de terra próximas a Itabira e, em 1909, se reuniram fundando o Brazilian Hematite Syndicate, um sindicato que visava a explorá-las.
  Em 1911, o empresário ESTADUNIDENSE Percival Farquhar adquiriu todas as ações do Brazilian Hematite Syndicate e mudou seu nome para Itabira Iron Ore Company.
  Percival Farquhar fez planos para que a Itabira Iron Ore Co. exportasse 10 milhões de toneladas/ano de minério de ferro para os Estados Unidos, usando navios pertencentes a seu sindicato, que trariam carvão dos EUA ao Brasil, tornando assim o frete mais econômico.
  Esse plano antecipava em mais de 40 anos um conceito que, modificado e atualizado, viria a se tornar realidade, sob a direção de Eliezer Batista, na década de 1960, quando da inauguração do Porto de Tubarão.”

  Toda nossa capacidade de produção de minérios devemos ao capital estrangeiro que trouxe também tecnologia e empregos.
  Será que o milagre econômico dos militares ocorreria se o Brasil não estivesse razoavelmente industrializado e aberto ao capital estrangeiro?

  Antes do golpe o Brasil tinha uma direita organizada e atuante:

  O "udenismo" caracterizou-se pela defesa do liberalismo clássico e da moralidade, e pela forte oposição ao populismo.
  Além disso, algumas de suas bandeiras eram a abertura econômica para o capital estrangeiro e a valorização da educação pública
  Concorreu às eleições presidenciais de 1945, 1950, e de 1955 postulando o brigadeiro Eduardo Gomes nas duas primeiras e o general Juarez Távora na última, perdendo nas três ocasiões
  Como todos os demais partidos, a UDN foi extinta pelo governo militar que assumiu o poder em 1964, através do Ato Institucional Número Dois.
[Wikipédia]

  Os militares nos livraram de males maiores.
  Jânio Quadros queria ser um “ditador democrático” como foi Getúlio no Brasil e Peron na Argentina (Lula também tentou isso, a Lava Jato melou seus planos).
  João Goulart quis aproveitar o fracasso de Jânio para implantar o Comunismo, se ligar a URSS.

  Como o Brasil tinha uma direita forte os cidadãos resolveram se proteger de Goulart junto aos militares, que já tinham nos protegido de Jânio.
  É evidente que Jânio e Goulart contavam com grande apoio da população, a sociedade estava dividida e o fiel da balança sem dúvida foram os militares.

  O problema é que os simpatizantes do Liberalismo Economico esperavam que os militares intervissem por no máximo 2 anos, até as próximas eleições democráticas... o que obviamente não aconteceu.
  O mais triste é que os militares estatizaram tanto a economia quanto os Comunistas fariam.
  Os militares não nos levaram para a URSS, mas também não nos aproximaram do USA e outras nações ocidentais desenvolvidas, os militares fecharam nosso mercado nos levando a um isolamento econômico.
  Fica claro que o milagre econômico da década de 70 foi fruto de algum liberalismo depois do fim da Segunda Guerra.

  A direita plantou, os militares estatizadores colheram, até falir o país.

  Muito parecido com o que ocorreu recentemente.
  FHC introduziu algum Liberalismo de 1994 a 2002 principalmente desestatizando um pouco a economia, o PT colheu os frutos até falir o Brasil.

  Os militares demoraram 20 anos para acabar com o sopro saudável do liberalismo, os petistas conseguiram em 13 anos “energizados” pela corrupção desmedida.

  Infelizmente a Direita nunca esteve no poder, por isso continuamos subdesenvolvidos.

  No Brasil só tivemos esquerdismo, militarismo e populismo.


  Latinos aplicam um pouco de liberdade econômica prosperam e voltam a aumentar o tamanho da intervenção estatal até deteriorar a economia.
  A economia faliu...
  Latinos aplicam um pouco de liberdade econômica prosperam e voltam a aumentar o tamanho da intervenção estatal até deteriorar a economia.
  A economia faliu ....
  Latinos aplicam um pouco de liberdade econômica prosperam e voltam a aumentar o tamanho da intervenção estatal até deteriorar a economia.

