terça-feira, 21 de abril de 2015

Cães, Gatos e Noivas Jihadistas

   “Para o horror de seus pais e das autoridades britânicas, as meninas podem ter se tornado as mais recentes recrutas do grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) na Síria.
  Mais precisamente engrossado a fileira de "noivas jihadistas" - um contingente de jovens que se juntou aos radicais muçulmanos operando na Síria e no Iraque para servir de companheiras para os militantes.” [BBC]
 
  Percebo uma variação da Força fascinante, eu chamo de descendência de Ismael e descendência de Isaque.


  Isaque foi o filho de Abraão com Sara, dele veio toda descendência de Israel.
  Ismael foi o filho de Abraão com Agar, dele veio toda descendência dos povos islâmicos.

  Na história da humanidade me chamou a atenção que alguns povos sempre buscam a liberdade máxima que puderem conseguir parece que tem a democracia em seu DNA.
 Outros buscam independência como povo/nação, mas preferem viver em alguma ditadura ou monarquia de fato.
  Uma boa comparação seria cães e gatos.

  Gatos são livres por natureza eles podem até fazer o que você deseja, mas não recebem ordens, você sugere alguma coisa e talvez eles façam, se estiverem de acordo ou por motivo de força maior.

  Cães são diferentes eles precisam de um poder mais ditatorial, precisam de um líder, de uma ordem.
  Se você der treinamento de ataque a um cão basta dizer ataque que ele seguirá sua ordem cegamente.
  Tente fazer esse treinamento com um gato...

  Se você olhar para a história do povo inglês, por exemplo, verá que eles sempre foram muito independentes como os gatos, a democracia a liberdade individual parece estar em seu DNA.
   Por tradição os ingleses mantém a monarquia, entretanto qualquer coisa que a rainha diga é uma sugestão.

  Olhando para a história dos chineses veremos uma sociedade se organizando sempre em torno de um partidão ou líder supremo se assemelham mais aos cães.
  A liberdade como nação, a liberdade “coletiva” é importante, a liberdade como indivíduo nem tanto.

  Se você pensou que as frequências de Isaque ou Ismael estão diretamente relacionadas com biologia, geografia ou cultura...pensou errado.

  Eu trilhei esse plano de pensamento, mas ele não foi frutífero.
  “Espíritos” da frequência de Isaque ou Ismael podem nascer em qualquer lugar, em qualquer cultura, deve ser algo aleatório ou se alguma espiritualidade comanda isso nos mistura propositadamente com algum objetivo.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

  Se você é um Ismael e nasce em uma cultura/povo predominantemente de Isaque vai sempre se sentir deslocado.
  É um cão vivento em uma sociedade de gatos.

  O excesso de liberdade é um incomodo.

  Você tem que decidir várias coisas, se responsabilizar por seus atos.
  Uma moça da frequência de Ismael que nasce na Inglaterra sente falta de um poder maior que lhe diga exatamente o que fazer, alguém ou uma ideologia que lhe dê uma PROGRAMAÇÃO.

  Essa programação pode ser conseguida de várias formas as mais usadas são:

  Fanatismo ideológico/religioso – Uma doutrina e seu livro sagrado ou grande mestre lhe diz tudo que você deve fazer, o que deve pensar.

  Parceiro autoritário – Um homem possessivo e dominador que lhe diga o que fazer, alguém que para o bem cuide de você...infelizmente nem sempre o bem acontece.

  Claro que isso serve para os homens também.

  O que não falta é homem fanático religioso ou que tem uma companheira autoritária/dominadora.
  Tenho um bom texto sobre isso:

  “Há uma boa quantidade de homens “fracos” que precisam de mulher “forte” para lhes dar sustentação.
  Eu os chamo depreciativamente de “homens banana”, mas não levem essa depreciação até as últimas consequências.
  A dependência é uma característica de suas personalidades, é da NATUREZA deles e todos sabemos como é difícil alterar nossa natureza.”  [Homem Banana]


  No caso da garota jihadistas a última grande decisão que ela toma é se juntar aos de sua frequência o resto segue uma programação.
  Os caras dizem para onde ela deve ir, como ir, decidem com quem ela vai casar e a partir daí ela segue toda a PROGRAMAÇÃO do Corão [livro sagrado do Islamismo].
  Se o povo que ela decidiu se juntar tem uma interpretação mais suave do Corão ela terá alguma liberdade, mas muito menos do que teria na Inglaterra.
  No caso do Estado Islâmico a interpretação deles não é nada suave com relação as mulheres.
  A moça inglesa só poderá receber ordens do marido e seguir à risca o que prega o Islamismo sob risco de violência física, mas não se preocupe será o melhor dos mundos para ela.

  No entanto não seja radical, liberdade plena ou submissão plena não existem.
  Um gato é diferente de outro.
  Um cão é diferente de outro.
  De cão e gato todos nós temos um pouco.

  Uma coisa interessante é que quem é submisso nem sempre tem consciência disso.
  Uma mulher muçulmana pode se descrever como alguém muito livre.
  Um cão mesmo preso a uma coleira quando sai com seu dono para passear vai alegre balançando o rabinho.

