segunda-feira, 9 de março de 2015

Caixa Econômica Federal

“Bancários são suspeitos de envolvimento de fraude no Pronaf.
  Investigação federal tenta descobrir participação de servidores do Banco do Brasil no esquema, além de sindicalistas e políticos” [RS Notícias]  CliqueAqui
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  “As fraudes (Ao FGTS) se avolumaram os bancos não tinham controles efetivos.
  Em 1980 trabalhei aqui em Goiás num banco chamado Agrobanco (já extinto) nesta época lembro-me bem como funcionava.” [Comentarista no G+]
===================

  Fraudes não acontecem em Bancos Estatais!?
  Invés de punir os maus Bancos o Governo achou a desculpa perfeita para concentrar mais poder e manter o povo refém da sua vontade!

  Sabem porque o Governo Militar quebrou?
  Estatizou demais.

  Tem uma “lenda” na Internet que FHC quebrou o Brasil 3 vezes.
  A verdade que você vai encontrar pesquisando é que FHC assumiu o Brasil já quebrado e foi colando os cacos, não deu para consertar tudo, mas fez até mais que o esperado.

    O REGIME MILITAR DEIXOU PARA OS GOVERNOS CIVIS UMA DÍVIDA DE MAIS DE 1 TRILHÃO

  Os Governos Collor e Sarney só fizeram piorar a situação, acompanhe a historia:

 PLANO BRESSER - Em abril de 1987, em meio à crise provocada pelo fracasso do Plano Cruzado, e com a inflação em alta, Luiz Carlos Bresser Pereira assumiu o Ministério da Fazenda do Governo José Sarney.
  Um mês após a sua posse a inflação atingiu o índice de 23,21%.
  O grande problema era o déficit público, pelo qual o governo gastava mais do que arrecadava, sendo que nos primeiros quatro meses de 1987, já se havia acumulado um déficit projetado de 7,2% do PIB.
  Então, em junho de 1987, foi apresentado um plano econômico de emergência, o Plano Bresser, onde se instituiu o congelamento dos preços, dos aluguéis, dos salários e a URP (Unidade de Referência de Preços) como referência monetária para o reajuste de preços e salários. [Wikipédia]

  Carlos Bresser é um dos críticos de FHC...só pode ser inveja, o Plano Real deu certo o Plano Bresser NÃO.


 O PLANO COLLOR é o nome dado ao conjunto de reformas econômicas e planos para estabilização da inflação criados durante a presidência de Fernando Collor de Mello (1990-1992), sendo o plano estendido até 31 de julho de 1993, quando foi substituído pelo embrião do que vinha a ser o Plano Real, implantado oficialmente em 1994.
  O plano era oficialmente chamado Plano Brasil Novo, mas ele se tornou associado fortemente a figura de Collor.
 Segundo o acadêmico Carlos Eduardo Carvalho, Professor do Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, a medida política executada pelo Governo Collor, que ficou conhecida como confisco, não fazia parte, originalmente, do Plano Collor e tem origem num consenso entre os candidatos à presidência da época: Fernando Collor de Mello, Ulysses Guimarães e Luiz Inácio Lula da Silva.
  Quando ficou claro o esvaziamento da campanha de Ulysses, a proposta foi levada para a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, onde obteve grande apoio por parte de sua assessoria econômica e chegou à equipe de Zélia depois do segundo turno, realizado em 17 de dezembro. [Wikipédia]

  Observem que Lula teria seguido o mesmo plano de Collor, pelo menos em relação ao confisco da poupança, dinheiro para programas sociais não havia, o mundo não estava no melhor dos seus momentos, logo, acreditar que um Governo Lula ao invés de Collor nos levaria a melhores dias...precisa ter muita Fé, não é algo sustentável em fatos.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Agora que você adquiriu esses conhecimentos voltemos a falar da Caixa.

   Se estatizar fosse a solução os militares teriam sido o melhor governo que já tivemos.