  O ciclo vai se repetindo.

   Com inevitáveis sacrifícios conseguem o equilíbrio fiscal ao conseguirem os primeiros frutos voltam a gastança populista.

  Mesmo povos nórdicos passam por fases “mais socialistas” começam a dar mais benefícios sociais do que a economia consegue pagar e o resultado é o esperado, economia degringolando e qualidade de vida também.

  O ser humano tem essa tendência natural a insatisfação, temos que aprender a conviver com isso equilibrando nossas emoções com a razão.

  O Estado vive da arrecadação de impostos, não dá para ele entregar mais do que recebe sem se endividar.
  Cada indivíduo tem sua capacidade de ganhar dinheiro, não é interessante que ao ganhar esse dinheiro ele entregue boa parte ao Estado para que governos decidam o que é melhor fazer.
  Uma carga tributária até 30% é aceitável, mais que isso é preocupante.
  Ausência de Estado ... não é eficiente.

  Fica claro que paraíso na Terra não dá para ter, mas se persistimos no equilíbrio fiscal, no Capitalismo de boa qualidade, em uma democracia onde debatemos os problemas como adultos … dá para ser uma Austrália, Canadá, Holanda… Estônia.



Retrospectiva 60 anos:

  Lá pela década de 50 depois que saímos da era Getúlio Vargas quando estávamos caminhando para uma economia de mercado com boa democracia, eleições diretas … vozes comunistas sob inspiração de Cuba e URSS começaram a dominar o cenário.
  Os militares assumiram em 1964, evitaram o comunismo mais radical, mas acabaram com o sopro saudável do Liberalismo Econômico implantando um governo estatizante.
  A economia cresceu até o início dos anos 70, mas como sempre acontece com governos estatizantes, em 80 já chegamos em péssimas condições.
  Os militares jogaram toda culpa na OPEP e a crise do petróleo, mas é preciso ser muito ingênuo para acreditar que esse foi o fator principal.
  A crise do petróleo afetou o mundo inteiro, porque o Brasil com esse território incrível esteve no grupo das nações que pediram moratória?
  A resposta é só uma, mais uma vez o excesso de intervenção do Estado não deu certo.
  Depois de muito a economia patinar chegou ao poder FHC que apesar de esquerdista foi praticamente obrigado a adotar medidas de liberalismo econômico.

  Lá por 2002 estávamos muito melhor que em 1992.
  Lula até 2006 foi o xerox econômico de FHC, o mundo estava em grande crescimento e o Brasil ia dando certo.
  Com a reeleição de Lula sua essência esquerdista começou vir à tona.
  Mais uma vez a intervenção Estatal foi crescendo, na América Latina um grupo bolivariano passou a comandar várias nações.
  O resultado do crescimento da esquerda foi o de sempre economias indo à falência.
  Dilma até ensaiou uma mudança de rota tímida para direita, mas ficou só na promessa, ela é essencialmente esquerdista.

   Os militares colocaram toda culpa na OPEP.
  Os petistas colocaram toda culpa na crise de 2008.

  Mas a realidade é que se nações persistem muito tempo com grande intervenção do Estado acabam quebrando economicamente, é o caso da URSS, Cuba, Venezuela, Coréia do Norte ... provavelmente vai ocorrer com a China.

  Países como o Brasil ficam nesse chove não molha.
  Basicamente se mantém a esquerda, quando tudo piora bastante caminham um pouco para direita, ao primeiro sinal de melhora voltam para esquerda….

  Senhoras e senhores tudo piorou bastante e agora o Governo Michel Temer está nos levando um pouco para direita.
  Se persistimos nesse caminho em cerca de 3 anos começamos a melhorar substancialmente.
  Mas se quando melhorarmos voltarmos para a esquerda … nosso futuro “Albânia” e provável.
  Se persistimos na direita nosso futuro “Estônia” e provável.

  Aqui no Brasil temos uma miscigenação muito grande, mas basicamente temos uma origem latina herdada de Portugal e nossos países vizinhos herdado da Espanha.