  Aqui no Brasil muitas mulheres se acham livres e legalmente são.
  Mas a natureza delas busca um comando, pode ser um companheiro possessivo/autoritário ou uma comunidade.
  Se você observar algumas denominações religiosas cristãs não verá muita diferença daquele islamismo mais radical.
  A mulher não pode cortar o cabelo, usar maquiagem, dirigir cultos, usar calça... evidente que uma pessoa dessa é bastante submissa, mas vai alegre a igreja balançando o rabinho...

  Você vai dizer que a liberdade dela é poder sair disso quando ela quiser e é aí que sua frequência nos é revelada.
  Acompanhe o raciocínio.
  Dependendo da sociedade que uma muçulmana nasce sua desobediência pode gerar severas punições.
  Quero dizer que a muçulmana pode ser uma livre pensadora, mas a opressão é tanta que ela não tem como se libertar.
  Quando a pessoa tem liberdade e prefere a prisão...

  Algumas mulheres realmente não se interessam em usar calça, mas muitas só não usam porque a religião proíbe, se usarem serão mal vistas por sua comunidade, estarem inseridas nessa comunidade é extremamente importante para elas.

  A liberdade “coletiva” é importante a “individual” nem tanto.

  A situação das mulheres nos saltam mais aos olhos, no entanto a dos homens não é muito diferente.
  O crente tem que aceitar que o homem foi feito do barro e não se fala mais nisso.
  Aceitar que já nasceu em pecado.
  Aceitar que é justo o inocente pagar pelo pecador.
  Tudo, absolutamente tudo é para seu bem, Deus está sempre no comando de tudo.
  Eu poderia escrever uma Bíblia de dogmas que devem ser seguidos cegamente, sem pensar.

  É inegável que qualquer ideologia que deve ser seguida cegamente é como uma coleira com corrente curta que você coloca no pescoço.

  Você sabe que os cães aceitam bem a corrente os gatos são avessos a ela.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se você prestou bastante atenção notou que eu destaquei as palavras objetivo e programação.
  Esse texto já estava escrito há alguns meses, mas quando eu decido publicar um texto “coincidências” acontecem amarrando melhor o conteúdo.
  Olha que questionamento interessante me apareceu no Face uns 3 dias atrás bem quando eu estava revisando o texto para publicar:

 “Ué, não seria mais eficiente se o comunicado (Vontade de Deus) fosse passado para todas as pessoas, objetivamente, sem depender da subjetividade,” [Comentarista no Face]
☼☼☼☼☼☼☼
  Depende do objetivo.
  Vamos falar de inteligência artificial.
  Uma coisa é eu programar um computador para determinada tarefa, outra coisa é ele decidir por contra própria e fazer especulações.
  A Bíblia é um programa, você faz essa vontade de Deus [esqueçamos as contradições] ou irá para o inferno eterno.
  Se você segue à risca esse programa podemos dizer que você tem uma inteligência própria/individualizada?
  Eu defendo que não.

  Se o objetivo é treinar/avaliar a qualidade da consciência/inteligência não vejo método mais eficiente que a subjetividade.

“Na casa de meu pai há varias moradas”.

  Indiano, chinês, coreano, inglês, japonês...vivem em culturas diferentes.
  Acho a Índia um país intragável, mas tem muita gente que admira seus gurus e a acham um exemplo para humanidade.
  Eu prefiro a Holanda.
  Objetivamente qual é o melhor país para viver?
  Depende do gosto/frequência de cada um.

  Em alguns testes para emprego é feita uma pregunta subjetiva.
  “O que você faria se ganhasse na loteria?”
  Não tem resposta certa, será analisado se você consegue transmitir bem suas ideias, se tem coerência.
  Se você quer doar tudo aos pobres e justifica bem isso... tudo bem.
  Se você quer torrar tudo porque a vida é breve...tudo bem.
  Qualquer coisa entre esses extremos desde que você amarre bem sua explicação pode ser aceito.
  Se seu entrevistador é um filantropo pode simpatizar com os mais caridosos.
  Se é uma empresa como a InBev altamente competitiva o indivíduo mais ambicioso pode ganhar pontos.

  Outro exemplo:
  Em uma economia tão diversificada qual a melhor profissão a seguir?
  Não tem uma resposta objetiva, os médicos atualmente estão com pleno emprego, mas você tem talento para medicina?
  Jogar bola ou cantar não levam a nada?
  Mas tem tanta gente rica com essas atividades, ganham mais que médicos.
  Além do mais dinheiro não é tudo se você é mais alegre cantando, fará isso mesmo que ganhe menos.

  Se Jesus descesse por entre as nuvens e dissesse fora do catolicismo não há salvação e desse provas cabais disso, realmente a maioria viraria católico.
  Isso seria uma programação.
  Mas e se o Universo for bem mais amplo que a doutrina católica?

   O objetivo de “Deus” é que você siga cegamente um programa ou que seja capaz de se adaptar a vários programas e mais importante, especular, criar novos programas?


Talvez a “salvação” seja a evolução de sua consciência.


  Cães em geral são muito mais violentos, sempre ouvimos falar de ataques de cães a pessoas, coisa que raramente vemos com gatos.

  CRIANÇA DE DOIS ANOS É INTERNADA EM ESTADO GRAVE APÓS ATAQUE DE CACHORRO [Globo]




Anterior          <>        Próximo 
Postar um comentário