segunda-feira, 23 de março de 2015

A Pele Negra será "substituída" no Brasil?

  “Na Unicamp é possível observar que o perfil do servidor tem mudado ao longo dos anos.
  Os concursos público vêm elitizando o acesso ao trabalho na Universidade, excluindo negros e pobres.
  Desta forma é imprescindível discutir as cotas.”
[Jornal do Sindicato]


  Já que o sindicato convidou a todos para o debate, vamos a ele.
  Para o sindicato não pode existir concurso público igual para todos.
  E ao longo dos anos apenas endinheirados e brancos tem entrado na Unicamp.

  Vamos meditar sobre isso?

  Eu entrei na Unicamp por concurso e posso lhes assegurar que ali a maioria é pobre.
  Para passar no concurso você tem que estudar muito, o sindicato é contra o estudo!?

  O NÚMERO DE NEGROS NA SOCIEDADE ESTÁ DIMINUINDO E ISSO REFLETE EM TODAS AS ÁREAS.

 Nossa Mídia/Sociedade faz uma análise estranha pra mim.
 Afirma que pardos como a Camila Pitanga são negros.
 O que observo é que BRANCOS SÃO A MAIORIA DA POPULAÇÃO.
 Depois vem os PARDOS e depois bem abaixo os NEGROS.

  Quem decidiu que pardos são negros!?

  Essa enigma colocou minha mente em espiral nessa semana.

  Ter orgulho de ser negro...tudo bem.
  Ter orgulho de ser branco... não é bom.
  Ter orgulho de ser pardo ...pardos não existem, nossa cultura decidiu que eles são negros e não pense mais nisso.


  Eu tenho esse “pobrema”, quando pedem para eu não pensar em uma coisa é aí que penso, será que pode ser criado cota para minha deficiência...





Será que fizemos sexo com os Neandertais?

  “De acordo com os pesquisadores, evidências encontradas até o momento mostram que ocorreu um lento processo de substituição de Neandertais pelas populações invasoras de humanos modernos, bem como uma resistência da identidade cultural dos Neandertais.

  É possível que mulheres Neandertais tenham sido estupradas por Homo sapiens, em uma tentativa de dominação por parte deles.”

  Caso tenha havido batalhas não é possível que Neandertais tenham perdido todas, quero dizer que as mulheres sapiens também podem ter sido estupradas.
  Ou, em uma convivência pacifica o relacionamento sexual podia ser de comum acordo.
  No caso de negros e brancos todos somos sapiens logo o tchacatchacanabutchaca foi e é mais intenso.
  Inevitavelmente a pele branca ou a negra será “substituída”.

  Respire fundo, vamos audaciosamente onde nenhuma mente jamais esteve.

"Passou das 6 horas da tarde é preto."

  E se estivermos no horário de verão...😆

  Essa semana fiquei com dor no pescoço de tanto olhar para população e notei que pelo menos aqui em SP ela está cada dia mais branca.
  Leio muito sobre a fraca presença de negros em alguns setores de nossa sociedade, mas a existência de negros está cada vez menor.
  Me diga que cor é o Ronaldo Fenômeno?
  Coloque a foto dele perto de um negro e tente afirmar com certeza que ele é negro... para eu não dá.
  Vamos dizer que ele seja pardo.
  Porque decidimos que pardo é negro e não branco?
  Café é preto leite é branco quando misturamos os dois em igual proporção o líquido resultante é preto!?
  Percebem que estamos coletando dados de maneira ilógica.
  Agora com a criação de cotas cada vez mais pessoas vão se declarar negras para ter alguma vantagem.

  Olhe para foto desse homem negro:


  Agora puxe pela memória quantas pessoas você conhece com esse tom de pele.
  Claro que conheço pessoas com esse tom de pele mas não chegam a 5% dos meus conhecidos.
  Isso puxando bem pela memória revirando o passado distante.
  A maioria dos negros no Brasil são “marrons”. [Aquele negro/mulato]
  Por falta de negros podemos considerar os marrons negros, faz sentido.
  Aqui chamamos a moça de cabelos castanhos claros de loira, mas se você olhar para uma loira mesmo verá uma diferença perceptível, ela não tem raiz do cabelo escura, nem sobrancelha escura e muito menos o “carpete” escuro...😆


  
   O que não faz sentido para eu é considerar pardos como negros.