  Espanha e Portugal não são economias tão admiráveis quanto da Inglaterra e Alemanha, mas estão bem melhores que a nossa.
  Até a Albânia tem padrões de vida melhores que o nosso.

  Brasileiras e Brasileiros vamos tomar vergonha na cara.

  Vamos caminhar para um capitalismo de qualidade como fazem os anglo saxões e tantos países nórdicos.
  Não é possível que seja alguma sina da América Latina esse gosto por um estado provedor de tudo.
  Se não conseguirmos chegar a ser holandeses/ australianos ... pelo menos portugueses/espanhóis podemos ser.

  Vamos trilhar o caminho da “direita” (Liberalismo Econômico) e persistir nele.
  É o que historicamente tem dado melhores resultados duradouros.
  Em tempos de internet você não tem motivo para desconhecer a HISTÓRIA.
  A história grita.

  O Capitalismo e a Democracia não são perfeitos, mas sem dúvida, em termos de organização social/econômica é o que temos de melhor.





Anterior          COMENTAR        Próximo 


  TODA NOSSA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DE MINÉRIOS DEVEMOS AO CAPITAL ESTRANGEIRO QUE TROUXE TAMBÉM TECNOLOGIA E EMPREGOS.
.
  Será que o milagre econômico dos militares ocorreria se o Brasil não estivesse razoavelmente industrializado e aberto ao capital estrangeiro?
.
  ANTES DO GOLPE O BRASIL TINHA UMA DIREITA ORGANIZADA E ATUANTE:
.
  O "udenismo" caracterizou-se pela defesa do liberalismo clássico e da moralidade, e pela forte oposição ao populismo.
  Além disso, algumas de suas bandeiras eram a abertura econômica para o capital estrangeiro e a valorização da educação pública
  Concorreu às eleições presidenciais de 1945, 1950, e de 1955 postulando o brigadeiro Eduardo Gomes nas duas primeiras e o general Juarez Távora na última, perdendo nas três ocasiões
  Como todos os demais partidos, a UDN foi extinta pelo governo militar que assumiu o poder em 1964, através do Ato Institucional Número Dois.
[Wikipédia]
.
  Os militares nos livraram de males maiores.
  Jânio Quadros queria ser um “ditador democrático” como foi Getúlio no Brasil e Peron na Argentina (Lula também tentou isso, a Lava Jato melou seus planos).
  João Goulart quis aproveitar o fracasso de Jânio para implantar o Comunismo, se ligar a URSS.
.
  Como o Brasil tinha uma direita forte os cidadãos resolveram se proteger de Goulart junto aos militares, que já tinham nos protegido de Jânio.
  É evidente que Jânio e Goulart contavam com grande apoio da população, a sociedade estava dividida e o fiel da balança sem dúvida foram os militares.
.
  O problema é que os simpatizantes do Liberalismo Econômico esperavam que os militares intervissem por no máximo 2 anos, até as próximas eleições democráticas... o que obviamente não aconteceu.
  O mais triste é que os militares estatizaram tanto a economia quanto os Comunistas fariam.
  Os militares não nos levaram para a URSS, mas também não nos aproximaram do USA e outras nações ocidentais desenvolvidas, os militares fecharam nosso mercado nos levando a um isolamento econômico.
  Fica claro que o milagre econômico da década de 70 foi fruto de algum liberalismo depois do fim da Segunda Guerra.
.
  A DIREITA PLANTOU, OS MILITARES ESTATIZADORES COLHERAM, ATÉ FALIR O PAÍS.

  Muito parecido com o que ocorreu recentemente.
  FHC introduziu algum Liberalismo de 1994 a 2002 principalmente desestatizando um pouco a economia, o PT colheu os frutos até falir o Brasil.
.
  Os militares demoraram 20 anos para acabar com o sopro saudável do liberalismo, os petistas conseguiram em 13 anos “energizados” pela corrupção desmedida.
.
  Infelizmente a Direita nunca esteve no poder, por isso continuamos subdesenvolvidos.
.
  NO BRASIL SÓ TIVEMOS ESQUERDISMO, MILITARISMO E POPULISMO.

___________________________        
#Direita
Postar um comentário