   No começo até dá certo, tivemos crescimentos recordes, mas a corrupção e ineficiência inevitavelmente se instalam e elas são muito mais terríveis quando se enraízam no Governo.
  Seu vizinho (particular) te rouba você chama a polícia (Governo), mas e quando a polícia te rouba...percebe a profundidade?

  E porque corrupção e ineficiência se enraízam em Estatais?

  Os cargos não são preenchidos por mérito, mas por conchavos políticos.

  Humm... antes de prosseguir não se iluda que empresa privada é uma maravilha isenta de conchavos políticos e regida pela meritocracia.
  Na empresa privada muitos chegam a chefia só porque estavam na “panelinha certa”.
  Política existe em todo lugar, é intrínseco a nossa espécie porque somos mamíferos que vivem em bando.
  Acho até engraçado quando pregam o fim da política, porque não dá nem para imaginar uma sociedade complexa como a nossa sem política e por conseguinte políticos.
  A grande diferença é que a empresa privada precisa ter lucro ou quebra, a Estatal pode sobreviver sugando dinheiro dos impostos ou como vamos ver hoje:

  Estatal tem lucro/superávit utilizando monopólio, EXTORQUE toda a Sociedade através de uma concorrência desleal.

EXTORQUIR - Exigir ou retirar (alguma coisa) de (alguém) através de violência, chantagem, força.

   “A Caixa Econômica Federal está regulada desde 1969 (Regime Militar) como empresa pública vinculada ao Ministério da Fazenda.
  É assemelhada aos bancos comerciais, podendo captar depósitos à vista, realizar operações ativas e efetuar prestação de serviços.
  A Caixa prioriza a concessão de empréstimos e financiamentos a programas e projetos nas áreas de assistência social, saúde, educação, trabalho, transportes urbanos e esporte.
  Tem o monopólio do empréstimo sob penhor de bens.
  Tem o monopólio da venda de bilhetes de loteria federal.
  Tem o monopólio do recolhimento e aplicação do FGTS.” [Banco Central]


  A Caixa tem alguns recursos vantajosos os quais ela recebe de bandeja.
  Um deles é a grana da jogatina das loterias o outro são os recursos do FGTS.
  São recursos que entram em seus cofres sem que ela precise se esforçar, sem dúvida é uma vantagem competitiva enorme.
  A Caixa é uma concorrência para lá de desleal com Bancos Privados.
  Veja o caso do FGTS, porque a empresa é obrigada a deposita-lo na Caixa?
  Eu deveria poder escolher em qual banco meu FGTS seria colocado, quem sabe com a concorrência pudesse conseguir juros melhores ou algum benefício como desconto em serviços ou acumulo de pontos que me dessem direito a alguma coisa.
  O Governo poderia estabelecer um rendimento mínimo, como acontece com o salário mínimo, no caso do FGTS o mínimo lógico/imaginável seria repor a inflação...coisa que o Governo não faz:

  “FGTS perde da inflação em 2013 e acumula prejuízo de 19,5% em 15 anos”.  [UOL]   Clique Aqui

  Entenda que o FGTS é tipo um seguro desemprego resgatável.
  Não entendo porque o Governo quer tomar conta dessa apólice para mim.
  Tirando a malandragem quem me dá outro motivo?
  Sou “de maior”, mas o Governo decretou que sou irresponsável com o dinheiro então ele como meu “padrasto” administra para mim!!

  “A Caixa prioriza a concessão de empréstimos e financiamentos a programas e projetos nas áreas de assistência social, saúde, educação, trabalho, transportes urbanos e esporte.”

  Essa é a parte mais “hilária”, me lembra aqueles traficantes do morro que em troca do seu silêncio e conivência lhe dá uma cesta básica ou remédios.
  A Caixa extorque nosso dinheiro e nos joga algumas esmolas.

  O BNDES poderia absorver esse tipo de empréstimo “social” com muito mais eficiência, mas preferimos que ele faça isso em Cuba e países semelhantes.

  Se eu fosse Presidente deixaria um único Banco Estatal, no caso o BNDES e tornaria o Banco Central independente.
  BB e Caixa seriam privatizados.




Anterior          <>        Próximo 
Postar um comentário