  A Camila pitanga é negra?
  Oras vemos muitas moças e rapazes com o tom de pele da Camila pitanga em todos os seguimentos de nossa sociedade, há necessidade de cotas para esse tom de pele?

  Vou lhe passar um conhecimento de maneira tosca, mas acredito que será suficiente para esse texto ser mais útil a você.
  Em genética temos o que chamamos de genes recessivos e genes dominantes.
  Os recessivos ficam na encolha os dominantes... dominam.
  Se seu pai e sua mãe tem a pele branca o gene dominante é branco e sua pele será branca.
  O mesmo vale para o casal de negros onde o gene dominante será negro.
  O mulato é um mestiço ele não é puramente branco nem negro então toscamente vamos dizer que o mulato tem genes recessivo para negro e genes recessivo para branco com uma tendência maior para pele negra.
  Se o mulato casar com uma mulata pode nascer alguém pardo, negro ou o mais provável mulato.
  Se o mulato casar com uma negra o filho pode nascer mulato mas o mais provável é que nasça negro.
  Se o mulato casar com uma branca o filho pode nascer mulato, pardo, mas o mais provável e que nasça branco.

  O pardo é um mestiço que surge do mulato com branca, seu gene dominante é o branco, sua pele tende para ser clara.

  Minha observação não é "científica" no sentido de ter um estudo sobre isso... se tem não encontrei, considere uma Filosofia Matemática.

  No mano a mano, um negro “puro” tendo relações com uma branca pura [não leve o puro ao pé da letra] qual gene é mais forte/dominante o da pele negra ou da pele branca?

     Minhas observações indicam que o gene da pele branca é mais forte/dominante e o futuro de países como o Brasil é ficar cada vez mais branco isso já está ocorrendo.


  Observei casais onde um dos parceiros é branco e os filhos seguem essa tendência de cor, até porque como já vimos a maior parte dos negros aqui são mestiços.
  Os índios no Brasil não eram negros, nossos colonizadores portugueses não eram negros.
  Se há negros no Brasil foi única e exclusivamente por conta da chegada de negros da África por causa da escravidão.

  “Em Março de 1845 esgotou-se o prazo do último tratado assinado entre o Brasil e a Grã-Bretanha e o Governo britânico decretou, em agosto, o Bill Aberdeen.
  Com o nome de Lord Aberdeen, do Foreign Office (o Ministério britânico das Relações Exteriores), o Ato dava ao Almirantado britânico o direito de aprisionar navios negreiros, mesmo em águas territoriais brasileiras, e julgar seus comandantes.
  Os capitães ingleses receberam poderes de atracar navios brasileiros em alto mar e verificar se transportava escravos — deveriam se desfazer da carga, devolvendo os escravos à África, ou transferi-la para os navios ingleses.”

  Entretanto veja que a partir de 1845 a chegada de negros foi reduzida drasticamente.
  Desde 1850 que praticamente a existência de negros no Brasil depende mais dos nascidos aqui.
  Lembremos que com a liberação dos negros em 1888 o Brasil recebeu um grande contingente de imigrantes europeus brancos e asiáticos cuja pele é clara.
  Fica fácil deduzir que a não ser que venha um grande contingente de negros para o nosso país nosso povo terá cada vez mais pardos que ficarão cada vez mais claros.
  A “solução” é trazer haitianos?

  Outra solução é negros não casarem mais com pardos ou com brancos, é idiota eu sei, isso não vai acontecer, mas é importante constar nesse texto para abrangermos o máximo de raciocínios.

  Se não tivesse ocorrido o intenso período de escravidão nossa população seria muito semelhante à da Argentina e Uruguai e aqui temos mais um elemento para corroborar a tese desse texto que o gene da pele branca é dominante em nossa região.
  Não há entre nossos vizinhos um país de maioria negra.
  A presença da pele negra em nossos vizinhos é bem baixa e também é fruto da escravidão de negros vindos da África.
  Argentina e Uruguai tem em média 4% da população negra.

  Os espanhóis preferiam forçar os povos indígenas ao trabalho escravo.
  Outra característica é que espanhóis não se misturavam muito sexualmente com outros povos diminuindo a miscigenação.
  Os portugueses eram mais...digamos...pré dispostos a aventuras sexuais com outros povos.

  A substituição da pele negra pela pele branca segue um rumo quase inevitável. 
  Se esse texto te incomodou muito faça o que eu fiz.
  Olhe para a população a sua volta.
  A Bahia e a região Sudeste foram onde chegaram mais negros, se você mora nesses locais e nota uma grande diminuição de negros, imagine em regiões onde o tráfico não foi tão intenso.
  Para quem ainda está chocado:

    Eu não invento a realidade apenas a observo.




 A quantidade e o tipo de melanina é o que dá cor a pele.

 “A melanina presente na pele tem a função fundamental de proteção.
  Protege a pele contra raios solares.
  Quando há a exposição dos indivíduos ao sol, os raios ultravioleta lesam primeiramente as células epiteliais da epiderme, produzindo degeneração e morte de algumas e a regeneração de outras.   Ocorre então um estímulo aos melanócitos que passam a formar rapidamente mais melanina, resultando em escurecimento da pele e, conseqüentemente, maior proteção em exposições posteriores.”

  Nós sapiens provavelmente surgimos em uma região de forte incidência solar, proximidades do deserto de Kalahari:

  “As temperaturas no verão do Kalahari vão de 20 a 40°C.
  No inverno, o Kalahari tem um clima seco e frio com geada à noite. As baixas temperaturas do inverno podem ficar abaixo de 0°C. O clima no verão em algumas regiões do Kalahari pode alcançar 50°C (por isso algumas tribos bosquimanas se recolhem nos momentos mais quentes do dia).”


  Nessa região de forte exposição ao Sol nosso corpo produzia muita melanina e a pele escura fazia parte de nossa genética.
  Ao migrarmos para regiões com menos incidência solar a produção de melanina foi diminuindo clareando a pele.
  Esse é um conhecimento importante porque é mais um ponto para fortalecer o argumento da gradativa substituição da pele negra.
  Sei, sei você deve estar resmungando que um país como o Brasil tem alta incidência de Sol.
  Acontece que aqui não temos um clima desértico como no Kalahari.
  Outro fato fascinante é que o modo de vida mudou muito de 200 mil anos para cá.
  Nossa exposição ao Sol não é mais tão intensa.
  Construímos moradias, trabalhamos em locais cobertos protegidos da incidência direta do Sol.
  Como se não bastasse usamos protetores solar e ar condicionados estão ficando onipresentes.
  Com o uso constante de roupas nossos pelos foram caindo.
  Com nossa constante proteção dos raios do Sol nossa produção de melanina vai caindo.
  Isso não é adivinhação é CIÊNCIA.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Esse texto tem mais dois de apoio a serem publicados.
  Sei que depois deles mais pessoas me detestarão, algumas já mostram seu desprezo.
  Uma me perguntou “porque eu odeio os negros”?
  Religiosos, ateus, comunistas, feministas, machistas, índios, islâmicos, sem terras ... porque transformam argumentos lógicos em sentimentais?
  Pela quantidade o gene da pele negra na África é dominante é uma questão matemática/genética, não há amor ou ódio envolvido.
  A diminuição de negros em todos os lugares do Brasil não pode ser generalizada como segregação ou discriminação.

    Cada vez que escrevo esse tipo de texto mil a minha esquerda me detestam e a direita também.
  Nessas profundezas do abismo a solidão é tão grande, tão densa que se torna sólida, a “solidão sólida”, como a chamo carinhosamente.
  Porque continua escrevendo essas coisas, trazendo elas do abismo dos pensamentos?
  É da minha NATUREZA não consigo evitar.

  De vez enquanto encontro alguma companhia e é motivo de festa.
  Selecionei uma pensadora “branca” e um pensador “negro”.
  Não que isso importe é só para acompanhar o texto.
  Os dois falam brilhantemente sobre educação e cultura.
  Foi uma festa a companhia de:

  Wendy Kopp   Clique Aqui

  Walter Williams  Clique Aqui


  Nunca saberão quem sou, mesmo assim, enorme prazer em conhece-los.


Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário